Quantidade de Etanol na Gasolina pode Aumentar

  

  

Decreto Presidencial pode aumentar para 40% a quantidade de Etanol na Gasolina.

Está sendo esperada para os próximos dias a realização de um Decreto Presidencial. De acordo com informações extra oficiais, como parte deste decreto o presidente da república Michel Temer irá anunciar que uma alteração será realizada na composição da gasolina que é vendida no Brasil. A estimativa é de que até o ano de 2030 a quantidade de álcool de anidro presente na mistura da gasolina seja em um total de 40%.

A notícia desse aumento de álcool na gasolina foi veiculada por um jornal muito conceituado em todo o país. De acordo com o periódico, a quantidade de álcool de anidro presente em nossa gasolina é de 27%, mas com o decreto essa quantia deve subir para 40%, o que seria de forma gradativa até o ano de 2030.


Foi só o jornal publicar essa notícia no início desta semana que as polêmicas começaram. Afinal, esse aumento envolve muitos outros fatores que com certeza, de alguma forma vão influenciar na vida dos brasileiros.

A primeira questão a ser levantada refere-se ao fato de que com o aumento de etanol na gasolina, esta sairá mais cara para o consumidor brasileiro. A estimativa inicial é de que esse aumento seja em torno de R$0,06 por litro do combustível. E esse será apenas mais um aumento no valor do combustível, já que desde que uma forte crise afetou a economia do país, vários aumentos já ocorreram.

Outro ponto já discutido é uma perda que a economia do país terá com esse aumento. Pois são arrecadados por ano um total de R$ 4 bilhões de reais em tributos, onde estão incluídos o Cide, Cofins e PIS, taxas comumente cobradas desses combustíveis. Assim, esse valor deixará de ser arrecado, representando menos recursos para a economia brasileira.

  

E os problemas não devem parar por aí, pois com o aumento da quantidade de álcool anidro na mistura da nossa gasolina, será necessária uma quantidade maior de plantação e cana de açúcar.

Dados recentes apontam que a quantidade da plantação de cana-de açúcar exclusiva para a produção de combustíveis é de 55%, sendo que a partir deste decreto essa quantidade deverá subir passando dos 60%, o que pode significar que falte etanol para o consumidor nos postos de combustíveis. Ou talvez essa ausência do combustível possa elevar o seu valor para o consumidor brasileiro.

Enfim, esse assunto nem ao menos foi divulgado pelo governo e sua repercussão já é bastante grande.

O que a maioria das pessoas não sabe é que se realmente esse decreto do aumento de álcool na gasolina acontecer, ele surge em resposta a uma questão que vem sendo levantada há muito tempo por ambientalistas. Estamos falando da emissão de poluentes na atmosfera, sendo os piores aqueles que são originários do petróleo, como é o caso da gasolina. Acrescentando mais álcool à essa mistura, menos poluentes serão lançados e o mundo todo ganha. Mas, infelizmente, se adequar a essa situação pode ter seus custos.

Mas nada está confirmado até o momento, há quem diga que o decreto que o presidente irá fazer não envolve essa questão e sim outras de ordens diferentes que foram previamente discutidas no mês de dezembro de 2017. Além disso, informações do Congresso apontam que quando esse assunto foi colocado em pauta, mal chegou a tramitar, sendo excluído pelos congressistas.

Enfim, este é um assunto na realidade bastante polêmico, porém, se não for abordado agora, mais cedo ou mais tarde terá que ser feito, uma vez que já existe uma regulamentação que pertence a um programa de biocombustíveis que determina que algo seja feito para que haja uma redução na emissão de poluentes na atmosfera.

Nesse sentido, temos que aguardar pelo decreto do presidente.

Sirlene Montes

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *