Algumas dicas podem ser seguidas em casos de acidentes de trânsito que tornam a situação menos complicada.

Quando nos envolvemos em um acidente tudo acontece rápido demais, por isso precisamos ser ágeis também. E o primeiro passo é verificar se há feridos, tanto no seu veículo quanto nos demais veículos envolvidos no acidente. É preciso prestar socorro a todas as vítimas, mas nada de colocar a pessoa ferida no seu carro e levá-la para o hospital, pois isso poderá agravar a situação.

Certifique-se que a pessoa está em um lugar seguro, mantenha-a em uma posição imóvel e ligue imediatamente para o Samu ou o Corpo de Bombeiros. Fique conversando com a pessoa para acalmá-la até que o resgate chegue ao local.

Lembre-se ainda de sinalizar bem o local, utilizando os equipamentos de sinalização do veículo e até alguns ramos ou algum outro material que estiver disponível por perto, para que os demais motoristas tenham cuidado ao se aproximarem do local. O pisca alerta deve ser ligado imediatamente, sinalizando que o veículo está com problema.

Quando a batida entre os veículos não é tão grave, há apenas um pequeno amassado, é muito comum que a pessoa culpada queira fugir do local, então procure anotar rapidamente a placa, ou tire uma foto com o seu celular, ou memorize, enfim, anote todos os dados possíveis sobre o veículo para que você possa tentar buscar uma solução posteriormente para o prejuízo que teve.

O Boletim de Ocorrência não é obrigatório, mas é interessante que você faça o registro, principalmente se houver discordância sobre quem causou o acidente. O BO será um ótimo documento de segurança.

O causador do acidente sempre deve assumir as despesas de todos os prejuízos. Se a pessoa não tiver um seguro, deverá pagar do próprio bolso. E se você for o culpado, ao entrar em contato com a seguradora seja objetivo ao descrever o ocorrido e nunca minta, pois se a empresa descobrir não vai autorizar o pagamento.

Se for possível conseguir algumas testemunhas, melhor ainda. Anote o nome das pessoas que viram o acidente, o telefone e o endereço delas, assim, se futuramente você precisar de testemunhas a seu favor, será fácil localizá-las.

Por Russel

Acidente de trânsito


Os Artigos 176 e 178 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) indicam as regras gerais sobre acidentes que acontecem no trânsito, com ou sem vítimas. Conforme o ocorrido na via, existem punições distintas nos termos da lei.

Nos casos em que condutores se envolvem em acidentes ou presenciam qualquer dano com vítima no trânsito há necessidade de sinalizar a área no sentido de evitar novos acidentes por conta do obstáculo que se encontra presente na via.

Na sequência chega o momento de solicitar atendimento especializado às vítimas. Disque ao socorro e solicite ambulância. Informe também as autoridades policiais sobre os fatos decorrentes no trânsito.

Aguardar consiste em obrigação por parte de quem comete o acidente, ou das pessoas que ajudam vítimas de trânsito desamparadas por motoristas que cometem delito e empregam fuga do local para escapar do fragrante.

Infratores que fogem do lugar no qual acontece o acidente são medidos como procurados pela justiça em consequência do inquérito policial decorrente ao fato.

Por vezes, o atendimento especializado pode demorar, momento em que se faz necessário começar a prestar os primeiros socorros. Quem ajuda deve analisar para saber como se encontra a condição das vítimas.

Apenas depois de se sentir com capacidade, é possível começar a assistência sem proporcionar riscos maiores. Acatar e facilitar a ação das autoridades consiste em dois deveres dos cidadãos assistencialistas.

Aos casos de acidentes em que não há vítimas, o processo funciona de modo diferente. Por exemplo, não existe a demanda por comunicar o fato às autoridades policiais. Depois das colisões, os dois veículos devem ser retirados da pista para não prejudicar o fluxo.

Condutores interessados podem procurar o Plantão de Acidente de Trânsito para fazer registro da ocorrência e assim obter Boletim de Ocorrências (BO), documento que tem efeito legal, inclusive para ações judiciais e seguros.

Por Renato Duarte Plantier

Foto: divulgação


O RS ficou chocado com o acidente envolvendo o Porsche 911 do empresário Paulo de Tarso Teixeira, diretor de umas das concessionárias da Toyota mais importantes do país, a Car House. As imagens do acidente são impressionantes, e mostra o Porsche totalmente carbonizado perto da estátua do Laçador, um dos símbolos de Porto Alegre.

Segundo informações do jornal Zero Hora, o veículo conduzido pelo empresário bateu numa mureta e incendiou-se. O empresário e o amigo que estava com ele foram socorridos e levados para o hospital, mas Paulo de Tarso não resistiu.

A polícia abriu investigação para apurar as causas do acidente. As suspeitas são de que o veículo estava com excesso de velocidade, já que o Porsche pode atingir 200 km/h em apenas 9 segundos e 300 km/h em menos de 30 segundos.

Por Maximiliano da Rosa


Um acidente no dia 12 de maio em São Paulo mostrou o quanto acidentes de trânsito são causados pela irresponsabilidade e pela certeza de impunidade que existe na nossa sociedade.

Uma motorista que dirigia em alta velocidade atropelou mãe e filha de cinco meses em uma Rua de São Paulo. No acidente a criança ficou enroscada no limpador de pára-brisa e foi arrastada por mais de 500 metros e só foi jogada para a calçada em uma curva que a motorista fez em alta velocidade.

A motorista não tinha habilitação, fugiu do local e depois de se apresentar à polícia, prestou depoimento e foi liberada.

Em uma sociedade séria não seria tão fácil causar um acidente e ainda responder o processo em liberdade. Acidentes de trânsito no Brasil são fruto de irresponsabilidade e a certeza da impunidade para os infratores.

Por José Alberi Fortes Junior





CONTINUE NAVEGANDO: