O primeiro carro híbrido do país será vendido por R$ 159.500 na sua versão inicial.

Na terça-feira (25), a Ford apresentou ao Brasil o novo Fusion Hybrid 2017, um modelo todo trabalhado na tecnologia, prometendo conquistar muitos admiradores. Com visual atualizado, o sedan cuja versão sustentável é a mais vendida em sua linha, traz mais conectividade e novidades tecnológicas de última geração. O primeiro carro híbrido do país sai por R$ 159.500, na versão inicial.

Além da versão de entrada, a linha ainda conta com a 2.5 Flex e 2.0 EcoBoost.

O motor 2.0 litros é associado a um elétrico de ciclo Atkinson. Já o câmbio é automático e-CVT gerenciando os dois motores, levando a potência combinada de 190 cavalos. Os freios regenerativos dão mais durabilidade para a recarga das baterias que são de íons de lítio.

O Fusion é uma linha pautada na economia, trazendo uma exclusiva função chamada Ecoselect, que possibilita acelerações suaves que economizam combustível além de otimizar a energia da frenagem. A grade dianteira também é nova desenvolvida com recursos que reduzem o consumo.

A versão exclusiva e top Titanium vem com piloto automático, assistente autônomo para detectar pedestres, alerta de colisão com assistente de frenagem autônomo, estacionamento automático de segunda geração desenvolvido para vagas perpendiculares e paralelas. Além de sensor de fadiga, alertas para permanência na faixa e ponto cego, cintos traseiros que inflam e monitoramento de 360 graus.

No que toca aos equipamentos são oito airbags, controles de tração e estabilidade, alerta em casos de tráfego cruzado, sensor de chuva, faróis full LED, farol alto automático, sistema de conectividade SYNC 3, partida remota, ar-condicionado de dupla zona, teto solar, acesso inteligente e chave com sensor de presença, seletor de câmbio E-Shifter e Ford Power.

O modelo também possui um inteligente sistema chamado EV+, que detecta os destinos mais utilizados através do GPS, fazendo com que o motor elétrico economize combustível. O tempo para memorização dos percursos vai de duas a quatro semanas.

O painel apresenta duas telas de 4,2 polegadas, permitindo ao motorista o acesso a diversas informações do automóvel.

O Fusion Hybrid 2017 é realmente um veículo desenvolvido pela Ford, para oferecer mais segurança, conforto, sustentabilidade e inovação, o que faz com que ele seja muito elogiado por seus consumidores. As vendas terão início em novembro.

Por Sirlene Montes

Ford Fusion Hybrid

Ford Fusion Hybrid

Ford Fusion Hybrid

Fotos: Divulgação


Malibu ECO contará com motorização híbrida e trará de série 10 airbags, controles eletrônicos de estabilidade e tração e sistema de áudio premium

Está se aproximando a data em que a apresentação mundial da nova geração do Chevrolet Malibu será efetivada (ela está programada para acontecer durante o Salão de Nova Iorque). A marca tem exposto, em cápsulas, determinadas informações sobre o arquétipo. A mais atualizada remete a uma versão com motorização híbrida.

O sedan ganhará um sistema semelhante ao integrado no Volt, com dois motores elétricos abastecidos por uma bateria de íon-lítio de 80 células e 1,5 kWh. Existirá alterações, contudo, já que, no caso do Malibu, permanecerá presente um motor a combustão com grande extensão: o 1.8 movido a gasolina. Desta forma, de maneira combinada, terá 182 cavalos de potência.

Referente às informações emitidas pela montadora, o Malibu híbrido poderá obter a agilidade máxima de 86 km/h quando impelido somente pelos motores elétricos. Também não foi anunciada a autonomia do modelo em caráter 100% elétrico.

Com este esplendor, o modelo, segundo dados da montadora, pode rodar 11,4 km/l em vias urbanas ou 16,1 km/l no ciclo rodoviário. Nesta entoação e com auxílio do tanque de combustível com 60 litros de aptidão, a autonomia do Malibu híbrido pode sobrepujar os 880 km. Já a recarga das baterias (o jogo pesa 29 kg) é realizada pela atuação do motor a combustão e os freios regenerativos.

O status da intervenção do conjugado mecânico pode ser seguido pela tela central no painel. O aparelho exibe quando o motor elétrico entra em atuação e a categoria da carga e temperatura da bateria. Além deste item, o Malibu ECO também traz de série 10 airbags, controles eletrônicos de estabilidade e tração e sistema de áudio premium.

Carros mundiais da GM, a nova geração do Malibu também será apresentada no mercado nacional, mas apenas a partir do ano seguinte – a fabricante ainda não determinou a data. Todavia, o modelo pressagiado para o mercado nacional é a série com motor 2.5, admitindo poucas chances para a  linha ECO.

Por Lorena de Oliveira

Chevrolet Malibu 2015

Chevrolet Malibu 2015

Fotos: Divulgação


A tecnologia Peugeot de ar hibrido que utiliza ar comprimido ao invés de baterias caras para impulsionar um motor a gasolina de pequena capacidade fará parte da que produção em um carro da Peugeot. O Peugeot 208 hatchback pode obter quase 100mpg quando equipado com a nova tecnologia de ar híbrido da Peugeot.

A Peugeot acredita que a tecnologia ainda esteja em desenvolvimento, pelo menos até 2015, mas quando concluída, o fabricante francês acredita que terá a melhor tecnologia. Um carro típico do segmento B, como o Peugeot 208 pode alcançar 97.3mpg e emitir apenas 69g/km de CO2.

O sistema de ar híbrido opera de modo que o ar comprimido seja utilizado para acionar o motor hidráulico, o qual, em seguida se transforma em movimento nas rodas dianteiras. Ele também pode operar somente com motor a gasolina ou de gasolina e ar em combinados.

Usando as lições aprendidas com o Peugeot 208 FE híbrido a empresa acredita que os números de eficiência podem ser melhorados ainda mais, para algo como 141mpg.

O Peugeot Híbrido FE utiliza materiais leves, aerodinâmica e tecnologia híbrida para alcançar 148mpg. Apesar de sua economia impressionante a figura do 208 FE tem desempenho semelhante ao do GTi, com um tempo de 0-62mph de 8.0 segundos.

Ao contrário da tecnologia de ar hibrido, a Peugeot atualmente não tem planos para colocar o 208 FE em produção, mas alguns aspectos de sua concepção como o motor leve, materiais compostos de fibra de carbono e suspensão 'lâmina' estão a ser consideradas para o futuro da Peugeot.

A empresa acredita estar caminhando na direção certa em suas pesquisas para o desenvolvimento desta tecnologia, e garante estar aproveitando todo o desempenho mostrado, assim como as falhas apresentadas para o desenvolvimento eficaz deste modulo e garante em futuro próximo ser a pioneira na fabricação de carros com este fim.

Por Jaime Pargan


Os veículos ecológicos e híbridos estão aumentando no mercado a cada dia que passa e agora mais uma montadora automotiva está iniciando a criação deste tipo de veículo: a Renault.

O seu primeiro veículo híbrido, segundo Carlos tavares presidente da Renault, está em processo de desenvolvimento e vem estimulado pela necessidade da Renault de entrar neste segmento de veículos na Europa e pelos benefícios concedidos pelo governo da França para as pessoas que compram carros híbridos.

Com este apelo econômico, o novo modelo híbrido desta marca vai ter como companheiros carros já totalmente elétricos como o Fluence Z.E. E o Twizy.

Ainda não existem detalhes e nem mesmo dados sobre este novo carro que será movido com eletricidade ou com combustível, mas espera-se o seu lançamento no mercado mundial de automóveis para o ano de 2014.

Por Ana Camila Neves Morais


Para os amantes de carros superesportivos luxuosos de marcas sedutoras e lendárias como a Jaguar, que possuam condições de desembolsar o equivalente a R$ 1.857.660,00 (700 mil euros) ou R$ 2.388.420,00 (900 mil euros) de acordo com o mercado e sem contar com os impostos e taxas de importação aplicados no Brasil, estes podem se candidatar a uma das 250 unidades do novo superesportivo que a Jaguar irá fabricar. Para tanto devem entrar em contato via site (www.jaguar.com) ou por um Call Center exclusivo do novo modelo (+44 800 015 8605) para pessoas de fora do Reino Unido.

E quem puder fazê-lo estará adquirindo um dos superesportivos mais charmosos e bonitos projetados nos últimos tempos. E que, além disso, é econômico, potente e de altíssimo desempenho. O sedutor e enigmático Jaguar C-X75 possui um design arrebatador, linhas aerodinâmicas de uma sutileza e leveza encantadoras que conseguiram dar ao modelo também uma elegância clássica.

O C-X75 será um superesportivo híbrido composto por um motor a combustão em turbina que vai trabalhar com maior eficiência e de modo mais econômico e apenas irá alimentar as baterias dos dois motores elétricos instalados em cada eixo do carro. Este conjunto mecânico permitirá ao C-X75, juntamente com suas outras características do projeto, rodar 50 quilômetros em completo silêncio até o motor a combustão começar a trabalhar.

Os três motores trabalhando em conjunto, segundo informações da Jaguar, dão o título de carro de série mais rápido do mundo, com a velocidade máxima passando dos 300 Km/h, com arranque de 0 a 100 Km/h em um tempo menor do que três segundos. E para completar o C-X75 além de econômico terá taxas baixas de emissão de poluentes, ficando sua emissão, de acordo com a fabricante, abaixo das 99g/Km CO².

Por Manoel Câmara


Preocupada em atender aos portadores de necessidades especiais, a montadora Honda vai lançar um modelo esportivo de veículo híbrido adaptado a esse público. Trata-se do Honda CR-Z, um veículo híbrido que funciona com um motor elétrico e um motor 1.5 i-VTEC a base de gasolina, fazendo com que seja emitida pouca quantidade de poluentes no ar.

A Honda fabrica todos os seus automóveis com câmbio automático, que já é uma das exigências para o veículo de um deficiente. Além disso, a Honda criou, em 1997, um programa chamado Honda Conduz, cuja intenção é instruir os portadores de deficiência, com informações sobre o procedimento e documentação necessários para se comprar um veículo adaptado.

A montadora apresentou pela primeira vez o Honda CR-Z no Salão Internacional do Automóvel de 2010, e agora vai exibi-lo na Reatech – Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação e Inclusão, em São Paulo, que acontece no mês de abril.

Por Andrea Gomes


A montadora Toyota também tem investido bastante no segmento de veículos híbridos e apresentou o Prius + e o Yaris HSD no Salão de Genebra desse ano, na Suíça. Os novos modelos fazem parte dos veículos com a tecnologia Hybrid Synergy Drive (HSD), implantada nos híbridos e nos carros elétricos.

O Prius + se destaca por ser o primeiro veículo de sete lugares com o conceito de híbrido a chegar na Europa. A Toyota desenvolveu o modelo dando ênfase ao seu espaço interno: amplo e confortável. Outro ponto favorável do Prius + é que, de todos os monovolumes europeus, ele é o que menos consome combustível.

A Toyota também fez a apresentação do modelo híbrido Yaris HSD que deverá chegar ao mercado europeu em breve. Segundo a Toyota, o design do modelo Yaris HSD apresentado no Salão de Genebra é bem parecido com o que chegará às concessionárias.

Por Andrea Gomes


De acordo com especialistas da indústria automobilística o futuro dos carros superesportivos, responsáveis por um segmento de luxo, paixão e muito dinheiro, serão as chamadas tecnologias verdes. Os motores movidos à eletricidade e os carros híbridos. O que é perfeitamente plausível quando se pensa em máquinas extremamente possantes com conjuntos mecânicos sofisticados e que para se manterem consomem muito.

Os esportivos de luxo movidos por tecnologias alternativas poderão representar uma nova opção para o segmento, tornando-os ecologicamente corretos e funcionalmente mais econômicos. E a Porsche, especialista em superesportivos de luxo já aderiu a ideia e informou que deverá apresentar no próximo Salão do Automóvel de Genebra um modelo híbrido.

Mas enquanto Março não chega, a montadora alemã divulgou também especificações do seu Panamera S Hybrid, a versão híbrida de um de seus modelos de maior sucesso. Com design singular e esportivamente clássico de belas e bem calculadas linhas aerodinâmicas a nova versão mantém o fascínio de um modelo Porsche com seu estilo requintado e vem com propulsor 3.0 Litros V6 agregado com supercharger que pode produzir 333 Cv de potência e aliando a este motor convencional um propulsor elétrico que gera 47 Cv.

Atuando juntos ou em separado os propulsores somam um total de 380 Cv que leva o esportivo a máxima de 270 Km/h com arranque de 0 a 100 Km/h em torno de 6,0 segundos. Antigamente impensável, mas agora cada vez mais importante, os seus dados de consumo e emissão de poluentes de acordo com a montadora são: consumo médio de menos de 15 Km/l e emissão de 159g CO²/Km.

Foto: Dream Car

Por Mauro Câmara

Fonte: Carro Online


Com a necessidade cada vez maior da criação de veículos que emitam menos poluentes e que sejam mais econômicos e que representem um novo caminho para indústria automobilística, os híbridos e elétricos se tornaram a saída mais racional. No entanto como todas as novas tecnologias sua aceitação é lenta, por vezes extremamente demorada. Para acelerar o processo são dados subsídios, governos estimulam a formação e utilização de frotas elétricas ou híbridas, mas mesmo assim a aceitação ainda não é plena e total.

Nos Estados Unidos, tradicional mercado consumidor e produtor de veículos a aceitação destes novos veículos ainda é muito lenta e parece que levará bastante tempo para que eles sejam aceitos e cresçam no gosto do consumidor norte-americano. Talvez por isso a BMW, que lançará no Salão de Genebra a versão final de produção do ActiveE, versão elétrica do modelo Série 1 Cupê, traçou uma estratégia para não só popularizar este tipo de veículo, mas também para testar tecnologias para o aprimoramento dos modelos elétricos que a montadora pretende produzir no futuro. Entre eles o novo EV Megacity, que deverá chegar ao mercado mundial no ano de 2013.

A montadora irá produzir mais de mil unidades para serem testadas. Elas deverão ser alugadas para consumidores selecionados nos mercados dos Estados Unidos, da China e da Europa, que testarão os carros e suas tecnologias durante um período de tempo. O ActicveE tem propulsor elétrico que produz de 170 Cv de potência e tem capacidade de arranque de 0 a 100 Km/h em apenas nove segundos e pode atingir a velocidade máxima, eletronicamente controlada, de 145 Km/h.

Todo o conjunto é movido por três baterias de íon-lítio e utiliza o sistema Kers, onde o motor atua como gerador cada vez que o motorista desacelera, desta forma a energia cinética realimenta as baterias.

Por Mauro Câmara


Normalmente quando vemos um carro e gostamos ou não dele, nos baseamos basicamente no seu estilo, sua identidade visual, design e nas informações técnicas que acompanham o modelo como: potência do motor, economia, rendimento, sistemas de freios e segurança, conforto e praticidade.

Poucas pessoas ao abrirem o capô percebem mais do que o conjunto mecânico. Nos escapa detalhes da composição mecânica geral e da estrutura física na qual a carroceria bem desenha, às vezes, se sustenta. E este é um dado curioso que a Honda tentará mostrar no Salão do Automóvel de Genebra ao apresentar ao lado de um novo modelo elétrico baseado no modelo conhecido no Brasil como Honda Fit, uma plataforma pura de um futuro modelo híbrido da marca.

Nesta plataforma poderá ser visto a composição do conjunto mecânico, as diversas peças e engrenagens e a estrutura física onde futuramente a carroceria será montada. O futuro veículo híbrido que usará esta plataforma terá, para recarga das baterias, a tecnologia chamada Plug-in, através da qual a recarga pode ser feita diretamente através de uma tomada. O veículo terá novo ajustamento para uso nas cidades no dia a dia. Os freios deverão ser regenerativos e o condutor poderá escolher entre três tipos de opções de condução: a totalmente elétrica, a híbrida e a gasolina. 

Por Mauro Câmara

Fonte: Carro Online


Como já mensurado neste meio de comunicação, a busca em resolver os problemas das emissões de poluentes no meio ambiente tem incitado as montadoras a repensar como a motorização de seus modelos será fabricada.

Leia mais: Carros Híbridos e Elétricos – Problemas que os afastam dos consumidores

Elétrico ou híbrido, as fabricantes buscam agora maneiras de diminuir o preço dos carros ao consumidor final. Enquanto a solução não aparece, eis que Sergio Marchionne, presidente do Grupo Chrysler, divulga que o modelo 300 ganhará, daqui a dois anos, configuração híbrida.

Ainda sem maiores e detalhadas informações em torno do modelo, Marchionne dá indícios de que a versão abrigará câmbio automático de oito marchas. De acordo com o portal Carro Online, essa é a primeira informação sobre confecção de híbridos desde o Dodge Durango.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Uma das principais pautas do atual século é, sem dúvida, a mesma que Marina Silva, do Partido Verde, defende, mesmo após ter sido derrotada por Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores, e por José Serra, do Partido da Social Democracia Brasileira, na disputa pela sucessão presidencial.

Os brasileiros e populações de outras nacionalidades têm tido acesso a informações sobre tecnologias sustentáveis, ou seja, as mesmas que propiciam progresso da humanidade sem agredir veementemente a natureza. As montadoras procuram aproveitar a conscientização ao promover carros híbridos ou movidos totalmente por meio de energia renovável, tais como a eletricidade.

Contudo, estudo feito pela J.D. Power Associates revelou que embora a tendência tenha começado a se expandir para essa modalidade de veículos, a gasolina deverá ser, ao menos em 2020, o principal combustível. Somente 7,3% dos carros, assoalha reportagem veiculada pelo portal de Economia Terra, serão movimentados com base no sistema híbrido.

De acordo com Mile Omotoso, diretor da entidade, apesar de o volume da gasolina vir a ser reduzido, sua utilização ainda continuará. Nos Estados Unidos, por exemplo, os veículos híbridos serão notados em 14 a cada 100 unidades automotoras.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Ter um veículo automotor não é novidade alguma aos brasileiros, ou melhor, para boa fatia da população. A nova classe média, capaz de adquirir bens antes inacessíveis, tem amplificado sua atuação em setores antes abrangidos com grandiosidade pelas classes mais providas, financeiramente, da sociedade.

Na atualidade, carros de até R$ 30 mil, por exemplo, podem ser adquiridos por meio de parcelas abaixo de R$ 700 reais sem qualquer tipo de entrada, dependendo, claro, do prazo escolhido pelo consumidor. Enquanto os flex são a vedete do consumo, em breve novas possibilidades virão à tona, porém e por enquanto, aos mais endinheirados.

Batizados de híbridos, chegará ao Brasil cinco modelos movidos a eletricidade e a gasolina, promovendo economia e menos poluição. De acordo com o Estadão, a tecnologia é observada como intermediária entre os veículos integralmente elétricos e os carros de motor a combustão.

A Ford, por exemplo, iniciará a comercialização do Fusion até o final de outubro. Produzido no México, será vendido num valor entre R$ 100 mil e R$ 150 mil. A Mercedes-Benz, por sua vez, já possui um modelo híbrido, S400, importado da Alemanha, com preço na faixa de R$ 430 mil.

John Vieira, diretor global de sustentabilidade e meio ambiente da Ford, assevera que a montadora estuda a utilização do etanol, no país, para a geração de energia ao veículo híbrido, situação semelhante à feita nos Estados Unidos, onde a base do etanol provém do milho – no Brasil, deriva da cana-de-açúcar.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Diversificação é a palavra chave no mundo globalizado e ainda mais no mundo dos automóveis onde a competição é grande e acirrada e diferenciais devem ser buscados a todo o momento. Por isso a Lotus, fabricante inglesa de automóveis, especializada na fabricação de modelos esportivos de luxo que aliam sofisticação e desempenho, agora vai investir em um modelo para as ruas das grandes cidades: um compacto urbano de propulsão hibrida com capacidade para até quatro pessoas.

Apresentado ainda como conceito o Lotus City Car tem desenho moderno, funcional otimizando ao máximo o espaço interno e mantendo a estrutura dos compactos de caráter urbano, feito para o trânsito pesado e confuso das grandes cidades. O modelo era equipado com sistema plug-in e o conjunto combustível-eletricidade gerará uma potência combinada de 74CV. O propulsor a combustível que ficará sob o capô aceitará tanto o etanol quanto o metanol e gasolina e será um motor de 1.2 litros de três cilindros já presente em outros modelos esportivos da Lotus.

A autonomia do motor elétrico é de 64 Km, mas quando ligado todo o conjunto dos dois propulsores, o combustível e o elétrico, o carrinho pode chegar a 500 Km. Sua velocidade máxima pode chegar a 175 Km/h e sua aceleração vai de 0 a 100 Km/h em nove segundos.

Certamente será uma opção de compacto com “sangue verde” e o DNA de uma das grandes grifes de carros esportivos do mundo.

Por Mauro Câmara

Fonte: Carros IG


A fabricação de carros híbridos ou elétricos vem ganhando corpo em todas as partes do mundo e de experiência está se transformando em tendência e grandes montadoras pelo mundo todo estão dispostas a investir na criação, desenvolvimento e fabricação de carros ecologicamente corretos. É o que prova matéria do site G1, que informa que a Toyota tem planos de aumentar consideravelmente a sua gama de veículos híbridos.

De acordo com a matéria a empresa informou a agências de notícias internacionais que até o final de 2012 pretende lançar um total de seis novos modelos híbridos, entre modelos novos exclusivamente híbridos e versões de carros atuais com motorização híbrida. E confirmando esta disposição da montadora já em 2011 estará a venda um novo modelo com motor a combustão e elétrico que será um compacto da sua marca de luxo batizado de Lexus CT200h, de design leve, elegantemente retilíneo e obviamente luxuoso como é característica desta marca da Toyota.

Já tendo conseguido um grande sucesso no segmento de carros híbridos, principalmente com o modelo Prius lançado em 2009 que se tornou o primeiro modelo híbrido a chegar ao primeiro lugar de vendas no mercado japonês, a montadora aposta no aumento da demanda por carros com este tipo de propulsão e também nos incentivos que governos estão concedendo para a compra destes modelos. O próprio Japão é um exemplo disto, pois até este mês o governo concedia incentivos a comercialização de veículos híbridos.

Lexus CT200h

Foto: AA0on

Por Mauro Câmara


Qual a quantidade de modelos híbridos existem no mundo? Bom, eu não sei a resposta para essa pergunta. Mas a Toyota deve saber. Tanto que a montadora conseguiu entrar para o Livro dos Recordes reunindo 140 modelos híbridos enfileirados na estrada.

O recorde anterior era de 100 veículos. O feito foi realizado na capital da Bélgica, Bruxelas e juntou veículos Auris Hybrid e Prius. Sim, não é preciso que todos sejam do mesmo modelo para que o recorde seja homologado. Basta que sejam da mesma marca.

Isso mostra que a quantidade de modelos híbridos rodando por aí já é bem considerável. Mas será que alguma outra montadora se habilita para bater esse recorde?

Acho difícil.

Por Maximiliano da Rosa


Apesar da grande contribuição dos motores híbridos colocados nos veículos em favor do meio ambiente, o silêncio dos mesmos durante a circulação do automóvel pode ser prejudicial para os pedestres, especialmente aqueles com deficiência visual, o que pode levar a um risco maior de acidentes.

Por causa disto, a empresa japonesa Toyota anunciou nesta última terça-feira, 24 de agosto de 2010, o lançamento de um dispositivo a ser colocado nos veículos híbridos Prius, que produz um zumbido eletrônico, permitindo ao pedestre perceber a aproximação do mesmo.

O novo equipamento começará a ser comercializado no Japão no próximo dia 30 de agosto, sob o preço equivalente a R$ 263, com custo de instalação a cargo do motorista. Em todo o mundo, a Toyota já vendeu mais de 2,7 milhões de veículos híbridos até o momento.

Por Elizabeth Preático

Fontes: G1, Ribeirão Preto Online


Nesta última terça-feira, 24 de agosto de 2010, a Peugeot anunciou o lançamento da versão híbrida de seu crossover, intitulada 3008 HYbrid4.

De acordo com a empresa francesa, este será o primeiro veículo da marca que possuirá capacidade para locomoção a diesel e via energia elétrica. O novo modelo será apresentado no Salão de Paris no mês de outubro deste ano, com início da produção na Europa previsto para o próximo ano.

O motor híbrido permitirá ao condutor quatro opções: a Auto, que intercala o consumo de energia elétrica e de diesel, com privilégio do combustível; a ZEV, onde o motor elétrico atua nos primeiros 4,5km, passando depois para o diesel; a 4WD, onde há o trabalho simultâneo dos dois sistemas de propulsão e a Sport, em que o carro atinge seu máximo desempenho.

Foto: Peugeot Belux

Por Elizabeth Preático

Fontes: G1, Web Motors


A indústria de carros elétricos e híbridos segue firme. Ainda mais para os últimos. Uma das empresas que mais investe é a Honda. Atualmente a montadora japonesa já produz um híbrido, o Insight, o mais barato do mercado japonês.

Agora jornais japoneses noticiaram que a montadora nipônica tem planos de lançar um versão híbrida também do Honda Fit. Os dois modelos tem usam a mesma plataforma. Se as informações estiverem corretas, o Fit híbrido deve ser o modelo mais barato vendido no Japão.

Com um motor 1.3 à gasolina, auxiliado por outro elétrico, o preço inicial deve ser de cerca de 33 mil reais. Por enquanto não há previsão de quando o Fit híbrido será colocado à venda.

Por Maximiliano da Rosa


A China anunciou um plano para subsidiar a compra de carros elétricos e híbridos em seu território. Inicialmente cinco cidades serão beneficiadas, e contarão com a ajuda do governo para que seus cidadãos possam adquirir veículos equipados com essas recentes tecnologias, muito menos poluentes.

No entanto, não se espera grandes avanços a curto prazo. O problema está no preço das baterias, e na dificuldade para reabastecer os carros. Por isso, não há expectativas que ocorra uma explosão de vendas naquele país, como ocorreu no ano passado com os carros convencionais quando as vendas cresceram quase 50% devido à incentivos do governo.

Mesmo assim, a inciativa é boa. E deve servir de exemplo para países como o Brasil. Por aqui, há esperança que algo seja anunciado a respeito ainda em Junho, já que o governo cancelou o anúncio que faria para incentivar o setor em Maio.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Carro Online





CONTINUE NAVEGANDO: