A grande conscientização que parece estar se formando na indústria automobilística a respeito da crescente necessidade de se conseguir alternativas para os combustíveis fósseis vem empurrando esta indústria para um avanço tecnológico surpreendente. Além de carros elétricos, híbridos, tecnologias de recuperação de energia dos próprios motores e energia de frenagem, a Audi aponta agora com uma nova tecnologia absolutamente interessante ao lançar seu projeto de um modelo movido a GNV.

Até aí tudo normal, já que o GNV (gás natural veicular) é uma opção utilizada atualmente. Mas o mais interessante no projeto do A3 TCNG, seu modelo hatch movido a este combustível, é o fato de que existe um grande projeto para a construção de uma fábrica do principal elemento do GNV, o Metano, que de acordo com a Audi poderá ser produzido e armazenado se tornando uma importante opção de combustível no futuro.

De acordo com sites especializados o conceito envolvido nesta ideia é a de produção do Metano utilizando-se eletricidade produzida eólicamente (geração de eletricidade através da força dos ventos).

Esta energia alimentará o processo químico para a produção do Metano. Em relação à eletricidade utilizada no abastecimento de automóveis e que já alimenta alguns modelos da Audi, o Metano produzido poderá ser armazenado em grandes quantidades, o que com certeza facilitará os meios de abastecimento, além de poder ser utilizado em outras atividades além da movimentação de automóveis.

De acordo com a montadora alemã a construção de sua fábrica para a produção de Metano já foi iniciada e o seu modelo movido por este combustível será lançado em 2013.

Por Manoel Câmara





CONTINUE NAVEGANDO: