Volkswagen Gol e Voyage sofrem Recall





Serão 136 veículos dos anos/modelos 2018 e 2019.

Donos de automóveis Gol e Voyage, da montadora alemã Volkswagen, estão sendo convocados a levar seus veículos para um reparo gratuito que será iniciado em 17 de dezembro. O motivo do recall é um potencial defeito no cinto de segurança traseiro.

Foram convocadas 136 unidades para o reparo e os chassis envolvidos são:




  • Do JT156496 até KT010470

As datas de fabricação dos veículos vão de 16 de maio até 14 de junho de 2018. Portanto, fique atento ao número do seu chassi e á data de fabricação do seu veículo.

De acordo com informações da Volkswagen, o reparo não será cobrado e começará na próxima segunda-feira, dia 17 de dezembro, tendo duração de 50 minutos. O tempo de reparo será curto porque o problema consiste numa porca de fixação do fecho duplo do cinto traseiro. A solução será a realização de um reparo na porca. O cliente poderá se deslocar para qualquer loja dentro da rede de concessionárias Volkswagen.


Quais seriam as consequências para os ocupantes em caso de acidente

Para este tipo de defeito há o perigo no caso de colisão do veículo. Nesses casos pode haver o desprendimento da fixação do fecho duplo, fazendo com que os cintos de segurança traseiros da esquerda e central não garantam a devida proteção, podendo ocasionar em lesões aos ocupantes do veículo.

Ainda está em dúvida?

Se você ainda tem dúvidas sobre se o seu carro também foi convocado para o recall ou de qual procedimento tomar, entre em contato com a empresa pelo telefone 0800-019-8866. Você também pode verificar a informações pela internet clicando aqui . Selecione o seu veículo e veja informações sobre o recall.

O que é um Recall

Um recall de produto é uma solicitação de um fabricante para devolver um produto após a descoberta de problemas de segurança ou defeitos no produto que possam colocar em risco o consumidor ou colocar o fabricante em risco de ação legal.

Pode ser difícil (se não impossível) determinar quão caro pode ser essa liberação para o consumidor de um produto que possa colocar em risco a sua vida. Recalls são caros para as empresas, mas tornam-se mais baratos do que os possíveis custos de ações judiciais que a empresa poderia enfrentar caso não fizesse os recalls.

Os custos incluem ter que lidar com o produto retirado, substituí-lo e possivelmente ser responsabilizado financeiramente pelas consequências do produto recuperado.

A nível mundial, os Recalls estão aumentando

Em todo o mundo o número de recalls vem aumentando – com exceção da crise econômica de 2008, quando houve uma baixa.

Por ano, as garantias automotivas ao redor do mundo são estimadas em US$ 40 bilhões (quase R$ 157 bilhões), com perdas de 3% a 5% nas vendas.

A produção em larga escala e a baixo custo pode levar a uma menor qualidade, e a terceirização pode levar a uma mudança de conhecimentos referentes a técnicas e processos. Dessa forma, as falhas técnicas são mais prováveis de acontecer devido a problemas de comunicação entre as diferentes partes envolvidas na cadeia de produção dos veículos.

Apesar do crescente número de recalls, um estudo da Mojo Motors Inc. descobriu que apenas 0,005% dos clientes perguntam sobre recalls ao entrar em contato com as concessionárias.

Nos últimos 52 anos (desde 1966), 390 milhões de veículos motorizados foram chamados para recalls nos Estados Unidos.

A situação no Brasil é parecida! De acordo com informações divulgadas pela Secretaria Nacional do Consumidor, o ano de 2016 sozinho foi responsável por mais de 9 milhões e 600 mil recalls no país, maior número registrado nos últimos 15 anos.

Desse número de produtos convocados, 76% são carros e pouco mais de 7% são motocicletas.

Por Bruno Rafael da Silva

Compartilhar:


Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *