Mesmo com a crise econômica, montadora registra um de seus melhores anos em toda a sua história.

Na segunda semana do mês de março de 2016, mais precisamente na quarta-feira (dia 09), o Grupo BMW, que engloba entre outras marcas nomes bem conhecidos no setor automobilístico como o Rolls-Royce e o Mini, anunciou os números referentes ao lucro, receita e vendas do ano passado. E para a felicidade da companhia, apesar de todas as dificuldades enfrentadas pelo mercado de automóveis, ela ainda conseguiu obter resultados recordes nos três pontos citados anteriormente.

Os números divulgados pela BMW que envolvem as marcas vendidas pela companhia chegaram ao patamar de 2,24 milhões de unidades comercializadas.

Ainda segundo informações da fabricante, as receitas do grupo no período de 2015 subiram significativamente representando uma faixa de aumento de 14,6%. Em números isso representa 92,17 bilhões de euros. Já no que diz respeito ao lucro líquido, a informação repassada aponta que o mesmo chegou a ultrapassar os 6 bilhões de euros. Curiosamente, isso aconteceu pela primeira vez em 100 anos de existência da empresa. Vale lembrar que o aniversário de um século foi comemorado na primeira semana de março.

Em termos gerais a BMW não tem muito do que reclamar, afinal, quebrar recordes em um momento difícil na economia de muitos países é algo para se comemorar e muito. De qualquer forma, a companhia deixou claro que o ano de 2015 não foi bom para todas as marcas da empresa. A marca Rolls-Royce acabou sofrendo uma queda de 6,8% em relação às vendas. Em números essa redução fez as vendas caírem para 3.785 unidades.

Mesmo sendo uma redução, esses números marcam o ano de 2015 como o 2° melhor ano durante toda a história da fabricante de carros de luxo. Melhor do que isso foi apenas em 2014, onde a marca obteve um recorde de vendas na faixa de 4.064 unidades.

Embora muito pouco divulgado na mídia especializada, a BMW já não possui mais nas mãos a liderança do mercado de modelos de luxo no Brasil. E novamente a companhia surpreende. Ainda assim a BMW, em escala mundial, conseguiu um crescimento de 5,2%. Esse percentual representa 1,9 milhão de unidades a mais vendidas.

Esse crescimento teve seus responsáveis, em especial a ajuda vinda de algumas novidades oriundas das linhas Série 2, Série 4 e também na linha X, focada em utilitários esportivos.

Já a expectativa para 2016 continua sendo das melhores para a BMW, que espera mais recordes nas vendas. A companhia está apostando que conseguirá isso com a chegada do novo Série 7.

Por Denisson Soares





CONTINUE NAVEGANDO: