O uso do ar-condicionado, aliado a outros fatores, faz com que o carro acabe utilizando mais combustível. Confira as situações e como fazer para utilizar da maneira correta.

No mundo moderno o conforto e a segurança caminham juntos. Nos veículos, por exemplo, uma pessoa tem chance de desfrutar de comodidades como: rádio, TV, dispositivos que ajudam a manter o carro seguro na estrada, luz interna, espaço amplo, motor silencioso e ar condicionado. Entretanto, tudo tem um custo e tudo consome energia, porém, é necessário compreender todo o processo para que os consumidores saibam até onde é possível se utilizar dos recursos oferecidos pela tecnologia sem que isso pese no orçamento.

O tema central neste texto é o uso de ar condicionado nos automóveis e o nível de consumo do mesmo em termos de combustível. Algumas notícias indicam que o dispositivo do ar condicionado pode consumir mais combustível que o normal. Entretanto, outras fontes apontam para o fato de que janelas abertas na estrada, quando se está a mais de 80 km/h, causa grande interferência na estrutura aerodinâmica do veículo, provando, por conseguinte, uma maior resistência e consumo de gasolina. Mas, esta situação é fato consumado ou apenas uma espécie de mito?

Para começar é necessário compreender um pouco sobre a estrutura do carro. Janelas abertas são recomendadas apenas quando não se está em alta velocidade, em uma viagem, por exemplo. Se o veículo estiver em menor velocidade não há grande resistência provocada pela passagem do ar, sendo que, do contrário, um carro em grande velocidade com janelas abertas acaba consumindo mais combustível devido ao impacto do vento no interior, que não permite que o veículo navegue, por assim dizer, no ar, sendo uma situação similar ao do barco na água, se o casco estiver com entradas o barco é tragado pela água. A aerodinâmica precisa adequar-se ao formato convencional, que deslize e flua.

Em realidade, não há evidências exatas do quanto um aparelho de ar condicionado pode contribuir com uma sobrecarga de consumo de combustível. Existem estatísticas que tentam orientar e disciplinar os hábitos dos motoristas, no sentido de controlar o consumo de energia e combustível conforme a escala de velocidade. Portanto, quando está em alta velocidade, é melhor fechar todas as janelas e ligar o dispositivo de ar condicionado. De acordo com pesquisas realizadas pela Society of Automotive Engineers, SAE, dos Estados Unidos, os responsáveis chegaram à conclusão de que até a velocidade de 65 km/h a melhor recomendação é trafegar de janelas abertas, sem risco de consumir mais, podendo refrescar o interior. Do contrário, é melhor fechar as janelas e acionar o ar condicionado.

Para desfazer o mito é importante deixar claro que, segundo o mesmo estudo citado, quando em menor velocidade o motor gera menos força, energia, e, neste caso, se o ar condicionado estiver ligado ele irá fazer com que o motor trabalhe mais, para suprir o dispositivo refrigerador, gerando muito mais eletricidade para o mesmo dispositivo funcionar efetivamente.

Portanto, não se trata de um mito, mas sim de que, em determinadas situações, fácies de serem previstas, é fato que o motor será forçado a produzir mais energia, sendo, por conseguinte, estimulado a consumir muito mais combustível para exercer a sua função.

Assim, é importante estar atento às diversas indicações que existem nos sites em internet, e pesquisar pelas informações mais consistentes, ou seja, aquelas que recomendam aos usuários testarem o consumo de combustível nas situações, e também, aquelas informações que estão em perfeita compatibilidade entre si, em termos de dados estatísticos e referências.

São dicas mais simples, porém, vale a pena conferir, pois o consumo excessivo de energia prejudica tanto o carro quanto o bolso. Não custa nada dar atenção às orientações que podem ser úteis.

Por Paulo Henrique dos Santos

Ar-condicionado


A maioria dos carros é dotada de um sistema de ar condicionado. O ar condicionado é um item quase que obrigatório, ainda mais em países tropicais onde a variação climática é extremamente intensa.

O ar condicionado possui dois sistemas internos: um capta o ar de fora e o envia refrigerado para dentro do veículo, enquanto o outro sistema veda o carro completamente e apenas recicla o ar presente dentro do carro. Esta segunda opção é ideal para momentos de trânsito e congestionamento, uma vez que reduz o número de poluentes que podem entrar em contato com o motorista e os passageiros.

Embora muito eficaz e imprescindível o sistema de ressecar o ar deve ser usado com cautela e seu uso não deve ultrapassar os 15 minutos consecutivos por dois motivos: primeiramente reciclar a temperatura do ar exige um esforço intenso do sistema de refrigeração e mantê-lo ligado por muito tempo diminui a vida útil do equipamento. O outro motivo diz respeito à saúde dos passageiros, todos sabem que o ar condicionado deixa o ar ambiente muito seco e reciclar várias vezes o mesmo ambiente pode deixá-lo extremamente seco ao ponto de fazer mal ao sistema respiratório dos passageiros.

Portanto, use conscientemente o seu sistema de reciclagem e em hipótese alguma ultrapasse os 15 minutos consecutivos de uso.

Por Fernando Setoue


Um dos equipamentos mais utilizados em automóveis na atualidade é o ar-condicionado que proporciona tanto mais aquecimento em dias frios quanto refresca o interior dos veículos em dias quentes.

No mercado atual existem várias opções deste equipamento e é neste momento que surge a questão se seria melhor ter um ar-condicionado analógico ou digital.

O ar-condicionado analógico está presente em veículos de luxo e populares, possui pequenos gastos para manutenção sendo o ideal para veículos com muito uso no cotidiano e possui, também, inconveniente o fato de que tem materiais mais frágeis.

Já o ar-condicionado digital é mais moderno do que o analógico, com uma maior quantidade de opções e velocidades no veículo tendo como principal atrativo o seu conforto, mas apresenta como ponto negativo possuir peças muito caras e um alto custo para a sua manutenção; por isso é indicado apenas para veículos mais caros e com uso menos freqüente.

Deste modo, mais do que uma simples escolha a decisão quanto ao modelo do ar-condicionado automotivo depende das condições econômicas e do tipo de carro de cada condutor.

Por Ana Camila Neves Morais


Comprar um carro 0km é um sonho para a maioria dos brasileiros. Em conjunto com a animação pelo carro novo vem também as dúvidas, que opcionais comprar, quanto eles podem aumentar no preço final. O ar condicionado, por exemplo, um opcional que oferece mais conforto, principalmente em países tropicais, como o Brasil, pode aumentar o preço do veículo em mais de R$ 2 mil.

Só que a Peugeot acaba de lançar a promoção "Zero Grau", que dá ar condicionado gratuitamente para os clientes que comprarem qualquer um dos carros de suas linha 207 e 307. Com os descontos da promoção o preço dos carros da Peugeot caem ficam R$ 2,7 mil mais baratos.

Os carros que aprticipam da promoção custam a partir de R$ 33,8 mil, para a linha 207, e R$ 49,9 mil, para a 307. Os carros são bem bonitos, veja fotos deles no site oficial da marca (www.peugeot.com.br).

Mais informações e regulamento da promoção aqui.

Por Thiago Martins





CONTINUE NAVEGANDO: