A nova S10 que já se encontra à venda no mercado brasileiro desde 2016 e traz algumas modificações que a tornam mais competitiva entre os seus concorrentes da mesma classe.

Uma das maiores fabricantes de automóveis do mundo, a Chevrolet sempre foi uma das referências mundiais em termos de inovação e estilo.

Desta vez esta inovação pode ser sentida na nova versão do seu utilitário de categoria pesada, a nova S10 que já se encontra à venda no mercado brasileiro desde 2016 e traz algumas modificações que a tornam mais competitiva entre os seus concorrentes da mesma classe.

Novo estilo, nova mecânica e com preço da versão antiga

Uma das características marcantes do novo modelo é que a empresa trouxe para o seu veículo maior porte a incorporação do novo design aplicado aos demais veículos mais leves fabricados e revendidos no país.

Deste modo, a nova S10 ganhou uma nova frente bem ao novo estilo da montadora, com novos desenhos e nova grade na parte dianteira do veículo.

Segundo a própria Chevrolet, as mudanças podem ser sentidas também em relação à mecânica do novo modelo. Uma nova suspensão, novos sistemas de freios e uma novidade: a S10 agora vem com sistema de direção elétrica em sua nova linha. Uma inovação que garante uma maior leveza para quem dirige.

Além disso, a empresa garante que o seu novo modelo está nas concessionárias ainda com preços similares aos que estavam sendo praticados com o modelo anterior. Esta pode ser uma boa notícia para quem estiver pensando em dar uma passada na concessionária de sua preferência e trocar a sua antiga pela nova ou para quem já estava pensando em manter uma nova na garagem.

Comercializada na versão a Diesel do tipo 4×4, ela poderá ser encontrada com preços de até R$ 105.000,00.

Quais as versões de motores e do câmbio adotadas para a nova S10?

Em termos de mecânica, a Chevrolet parece que adotou a seguinte filosofia: “Em time que está ganhando, não se mexe”. Sendo assim, a montadora resolveu manter o seu motor de 2.8 turbo diesel, com 200 cavalos de força.

Para a caixa de marcha, continuam as manuais de seis velocidades e com tração reduzida de 4×4.

As suspensões traseiras e dianteiras são independentes, com a utilização de barra estabilizadora e braços triangulares, rodas não comunicantes e molas do tipo helicoidal.

A nova versão ganha alguns itens que trazem mais conforto ao motorista

Pensado também no conforto e segurança de seus consumidores, a Chevrolet trouxe alguns itens que deverão tornar a experiência da nova S10 muito mais prazerosa.

A nova versão agora está equipada com freios ABS em duas rodas, sendo que estes possuem um sistema de ventilação própria o que garante maior vida útil, Airbags dianteiros tanto para os passageiros quanto para o motorista.

Além disso, um sistema eletrônico controlado pelo painel permite a distribuição eletrônica de peso durante os episódios de frenagem e que possibilita ao motorista ser informado sobre uma baixa calibragem em todos os pneus.

A nova versão vem com computador de bordo que monitora o consumo de combustível

A S10 vem com computador de bordo que informa ao motorista dados importantes sobre o veículo como velocidade média, consumo imediato de combustível e sua média correspondente por quilômetro rodado e qual a autonomia de consumo com a quantidade existente no tanque em tempo real.

Sem esquecer o conforto, a montadora incluiu ar condicionado digital, bancos de couro, tomada para conexão com aparelhos eletrônicos do tipo USB, Bluetooth que permite conexão com telefone e transmissão automática de música.

Além disso, para quem gosta de som no carro, onovo modelo vem com equipamento de som, que sintoniza tanto AM quanto FM e vem também com dois alto-falantes embutidos para uma garantia de um bom som ambiente.

Por Emmanoel Gomes

Chevrolet S10 2017


Um cálculo elaborado pela corretora Economize no Seguro, a pedido da Revista Exame, mostrou um dado bastante interessante para o consumidor de veículos. Após realizar mais de 1.400 cotações com o intuito de calcular o valor médio dos seguros dos 20 carros mais vendidos do Brasil, o órgão chegou à conclusão que o veículo nacional com o seguro mais caro é a picape Chevrolet S10, enquanto o mais barato também é fabricado pela montadora norte-americana. Trata-se do Onix.

Para chegar à conclusão de quais são os 20 carros mais vendidos do Brasil, o órgão baseou-se nos números apresentados pela Federação Nacional dos Fabricantes de Veículos (Fenabrave). A partir desse ponto, os critérios avaliados passaram a ser a incidência de roubo dos modelos, o custo das peças de reposição e o perfil do cliente que adquire cada modelo avaliado.

A conclusão foi de que os carros que são utilizados para o trabalho estão sujeitos a um risco maior e, tratando-se de um utilitário, a S10 fatalmente acaba por ser usada para trabalho, o que aumenta sua exposição e, consequentemente, os riscos em torno da picape da Chevrolet.

Dentro do chamado ‘perfil do cliente’, a corretora criou a imagem de um homem solteiro, com cerca de 35 anos de idade, que tenha garagem em casa e no trabalho (fatores que normalmente diminuem o custo de um seguro de autos), more em um apartamento, em um prédio que conte com o auxílio do portão automático. Para dar um pouco mais de realismo ao teste, a corretora utilizou como base modelos zero quilômetro, sempre em suas versões mais básicas e que tenham alarme. O pernoite teve como base CEPs de cinco regiões da cidade de São Paulo.

Houve cotações em 14 das maiores corretoras de seguro que operam em território brasileiro e a base foi feita a partir da cobertura do valor total do carro, em até R$ 50 mil para danos materiais, dobrando esse valor em caso de danos corporais, além de assistência 24 horas e reposição de vidros.

Por Chris Lino

Foto: divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: