Foi uma disputa apertada durante todo o último ano, mas o Fiat Palio conseguiu tirar do Volkswagen Gol o título de carro mais vendido no Brasil.

A diferença nas vendas entre os dois modelos foi de apenas 381 unidades, sendo que foram comercializados 183.744 unidades do Palio em 2014, enquanto do Gol foram vendidas 183.367 unidades durante todo o ano.

Mesmo não alcançando um resultado favorável, a Volkswagen se mostra otimista com os números apresentados pelo modelo no ano anterior. De acordo com uma nota oficial divulgada pela própria VW, a montadora afirma que o Gol é um vencedor, por ser o carro preferido entre os brasileiros há 27 anos e por, durante estas quase três décadas, ter sido o modelo com maior número de unidades produzidas, sendo mais de 7,5 milhões de carros fabricados desde 1980, ano em que o modelo foi lançado.

Outro fator mencionado na nota pela montadora é que o percentual de diferença nas vendas dos dois modelos foi de apenas 0,2% e, enquanto a Fiat comercializa duas versões para o Pálio (sendo uma atual e outra antiga), o Gol não conta mais com sua versão G4, que era considerada a mais popular do modelo e, mesmo sem ela, ainda obteve a segunda colocação entre os carros mais vendidos no país em 2014.

Especialistas no mercado automotivo afirmam que a versão Fire do Palio (mais antiga) corresponde a 55% de todas as vendas do modelo da Fiat. Já o G4, que era a versão mais barata do Gol, representava uma fatia de 20% de todas as vendas do modelo no mercado.

A versão G4 do Gol deixou de ser fabricada no final de 2013, pois para a VW não seria financeiramente lucrativo a instalação do dispositivo de segurança (airbag) neste modelo. A instalação deste dispositivo se tornou obrigatória em todos os carros fabricados no país desde o ano passado.

A disputa entre as duas montadoras se arrastou durante todo o ano de 2014, onde tanto a Fiat quanto a Volkswagen lançaram mão de diversos artifícios, como descontos e linhas de financiamentos facilitados na busca de alavancarem suas vendas.

Completando a lista dos 10 carros mais vendidos no Brasil em todo ano de 2014, ainda temos a Picape Fiat Strada, o Onix da Chevrolet, Fiat Uno, Hyundai HB20, Ford Fiesta Hatch, Siena da Fiat, Fox da VW e fechando a lista, o Renault Sandero.

Por André F.C.

Foto: divulgação


A marca Fiat começou no dia 23 de dezembro de 2014 a realizar um recall em oito modelos que foram produzidos no ano vigente. Esta convocação continuará até que todos os modelos sejam inspecionados.

No total, são 10.035 veículos que foram convocados para realizar uma vistoria no câmbio automático Dualogic. Os automóveis que estão envolvidos nesta vistoria são os que foram fabricados no período de 2 de julho até 28 de novembro de 2014.

Os modelos que foram convocados pelo fabricante para esta análise foram: Punto e Bravo; a nova versão hatch Palio; sedãs, Grand Siena e Linea; perua, Palio Weekend; monovolume Idea; e a picape Strada.

Conforme o comunicado da Fiat, é necessário vistoriar se existe algum defeito e, caso seja necessário, será realizado um reparo no câmbio automático. No caso de existir alguma falha, ela consistirá no mal funcionamento da embreagem, a qual deve ser acionada de modo automatizado sem que o motorista intervenha.

Com o defeito, existe o sério risco de acontecer acidentes que comprometam a vida do motorista e dos passageiros, além dos danos materiais.

Conforme a declaração da Fiat, a falha está no acoplamento e desacoplamento do disco de embreagem. Ou seja, ocorre um problema em arrancadas, chegando ao ponto de ser impossível realizar o engate de marchas, além de dificultar a troca de marchas, o que poderia resultar em um grave acidente.

Para uma maior agilidade na realização do recall, a Fiat recomenda que seja feito com antecedência o agendamento do serviço. A vistoria do veículo poderá ser feita em qualquer concessionária com uma média de uma hora de duração.

Caso seja necessário fazer o reparo com a troca do atuador da embreagem, a duração poderá ser de seis horas de atendimento ao cliente.

Para maiores informações sobre o recall, o consumidor poderá entrar em contato pelos seguintes telefones: (0800) 707-1000 e (0800) 282-1001.

Por Felipe Couto de Oliveira

Foto: divulgação


A Ford, famosa montadora norte-americana, atualmente, vem inovando em seus lançamentos. Os seus mais novos veículos são: o Ford Ka Hatch e o Ford Ka Sedã, esse último é uma inovação total, haja vista o modelo anterior do veículo não contar sequer com um carro de quatro portas.

Para completar a linha da família Ka, a Ford está fechando as lacunas dos veículos no mercado nacional. As linhas, agora, contam com a versão Hatch 1.5 e a versão 1.0 do sedã.

Foto: divulgação

É bom lembrar que, após o lançamento do Ka, foi constatado grande sucesso do veículo. Com apenas dois meses, o Ka conseguiu a marca de 17.000 unidades vendidas, ficando entre os carros mais vendidos do mercado nacional.

Para a versão sedã, a Ford conta com a questão do preço para conquistar o mercado brasileiro. O Ka na versão SE (sedã) sai de uma concessionária com o preço a partir de R$ 37.890,00.

A versão 1.0 do SE não é a mais atraente, se levada em consideração a questão de potência. Porém, o carro possui um desempenho razoável com lotação de duas pessoas e pouca bagagem. Outra atração diz respeito ao consumo médio do veículo. O Ka SE faz 8,9 Km/l com etanol e 13 Km/l com gasolina.

Já a versão Hatch, com motor 1.5, é bem mais ágil e leve. O carro ganhou em agilidade e dirigibilidade. Esse tipo de propulsor rende ao carro uma potência entre 100 e 105 cv, enquanto o motor 1.0 oferece uma potência entre 80 e 85 Cv.

Foto: divulgação

É bom, também, destacar o interior dos veículos. A Ford fez algumas reformulações em seus veículos, fato que vem atraindo muitos consumidores brasileiros. O interior dos carros Ford ganharam algumas reformulações e trazem modernidade, leveza, e alguns componentes eletrônicos.

O hatch com motor 1.5 possui valor a partir de R$ 40.390,00.

De um modo geral, analisando o custo/benefício, o veículo é uma “boa pedida”.

Por Daniel Alves


Os carros blindados têm apresentado uma procura crescente no mercado brasileiro, com um aumento significativo de 20% nas vendas por ano. A excelente notícia é que todo este sistema de blindar um carro não é exclusivo somente de carros de luxo, mas tem se estendido para vários outros tipos de veículos, por conta do preço que tem se tornado a cada dia mais acessível para o consumidor.

Os compradores têm tido a preferência por carros mais discretos que não despertem tanto a atenção, como os carros de luxo, os quais já exerceram bastante liderança no mercado neste requisito de blindados.

Existem alguns modelos que têm tido esta característica de serem blindados, com maior frequência, onde, dentre eles, se destaca os veículos: modelo i30 da marca Hyundai, o modelo Saveiro da marca Volkswagen, o modelo Fit da marca Honda, o modelo Fiesta da marca Ford e também o modelo HB20 da marca Hyundai.

A Associação Brasileira de Blindagens ainda não tem o número exato para ser mostrado amo mercado deste crescimento de vendas de blindados no ano de 2014.

A realização da blindagem representa um aumento de 200 kg no carro. Tendo como foco manter a estabilidade do modelo, é realizado primeiramente a mudança da suspensão, além de ter um acompanhamento rígido durante um período, para melhor assessorar o cliente.

O valor para a realização da blindagem de um compacto está acima de R$ 45.000,00. É considerado pelos clientes um valor acessível, se for levado em conta os benefícios que representam para o carro.

Um dos primeiros aspectos é a melhora considerável da segurança para o motorista e também os passageiros, onde poderão transitar com mais proteção nos lugares em que desejam. Outro aspecto gerado é a sensação de tranquilidade e bem-estar, da confiança que representa a blindagem em um carro para as pessoas que estiverem dentro dele.

Por Felipe Couto de Oliveira

Foto: divulgação


O modelo Golf, da Volkswagen, alcançou sucesso de vendas a nível mundial. O veículo conquistou o mercado no mês de setembro de 2014, tendo um avanço de 50% em vendas, comparado com o ano de 2013. Desta maneira, o modelo ultrapassou os principais concorrentes, como o Corolla e o Ford Focus.

O veículo conquistou o primeiro lugar no ranking de vendas mundial, com um número total de 97.326 de unidades vendidas calculadas do mês de janeiro até setembro de 2014. Considerando as vendas acumuladas dos anos anteriores, o modelo totalizou o número de 699.690 de negociações concretizadas, com um significativo aumento de 51,70% em comparação com 2013.

Foto: Auto Show News

Em segundo lugar, o modelo que se destacou foi o Corolla, da marca Toyota, que somou um número de 95.488 unidades vendidas até o mês de setembro de 2014. Levando em conta as vendas dos anos antecedentes, o modelo somou um número de 879.495 em vendas no total, apresentando uma queda de 1,60% em relação ao ano de 2013.

O modelo Ford Focus, ocupou o terceiro lugar de destaque no ranking de vendas global, com um total de 84.002 em vendas desde o início do ano até setembro. O modelo apresentou uma queda de 14,10% em comparação com o período de 2013 e alcançou um total em vendas de 789.644 unidades acumuladas.

Em quarto lugar, o modelo Ford F-Series teve até setembro um número de 72.629 vendas, tendo uma queda de 2,00%. Já o modelo Elantra, da marca Hyundai, se posicionou em quinto lugar no ranking, tendo 66.671 de vendas e com uma queda de 10,90% em relação a 2013.

Com a divulgação destes dados estatísticos pela consultoria internacional focus2move, nota-se que o Golf da Volkswagen se destacou no mercado mundial, conquistando um maior número de clientes e, assim, tendo a superação de vendas em relação a excelentes marcas do mercado. 

Por Felipe Couto de Oliveira


O ano de 2014 esteve em alta no sucesso de vendas de variados modelos de carros no mercado. Os veículos tiveram lançamentos repletos de novidades que atraíram os seus clientes e, com isto, aumentou o número de vendas dos modelos. A divulgação deste sucesso em vendas foi feita pela Federação dos Distribuidores de Veículos.

Foram diversos carros que tiveram êxito nas vendas, como, por exemplo, o modelo Up!, da marca Volkswagen. Esse carro teve um número de 53.193 vendas concretizadas, sendo considerado o período entre janeiro e novembro do ano de 2014.

Foto: Volkswagen

Outro modelo que se destacou em sucesso de vendas foi o Nissan New March. Esse modelo teve a sua fabricação na cidade de Resende, pertencente ao estado do Rio de Janeiro. No período de 11 meses, as vendas foram de 21.644 carros deste modelo.

No mês de julho a marca Renault teve um surpreendente sucesso com o seu modelo Sandero em um lançamento que já obteve 82.462 vendas concretizadas.

A marca da Ford também não deixou de surpreender em seu lançamento do modelo Ford Ka. No período de três meses pode ser visto um sucesso na negociação dos clientes que alcançou um número de 31.116 de vendas concretizadas.

Foto: divulgação

O modelo Uno, da marca Fiat, também se destacou no mercado com um resultado de 11.974 vendas concretizadas. Foi um sucesso, levando-se em conta que o lançamento do modelo ocorreu no mês de setembro.

A Toyota também liderou o ranking de vendas, com o lançamento do modelo Corolla. No período de 11 meses, o veículo alcançou um número de 55.703 vendas concretizadas no mercado.

A marca Volkswagen também tem planejamentos de inovação no mercado, com um preço mais acessível em seu modelo Golf Comfortline. Está previsto para o carro ser fabricado no ano de 2015 no estado Paraná, na cidade de São José dos Pinhais. 

Por Felipe Couto de Oliveira


Os apaixonados pela Volkswagen serão sempre apaixonados pela marca. Por isso, a VW sempre inova em seus lançamentos. Agora, a marca traz ao mercado a sua mais nova “máquina”: o Cross UP!

Às vezes é um pouco complicado essas transformações feitas pelas montadoras, haja vista que alguns carros não foram feitos para se tornarem Cross. Contudo, a aceitação do público é boa e tende a suprir essa questão.

Muitos compradores, às vezes, até desconhecem qual seria a utilidade de um Cross e tendem a comprar esse tipo de carro, literalmente, devido ao fato de possuir uma “capa” extra em relação aos modelos convencionais.

Foto: divulgação

Porém, não estamos aqui para ficar criticando ninguém, e sim para trazer informações sobre o novo lançamento da VW, o Cross UP!

Normalmente, você não vê sedãs caros com cores chamativas, adesivos ou muita firula. Um BMW 380i, por exemplo, não passa de um preto, azul ou cinza. Os hatchs médios tendem a se tornar uma espécie de boneca de menina pequena, que sofrem grandes transformações. A VW preferiu manter a tradição dos carros alemães e buscou não dar muitos detalhes “coloridos” ao Cross UP!.

As principais inovações do Cross UP! em relação à versão comum – UP! – Está no fato de ele ter ganhado uma espécie de tampa no para-choque frontal, o que dá ao carro um maior ar de modernidade. Além disso, ganhou detalhes de plástico pouco acima da caixa de rodas.

Outra inovação está no fato do carro ter adquiro uma espécie de friso, que vai do início da porta dianteira ao término da traseira, com a inscrição “Cross Up!”. As rodas são exclusivas do carro.

Foto: divulgação

Em relação à estética, essas foram as únicas mudanças.

O motor continua o mesmo 1.0 da versão comum. Além disso, para aqueles que acham que poderão sair por aí pegando lama em uma estrada de terra, a fim de fazer um passeio cross, podem desiludir. A VW não aumentou a suspensão do carro em relação à versão comum.

Por Daniel Alves


Aquela placa metálica que está anexada em todos os veículos e funciona como a “carteira de identidade” do automóvel está prestes a ser alterada.

Quem acompanha as mudanças no mundo automobilístico lembra que a última grande alteração ocorreu em 1990, quando deixou-se de utilizar as placas amarelinhas, que contavam com duas letras e quatro números, para utilizar as atuais cinzas. Mesmo essas últimas tiveram algumas alterações, como mudança na fonte dos dígitos e a utilização de um fundo reflexivo.

Porém, a nova versão de placas vai muito além de uma alteração visual, já que nasceu de um acordo no MERCOSUL de padronização de placas no Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela. O novo sistema entrará em vigor no primeiro dia de 2016 e os carros já emplacados não precisarão ser alterados.

O intuito do novo modelo é semelhante ao utilizado na União Europeia, pois dará a possibilidade de uma fiscalização mais integrada entre os países, ajudando a combater a clonagem, os roubos de cargas e, claro, criando padronização no sistema de identificação de veículos.

O modelo foi totalmente alterado em relação ao atual no Brasil, porém a placa terá as mesmas dimensões das já utilizadas e os preços de emplacamento também não terão grandes alterações.

A placa terá um fundo branco, com uma faixa azul na parte superior, onde constará o símbolo do MERCOSUL na porção esquerda, o nome do país no centro e as bandeiras do estado e país, assim como o brasão do município, no lado direito.

O sistema de codificação utilizará quatro letras e três números, dispostos de ordem aleatória, diferentemente do padrão letra depois número usado hoje. Além disso, a possibilidade de colocar os dígitos em posições aleatórias e utilizar quatro letras em vez de quatro números aumenta mais as possibilidades de combinações.

Além disso, a cor dos dígitos e o contorno da placa categorizarão o veículo, sendo utilizada a cor preta para carros particulares, a vermelha para comerciais e autoescola, a verde para experiência, a azul para veículos oficiais, a dourada para carros diplomáticos e a prateada para colecionadores.

Hoje, a quantidade de veículos total nos países do MERCOSUL gira em torno de 110 milhões e o novo sistema permitirá combinações na casa de 450 milhões de possibilidades.

Por Rannier Ferreira Mendes

Foto: Divulgação/Ministério das Cidades


Após ter apresentado o Hyundai ix25 como carro conceito no Salão do Automóvel de Pequim, em abril de 2014, a Hyundai decidiu torna-lo versão de produção no Salão do Automóvel de Chengdu, também na China, em setembro de 2014.

A versão de produção apresentou algumas diferenças em relação à versão conceito: a grade deixou de ser cromada e ficou mais simples, assim como a grade inferior.

Os faróis de LED da versão conceito, também não foram utilizados, e em seu lugar foram utilizados faróis de neblina. Na traseira, o modelo apresentou uma lanterna mais simplificada, sendo também adotada no para-choque.

O Hyundai ix25 começou a ser vendido na China, com preços variando entre R$ 51.000,00 e R$ 62.000,00.

Nessa faixa de preço está o Ford EcoSport, com quem algum dia poderá disputar mercado no Brasil (caso o ix25 venha para cá).

Por Russel Hernandes

Foto: divulgação


O Fiat 500, hoje, é um dos carros mais vendidos da categoria. Parecia que não era para ser levado à sério, mas o compacto foi crescendo no mercado, ganhando significado, e hoje pode ser chamado de gigante comercial.

O carro virou moda fácil e seu projeto tomou rumos e importância inesperados para um subcompacto. O modelo era apenas para ser uma nova apresentação do original de 1957, como fosse um veículo "comemorativo", porém, o carro se tornou uma marca famosa e ganhou linhas de novidades.

Foto: Eric Piermont/AFP

Agora surge o 500 X que, ao contrário do Fiat 500, já chega com ambição de dominar o segmento no mercado. Seus principais rivais? Nissan Juke, Opel Mokka, Renault Captur, entre outros. O 500 X é grande e promete oferecer uma concorrência para duas categorias.

O carro tem um design mais esportivo, melhorando muito a aerodinâmica. O desenho também oferece um visual mais agressivo e bonito e será usado num futuro remodelamento dos 500.

O carro é o maior entre aqueles da linha 500, com um ótimo aproveitamento do espaço interno. O porta-malas tem capacidade de até 350 L. Outra coisa para se chamar atenção são os detalhes no interior do carro. Mais suaves, menos "populares", bem elaborados e altamente personalizáveis ao gosto do cliente.

O motorista tem uma boa visibilidade geral da sua posição e conta com uma câmera de ré para melhorar a experiência.

Foto: Newspress

O motor é de 1.4 litros, Multiair2 e oferece uma potência de 140 cavalos capaz de levar o automóvel de 0 à 100 km/h em apenas 9,8 segundos. O câmbio é manual de seis marchas e o veículo conta com tração dianteira.

O carro conta com três opções para o motor trabalhar: auto, sport e all weather. Esses ajustes são muito bem-vindos para quem deseja tirar o carro da cidade e contar com aquela potência extra na estrada. Também estão previstos lançamentos dos veículos com outros motores mais potentes.

Por Nosf


Hoje em dia os carros compactos fazem muito sucesso, pois grande parte das pessoas moram sozinhas, ou simplesmente formam pequenas famílias, com o casal e um filho. Daí o sucesso dos compactos.

Mas e as tradicionais famílias numerosas, onde o casal tem dois ou três filhos, além da sogra, que sempre gosta de passear junto? Deve-se comprar um ônibus ou uma Kombi?

Não, o mercado oferece muitas opções de veículos confortáveis com muito espaço para a família e a bagagem. Um desses veículos é o Nissan Livina, que é um dos mais baratos do segmento e que oferece um dos melhores custo/benefício.

Foto: divulgação

É confortável, possui ar-condicionado e trio elétrico, custa a partir de R$ 44.000,00 além de direção elétrica. O motor é biocombustível, o motor é 1.6, com tanque para 50 litros de combustível. Além do porta-malas de 449 litros.

Outro carro no mesmo segmento é o Palio Weekend, que é referência em robustez e economia. O motor 1.4 é de ótimo desempenho e com economia de combustível. Versões a partir de R$ 45.000,00, já vem com ar-condicionado, trio elétrico e direção hidráulica. O porta-malas de 460 litros comporta bem toda bagagem da família.

O Volkswagen Space Fox é outro imponente carro da categoria “espaçosos”. O motor 1.6 biocombustível oferece 106 cavalos de potência. O preço inicial é um pouco mais alto que seus concorrentes, a partir de R$ 48.000,00, mas que também vem com todos itens de série, como ar-condicionado, direção hidráulica e trio elétrico. O porta malas é um pouco menor, com apenas 430 litros, uma desvantagem para quem está procurando espaço.

Foto: divulgação

O fato é que todos veículos apresentados acima são confortáveis e atendem a expectativa de amplo espaço interno e de porta malas. Existem também outros veículos disponíveis no mercado que podem despontar como opções, como o Chevrolet Spin e o Renault Scenic, que podem surpreender em avaliações comparativas com as veículos acima.

Iremos avaliar mais opções destes veículos que vem ganhando cada vez mais espaço.

Por Luciana Viturino


A Fiat anunciou na última quarta-feira, dia 19 de novembro de 2014, o lançamento do carro 500 Abarth no mercado brasileiro. Esse, trata-se de uma versão do compacto da marca, o 500, porém com visual e peças totalmente renovados; há quem diga que as modificações realizadas produziram um novo carro.

O 500 Abarth foi apresentado no Salão de Automóveis desse ano em São Paulo e o anúncio de sua chegada já revelou o seu preço no Brasil, que será a partir de R$ 79.300.

Foto: divulgação

Dentre as modificações realizadas em relação ao 500 convencional que já rodava nas ruas, o carro conta com um motor 1.4 MultiAir Turbo, de 167 cavalos de potência, torque de 23 kgf.m (entre 2.500 e 4.000 rpm), podendo sair de 0 e chegar a 100 km/h em apenas 6,9 segundos. O carro foi projetado para atingir uma velocidade máxima de 214 km/h. O modelo possui transmissão manual de 5 marchas.

Em questão de segurança, ele possui um notável pacote de equipamentos, como air bags frontais, laterais, de cortina e de joelhos, freios ABS com EBD, tecnologias TTC (controle de transferência de torque, TCS (sistema de controle de tração), ESS (sinal de parada de emergência) e ESC (controle eletrônico de estabilidade).

Externamente, o compacto possui  duplo escapamento cromado, afinado, no estilo Abarth, rodas de alumínio fundido de 16 polegadas, pneus 195/45 R16, faixas laterais combinando com a cor do retrovisor, além dos “escorpiões” que são o logotipo da Abarth estampados na grade frontal, nas laterais, na tampa traseira e no motor. O modelo será disponibilizado nas cores Vermelho Sfrontato, Preto Gara e Branco Caldo.

Foto: divulgação

Dentro do carro, ele possui bancos em formato de concha, volante com base achatada, comando do câmbio, painel com medidor de pressão do turbo e revestido em couro.

O 500 Abarth é, sem dúvida, uma forma da Fiat colocar um carro para circular nas ruas com as características visuais e tecnológicas dos conhecidos carros de corrida da Abarth. Dessa forma, os amantes de velocidade poderão desfrutar no Brasil dessa super máquina compacta e bastante elegante.

Por Rannier Ferreira Mendes


Foi muito discutido esse ano uma queda significativa na venda de automóveis no país. Nos anos anteriores, houve grandes promoções para aquecer o mercado automobilístico, como por exemplo a redução de IPI, entre outros benefícios.

Nesse ano, a restauração da situação normal, no que diz respeito a cobranças de impostos e taxações, provocou uma queda aguda na venda de veículos no Brasil. Em setembro, por exemplo houve queda de 3,9%, porém, ainda assim o Brasil está em quinto lugar no que diz respeito ao tamanho do mercado automobilístico.

A China é a líder de mercado, ultrapassando a marca de 15 milhões de veículos vendidos entre os meses de janeiro e setembro de 2014. Esses números representaram um aumento de 9,2% no seu mercado, se comparado com a mesma época do ano anterior.

Os EUA estão em segundo lugar, apresentando alta de 9,2% no mês usado como referência. Em terceiro lugar, e com mercado ainda bem significativo, encontra-se o Japão, mesmo com a queda mensal de 1,2% e ainda mantendo um aumento acumulado nos nove primeiros meses de 5,8%.

Em quarto lugar está a Grã-Bretanha, que apresentou no mês de setembro crescimento de 6,5%. A Tailândia, em décimo quinto lugar, acumula uma queda gigantesca no mercado de quase 37% ao longo desses 9 meses. Lembrando, é claro, que os números chineses incluem apenas veículos de passeio e os números dos outros países também incluem comerciais leves.

No ranking por marcas, a Toyota detém a liderança com aumento de 3,3% em relação ao período em 2013. A Volkswagen está em segundo lugar, com queda de 0,9%, e em terceiro lugar está a Ford, com uma sutil queda de 0,1%.

A Chevrolet acumulou a maior queda no mesmo período de 9 meses entre as 10 primeiras marcas mais vendidas do período com valor de 6,2%. Em verdade, além da queda da Chevrolet, apenas a Renault não teve aumento significativo (0%), com o restante tendo operado em alta no mercado.

Por Nosf

Foto: IGEPRI


Após sucesso do Up, veículo automotor da Volkswagen, a montadora anuncia, agora, o lançamento do Cross Up! Segundo a montadora, o veículo já tem preço definido para o mercado brasileiro.

A versão básica, chamada apenas de Cross Up!, começa a ser vendido por R$ 38.000,00. Em contrapartida, o Cross Up i-Motion possui um preço médio de R$ 40.000,00.

Além dos veículos citados acima, destacaram-se no Salão do Automóvel os seguintes: o CrossFox, Fox Pepper, Golf Variant R-Line, o novo Jetta, SpaceFox, Saveiro Surf e Amarok Dark Label.

O Cross Up chega ao mercado com uma suspensão, em média, 5cm mais alta que o Up convencional. Além do mais, a suspensão do veículo é reforçada, a fim de suportar trilhas leves.

Foto: divulgação

O atual modelo convencional do Up, que já está nas ruas, segundo o site icarros.com.br, foi avaliado pelos usuários. Em uma escala de um valor total de 10 pontos, os avaliadores deram as seguintes notas ao veículo:

– Design: 8,2;

– Performance: 8,9;

– Conforto e acabamento: 8,1;

– Dirigibilidade: 9,4;

– Consumo: 9,6;

– Manutenção: 8,7;

– Custo/benefício: 8,6.

Baseada em 16 opiniões de pessoas distintas, o Up convencional obteve uma média geral de 8,4 pontos num total de 10. E quatro das cinco estrelas no degrau de avaliação.

O consumidor, antes de fazer a compra deve avaliar o custo/benefício e a necessidade de se adquirir um veículo cross-over, já que o preço do Up convencional varia entre R$ 25.000,00 a R$ 26.000,00. Já o Cross Up!, como dito acima, possui um valor de R$ 38.000,00 em sua versão mais básica. Há uma variação de R$ 12.000,00 nos preços do veículo. 

Foto: divulgação

Cabe ao usuário fazer sua escolha e desfrutar desse veículo que já ganha grande espaço no mercado nacional.

Por Daniel Alves

Foto: divulgação


No início do mês passado a BMW inaugurou sua primeira montadora no Brasil (Araquari – SC), sendo também a primeira na América Latina, com investimento de US$ 250 milhões segundo a matéria da revista Exame.

Como resultado das medidas de sobretaxa de importados do Governo Federal e a revisão do acordo comercial com o México, somado ao interesse das montadoras no mercado automotivo brasileiro, o quinto maior do mundo, montar fábricas no Brasil parece ser benéfico para todos. Mas o cenário não parece tão otimista assim.

O primeiro modelo a sair da linha de produção brasileira foi a versão 328i ActiveFlex do sedã Serie 3. Entre o final deste ano e o início de 2015, teremos o crossover X1 e o X3, respectivamente. O MINI Countryman deverá sair no segundo semestre de 2015. A produção nacional deve chegar no total de 32 mil automóveis anualmente no prazo de três a quatro anos.

Porém, isso não significa redução dos preços. “Nós já trabalhávamos com preços sem o IPI adicional desde que anunciamos a adesão ao Inovar-auto”, disse Arturo Piñeiro, CEO da BMW Group do Brasil à Folha de São Paulo.

Mas, segundo a mesma matéria da Exame, que fez uma rápida análise, outro motivo é a baixa competitividade do mercado nacional em exportações. Os altos custos tributários e logísticos e falta de infraestrutura fazem com que as exportações brasileiras não possam concorrer com os outros países, afirma o CEO.

Sem exportação, as montadoras em território nacional se limitarão à atender a demanda interna, o que fará com que as fábricas sejam pequenas, cenário que será refletido diretamente no valor final dos automóveis.

“O México é uma economia muito mais aberta que o Brasil, é muito menos protecionista, tem acordos bilaterais com quase todos os países importantes do mundo”, conclui Piñeiro.

Mas isso não impede que as fabricantes se interessem no mercado brasileiro, que possui um carro para cada 5,4 brasileiros. A demanda interna ainda é bem atraente.

Por Alexandre S.T.

Foto: divulgação


A Chery é a primeira montadora chinesa a inaugurar fábrica no Brasil. Otimistas com o mercado, os chineses, que já mostraram intresse em vir para o Brasil desde 2009, investirão pesado: serão US$ 400 milhões para a fábrica de carros, US$ 130 milhões em uma unidade de motores e US$ 22 milhões em um centro de pesquisa e desenvolvimento.

Mesmo com a queda nas vendas em 9% este ano no Brasil, a Chery acredita que é uma fase passageira e que o potencial do país chega a 4 a 5 milhões de veículos ao ano. Pensando nisso, a marca pretende produzir 50 mil veículos ao ano, e em 2018 triplicar esse número.

Já tendo anunciado anteriormente os automóveis que iria fabricar no Brasil, houve uma exposição do que vem por aí no Salão de São Paulo.

O subcompacto QQ ganhou uma nova versão, como prometido. O visual foi totalmente redesenhado e ganhou faróis maiores, bem como uma maior área envidraçada traseira.

Já o novo Celer, que será o primeiro a ser fabricado em versões hatch e sedã, não ganhou uma nova versão. Apenas foi redesenhado em alguns detalhes, como lanternas e pára-choques. As maiores novidades do Celer são novo painel, quadro de instrumentos e sistema de som.

Além disso, a Chery exibiu no Salão os conceitos dos futuros visuais de seus veículos, que representam o Chery New Generation: o sedã de porte médio Arrizo, o Tiggo 5 que é o futuro SUV da fabricante, e o Alpha, um belo modelo com linhas curvas que chamou a atenção do público no evento.

A fábrica, localizada em Jacareí, poderá gerar até 3 mil empregos, segundo Luis Curi, vice-presidente da Chery Brasil. Ele também informa que os primeiros veículos fabricados aqui têm 50% de índice de nacionalização – percentual que será ampliado visando atingir 70% em até dois anos. A marca também planeja exportar os veículos brasileiros.

Por Alexandre S.T.

Foto: divulgação


À primeira vista, você o vê apenas como mais um sedan no mercado, mas a semelhança pára por aí. Nascido a partir da versão do seu irmão maior, o Cadillac CTS, este cupê chega para bater de frente com outras máquinas muito mais consagradas no imaginário dos amantes por velocidade, como o Audi A5, o BMW Série 4, Infiniti Q60 Coupe e o Mercedes-Benz C Coupe.

Apesar de sua história ser marcada por outros modelos grandes e espaçosos, este esportivo traz novos contornos e linhas mais atraentes e arrojadas, mas sem perder totalmente suas características de sedan, aliando tanto beleza em seu design esportivo quanto tecnologia e conforto em seu interior.

Foto: caranddrive.com

O Cupê ATS carrega debaixo do seu capô duas opções de motores: a primeira é um Motor 2.0 Turbo de 4 cilindros e a segunda opção é um Motor V6 de 3,6 litros. As duas versões de motores contam com injeção direta de gasolina e comando de válvulas variáveis.

O esportivo conta também com transmissão automática e manual de 6 marchas, o que o deixa um pouco a desejar em relação aos seus concorrentes. Sua tração é traseira nas duas versões de motor e transmissão.

Com uma boa dirigibilidade, o Cadillac ATS foi projetado recebendo em sua suspensão dianteira braços McPherson e uma barra estabilizadora. Na parte traseira, a suspensão é five-link e o amortecimento conta com o sofisticado sistema Magnetic Ride Control, sistema de gerenciamento eletrônico que também é encontrado no Corvette.

Em seu interior, o banco do motorista e os apoios laterais são ajustáveis para melhor se adequar ao motorista. O volante é feito para um melhor desempenho de condução. Possui o sistema CUE (Cadillac User Experience) que torna possível o emparelhamento de smartphones tornando possível o envio de áudio via Bluetooth.

A central multimídia tem tela touchscreen colorida com várias funcionalidades e um local oculto e bem espaçoso no console central para se guardar carteiras, chaves, celulares e outros objetos. 

A versão ATS 2015 virá com tecnologia Wi-Fi embutida com rede 4G. Mas para que o recurso possa ser usado é necessário que o proprietário invista em um plano de serviço de dados da sua operadora de telefonia móvel.

Foto: caranddrive.com

O Cadillac Cupê ATS 2015 deve ser apresentado em 4 versões diferentes: Standard, Luxo, Performance e Premium. Os preços variam a partir de US$ 39.000,00 podendo chegar bem  acima dos US$ 52.500,00 na versão Premium AWD V6. 

Os brasileiros, por enquanto, terão que esperar um pouco mais para terem acesso ao esportivo, devido ao alto valor da moeda americana no país e o mercado automotivo em baixa. Estes fatores fizeram com que a Cadillac atrasasse a chegada do Cupê no Brasil pelo menos até meados de 2016.

Por Fabiano André de Carvalho


O Chevrolet Onix está tão bem em suas vendas que acabou competindo com dois modelos da linha de produtos da marca norte-americana: o Agile e o Sonic. Os dois veículos perderam espaço para o Onix e foram vítimas de seu sucesso, deixando de constar no site oficial da Chevrolet no Brasil, tendo suas importações interrompidas.

Os números mostram uma expressiva diferença entre as vendas do Onix, Agile e Sonic, justificando a decisão da Chevrolet em paralisar a importação destes dois últimos carros.

Foto: divulgação

Segundo informações da Fenabrave, desde o começo do ano até o mês de agosto, o Onix foi responsável por emplacar 91.236 unidades, sendo o terceiro carro mais vendido no mercado nacional. O Agile e o Sonic hatchback, por sua vez, registraram a venda de 9.547 e 4.246 unidades, sendo o 37ª e 49ª veículos mais comercializados do início do ano até agosto, respectivamente.

Além da versão hatch, o Sonic em sua carroceria sedan, que emplacou 2.706 unidades no mesmo período dos outros modelos citados, também sai do portfólio da Chevrolet no Brasil. Nessa modalidade de mercado, o Sonic sedan tinha uma competição interna com o Cobalt, que emplacou 28.589 carros, sendo o 19º modelo do ranking no acumulado deste ano, bem como com o Prisma, que é o décimo veículo mais vendido do Brasil com 54.474 unidades.

Foto: divulgação

Outro ponto em relação ao Prisma está no fato deste ser derivado da mesma plataforma do Sonic, ser fabricado no Brasil e, portanto, ter um preço mais em conta, garantindo uma vantagem sobre o modelo importado.

Deste modo, com a retirada do Sonic, a Chevrolet deixa de possuir um carro que representa a marca na categoria dos compactos premium. Contudo, o modelo pode ter sua importação retomada no futuro, diferentemente do Agile, que não está mais nos planos da GM devido ao sucesso do Onix.

Derivada do Agile, mas não tendo nenhuma concorrência interna, a picape compacta Montana continua presente no site oficial da Chevrolet.

Por fim, com a suspensão da importação do Agile e do Sonic, que vinham da Argentina e do México, respectivamente, a Chevrolet terá espaço na cota de importação para aumentar a quantidade de importação do utilitário Tracker, que vem obtendo bons índices de vendas e que é importado do México.

Por Caio Polo

Foto: divulgação


Ultimamente, com o crescente aumento nos preços dos veículos zero quilômetro, o mercado de seminovos tem ganhando espaço no segmento. Em média, no mercado brasileiro, com cerca de R$ 30 mil consegue-se um veículo popular zero km, como um Uno, Pálio, Gol, Corsa Sedan, Renault, etc. Porém, com motores 1.0 ou, no máximo, motores 1.3, com poucos itens de série.

No final de tudo, acaba tendo que complementar a compra, financiando o restante do montante e, consequentemente, elevando seus gastos nos anos seguintes. 

É sabido que, para se adquirir um veículo zero km completo, esse valor final passa da casa dos R$ 40 mil. A vantagem da aquisição é a pouca manutenção que se tem e a confiança que apenas você está utilizando aquele veículo, mas, ainda assim, vale lembrá-lo que o carro novo tem uma queda de preço com o passar dos anos.  

Foto: acritica.com

Por outro lado, se com esses mesmos R$ 30 mil o interessado fizer pesquisas no mercado de usados, verá que existem inúmeras opções de carros com muito mais opcionais, como: motor potente, banco de couro, freio ABS entre outros.

De acordo com informações da Agência Autoinforme, mostra-se que o mercado hoje possui mais de 460 opções de carros seminovos e usados, de todos os anos, marcas e modelos para todos os tipos de públicos.

Na faixa dos R$ 30 mil até os R$ 33 mil pode-se achar modelos como o Fusion, Golf, Passat, Audi A3 e até mesmo uma Zafira ou uma Grand Senic, todos completos e altamente potentes.

Finalizando, fica a dica: antes de bater o martelo na hora de comprar um carro, pesquise e faça o comparativo de mercado, se é vantajoso mesmo investir num carro zero km ou adquirir um seminovo ou usado com muito mais opcionais e livre de financiamentos.

Por Valter de Oliveira

Foto: divulgação


O novo Range Rover SVR nem chegou direito e já anda chamando a atenção. O principal motivo é a ousadia da marca para o modelo, que é um dos destaques e esteve presente no concurso Pebble Beach que acontece nos Estados Unidos.

O carro foi apresentado pela fabricante britânica essa semana. Ele é o primeiro utilitário esportivo da montadora que carrega a assinatura SVR que, diga-se de passagem, estará também presente nas futuras versões de alto desempenho dos modelos que integram o grupo mais do que restrito Jaguar Land Rover.

Muitos sites especializados no setor tem chamado esse lançamento de uma aposta bastante ousada da fabricante. Mas, deixando as opiniões um pouco de lado, vejamos o que realmente o modelo tem.

O conjunto do Range Rover Sport SVR como um todo é bastante interessante. O motor do modelo é um V8 de 5.0 litros Supercharged. O bloco em questão tem a capacidade para gerar nada mais nada menos do que 550 cv de potência e 5,7 kgfm.

O câmbio do Range Rover Sport SVR  é o automático ZF 8HP70 que conta com oito marchas. Outro detalhe que chama a atenção é a suspensão pneumática que traz duas opções de altura e tem o sistema Terrain Response 2. Esse, por sua vez, faz a seleção automática do programa mais adequado para o terreno.

Devido a todas “partes técnicas” do carro, ele consegue ir até 100 km/h em apenas 4,5 segundos sendo que sua velocidade máxima é de 260 km/h (a velocidade é controlada eletronicamente). Como curiosidade vale destacar o fato de que o SVR foi o modelo SUV a completar uma volta no circuito de Nürburgring,  na Alemanha mais rápido. Ele levou 8 minutos e 14 segundos.

Esses são apenas alguns pequenos detalhes desse carro que ainda vai gerar muito que falar. Aqui no Brasil, o lançamento do novo Land Rover já foi confirmado para o ano que vem.

Por Denisson A. Soares

Foto: divulgação


Na China, a BYD é considerada uma das maiores fabricantes do setor automotivo do país. Para esse segundo semestre de 2014 a montadora prevê novidades que envolvem o Brasil. Isso, porque a fabricante informou que estará fazendo por aqui um investimento na faixa de R$ 200 milhões. O motivo é que empresa está decidida a construir sua fábrica, bem como um centro de desenvolvimento, na cidade de Campinas, interior de São Paulo.

De acordo com as informações divulgadas pela própria empresa, na unidade deverão ser produzidos, dentre outras coisas, painéis solares, baterias e ônibus elétricos.

Com relação à unidade em si, vale destacar o fato de que é a primeira da empresa na América Latina. Se tudo correr bem com o projeto inicial, ela deverá cobrir em ocupação uma área total de 32 mil metros quadrados. A expectativa é de que sejam gerados na unidade cerca de 450 postos de trabalho.

Conforme informações dadas pela empresa, o objetivo da mesma é que mensalmente seja possível produzir entre 500 e 1000 ônibus. Mesmo com todas as novidades sendo divulgadas e com os projetos bem definidos, a empresa não informou quando é que a unidade em Campinas deverá ser concluída.

Com relação ao centro de pesquisa da BYD o objetivo é que o mesmo mantenha seu foco em estudos que possuam relação com as tecnologias que podem ser usadas em veículos elétricos, energia solar, smart grid, baterias e iluminação, dentre outros tipos de produtos.

A sigla BYD é a representação de "Build Your Dreams", ou "Construa Seus Sonhos". Se for falar em volume de produção, a empresa é no momento a maior montadora da China. Sua produção segue uma linha bem ampla, sendo responsável pela produção de diversos tipos de motos, carros e caminhões pesados.

A empresa, nos últimos tempos, tem chamado a atenção para si pelos seus investimentos em tecnologias que envolvem a produção de veículos elétricos.

Uma curiosidade é que, conforme o presidente da companhia, futuramente a empresa planeja fabricar aqui no Brasil chassis para ônibus elétricos, além de células de baterias.

Por Denisson A. Soares


Apostando em seu SUV grande, a Ford lançou no mercado brasileiro a linha 2014 do utilitário Edge. Embora o atraso em relação à gama de produtos da marca estadunidense, que está na linha 2015, o crossover esportivo, vendido com preços a partir de R$ 131.490, chega ao Brasil trazendo novidades.

Importado do Canadá, a linha 2014 do Ford Edge está com uma lista de equipamentos mais recheada e também mais luxuosa que a versão vendida anteriormente. Enquanto a nova geração do Edge não chega ao Brasil, o que deve ocorrer apenas no ano que vem, a fabricante norte-americana oferece seu SUV grande, desde sua versão de entrada SEL, com itens que anteriormente vinham nas versões mais caras.

Entre os novos itens que agora vêm no Edge SEL está a partida sem chave, acionamento do motor por controle remoto, luz ambiente personalizável, fechamento e abertura automática do porta-malas, câmera de segurança para manobras em marcha ré, sistema multimídia SYNC com MyFord Touch, que abrange diversas funções do veículo, como o navegador via satélite (GPS) com comandos de voz em português e mapas do Brasil que são exibidas na tela touchscreen de 8 polegaas.

Além disso, o modelo ainda conta com o sistema de som premium da Sony com 8 alto-falantes e 4 tweeters.

A versão intermediária SEL + Vistaroof dispõe dos mesmos itens da configuração SEL, acrescentando apenas o teto solar e panorâmico com dois estágios, vendido por R$ 141.590.

A versão topo de linha Limited, vendida por R$ 151.490, possui os mesmo itens de série da configuração SEL, acrescido do sistema de DVD nos encostos de cabeça dos bancos dianteiros para os passageiros dos bancos traseiros, sistema de monitoramento de pontos cegos, sensor de chuva, ajuste elétrico do banco do passageiro em 10 posições, alerta de tráfego cruzado, espelhos retrovisores com pisca em LED integrado, luz de aproximação, aquecimento e ajuste por memória e tração integral AWD.

Oferecido opcionalmente, o teto solar e panorâmico pode ser acrescido na versão Limited por R$ 10.100.

Sob o capô, independente da versão escolhida, está o motor 3.5 V6 Duratec TiVCT, capaz de entregar 289 cv e 34,9 kgfm de torque. Associado ao bloco V6 está sempre uma transmissão automática de seis velocidades. 

Por Caio Polo

Foto: divulgação


Inaugurada oficialmente no ano 2000, a unidade industrial da General Motors de Gravataí (RS) que tem a capacidade atual para fabricar até 63 veículos por hora, além do aniversário de 14 anos completados no dia 20 de julho, celebra também a marca de 2,5 milhões de carros fabricados.

O Complexo Industrial Automotivo de Gravataí (Ciag), que possui ainda 19 empresas fornecedoras, é responsável, atualmente, pela fabricação dos Chevrolet Onix hatchback, Celta e Prisma, empregando cerca de 8 mil trabalhadores. Operando em três turnos e com capacidade de produzir até 63 unidades por hora, a fábrica é atualmente a maior da General Motors no hemisfério Sul.

Com cerca de 40 ruas, sendo que algumas possuem nomes de modelos da marca, como Monza, Omega, Opala e Corsa, o complexo industrial possui restaurantes, farmácia, loja de conveniência, agências bancárias, ambulatório, estação de tratamento de efluentes, reservatório de água e subestação de energia elétrica.

Quando foi inaugurada, a GM apostou na época no novo conceito de condomínio industrial, fazendo com que os principais fornecedores ficassem perto da linha de montagem, facilitando a fabricação dos carros da marca, servindo de modelo, desde então, para outras fábricas de outras montadoras em todo o mundo. 

Desde quando foi inaugurada, a unidade industrial passou por duas ampliações, sendo que a primeira ocorreu em 2006, possibilitando a produção do Prisma e aumentando a capacidade de produção de 120 mil para 230 mil veículos por ano. A segunda, realizada em 2012 e que fazia parte do Projeto Onix, elevou a capacidade de produção para 380 mil unidades anuais e capacitou a fábrica para produzir o Onix.

A unidade, que registrou a marca de 2,5 milhões de carros produzidos, elevou a economia da cidade de Gravataí, que antes da implantação da fábrica, em 1997, tinha um orçamento de R$ 37 milhões.

Atualmente, além dos aproximadamente 8 mil postos de trabalho, a previsão de arrecadação para 2014 é de R$ 650 milhões, elevando a cidade para a quarta colocada em arrecadação de ICMS e obtendo o quinto maior PIB (Produto Interno Bruto) do estado do Rio Grande do Sul.

Por Caio Polo

Foto: divulgação


São muitos os carros que tem seus lançamentos aguardados para o segundo semestre desse ano. Aqui vão cinco deles que valem a pena dar uma conferida antes de fechar negócio, se você está querendo comprar um carro 0km, claro.

O novo modelo da Peugeot, o crossover Peugeot 2008 que tem seu lançamento previsto para o final de 2014. O carro, que é um pouco menor do que seus concorrentes (Ford EcoSport e Renault Duster) tem um design bonito (costumeiro da Peugeot) e oferece conforto para seu motorista e passageiros.

O novo Hoda Fit (com um design mais agressivo e renovado) será produzido no país a partir desse semestre. O carro que está mais moderno e com o para-choque dianteiro completamente redesenhado. Vale a pena ser esperado e tem três anos de garantia.

Nova geração do QQ da Chery (que está sendo produzido no interior de São Paulo) tem a intenção de retomar o posto de carro mais barato do Brasil, com o valor previsto para abaixo dos R$ 20.000,00 (para um carro 0km, tá bom, não?). Mesmo tendo um espaço interno reduzido, o carro promete chamar a atenção por conta do suposto valor.

A nova geração do Ford Ka também promete! Perdendo toda aquela cara de carro pequeno, ganhando um espaço interno bem maior que na sua versão anterior e merecendo até uma versão sedan, o carro (na sua versão hatch simples) entra para competir com o novo queridinho da Volkswagen, o Novo Up. Já na versão sedan, o  carro vem para competir com modelos como o Voyage, também da Volkswagen.

Outro carro que também vale a pena esperar, se você gosta de cabine dupla, é a Nova Saveiro da Volks. Para competir com a concorrente Strada, o carro agora acomoda mais pessoas no banco de trás (até 5 pessoas, no total), traz também, itens de segurança e conforto em sua versão top de linha (Cross) e bate de frente com a concorrente para mostrar que está no mercado.

Por Mariana Caetano

Foto: divulgação


Depois de lançar no mercado brasileiro a nova geração do Sandero, a Renault coloca à disposição a linha 2015 do novo Logan. Visando manter os bons índices de vendas e tentar emplacar ainda mais veículos, a nova linha traz alguns equipamentos de série novos e um reajuste de preço em todas as versões.

Sem trazer nenhuma novidade estética e com alguns equipamentos de série novos, a linha 2015 do novo Logan tem o objetivo de manter o ótimo índices de vendas no Brasil no segmento dos sedãs compactos.

Lançado no fim de 2013, a nova geração do Logan registrou um incrível crescimento de 99%, emplacando 21.164 unidades apenas no primeiro semestre deste ano. O resultado expressivo é fruto de uma melhora significativa no visual, o que antes era um ponto muito criticado no Logan, bem como pela melhora do acabamento interno do veículo, fazendo do sedã uma excelente opção no segmento.

Outro ponto que não sofreu alterações na linha 2015 foram as opções de motorização. Portanto, o novo Renault Logan continua sendo equipado com o já conhecido bloco 1.0 16V, que entrega até 80 cv e o motor 1.6 8V capaz de gerar até 106 cv.

Com relação às novidades, a versão de entrada Authentique 1.0 16V passa a vir de série com direção hidráulica. Contudo, o modelo sofreu um reajuste de R$ 2.400, deixando de ser vendido por R$ 29.890 para ser oferecido pela Renault por R$ 32.290.

O Logan em sua configuração intermediária Expression 1.0 16V ganhou o ar-condicionado, mas foi quem teve alteração de preço mais expressiva (R$ 3.500). O Logan Expression que anteriormente custava R$ 34.490, agora tem preço sugerido de R$ 37.990.  A versão Expression dotada do motor 1.6 8V, por sua vez, deixa de ser vendido por R$ 40.590 e agora custa R$ 41.550.

Em sua versão topo de linha (Dynamique 1.6 8V), o sedan compacto da Renault passa a oferecer bancos com novo tecido em tom carbono claro. Opcionalmente, por um acréscimo de R$ 1.140, o modelo pode vir com bancos revestidos em couro com costuras em cinza claro e perfurações na parte central dos bancos dianteiros.

A configuração mais cara do Logan deixa de custar R$ 44.390 para ser vendido por R$ 45.850.

Abaixo, versões e preços da linha 2015 do Renault Logan:

– Authentique 1.0 16V  – R$ 32.290

– Expression 1.0 16V  – R$ 37.990

– Expression 1.6 8V – R$ 41.550

– Dynamique 1.6 8V – R$ 45.850

Por Caio Polo

Foto: divulgação


Cerca de 4 anos através foi lançado no Brasil o magnífico modelo de veículo conhecido como o March, e nesse ano de 2014, o mesmo recebeu o nome de New March, e grandes alterações foram feitas, deixando esse modelo ainda mais incrível.

O New March foi criado para trazer uma nova identidade Nissan, pois nesse modelo vai ser possível constatar um diferencial que são os seus novos faróis e grade frontal. Os fabricantes ainda redesenharam todo o seu para-choque, o que deixou o modelo com uma entrada de ar bem sofisticada.

Já as mudanças que foram realizadas na traseira desse veículo foram mais discretas, o que inclui apenas nova posição das luzes e o novo para-choque.

O modelo tem 3,83 metros de comprimento, sendo 4,7 centímetros maior do que o seu modelo antigo, e tem 1,68 metro de largura, sendo apenas um centímetro a mais.  A altura é de 1,53, e a distância do entre-eixo desse modelo é de 2,45 metros.

É possível ainda relatar que o modelo teve diversos tipos de alterações internas, e isso inclui a substituição de saídas centrais do ar-condicionado que no modelo anterior era em formato arredondado, e agora o mesmo foi feito em um formato retangular. O ar-condicionado do New March é digital.

O seu painel é de 5,8 polegadas sensível ao toque, sem contar nas travas elétricas, som de última geração, tomada de 12 volts, calotas, retrovisores externos na cor da carroceria, entre muitos outros itens que fazem desse modelo um dos mais esperados do momento.

As motorizações oferecidas são 1.0 16V e 1.6 16V. O modelo 1.0 alcança a velocidade de 74 cavalos, e o outro pode chegar a 111 cavalos, e isso depende claro do combustível escolhido.

De acordo com os seus fabricantes, os modelos serão comercializados em valores diferenciados, podendo ser de R$ 32.900 até o valor de R$ 42.900, e o mesmo vai ser vendido com três anos de garantia. 

Por Josiane Fernandes de Jesus

Foto: divulgação


Foi divulgado pela montadora de veículos Mercedes-Benz, novidades com o novo motor que demonstra o funcionamento do propulsor do AMG GT. Esse foi o último lançamento que pode substituir o SLS AMG. O motor está previsto para ser apresentado durante o salão de Paris, em outubro. As últimas informações que tivemos é que o motor é 4.0 V8 biturbo.

Essa nova geração de motores Mercedes, chamada de M178 poderá gerar até 510 cv de potência, a 6250 rpm e 66,2 kgfm de  torque. Diante disso, uma das principais características do motor, está no fato de ele vir com tecnologia nano-cristalina para revestimento dos pistões, a fim de assegurar um menor atrito e diminuição de peso do propulsor.

Sendo assim, os condutores apaixonados por velocidade poderão desfrutar dessa novidade sofisticada trazida pela marca Mercedes-Benz. Além disso, o sistema de lubrificação diminui o centro de gravidade do motor.

Ele é perfeito para quem adora viajar com segurança e tranqüilidade. Entretanto, é importante salientar que devido ao fato de o veículo chegar a altas velocidades em poucos segundos, o condutor precisa estar atento a isso e dirigir com prudência.

Cabe destacar que grande parte das pessoas que adquirem veículos da montadora são de classe média alta. Isto se dá porque os carros possuem alto preço, durabilidade e padrão de qualidade.

A marca é alemã e foi criada em 1924. É a empresa mais antiga de automóveis e veículos comerciais da Alemanha e do mundo. Ressalte-se que, ela não fabrica somente automóveis, mas também caminhões, autocarros, e seus próprios motores.

Contudo, esses são os únicos veículos que possuem características inovadoras e emocionantes ao nível do design com a mais recente tecnologia. E não pára por aí, pois os carros proporcionam alto conforto na parte interna, o que faz com que o condutor consiga dirigir por altas horas e não sinta nenhum tipo de incômodo.

Por Luciana Viturino

Foto: divulgação


No domingo, dia 15 de junho, foi aprovado os termos que regem a fusão da montadora italiana Fiat com a sua subsidiária integral Fiat Investments N.V. Tal subsidiária, que está sedeada na Holanda, trocará seu nome para Fiat Chrysler Automobilies N.V (FCA) após a finalização do processo, tornando-se uma holding do Grupo italiano.

Anunciado no final de janeiro deste ano, a Fiat iniciará agora o plano de reestruturação, dando sequência à aquisição da participação societária no Chrysler Group LLC. Os acionistas que tinham participação na Fiat antes da fusão envolvendo o Grupo Chrysler manterão, basicamente, o mesmo percentual de ações ordinárias da FCA que o percentual de ações ordinárias da Fiat pré-fusão.

O plano de fusão entre as montadoras será apresentado para aprovação dos acionistas da fabricante italiana em uma reunião geral extraordinária, marcada para o terceiro trimestre de 2014, depois de completar as etapas formais das exigências corporativas e regulatórias, o que inclui também o registro na Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos.

Após toda essa parte burocrática, será realizada a tal reunião. Havendo acionistas que votem contra a fusão entre as fabricantes, estes poderão exercer o seu direito de recesso (direito de retirada), de acordo com as leis e regulamentos italianos.

A conclusão da transação de criação da holding FCA deverá ocorrer até o fim deste ano.

Mesmo sem concluir a criação da holding, a Fiat tem pressa e já deu início ao processo de revitalização previsto pela FCA para as empresas do Grupo Chrysler, e os resultados já começam a aparecer nos Estados Unidos.

Prova disso é o lançamento dos recentes veículos do Grupo, além do plano de metas ambiciosas até 2018, com renovação completa de seu portfólio e lançamentos de novos carros em segmentos que não eram tão explorados pela Chrysler. 

O objetivo da FCA é alavancar os índices de vendas para 800 mil veículos por ano, colocando no mercado norte-americano, além da renovação de sua linha, pelo menos três novos modelos, entre eles dois utilitários esportivos.

Por Caio Polo

Foto: divulgação


Todos os veículos como carros de passeios, comerciais leves, caminhões e ônibus representaram 7,2 % de queda nas vendas em relação ao ano anterior. O setor automobilístico pensa em novos incentivos para atrair os clientes, mas a aceleração do PIB acaba tornando um agravante. As pessoas que desejam comprar carros novos ou seminovos devem ficar atentas às oportunidades, que devido à queda de vendas podem surgir propostas interessantes para o consumidor.

O Brasil está diminuindo a venda de carro em geral no país, e parece ter uma queda em torno de 3% durante o ano, dados revelados pela Fenabrave (representante das concessionárias). E a mesma procura uma solução junto ao governo federal para adiar a alíquota sobre o Imposto sobre os Produtos Industrializados (IPI), mas a tentativa parece que não teve sucesso.

O país não apresenta projeção positiva, mas as propostas para tentar melhorar o mercado só serão evidenciadas após a realização do evento da Copa do Mundo.

E em todas as categorias de veículos, somente os comerciais leves e ônibus que tiveram maior procura neste ano, porém no aspecto geral a queda foi 10,7% para máquinas agrícolas e tratores, como também e 2,7% para motos. E o número de licenciamentos em maio teve o registro de 293.383 veículos, quantidade muito baixa dentro do esperado.

As pessoas que desejam comprar carros novos ou seminovos devem ficar atentos às ofertas de preços, e pesquisar com paciência e cautela antes de fechar o negócio, e agindo assim permite a realização da compra de um carro bom em ótimas condições de pagamento e preço. Por isso o consumidor deve ficar sempre atento agora e depois do evento da Copa para aproveitar as oportunidades promocionais que podem surgir por aí.

Portanto, o mercado automobilístico está buscando soluções para facilitar as condições de preço dos veículos em geral, e mesmo ainda sem muitas perspectivas de novidades atrativas aos clientes, mas em breve vão ser lançadas incríveis ofertas para conquistar todos os interessados.

Por Jaqueline Mendes

Venda de carros em  2014

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: