Recall RAM 1500, RAM 2500 e RAM 3500





Modelos sofrem com falha de software.

Todo mundo sabe que ter um carro usado pode gerar alguns contratempos, como muitas idas à oficinas mecânicas, troca de peças, manutenções mais frequentes. Enfim, um carro mais rodado requer mais cuidados para continuar rodando sem dar nenhum tipo de problema.

Em contrapartida, quando se compra um veículo zero quilômetro a expectativa dos consumidores é de que as idas à oficinas mecânicas sejam apenas para as manutenções programadas que as concessionárias oferecem, nos primeiros anos de uso. Nenhum comprador de um carro zero espera que ele possua um problema, principalmente que este problema possa colocar em risco a sua segurança e daqueles que transporta.

Mas isso pode acontecer e acontece bem mais que se espera. Tanto que sempre ouvimos falar dos recalls, que nada mais são que reparos realizados em automóveis recém-comprados, ou seja, carros novos, recentemente lançados pelas montadoras.

E por falar em recall, a Fiat Chrysler, a FCA, no último dia 12 do mês de outubro, realizou um pronunciamento anunciando que cerca de 1,2 milhão de picapes do modelo Ram, distribuídas em todo o mundo, terão que passar por reparos, em decorrência de uma falha existente em seu software.

Ainda está sendo averiguado, mas esta falha presente neste modelo de picape pode ser relacionada a um acidente que ocasionou a morte de um de seus ocupantes e o ferimento de mais dois.

De acordo com a fabricante, este problema está presente nos modelos de picapes Ram 1500 e 2500, que foram fabricadas entre os anos de 2013 e 2016, além da Ram 3500, que foi produzida entre os anos de 2014 e 2016.

Uma boa notícia para os brasileiros é que no Brasil não foram vendidas nenhuma dessas unidades que foram afetadas por este problema.

Na realidade, de acordo com a fabricante, a maioria das picapes que possuem o defeito a ser reparado está concentrada nos Estados Unidos. Onde chegam ao número de 1 milhão de veículos a passarem pelo recall.





A segunda maior concentração de picapes está localizada no Canadá, onde somam-se 216 mil. Por último temos o México, com 21 mil unidades da picape. Mas além destes lugares, ainda existem mais de 20 mil automóveis desses rodando em vários países de todo o mundo.

Pois bem, o desafio da Fiat Chrysler é reparar todos esses veículos para que seus usuários possam trafegar com tranquilidade, sem correrem o risco de se ferirem ou até mesmo perderem a vida em decorrência de uma falha de fabricação.

Em relação aos riscos, a fabricante esclarece que a falha no software está relacionada aos airbags. Mais especificamente aos airbags das laterais e também aos pré-tensionadores do cinto de segurança. O risco está no fato de estes acessórios nãos serem acionados em caso de colisão ou acidente em que haja impacto no assoalho, no momento em que a picape passar por cima de algo na pista ou estrada, levando à perda do controle da direção, por exemplo.

Isso pode acontecer em casos assim, pelo fato de o sistema compreender que há uma falha nos sensores que estão localizados embaixo do automóvel. Assim, quando ocorre a falha de um sensor ,o software impede que os airbags e pré-tensionadores sejam acionados.

Nesse sentido, para que os usuários fiquem em alerta, quando este tipo de erro ocorrer, uma luz irá acender no painel. Para resolver o problema, basta desligar e ligar o carro, mas para por um fim definitivo nessa falha a FCA vai realizar um recall, que está previsto para ter início em junho de 2018, começando pelos Estados Unidos, onde está a maioria das picapes.

De fato, tudo o que envolve a segurança de ocupantes de um veículo deve ser prontamente analisado para que assim possíveis acidentes sejam evitados.

Sirlene Montes



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *