Carros Esportivos Ganham a “Marca” R





R só pra gringo ver

A Volkswagen divulgou no Salão de Genebra a criação da divisão R – assim, grafado em vermelho mesmo – que ficará responsável pelos carros esportivos da marca. Não foram divulgados valores envolvidos, orientação de design ou quais modelos poderiam pertencer a esse seleto grupo. Imagino que venha a ser algo como o que a AMG ou a Divisão M fazem – guardadas as devidas proporções – com os carros da Mercedes-Benz e BMW, respectivamente: pegam os modelos da linha regular e transformam em bólidos potentes, rápidos, (mais) exclusivos e, proporcionalmente, (mais) caros.




E é natural que os órfãos brasileiros do Uno 1.6 R e correlatos já sintam um friozinho na barriga só  de pensar na possibilidade de um Polo 2.0 R, só vendido na cor vermelho-vivo, com uma dúzia de penduricalhos aerodinâmicos inócuos e pacotes de acessórios, mais engessados que meu pé quebrado, sendo vendidos a preços indescritíveis.

Mas segurem as fibrilações, pessoal! Antes de correr até a concessionária, é preciso refletir: qual carro da Volkswagen, vendido no Brasil, se encaixaria na categoria R a ponto de não se tornar um elefante vermelho-vivo como foi (ou ainda é… não sei… nunca se vê esse modelo nas ruas mesmo!…) o Polo GTi?


Todos devem estar pensando em coro: Golf, oras bolas!!! Tsc-tsc… ninguém prestou atenção… eu disse um modelo que não se tornasse um mico… ou vocês acham mesmo que o Golf, com os preços (do carro e seguro) praticados atualmente no mercado, se porventura se tornasse “R”, seria uma pechincha? Seria preciso desembolsar mais ou menos um Uno Economy zero km por ano para quitar o seguro, e uma Mercedes 200 com o que se pagaria pela letrinha vermelha a mais. E, se você pode escolher entre 200 cv num Golf e 200 cv numa Mercedes… bem, eu não sei vocês, mas eu sou Mercedes até o último N/m de torque.

Por Leopoldo Henrique Fachini



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *