Câmbio Automático Refrigerado a Água – Como Funciona





Entenda se existe e como funciona o câmbio automático refrigerado a água.

O dispositivo de Câmbio automático refrigerado a água é um sistema que realmente existe?

Em primeiro lugar, falamos uma pequena incursão pelo sistema de câmbio automático ou de mudanças automáticas em sua estrutura básica. Trata-se, como qualquer engenheiro mecânico minimamente instruído sabe, de um sistema que está instalado em determinados modelos de automóveis e de motocicletas cuja função está na troca (câmbio) de marchas mais eficientes, que pode ser efetuada por meio do próprio sistema de transmissão do veículo, o qual opera de modo a detectar a relação precisa entre a capacidade de velocidade e a de rotação de motor, no sentido de poder optar para o câmbio automático de marcha.




De acordo com os especialistas do site Auto Papo esse tema pode ser esclarecido de modo mais prático e informal.

Se o proprietário de um automóvel decide levar o seu carro para um mecânico qualquer, devido a um suposto problema de no sistema de refrigeração, cuja causa pode ser verificada pela observação de vazamento de líquido, é bem provável que o “profissional” explique essa situação do seguinte modo: o sistema de câmbio automático passa por processo de arrefecimento pelo mesmo líquido que faz o trabalho de refrigeração do motor. Isso é verdade?


Para melhor esclarecer, basta um único exemplo concreto, como segue:

Um dos muitos leitores do site Auto Papo relatou que verificou um problema específico, em que o sistema que efetua a refrigeração estava vazando de seu líquido, e esse fato foi concomitante ao de que o câmbio automático começou a apresentar alguns problemas, sobretudo de aquecimento.

Deste modo, assim que chegou com seu veículo em uma oficina, o mecânico, dito “profissional”, alegou, de modo bastante instintivo, que procede a situação de que na medida em que se esvai o líquido que efetua a refrigeração, o automóvel começa a apresentar o consequente problema de aquecimento. Nessa linha de causa e efeito, vai sobrar para o próprio sistema de câmbio automático, que começa a ser aos poucos danificado, dado que o mesmo precisa passar pelo processo de refrigeração por meio do mesmo líquido que circula no motor.

Mas, então, a pergunta essencial: essa informação procede?

O especialista Boris Feldman, colunista do site Auto Papo, profissional jornalista e também engenheiro, com mais de 50 anos de rodagem dentro da imprensa automotiva, explicou, em princípio, que o leitor em questão tem o dever de tirar seu veículo daquele ambiente, o mais rápido possível, e dirigir-se a uma mecânica de alta categoria.

Mas, passados alguns dias, foi publicado um mea culpa.

De acordo com o mesmo articulista, existem automóveis que estão munidos de um sistema de refrigeração por meio de fluido no câmbio automático, via recurso de cooler, ou seja, de um dispositivo que faz o trabalho de “trocador” sobre o calor deslocado para o radiador, porém refrigerado via ar.

Portanto, esse é um tipo de mecanismo que opera de modo a evitar essa espécie de problema. Todo esse fluxo de água e ar evita o superaquecimento sobre a estrutura do motor e, por conseguinte, da própria transmissão automática.

Entre os modelos de veículos de produção nacional, alguns estão equipados com esse sistema de refrigeração via fluido que percorre a estrutura do câmbio automático, sendo o mesmo fluxo de água passando pelo sistema de refrigeração no motor. Essa retratação é bastante elucidativa para todo leitor.

Assim, existe, sim, o sistema de câmbio automático refrigerado, só que por meio de água contida no radiador. Por essa razão, o tal mecânico explicou que o problema ocorrido na caixa de marcha se deu em decorrência de aquecimento no radiador.

Por Paulo Henrique dos Santos

CÂmbio Automático



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *