Carro Automático – Como Dirigir e Dicas



Confira aqui algumas dicas e aprenda a dirigir carros com câmbio automático.

A vida moderna possui uma série de facilidades que auxiliam o dia a dia. Uma dessas facilidades está nas funções dos automóveis. Seja um convencional, um CVT ou mesmo de dupla embreagem. O consumidor brasileiro, fato, prefere cada vez mais o câmbio automático na hora de adquirir um carro novo.

Entretanto, não basta desejar pelo conforto que proporciona, é preciso adaptar-se. Nós preparamos aqui algumas dicas sobre como dirigir um carro automático. É muito importante o consumidor familiarizar-se às posições do câmbio. Qualquer veículo possuirá marchas com as seguintes posições:

P, ou a posição de veículo parado, câmbio travado e impedido de movimentação;

N, ou Neutro. Tanto automático como manual, esta é a posição em que o veículo está “solto”, por assim dizer, nenhuma marcha está engatada;

R, ou Engata na marcha ré. Esta é apenas para ser utilizada em manobras;

D, ou “Drive”, literalmente “Dirigir” em língua portuguesa. É a posição na qual o câmbio trabalha, fazendo o veículo andar e que, num automático, realiza as trocas de marcha por si.

Um dos primeiros cuidados a serem tomados ao sair de um veículo manual para um automático está no costume de utilizar o pé esquerdo, devido à presença da embreagem. No automático isso pode gerar freadas bruscas. No carro automático nada de utilizar a perna esquerda, somente a direita no acelerador e freio.

Todo cuidado é pouco. Muita atenção ao chamado acontecimento “creeping”. Na posição D o motorista apenas suspende o pé do acelerador e o carro anda lentamente, por si, mesmo sem acelerar. Muita atenção a isso, no sentido de evitar qualquer pequeno acidente.

Muita atenção no P. A tendência geral é de os condutores esquecerem-se do acionar o freio de mão, já que o P trava o câmbio e o carro não se movimenta. Por ser uma trava mecânica ela não funciona, especificamente, para segurar todo o peso do carro. Portanto, sempre utilizar o freio de mão. Em posição íngreme, numa ladeira, é necessário puxar o freio de mão, acionar o câmbio em N, soltar o pedal do freio e aguardar o veículo parar por completo, por meio do freio de mão; em seguida, acionar o câmbio em P.



No meio do trânsito intenso ou mesmo parado diante de semáforos, muitos condutores acionam o câmbio em N. Embora não seja prejudicial, também não influi positivamente. O câmbio automático foi elaborado no sentido de manter o veículo parado em D.

Nada de engatar Ré ou P em movimento. Mesmo no câmbio automático o risco é forçar e até danificar a função que produz o “meio de campo” entre o motor e o câmbio. No P é a mesma situação, pois funciona como uma típica trava mecânica de câmbio.

Nada de acelerar sem colocar em D. A tendência geral é de cambiar para N, acelerar e em seguida mudar para D. Essa atitude produz os “trancos” e força o dispositivo, podendo até danificar o conversor de torque.

Existe a opção de utilizar no modo manual. Câmbios automáticos permitem uma seleção manual de marchas, e esta opção se dá no momento de trocar de marcha. Esse toque manual é importante, sobretudo em ultrapassagens e situações similares, onde o automático é insuficiente. Acionar o botão ou borboleta.

Em algumas situações em que o modo manual não obedece na troca de marcha, o motorista deve verificar a sinalização no painel. A transmissão produz essa situação no sentido de se proteger e de proteger o motor em caso de redução de rotação acima do permitido ou câmbio de marcha para cima e abaixo da rotação mínima permitida na operação do motor.

Grande parte dos câmbios possui o botão de trava. Sua função é evitar que as marchas sejam engatadas estando o automóvel desligado, ou mesmo o acionamento acidental da transmissão estando o veículo ligado. Isso prejudica a sua estrutura.

Outras posições são: D3, 2, 1, L, S. Estas outras opções, sinalizadas próximo da alavanca, indicam a alternativa de limitar o câmbio até àquela marcha determinada. No caso de câmbios tipo CVT ou nas transmissões automáticas desprovidas do modo manual, se verifica a presença das posições L ou S. L significa “low”, ou seja, proporciona força, quando o carro está muito carregado. S significa modo esportivo, proporcionando melhor desempenho. Entretanto, ambas as funções obtém mais freio motor em longas descidas.

Paulo Henrique dos Santos




Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *