GM atinge 2,5 milhões de carros produzidos em Gravataí (RS)





Inaugurada oficialmente no ano 2000, a unidade industrial da General Motors de Gravataí (RS) que tem a capacidade atual para fabricar até 63 veículos por hora, além do aniversário de 14 anos completados no dia 20 de julho, celebra também a marca de 2,5 milhões de carros fabricados.

O Complexo Industrial Automotivo de Gravataí (Ciag), que possui ainda 19 empresas fornecedoras, é responsável, atualmente, pela fabricação dos Chevrolet Onix hatchback, Celta e Prisma, empregando cerca de 8 mil trabalhadores. Operando em três turnos e com capacidade de produzir até 63 unidades por hora, a fábrica é atualmente a maior da General Motors no hemisfério Sul.

Com cerca de 40 ruas, sendo que algumas possuem nomes de modelos da marca, como Monza, Omega, Opala e Corsa, o complexo industrial possui restaurantes, farmácia, loja de conveniência, agências bancárias, ambulatório, estação de tratamento de efluentes, reservatório de água e subestação de energia elétrica.

Quando foi inaugurada, a GM apostou na época no novo conceito de condomínio industrial, fazendo com que os principais fornecedores ficassem perto da linha de montagem, facilitando a fabricação dos carros da marca, servindo de modelo, desde então, para outras fábricas de outras montadoras em todo o mundo. 

Desde quando foi inaugurada, a unidade industrial passou por duas ampliações, sendo que a primeira ocorreu em 2006, possibilitando a produção do Prisma e aumentando a capacidade de produção de 120 mil para 230 mil veículos por ano. A segunda, realizada em 2012 e que fazia parte do Projeto Onix, elevou a capacidade de produção para 380 mil unidades anuais e capacitou a fábrica para produzir o Onix.





A unidade, que registrou a marca de 2,5 milhões de carros produzidos, elevou a economia da cidade de Gravataí, que antes da implantação da fábrica, em 1997, tinha um orçamento de R$ 37 milhões.

Atualmente, além dos aproximadamente 8 mil postos de trabalho, a previsão de arrecadação para 2014 é de R$ 650 milhões, elevando a cidade para a quarta colocada em arrecadação de ICMS e obtendo o quinto maior PIB (Produto Interno Bruto) do estado do Rio Grande do Sul.

Por Caio Polo

Foto: divulgação



Compartilhar:

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *