Dicas de manutenção do ar-condicionado automotivo. Saiba o que verificar e o que deve ser trocado com frequência.

O Verão ainda nem chegou e os termômetros já têm registrado um considerável aumento das temperaturas em diversas regiões do país. Ao que tudo indica o calor 2018-2019 deve ser rigoroso com sensações térmicas altíssimas. É claro que essa estação é muito propícia para ir à praia, realizar viagens ou simplesmente passar o dia na piscina, mas nem todos podem passar o verão assim. Na realidade as pessoas precisam encarar o calorzão todos os dias, no trabalho ou até mesmo no carro, uma vez que se passa muito tempo no trânsito, onde a sensação térmica é ainda mais alta. Mas o que ocorrer é que muitas pessoas que possuem ar-condicionado em seus carros não estão com o aparelho em dia.

Dessa forma, se você possui ar-condicionado automotivo, continue lendo este artigo e saiba como deixar seu aparelho pronto para te ajudar a enfrentar o verão que está por vir.

Como todo aparelho, o ar-condicionado do carro para funcionar perfeitamente também precisa de cuidados. Esses cuidados relacionam-se à manutenção das suas peças. Veja na sequência do texto.

Filtro de ar do motor: é uma peça importante para que o aparelho funcione bem. Sua função é mandar o ar que surge na combustão para dentro do carro e também para o sistema responsável pelo desembaçamento de vidros. Dessa forma, a troca deste filtro deve ser feita de forma regular. Para fazer a troca basta acessar a tampa do motor que se localiza perto da grade da frente, próximo ao radiador.

Filtro de cabine: somente os carros equipados com ar-condicionado de fábrica possuem este filtro. É ele que garante a qualidade do ar que é solto no carro e também é esse filtro que limpa o ar para que ocorra a recirculação no ambiente interno do veículo. Promover a manutenção deste aparelho é importante, por isso a sua verificação deve ser feita sempre que o aparelho for higienizado, tendo que ser substituído sempre que o filtro apresentar muitas partículas e sujeira.

Filtro Pólen: Este filtro é o mais importante, pois ele é do sistema do ar-condicionado. Ele se torna responsável por realizar a limpeza do ar que passa no sistema de refrigeração, sempre vindo de fora para ser injetado em seu habitáculo. Caso esse filtro esteja obstruído, o sistema todo fica com sua eficiência comprometida. Dessa forma, para manter o aparelho funcionando a manutenção deste filtro é imprescindível. Contudo, vale ressaltar que este filtro não pode ser limpo uma vez que ele é fabricado em material papel ou celulose e deve ser assim substituído por outro.

Cilindro de gás: é mais uma peça a ser considerada na hora da limpeza do aparelho. O gás deve ser substituído ou complementado, porque de acordo com o tempo de uso esse gás acaba se perdendo e o sistema de refrigeração fica com sua eficiência comprometida.

Para realizar esta manutenção o proprietário não vai gastar muito. Essa perda de gás pode ser sentida, basta ligar o aparelho no máximo e se ele não gelar e ainda fazer um barulho de vento forte é que está faltando gás. Para colocar mais é preciso serviço profissional.

O proprietário de um carro com ar-condicionado para que este funcione bem precisa fazer essa manutenção a cada seis meses. A manutenção é uma forma de prevenção de problemas e não um conserto. Por isso, mantenha seu aparelho sempre higienizado, pois assim você e os demais ocupantes do veículo não vão sofrer com as altas temperaturas e, além disso, não será necessário gastar muito para consertar o aparelho. Além disso, a manutenção do ar-condicionado automotivo deve ser feita de forma regular, não somente para aliviar a sensação de calor, mas também para não prejudicar a saúde de quem respira o seu ar.

Por Ana Paula

Ar-condicionado de carros


Confira aqui algumas dicas e aprenda a dirigir carros com câmbio automático.

A vida moderna possui uma série de facilidades que auxiliam o dia a dia. Uma dessas facilidades está nas funções dos automóveis. Seja um convencional, um CVT ou mesmo de dupla embreagem. O consumidor brasileiro, fato, prefere cada vez mais o câmbio automático na hora de adquirir um carro novo.

Entretanto, não basta desejar pelo conforto que proporciona, é preciso adaptar-se. Nós preparamos aqui algumas dicas sobre como dirigir um carro automático. É muito importante o consumidor familiarizar-se às posições do câmbio. Qualquer veículo possuirá marchas com as seguintes posições:

P, ou a posição de veículo parado, câmbio travado e impedido de movimentação;

N, ou Neutro. Tanto automático como manual, esta é a posição em que o veículo está “solto”, por assim dizer, nenhuma marcha está engatada;

R, ou Engata na marcha ré. Esta é apenas para ser utilizada em manobras;

D, ou “Drive”, literalmente “Dirigir” em língua portuguesa. É a posição na qual o câmbio trabalha, fazendo o veículo andar e que, num automático, realiza as trocas de marcha por si.

Um dos primeiros cuidados a serem tomados ao sair de um veículo manual para um automático está no costume de utilizar o pé esquerdo, devido à presença da embreagem. No automático isso pode gerar freadas bruscas. No carro automático nada de utilizar a perna esquerda, somente a direita no acelerador e freio.

Todo cuidado é pouco. Muita atenção ao chamado acontecimento “creeping”. Na posição D o motorista apenas suspende o pé do acelerador e o carro anda lentamente, por si, mesmo sem acelerar. Muita atenção a isso, no sentido de evitar qualquer pequeno acidente.

Muita atenção no P. A tendência geral é de os condutores esquecerem-se do acionar o freio de mão, já que o P trava o câmbio e o carro não se movimenta. Por ser uma trava mecânica ela não funciona, especificamente, para segurar todo o peso do carro. Portanto, sempre utilizar o freio de mão. Em posição íngreme, numa ladeira, é necessário puxar o freio de mão, acionar o câmbio em N, soltar o pedal do freio e aguardar o veículo parar por completo, por meio do freio de mão; em seguida, acionar o câmbio em P.

No meio do trânsito intenso ou mesmo parado diante de semáforos, muitos condutores acionam o câmbio em N. Embora não seja prejudicial, também não influi positivamente. O câmbio automático foi elaborado no sentido de manter o veículo parado em D.

Nada de engatar Ré ou P em movimento. Mesmo no câmbio automático o risco é forçar e até danificar a função que produz o “meio de campo” entre o motor e o câmbio. No P é a mesma situação, pois funciona como uma típica trava mecânica de câmbio.

Nada de acelerar sem colocar em D. A tendência geral é de cambiar para N, acelerar e em seguida mudar para D. Essa atitude produz os “trancos” e força o dispositivo, podendo até danificar o conversor de torque.

Existe a opção de utilizar no modo manual. Câmbios automáticos permitem uma seleção manual de marchas, e esta opção se dá no momento de trocar de marcha. Esse toque manual é importante, sobretudo em ultrapassagens e situações similares, onde o automático é insuficiente. Acionar o botão ou borboleta.

Em algumas situações em que o modo manual não obedece na troca de marcha, o motorista deve verificar a sinalização no painel. A transmissão produz essa situação no sentido de se proteger e de proteger o motor em caso de redução de rotação acima do permitido ou câmbio de marcha para cima e abaixo da rotação mínima permitida na operação do motor.

Grande parte dos câmbios possui o botão de trava. Sua função é evitar que as marchas sejam engatadas estando o automóvel desligado, ou mesmo o acionamento acidental da transmissão estando o veículo ligado. Isso prejudica a sua estrutura.

Outras posições são: D3, 2, 1, L, S. Estas outras opções, sinalizadas próximo da alavanca, indicam a alternativa de limitar o câmbio até àquela marcha determinada. No caso de câmbios tipo CVT ou nas transmissões automáticas desprovidas do modo manual, se verifica a presença das posições L ou S. L significa “low”, ou seja, proporciona força, quando o carro está muito carregado. S significa modo esportivo, proporcionando melhor desempenho. Entretanto, ambas as funções obtém mais freio motor em longas descidas.

Paulo Henrique dos Santos


Confira algumas dicas de como valorizar seu carro usado no momento da venda.

Nesta matéria você receberá dicas de como valorizar seu automóvel usado. Dicas e como executá-las.

1. Cuidar bem do automóvel

  • Para este tópico, é necessário que você seja uma pessoa cuidadosa com o que é seu, isso resultará em uma boa valorização para o próximo comprador, consequentemente, maior lucro para quem vende.
  • Você pode ter esse cuidado, deixando o carro em lugares protegidos, ou seja, que não fique exposto ao sol ou chuva, pois isso pode causar um grande dano.
  • Apesar do lado de fora do carro, recomenda-se o cuidado interno, pois para a avaliação o comprador checará todo o veículo.

2. Partes customizadas podem ser removidas

  • A customização do carro, normalmente feita pelo vendedor deve ser evitada, pois as customizações vêm do gosto de cada um, sendo assim, o comprador pode não gostar do que foi customizado, perdendo valor de venda.

3. Limpeza

  • É interessante que o interior do carro seja mantido sempre limpo, pois isso da uma noção de que o dono é cuidadoso e sempre procurou deixar o veículo de forma agradável, sendo assim o comprador pode dar um grande valor pelo cuidado mantido.
  • Caso a limpeza não esteja bem feita, quem for comprar pode olhar de maneira que não foi tido o cuidado, com o olhar de desvalorização.

4. Mexer em pequenos detalhes deve ser evitado

  • Às vezes alguns detalhes de pintura, por exemplo, podem parecer expostos, porém é bom que se evite consertar pequenas coisas, pois isso mostrará a diferença entre o original e o detalhe de "conserto" feito posteriormente, o comprador pode imaginar que isso seja uma maneira de você "esconder" algo que ele não pudesse ver, e querendo ou não entra no tópico de manter a originalidade.

5. Peças e equipamentos originais

  • Manter peças e equipamentos originais aumenta bastante as chances de uma boa avaliação do seu usado, porém isso é independente da área, tudo que for mantido com equipamentos originais tendem a manter-se com o mesmo valor.
  • A garantia de peças originais é que o funcionamento será de boa qualidade sempre, e as peças poderão dar menos manutenção por não serem paralelas.

6. Chave reserva e manual são garantia

  • A chave reserva é uma das garantias também que se encaixa no tópico de cuidado e valorização, e a garantia também para o comprador que todas as chaves do carro estarão em sua posse e de mais ninguém.
  • O manual original do veículo também ajudará, pois o comprador terá onde consultar quando for preciso, e o mantimento do manual poderá ajudá-lo nessa tarefa.

7. Levar o carro para uma manutenção na pré-avaliação

  • Este tópico é de extrema importância, pois para uma venda, o vendedor deve ter noção das condições que se encontram o automóvel, desta forma, terá propriedade para dizer ao comprador essas condições, o que resultará em um interesse maior do comprador que terá conhecimento de como se encontra a compra dele.

8. Documentação do veículo

  • Ter o documento do veículo em mãos valorizará bastante sua venda, a certeza do comprador ao ver o documento e como se encontra o mesmo poderá ser uma grande fortalecida para a venda, por que é nele que estão contidas as informações sobre vencimento, os números importantes e tudo mais.

9. Consulta das lanternas e dos faróis do carro

  • Caso seu carro esteja com tudo em ordem, não se esqueça de dar uma conferida nas lanternas e nos faróis, eles podem estar com poeira por dentro, ou embaçados, é recomendável a desmontagem e limpeza desses locais, por que o carro é formado por todas as partes, então não adiantaria manter todas as outras partes em bom estado e deixar essas de lado.

Por Gustavo Martins dos Santos

Carro usado


O uso do ar-condicionado, aliado a outros fatores, faz com que o carro acabe utilizando mais combustível. Confira as situações e como fazer para utilizar da maneira correta.

No mundo moderno o conforto e a segurança caminham juntos. Nos veículos, por exemplo, uma pessoa tem chance de desfrutar de comodidades como: rádio, TV, dispositivos que ajudam a manter o carro seguro na estrada, luz interna, espaço amplo, motor silencioso e ar condicionado. Entretanto, tudo tem um custo e tudo consome energia, porém, é necessário compreender todo o processo para que os consumidores saibam até onde é possível se utilizar dos recursos oferecidos pela tecnologia sem que isso pese no orçamento.

O tema central neste texto é o uso de ar condicionado nos automóveis e o nível de consumo do mesmo em termos de combustível. Algumas notícias indicam que o dispositivo do ar condicionado pode consumir mais combustível que o normal. Entretanto, outras fontes apontam para o fato de que janelas abertas na estrada, quando se está a mais de 80 km/h, causa grande interferência na estrutura aerodinâmica do veículo, provando, por conseguinte, uma maior resistência e consumo de gasolina. Mas, esta situação é fato consumado ou apenas uma espécie de mito?

Para começar é necessário compreender um pouco sobre a estrutura do carro. Janelas abertas são recomendadas apenas quando não se está em alta velocidade, em uma viagem, por exemplo. Se o veículo estiver em menor velocidade não há grande resistência provocada pela passagem do ar, sendo que, do contrário, um carro em grande velocidade com janelas abertas acaba consumindo mais combustível devido ao impacto do vento no interior, que não permite que o veículo navegue, por assim dizer, no ar, sendo uma situação similar ao do barco na água, se o casco estiver com entradas o barco é tragado pela água. A aerodinâmica precisa adequar-se ao formato convencional, que deslize e flua.

Em realidade, não há evidências exatas do quanto um aparelho de ar condicionado pode contribuir com uma sobrecarga de consumo de combustível. Existem estatísticas que tentam orientar e disciplinar os hábitos dos motoristas, no sentido de controlar o consumo de energia e combustível conforme a escala de velocidade. Portanto, quando está em alta velocidade, é melhor fechar todas as janelas e ligar o dispositivo de ar condicionado. De acordo com pesquisas realizadas pela Society of Automotive Engineers, SAE, dos Estados Unidos, os responsáveis chegaram à conclusão de que até a velocidade de 65 km/h a melhor recomendação é trafegar de janelas abertas, sem risco de consumir mais, podendo refrescar o interior. Do contrário, é melhor fechar as janelas e acionar o ar condicionado.

Para desfazer o mito é importante deixar claro que, segundo o mesmo estudo citado, quando em menor velocidade o motor gera menos força, energia, e, neste caso, se o ar condicionado estiver ligado ele irá fazer com que o motor trabalhe mais, para suprir o dispositivo refrigerador, gerando muito mais eletricidade para o mesmo dispositivo funcionar efetivamente.

Portanto, não se trata de um mito, mas sim de que, em determinadas situações, fácies de serem previstas, é fato que o motor será forçado a produzir mais energia, sendo, por conseguinte, estimulado a consumir muito mais combustível para exercer a sua função.

Assim, é importante estar atento às diversas indicações que existem nos sites em internet, e pesquisar pelas informações mais consistentes, ou seja, aquelas que recomendam aos usuários testarem o consumo de combustível nas situações, e também, aquelas informações que estão em perfeita compatibilidade entre si, em termos de dados estatísticos e referências.

São dicas mais simples, porém, vale a pena conferir, pois o consumo excessivo de energia prejudica tanto o carro quanto o bolso. Não custa nada dar atenção às orientações que podem ser úteis.

Por Paulo Henrique dos Santos

Ar-condicionado


Dicas para cuidar e manter os bancos de couro do carro bem tratados e sem rachaduras.

Ninguém que compra um carro com bancos de couro quer que os mesmos rachem ou rasguem, mas para mantê-los conservados é necessário tomar alguns cuidados especiais.

Itens de couro são tão frágeis como a nossa pele, e por isso devem se manter hidratados para que não ressequem.

Confira algumas dicas que separamos para você cuidar dos bancos do seu automóvel de um jeito eficiente:

Bancos de couro

Os bancos de couro são considerados itens de luxo e elegância, mas não é fácil manter esse tipo de revestimento com aspecto novo e livre de rachaduras, para deixar os bancos de couro sempre com um belo aspecto é claro que será necessário tomar alguns cuidados básicos. Pessoas especializadas neste tipo de artigo recomendam hidratar os bancos de acordo com a temperatura da região que se encontra o carro, os prazos para hidratar o couro dos bancos é de dois a seis meses. O processo de cuidado para revestimento de couro sintético é o mesmo.

Segundo grandes especialistas no assunto, a vida útil de um banco revestido de couro, sendo ele sintético ou não, é cerca de até cinco anos. Sendo que para durar este tempo é necessário que o dono do veículo mantenha a hidratação dos bancos em dia, o prazo para fazer a aplicação de produtos hidratantes nos bancos de couro varia de acordo com a região em que o carro se encontra justamente por causa da temperatura e umidade do ar.

Na região Norte e Nordeste a hidratação é necessária a cada dois meses, no máximo, o fator que deixa a hidratação mais necessária é o ar condicionado do automóvel. Já na região Sudeste, a hidratação deverá acontecer a cada três ou quatro meses, também por ser uma região quente e o uso do ar condicionado é bastante comum. E, no Sul do país, por ser uma região um pouco mais fria, pode ser feita em seis meses.

Limpeza

Para a limpeza, a tonalidade do couro é também um fator crucial para determinar prazos. Os revestimentos que possuem cores claras precisam ser limpados com mais frequência, sendo que a cada duas semanas é o tempo ideal para limpar os bancos e revestimentos.

Cuidado com chaves, canetas e objetos esquecidos dentro do carro e em cima dos bancos, eles podem sujar ou danificar essa parte tão importante do seu carro.

Caso os bancos estejam com manchas, é recomendado procurar um profissional especializado em bancos e revestimentos de couro. Caso as superfícies não apresentarem manchas, o dono do veículo pode executar a limpeza, usando um pano de algodão branco e úmido, com algumas gotas de detergente neutro. Para secar os bancos após a limpeza, pode-se contar com a ajuda de flanelas secas e limpas.

Hidratação

A parte mais importante para manter o banco de couro com aspecto de novo, é a hidratação. Especialistas dizem que hidratantes refinados são os melhores para manter os bancos hidratados, pois esse tipo de produto tem maior poder de absorção. Após a aplicação do hidratante, é necessário retirar o excesso. Espera-se 40 minutos depois de aplicar o produto nos bancos. Caso você use um hidratante líquido, você pode aplicá-lo no final da tarde e deixar até a manhã do dia seguinte, assim os bancos ficarão com uma textura mais aveludada.

O que não pode acontecer é aplicar hidratantes sem antes limpar os bancos.

Você mesmo pode fazer a limpeza e hidratação nos bancos do seu carro, vai ver que desse jeito a vida útil desses artigos tão importantes dentro do veículo.

Por David Ferreira

Banco de couro


Saiba aqui o que fazer e que cuidados tomar com o para-brisa trincado.

Em geral, todo veículo que circula pelas estradas precisa estar em ordem total, ou seja, com todas as funções plenamente ajustadas e estrutura física intacta. Todo detalhe pode ser alvo de punições. Uma rachadura no para-brisa, de tamanho razoável, significa muito gasto e pode ser enquadrado em infração, já que a lei não permite aos motoristas dirijam com o vidro frontal danificado, que pode prejudicar a vista e a atenção de quem dirige. Situações dessa natureza podem fazer incorrer em multa no valor de 195,23 reais, contando com mais cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação e chegando até à apreensão do carro. Entretanto, todo esse procedimento que pesa rigorosamente sobre os motoristas é uma questão de segurança.

Existem meios de remediar a situação, conforme segue: os carros possuem tipos especiais de vidros, chamados automotivos, cuja função principal é proteger os ocupantes em caso de acidentes que envolvem colisão frontal, já que são feitos para segurar determinados tipos de pressão causados pelos disparos acidentais dos Air Bags, além de formarem uma verdadeira barreira de proteção. Entre outras funções, o para-brisa é fundamental para manter firme e estável o teto do carro, tal como se verifica quando um carro capota. Para que a visibilidade não seja prejudicada, o para-brisa necessita de constante manutenção, de limpeza, e, sobretudo, em caso de danos, como rachaduras, de conserto o mais brevemente possível, sendo que o vidro frontal é uma das peças, por excelência, de maior segurança no trânsito.

O trabalho de reparação de danos no vidro, em geral, é realizado pelos métodos mais seguros, além de consistirem em procedimentos ecologicamente corretos. Nesse sentido, o melhor conselho é que os consumidores façam buscas e pesquisas pelas melhores empresas especializadas nesse ramo. Empresas que dispõem de excelente mão de obra, com colaboradores altamente capacitados, especialistas na lida com os equipamentos certos para esse trabalho, que conseguem, por meio de métodos rigorosamente estabelecidos, reestruturar a capacidade de resistência original do vidro, operando em acordo com as diretrizes da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. Esses serviços são acessíveis a toda a população.

Em grande parte das situações os reparos são meios mais baratos, práticos e ligeiros em relação a uma substituição total da peça. Consertos, em geral, estão em torno do valor de 100 reais ou a partir desse valor, conforme a gravidade do prejuízo, sendo que o serviço é sempre muito eficiente, abrangendo um tempo de 30 a 40 minutos para conclusão. Hoje, os preços de um vidro novo de tipo automotivo, que inclui muita tecnologia de ponta em sua composição, estão entre os seguintes valores: de 240 reais a 15 mil reais, conforme a marca do automóvel em que for instalado.

Para iniciar o processo de conserto, toda a área que sofreu dano é rigorosamente higienizada, como recurso preventivo, no sentido de garantir que a resina injetada nas rachaduras façam com que o conserto seja bem sucedido, mantendo uma excelente aderência, de modo preciso, sobre a superfície na qual se trabalha. O passo seguinte se dá pela utilização de um tipo de bomba, que produz vácuo, que atua em cima da área rachada, removendo por completo todo o ar, para ser possível aplicar com segurança a resina, evitando estragos, desperdícios ou mesmo um visual ruim. A terceira parte do processo de conserto está na exposição do material aos raios ultravioleta, que são de grande vantagem para o tempo de secagem do material. Por fim, o excesso de resíduos que permanecem no local será eliminado, para que toda essa área tratada seja devidamente polida, no sentido de manter um perfeito acabamento para a reparação. Se efetuado dessa maneira, o trabalho de conserto deixa o vidro em estado de novo. O que geralmente não se aconselha nos consertos são os reparos efetuados no ponto de visão do motorista e também nas extremidades da peça de vidro, que ficam ocultas sob a tarja preta de borracha, emoldurando o para-brisa, já que estas partes se constituem em áreas de muita pressão de torção, causadas pelo movimento dos carros, quando esses trafegam sobre ruas irregulares. São dicas práticas e importantes para a segurança.

Paulo Henrique dos Santos


Confira aqui algumas dicas para você economizar combustível quando estiver dirigindo.

Que o combustível está caro, todo mundo já sabe. Com o novo reajuste nos preços, houve o aumento de mais de 6x no valor quando comparado à reajustes anteriores. O ponto aqui é: o que está em nossas mãos fazer sobre isso, já que aparentemente reclamar dos preços alto não resolverá? A resposta é simples: aprender a usar seu automóvel de forma a consumir menos combustível, consequentemente, diminuindo o custo que você tem com esse produto.

O aumento da gasolina marca 41 centavos por litro, enquanto o diesel sobe 21 centavos e o etanol 20 centavos. Sendo assim, é importante que você adote bons hábitos de consumo. É possível calcular o consumo que seu veículo faz do combustível, além de conhecer a diferenças entre gasolinas. Veja alguns pontos a serem observados na forma de conduzir para diminuir o consumo de combustível.

Aceleração

Acelerar modifica muito a média de consumo de combustível, pois gastam mais combustível. Portanto, evite acelerar brusca ou desnecessariamente.

Feche os Vidros

Principalmente quando se está acima dos 80, andar com o vidro abaixado modifica a aerodinâmica do carro.

Limpe o porta-malas

O carro vai consumir mais à medida que estiver mais pesado.

Pise leve e troque marchas suave

Andar em baixa velocidade em marcha alta, aumenta o gasto do combustível. Por outro lado, andar a 100 km/h usa cerca de 20% mais combustível do que andar em 80 km/h, por exemplo.

Calibre os pneus e alinhe as rodas

De 15 em 15 dias, você deve calibrar para otimizar o consumo de combustível. Já o alinhamento das rodas faz com que elas girem e não se arrastem.

Nada de ponto morto em descidas

Esse costume é ultrapassado. A melhor opção, inclusive para beber menos, é engrenar o carro nas descidas.

Troque as velas

As velas interferem na queima do combustível. Se ela funciona mal, o processo será ruim.

Vá com calma

Já falamos sobre aceleração, mas zigue-zagues também devem ser evitados, além de haver a diminuição da velocidade no caso da proximidade à faróis vermelhos. Nada de movimentos bruscos.

Carolina B.


Calibragem correta dos pneus podem reduzir consumo de combustível do veículo.

Se está gastando combustível além do esperado, saiba que a causa pode ser a falta de calibragem dos pneus. Calibrar os pneus com a pressão certa pode garantir economia e segurança.

Revisar o carro periodicamente pode evitar prejuízos, principalmente os pneus, calibrar os pneus corretamente é fundamental para ter um carro estável. A calibragem sendo feita corretamente pode fazer com que se gaste menos combustível, prolongar a vida útil dos pneus, aumentando sua resistência em até 25%.

Segundo a fabricante de pneus Continental, considerada a maior fabricante de pneus da Alemanha, se o motorista rodar 30 mil km ao ano com os pneus com a pressão abaixo do que recomenda o manual, o desperdício de combustível pode chegar há 55 litros, transformando em reais o condutor poderá estar jogando mais de R$600,00 reais de combustível no ralo.

Esse consumo além do previsto de combustível, por falta de calibragem nos pneus, acontece pelo fato de que com os pneus mais murchos, a área de contado com a banda de rodagem aumenta e melhora o contado com o solo, já que com isso o contato com o piso fica mais direto, ampliando a resistência ao rolamento, o que faz com que seja necessária mais força para fazer o veículo rodar, por consequência o consumo aumenta. A falta de calibragem pode desgastar os pneus, principalmente na parte onde denominamos “ombros”, que fica na área de extremidade da banda de rodagem, o fato de estar desgastado pode causar até acidentes, pois os riscos de aquaplanagem aumentam.

Normalmente quando levamos o automóvel a um posto de gasolina ou uma oficina, os profissionais perguntam qual será o valor da libra para calibrar, sendo ela de 28 ou 30 libras. Porém, a questão da regulagem pode variar dependendo de cada automóvel. O recomendado é que o proprietário leia o valor recomendado no manual de instruções que vem junto com o veículo. No manual contém informações que indica a regulagem de pressão para os pneus, informando qual o valor necessário para cada pneu, pois cada pneu tem necessidades diferentes dependendo do aro que contém.

Para saber quando os pneus estão precisando urgente de calibragem é necessário verificar o aspecto deles, que normalmente ficam com aparência de murcho, porém, não é uma regra, sendo que eles podem estar em perfeito estado e estar necessitando de calibragem. Especialistas recomendam que o motorista realize o enchimento dos pneus toda a semana, caso não seja possível que faça a cada 15 dias, se possível os pneus deveram estar frios ou com poucos quilômetros rodados até o local do procedimento.

Caso você já tenha se deparado com a pergunta se gostaria de calibrar os pneus com ar nitrogênio ou ar comprimido, e não soube responder, saiba qual é a diferença entre eles. O ar nitrogênio tem como objetivo manter os pneus constantes por mais tempo, o pneus sofre menos desgaste, normalmente é usado em veículos de corridas, pois melhora a performance e o desempenho do automóvel. O ar comprimido é o mais encontrado nos postos de gasolina, a duração deles nos pneus é menor, sendo necessário revisar com mais frequência. Os dois ares não podem ser misturados, caso os pneus estejam com o ar comprimido e o motorista queira usar o ar nitrogênio, recomenda-se esvaziar totalmente os pneus.

Gisele Alves de Brito


Saiba aqui como proceder para trocar sua multa de trânsito por advertência.

Atualmente, as regras acerca do trânsito estão rígidas, os radares, a fiscalização mais incisivas e o valor das multas mais altas, é preciso tomar muito cuidado e ter muita cautela na direção ou as chances de ser multado são altíssimas.

Em algumas ocasiões, infelizmente, até quem é totalmente prudente a condução de seu veículo, termina sendo multado, graças à algum erro no registro da infração. Existem também ocasiões nas quais a penalidade aplicada pode ser perdoada. Saiba como recorrer.

A possibilidade de anulação da multa é prevista por Lei, portanto, qualquer cidadão é autorizado a tomar essa atitude, sem necessidade de contratar um despachante ou advogado. Indicação errada de rua, data, horário, veículo ou expedição da multa 30 dias depois da ocasião, são casos em que a chance de sucesso no recurso são reais. Casos em que circunstâncias justificadoras são apresentadas, como por exemplo, justificar o excesso de velocidade ou parada em local proibida, por um caso de emergência.

Existem ainda uma possibilidade de ter a multa perdoada. Trata-se do caso de condutores que não tenham ocorrências similares no período de 12 meses, sendo infração média ou leve. O condutor nessas condições pode, se for o caso, solicitar ao órgão de trânsito a substituição da multa por uma advertência. Essa advertência por escrito, substitui a multa, prevendo a possibilidade de não pagamento da mesma. Assim, o condutor fica livre da despesa e também dos pontos na carteira nacional de habilitação. Vale lembrar que esse pedido está sujeito à aprovação e deve ser feito dentro dos prazos estabelecidos.

Para recorrer a multa, você deve portar todos os documentos necessários (requerimento de defesa, documentos que atestem a defesa, CNH, RG do CRVL e da multa). Isso deve acontecer dentro do prazo de 30 dias ou o pedido pode ser invalidado. O condutor deve visar a prova de que a penalidade não tem procedência, portanto, quanto mais provas de que o veículo não podia ser multado nas condições em que se encontrava no registro, melhor será para o cidadão que deseja recorrer.

Carolina B.


Muitos automóveis somente alcançaram a fama quando foram divulgados em algum filme. Mais ainda, existem automóveis especialmente desenhados para estrelar em algum filme.

Quando se pensa em carros no cinema é inevitável vir a mente filmes como os da série Velozes e Furiosos, onde os reais protagonistas são, de fato, os carros; ou ainda filmes da série 007, onde o espião inglês sempre conta com um veículo totalmente equipado para suas missões.

A seguir, listaremos alguns filmes disponíveis no Netflix que contam com belos carros, para que você possa aproveitar suas férias do seu sofá, ouvindo o ronco dos motores e curtindo a velocidade.

1-      À prova de morte

Quentin Tarantino é o cara! O homem é conhecido por ser responsável pela criação de vários filmes Grindhouse, que nada mais são do que filmes com violência exagerada, sangue espirrando, apelo para o sexo, entre outras belezas que os marmanjos curtem.

Essa obra em especial foi produzida em 2007 e fez parte do “Projeto Grindhouse” do autor em parceria com Robert Rodriguez. O filme conta a história de um dublê psicopata com seu Dodge Charger 69 acompanhado na sua aventura louca por várias stripers. É ou não é uma obra de arte?

2-      Taxi Driver

Esse filme é um clássico do cinema e conta com grandes nomes da arte. O filme é protagonizado por ninguém menos que Robert de Niro e Jodie Foster e é dirigido pela lenda do cinema Martin Scorcese.

O filme conta a história de um ex-soldado que se torna motorista de táxi em Nova York e se torna obcecado pela desmoralização e violência que assolam o submundo da cidade. Vale muito a pena assistir.

3-      Nitro Circus: The movie

O filme é um documentário na linha: “as imagens exibidas nesse filme foram realizadas por profissionais e supervisionadas por profissionais, portanto não tente fazer isso em casa”.

Nada mais é do que uma série de performances perigosas realizadas por dublês e profissionais do automobilismo e motociclismo, com direito a batidas, capotagens em alta velocidade e saltos.

Por Nosf

Foto: divulgação


Dirigir bem no trânsito é mais do que uma obrigação de todo cidadão, um dever. Mesmo com tantas leis vigoradas em nosso país, as pessoas ainda não tomam consciência de suas ações no trânsito, para saberem que pode custar não somente sua vida, mas as vidas de outras pessoas também.

Para dirigir bem no trânsito, independente do tipo de veículo, é necessário:

1. Respeitar pedrestes

A primeira coisa que aprendemos nos Centros de Formação de Condutores (CFC), é que devemos dar prioridade para os pedestres. Isso quer dizer que sempre que quando virmos um pedestre atravessar na faixa, por exemplo, ele terá que ter prioridade e ser respeitado, independente do sinal nessa hora.

Caso contrário, o motorista correrá o risco de perder pontos em sua carteira ou até de perdê-la, se for o caso. Essa é uma das principais medidas tomadas para prevenir acidentes de trânsito com pedrestes, o qual antes tinha um índice muito alto. 

2. Respeite as sinalizações

Outro ponto muito importante é respeitar as sinalizações de trânsito, pois são elas que ditam corretamente como devemos agir nas ruas e nas estradas.

Sem elas, o trânsito seria completamente turbulento – no sentido amplo da palavra – e não teríamos nenhum tipo de segurança, além de não sermos informados corretamente qual direção seguir em um determinado rumo.

Por isso, devemos prezar por um respeito pelas placas de sinalização e também pelos semáforos, que nos diz como e quando devemos prosseguir.

Enfim, no geral, devemos sempre lembrar de seguir corretamente todas as regras de condução nas ruas, pois, desta forma, também estamos agindo corretamente conforme as leis de trânsito.

Caso essas leis não forem cumpridas devidamente, o motorista terá que enfrentar sérias consequências, as quais envolvem punições severas, que são desde multas, pontos na carteira e até a perda da própria carteira de motorista.

Por Daniela Almeida da Silva

Foto: divulgação


Hoje em dia os carros compactos fazem muito sucesso, pois grande parte das pessoas moram sozinhas, ou simplesmente formam pequenas famílias, com o casal e um filho. Daí o sucesso dos compactos.

Mas e as tradicionais famílias numerosas, onde o casal tem dois ou três filhos, além da sogra, que sempre gosta de passear junto? Deve-se comprar um ônibus ou uma Kombi?

Não, o mercado oferece muitas opções de veículos confortáveis com muito espaço para a família e a bagagem. Um desses veículos é o Nissan Livina, que é um dos mais baratos do segmento e que oferece um dos melhores custo/benefício.

Foto: divulgação

É confortável, possui ar-condicionado e trio elétrico, custa a partir de R$ 44.000,00 além de direção elétrica. O motor é biocombustível, o motor é 1.6, com tanque para 50 litros de combustível. Além do porta-malas de 449 litros.

Outro carro no mesmo segmento é o Palio Weekend, que é referência em robustez e economia. O motor 1.4 é de ótimo desempenho e com economia de combustível. Versões a partir de R$ 45.000,00, já vem com ar-condicionado, trio elétrico e direção hidráulica. O porta-malas de 460 litros comporta bem toda bagagem da família.

O Volkswagen Space Fox é outro imponente carro da categoria “espaçosos”. O motor 1.6 biocombustível oferece 106 cavalos de potência. O preço inicial é um pouco mais alto que seus concorrentes, a partir de R$ 48.000,00, mas que também vem com todos itens de série, como ar-condicionado, direção hidráulica e trio elétrico. O porta malas é um pouco menor, com apenas 430 litros, uma desvantagem para quem está procurando espaço.

Foto: divulgação

O fato é que todos veículos apresentados acima são confortáveis e atendem a expectativa de amplo espaço interno e de porta malas. Existem também outros veículos disponíveis no mercado que podem despontar como opções, como o Chevrolet Spin e o Renault Scenic, que podem surpreender em avaliações comparativas com as veículos acima.

Iremos avaliar mais opções destes veículos que vem ganhando cada vez mais espaço.

Por Luciana Viturino


Quem nunca pensou em realizar o sonho do primeiro automóvel? Em parar de andar de ônibus, de gastar dinheiro com táxis, metrô, ter um pouco mais de comodidade e praticidade?!

Isso é possível! Não importa quanto você ganhe e sim, quanto você poupa.

Um dos sonhos de muito dos brasileiros, que vivem em situação financeira de economia constante, em um país onde tudo é extremamente inflacionado e que tem que viver da forma que se pode, é adquirir um meio de locomoção com conforto, seja para transportar a família, ir ao trabalho, viajar, passear com os amigos ou até mesmo por necessidade, quando o trabalho exigir. Então, é possível comprar um veículo ganhando razoavelmente?

Eu te repondo:

– É claro que sim!

Primeiro colocaremos duas situações, e acredito que você poderá se encaixar em uma delas.

A primeira situação é: você fez um planejamento financeiro durante um tempo, tem uma quantia em dinheiro, tem ganhos mensais razoáveis e consegue arcar com uma prestação de um veículo novo!

A) Vantagens:

– Não precisará se preocupar pelos próximos 3 anos com a garantia do carro (tempo que geralmente as concessionárias oferecem como garantia a veículos novos);

– Descontos para pessoas portadoras de necessidades, idosos, entre outros;

– Brindes adicionais para seu veículo na hora da negociação, entre outras vantagens.

B) Desvantagens:

– Desvalorização. Quando se compra um veículo novo, só o fato de você retirá-lo da concessionária você já perde dinheiro;

– Gastos com seguro, dificilmente você compra um carro zero e deixa de assegurá-lo;

– Caso não seja segurado e ocorra alguma colisão, o gasto é bem maior para o conserto.

A segunda situação é: você não tem nenhum dinheiro, mas precisa muito comprar seu meio de locomoção! Pode optar pelo seminovo, que também é uma excelente opção.

A) Vantagens:

– Você compra um carro mais completo, com mais adicionais por um preço mais acessível do que um novo e básico na concessionária;

– Menor depreciação na hora da revenda;

– Custos mais acessíveis quanto à reposição de peças, entre outros.

B) Desvantagens:

– Risco de ter que gastar com peças de reposição, afinal seminovo não é novo;

– Não ter garantia alguma sobre o veículo (algumas garagens oferecem garantia de 6 meses);

– Incerteza quanto a real procedência do veículo, entre outras.

Como poupar dinheiro?

Estabeleça uma quantia “x” dos seus ganhos para retirada, como se fosse uma dívida que tenha com algo ou alguém. Guarde esse dinheiro em uma conta poupança, caso fique com receio de fazer retirada, peça para alguém de confiança guardar para você.

Especialistas dizem que a quantidade correta de guardar por mês, é equivalente a 10% de seus ganhos, por isso, economize, evite fazer contas mensais que ultrapassem seu limite de entrada, faça orçamentos para que você fique sempre dentro de seu orçamento.

Bom, como tudo tem suas vantagens e desvantagens, ficam essas dicas e esperamos ter ajudado vocês que precisam adquirir seu primeiro veículo.

Por Luciana Viturino

Comprar 1? carro

Foto: Divulgação


Estamos na primavera, em breve começará a época de chuvas. Mesmo em um ano atípico de secas devemos estar preparados para quando as águas caírem. Caso, você motorista passe por situações como alagamentos, que são comuns em alguns grandes centros, devido à falta de escoamento pluvial, saiba o que fazer. O primeiro passo é fazer uma grande limpeza depois de ter o carro invadido pela água.

De acordo com o empresário Marcos Canedo, proprietário da Carwash Service, algumas dicas que podem ajudar no momento de fazer uma limpeza geral são bem simples, mas precisam ser realizadas imediatamente após o acontecimento inesperado para garantir que a reforma seja eficiente e possível.

Pode parecer exagero, mas quando o carro passa por um alagamento é necessário desmontar toda a parte interna do veículo, até mesmo os bancos, para evitar que partes estofadas apodreçam e deixem um péssimo cheiro no interior do veículo. Não se esqueça dos carpetes e use sempre um antibactericida, contra mofo e germes.

Já o feltro é necessário ser trocado. Isso mesmo, essa parte está perdida, depois de molhada somente um novo resolve o problema, já que o anterior mesmo após seco perde sua característica e capacidade de absorção.

Após a lavagem, é preciso secar todo o assoalho, coloque um novo feltro, que é encontrado me lojas especializadas, e depois basta remontar o interior do veículo. A fixação correta é de suma importância.

Como podemos perceber, após passar por um alagamento será necessário tempo e dinheiro para manter o carro igualmente limpo e cheiroso. Por isso fique atento, em várias cidades onde o risco de inundação é frequente costumam ter placas de alertas. Observe se há escoamento de água por perto, ou marcas nas paredes próximas, isso pode ser um sinal para trocar de vaga.

Cuidar do seu veículo de forma adequada garante aumento da vida útil, além do conforto e segurança do motorista e dos passageiros.

Por Vivian Schetini

Limpar carro ap?s alagamento

Foto: André Lessa/AE


Os pneus possuem várias marcações nas laterais, uma espécie de identificação de tamanho, largura, diâmetro. Você consegue identificar todos os dizeres? É importante conhecer todos os itens do seu veículo, e os pneus são como os pés. Nos sustentam, e por isso precisam de atenção e cuidado, pois são eles que carregam todo o resto, por mais moderno que seja o corpo, os pneus são fundamentais para segurança e conforto.

Essas especificações, como os números  175, 185 ou 195 são as medidas das larguras. É importante saber exatamente quais são as medidas, pois elas variam de acordo com a marca do carro, modelo, em alguns casos até nas versões. Usar os pneus certos garante a aderência correta, e todo o veículo foi pensando para aquele pneu, logo a segurança também pode ser interferida caso essa marcação seja ignorada.

Geralmente, quanto mais largo mais duro o pneu, e assim maior estabilidade. As medidas são diretamente ligadas às características do modelo. As montadoras escolhem as melhores opções de acordo com o peso do carro, com o conforto e com a dirigibilidade, além do tipo de veículo. Sem esquecer da performance e da estabilidade, que somente são possíveis de acordo com os pneus escolhidos. Outra função da largura do pneu é não perder a tração junto ao solo, dessa forma carros maiores com tração nas quatro rodas, por exemplo, garantem a mesma potência. Mas quanto maior os pneus mais caros também.

A troca é necessária quando os sulcos estiverem gastos, ou por determinação de prazo do fabricante, o que pode ser conferido junto ao manual do proprietário do veículo. Sempre os quatro pneus devem ser bem observados, a marca que devemos ficar atentos ao desgaste é o TWI, um indicador. Quando os sulcos de uma das partes, qualquer parte, fica próxima ao TWI é sinal de alerta, hora do pneu ser substituído.

Por Vivian Schetini

Pneus de carros

Foto: Divulgação


Uma grande dúvida de muitos motoristas em relação ao combustível é com qual abastecer. Alguns alternam entre as opções oferecidas pelo mercado, outros não. Mas então, qual é o melhor jeito de deixar seu veículo protegido?

Especialistas da área afirmam que se a opção for a gasolina aditivada, o ideal é permanecer abastecendo com ela.

Tradicionalmente é recomendado o uso do combustível aditivado para limpar os bicos da injeção eletrônica do veículo, e só. Mas na realidade o uso contínuo desse tipo de combustível garante que seu veículo estará sempre protegido e manterá os itens do sistema de combustão sempre limpos. Independente se o modelo do automóvel é dos mais novos ou não, com ou sem injeção eletrônica.

Claro, não se esqueça de abastecer em locais confiáveis, independente de ser aditivada ou não, esse detalhe requer atenção para evitar prejuízos futuros.

Mas a gasolina aditivada é mais cara, certo? Depende do ponto de vista, se você, motorista, considerar que está pagando alguns centavos a mais por litro, porém está garantindo um combustível de qualidade que não vai deixar resíduos, o que pode contribuir para a diminuição do fluxo de combustível nos bicos injetores (ou gicleurs, nos carburadores), e assim prejudicar o bom funcionamento do motor, não será mais cara. Será um investimento pela conservação do seu patrimônio.

Sempre que abastecemos com o combustível comum deixamos o motor desprotegido e a sujeira com caminho livre para entrar.

Mas quem nunca usou combustível aditivado, vá com calma, num primeiro momento o ideal é colocar meio a meio, e observar como o carro vai responder. Nas semanas seguintes vá aumentando a porcentagem da aditivada, até que a mesma seja 100%. Dessa forma você garante que toda a sujeira já saiu sem provocar entupimentos.

De acordo com o Coordenador de Combustíveis na Raízen, licenciada da marca Shell no Brasil, Gilberto Pose, esse tempo de transição é de percepção do próprio motorista de acordo com o modo de uso do veículo. Pode levar quantas semanas forem necessárias.

Por Vivian Schetini

Combust?vel

Foto: Divulgação


Cresce o número de brasileiros interessados em comprar um carro novo, porém, é preciso muita cautela nessa hora, do contrário, você terá prejuízo e muita dor de cabeça! Mas ficando atento às 9 dicas abaixo, certamente você conseguirá comprar seu carro zero km, evitando uma série de problemas.

O primeiro passo, é claro, será comparar os preços, mas isto não significa que o mais barato é o mais vantajoso. Analise também à respeito de reposição de peças e até mesmo a garantia.

Outro item muito importante a ser visto é quanto à questão da desvalorização, pois todo carro zero km, após adquirido, sofre uma imediata desvalorização e, com o tempo, se desvaloriza ainda mais, uns mais e outros menos.

Foto: divulgação

Veja no mercado quais são os modelos estão tendo menos desvalorização, assim você poderá evitar perder dinheiro.

O Seguro também é muito importante, afinal, você vai estar andando em um carro novinho e algo inesperado pode acontecer. Não dá para arriscar, é de fundamental importância que você tenha o seguro e isso deve ser visto antes de comprar seu carro zero km.

Veja quais são os modelos que mais lhe interessam e faça uma cotação no mercado do valor do seguro para cada um destes modelos, para ter uma ideia de quanto você terá que gastar.

Verifique com antecedência também a Rede de Oficinas Autorizadas, principalmente na cidade onde você mora, ou onde você costuma ir com mais frequência. Imagine só que o veículo apresente algum problema e você descubra que a oficina autorizada fica a centenas de kilômetros de onde você mora? Então, não arrisque, veja isso com antecedência.

Foto: divulgação

Faça um levantamento também dos equipamentos que o carro zero km que você quer comprar oferece, pois alguns modelos custam menos, mas não oferecem quase nada para o comprador. Em compensação, há modelos que custam um pouco mais, mas contam com vários itens que se você fosse acrescentar posteriormente custaria muito mais caro. Neste caso, vale a pena gastar um pouco mais.

E não compre um carro novo sem antes se informar sobre as peças e manutenção, para ver se, quando precisar de algum conserto, ficará muito caro, assim como deverá levar em conta a questão das revisões e os valores que deverão ser pagos.

Por fim, lembre-se de ler atentamente a Ficha Técnica, para se informar sobre todos os detalhes do veículo, e fique atento à cor, pois alguns veículos têm maior procura no mercado a depender da cor, nesse caso, quando quiser vendê-lo será mais fácil.

Por Russel

Foto: divulgação


Como é de costume, no segundo semestre a maioria das montadoras anunciam seus modelos recentes com novas cores, novos equipamentos e algumas melhorias. Mas a pergunta que se passa na mente de todo consumidor é a seguinte: será que vale a pena comprar um modelo de carro mais antigo ou esperar o zero quilômetro? Isso é o que você irá descobrir neste artigo.

Quando vale a pena adquirir um modelo antigo?

Para adquirir um modelo de antigo é necessário analisar de modo geral a taxa de desvalorização do produto. Se um carro possui desvalorização de 10% no primeiro ano de uso, o desconto concedido na compra do produto deverá ser maior do que essa porcentagem. Dessa forma, o consumidor lucraria com a aquisição. Os modelos que estão prestes a mudar de linha se tornam melhor equipados e mais acessíveis.

Outro ponto importante é ter cuidado com os modelos que devem ser retirados em breve do mercado. A desvalorização desses modelos pode chegar à média de 10% até 15% a mais, e isso gera um grande transtorno para o consumidor que tem em mente vender o veículo dentro de um curto período. Caso o modelo permaneça no mercado, e as mudanças na versão moderna sejam apenas superficiais não existe uma desvalorização intensa.

Caso as vantagens oferecidas pela concessionária forem boas, adquirir um modelo antigo pode ser uma excelente opção. Vale lembrar, que o cliente tem o direito de pedir descontos em acessórios e por melhores condições de pagamento. Analise sempre a taxa de desvalorização do modelo em questão no primeiro ano de uso.

Se o cliente tem em mente trocar o veículo em até seis meses, vale a pena esperar pelo modelo mais recente que muitas vezes são vendidos pelo mesmo preço da versão anterior em seu lançamento. Os modelos vendidos em até seis meses não possuem uma taxa elevada de desvalorização, tudo dependerá da quilometragem do veículo em questão.

Por Wendel George Peripato

Carros usados

Foto: Divulgação


Ultimamente, com o crescente aumento nos preços dos veículos zero quilômetro, o mercado de seminovos tem ganhando espaço no segmento. Em média, no mercado brasileiro, com cerca de R$ 30 mil consegue-se um veículo popular zero km, como um Uno, Pálio, Gol, Corsa Sedan, Renault, etc. Porém, com motores 1.0 ou, no máximo, motores 1.3, com poucos itens de série.

No final de tudo, acaba tendo que complementar a compra, financiando o restante do montante e, consequentemente, elevando seus gastos nos anos seguintes. 

É sabido que, para se adquirir um veículo zero km completo, esse valor final passa da casa dos R$ 40 mil. A vantagem da aquisição é a pouca manutenção que se tem e a confiança que apenas você está utilizando aquele veículo, mas, ainda assim, vale lembrá-lo que o carro novo tem uma queda de preço com o passar dos anos.  

Foto: acritica.com

Por outro lado, se com esses mesmos R$ 30 mil o interessado fizer pesquisas no mercado de usados, verá que existem inúmeras opções de carros com muito mais opcionais, como: motor potente, banco de couro, freio ABS entre outros.

De acordo com informações da Agência Autoinforme, mostra-se que o mercado hoje possui mais de 460 opções de carros seminovos e usados, de todos os anos, marcas e modelos para todos os tipos de públicos.

Na faixa dos R$ 30 mil até os R$ 33 mil pode-se achar modelos como o Fusion, Golf, Passat, Audi A3 e até mesmo uma Zafira ou uma Grand Senic, todos completos e altamente potentes.

Finalizando, fica a dica: antes de bater o martelo na hora de comprar um carro, pesquise e faça o comparativo de mercado, se é vantajoso mesmo investir num carro zero km ou adquirir um seminovo ou usado com muito mais opcionais e livre de financiamentos.

Por Valter de Oliveira

Foto: divulgação


São muitos os carros que tem seus lançamentos aguardados para o segundo semestre desse ano. Aqui vão cinco deles que valem a pena dar uma conferida antes de fechar negócio, se você está querendo comprar um carro 0km, claro.

O novo modelo da Peugeot, o crossover Peugeot 2008 que tem seu lançamento previsto para o final de 2014. O carro, que é um pouco menor do que seus concorrentes (Ford EcoSport e Renault Duster) tem um design bonito (costumeiro da Peugeot) e oferece conforto para seu motorista e passageiros.

O novo Hoda Fit (com um design mais agressivo e renovado) será produzido no país a partir desse semestre. O carro que está mais moderno e com o para-choque dianteiro completamente redesenhado. Vale a pena ser esperado e tem três anos de garantia.

Nova geração do QQ da Chery (que está sendo produzido no interior de São Paulo) tem a intenção de retomar o posto de carro mais barato do Brasil, com o valor previsto para abaixo dos R$ 20.000,00 (para um carro 0km, tá bom, não?). Mesmo tendo um espaço interno reduzido, o carro promete chamar a atenção por conta do suposto valor.

A nova geração do Ford Ka também promete! Perdendo toda aquela cara de carro pequeno, ganhando um espaço interno bem maior que na sua versão anterior e merecendo até uma versão sedan, o carro (na sua versão hatch simples) entra para competir com o novo queridinho da Volkswagen, o Novo Up. Já na versão sedan, o  carro vem para competir com modelos como o Voyage, também da Volkswagen.

Outro carro que também vale a pena esperar, se você gosta de cabine dupla, é a Nova Saveiro da Volks. Para competir com a concorrente Strada, o carro agora acomoda mais pessoas no banco de trás (até 5 pessoas, no total), traz também, itens de segurança e conforto em sua versão top de linha (Cross) e bate de frente com a concorrente para mostrar que está no mercado.

Por Mariana Caetano

Foto: divulgação


Depois de verificado se o pneu está ou não careca e feitas as devidas alterações, um item de manutenção que gera muita dúvida aos motoristas é a calibragem.

Você sabe qual a calibragem ideal para o seu veículo? Cada um deles possui uma calibragem ideal. Quando o pneu é calibrado errado, a pressão prejudica na hora de dirigir e o desgaste irregular acontece. Tenha cuidado também com a sobrecarga que pode ser gerada nos pneus. Ela faz com que a vida útil deles chegue a cair em 40%. Além disso, o volume do combustível gasto aumenta e aumentam os riscos de prejuízos ao restante do veículo. Por isso, sempre observe os limites de cargas do pneu.

Não se esqueça de cuidar do alinhamento e balanceamento do veículo. O carro bem alinhado tem um desgaste homogêneo de pneus e melhora a eficiência de rolamento. O alinhamento correto evita que o veículo desvie ou puxe para os lados. Realize o alinhamento cada vez que você rodar 10 mil km com ele. O balanceamento também é muito importante. Sempre que você perceber que o volante está vibrando ou que o carro está fazendo barulho diferente quando atinge certa velocidade, é hora de checar o balanceamento. Deve ser realizado pelo menos a cada 10 mil km rodados.

Anotou todas as dicas? Por fim, um detalhe que poucas pessoas sabem é que assim como os demais produtos do seu uso diário, os pneus também têm vida útil e prazo de validade. Confira se os pneus do seu caso estão dentro do prazo de validade. Não se esqueça de conferir o estepe também. Normalmente, eles são válidos por 5 anos. Para achar essa data, veja na lateral do pneu. E não se esqueça de que a cada 10 mil km rodados é necessário realizar o rodízio de pneus. Caso seja preciso, isso pode ser feito com menos tempo.

Como você pode notar os cuidados com os pneus não são difíceis de serem realizados, mas são essenciais para a segurança do veículo. Fique atento!

Gostou das dicas? Visite-nos sempre para ficar por dentro de todas as novidades do blog.

Por Milena Godoy

Manuten??o pneus

Foto: Divulgação


Os Artigos 176 e 178 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) indicam as regras gerais sobre acidentes que acontecem no trânsito, com ou sem vítimas. Conforme o ocorrido na via, existem punições distintas nos termos da lei.

Nos casos em que condutores se envolvem em acidentes ou presenciam qualquer dano com vítima no trânsito há necessidade de sinalizar a área no sentido de evitar novos acidentes por conta do obstáculo que se encontra presente na via.

Na sequência chega o momento de solicitar atendimento especializado às vítimas. Disque ao socorro e solicite ambulância. Informe também as autoridades policiais sobre os fatos decorrentes no trânsito.

Aguardar consiste em obrigação por parte de quem comete o acidente, ou das pessoas que ajudam vítimas de trânsito desamparadas por motoristas que cometem delito e empregam fuga do local para escapar do fragrante.

Infratores que fogem do lugar no qual acontece o acidente são medidos como procurados pela justiça em consequência do inquérito policial decorrente ao fato.

Por vezes, o atendimento especializado pode demorar, momento em que se faz necessário começar a prestar os primeiros socorros. Quem ajuda deve analisar para saber como se encontra a condição das vítimas.

Apenas depois de se sentir com capacidade, é possível começar a assistência sem proporcionar riscos maiores. Acatar e facilitar a ação das autoridades consiste em dois deveres dos cidadãos assistencialistas.

Aos casos de acidentes em que não há vítimas, o processo funciona de modo diferente. Por exemplo, não existe a demanda por comunicar o fato às autoridades policiais. Depois das colisões, os dois veículos devem ser retirados da pista para não prejudicar o fluxo.

Condutores interessados podem procurar o Plantão de Acidente de Trânsito para fazer registro da ocorrência e assim obter Boletim de Ocorrências (BO), documento que tem efeito legal, inclusive para ações judiciais e seguros.

Por Renato Duarte Plantier

Foto: divulgação


Falando em Imposto de Renda 2014, agora vem a dúvida cruel: como lançar a aquisição de um carro 0km na declaração? Pois então vamos a seguinte hipótese.

O contribuinte comprou um veiculo 0km em dezembro de 2013, deu uma entrada em espécie e o restante foi feito um empréstimo no banco. Desta forma para a concessionária foi pago à vista. Logo o contribuinte deve somente ao banco estando o carro alienado, será como e onde deve ser declarado o empréstimo obtido? Será feito da seguinte forma: na ficha “Bens e Direitos” deve ser informada a aquisição do veículo, esclarecendo o Nome, CNPJ do vendedor, o financiamento e a forma de pagamento. No campo “Situação em 31/12/2013” informe o valor total do pago. Na ficha “Dívidas e Ônus Reais” informe o empréstimo código 11, o valor do empréstimo.

Não deve ser informado junto com o valor de custo os valores correspondentes ao seguro de automóveis, emplacamento, a menos que este último tenha sido feito pela concessionária e esteja incluso no preço do automóvel. Também não devem ser inclusos no custo de compra gastos e reparos que tenha feito depois da aquisição do veiculo.

Para os importados, o total gasto como taxa de importação, taxa aduaneira e o despachante deverá ser incluído no preço total do veiculo. De maneira geral o raciocínio se um gasto deve ou não ser incluso na declaração, fazendo parte do custo de compra é o seguinte: esta despesa está mesmo relacionada com a compra deste carro? Sem ela este carro estaria na sua garagem? Se a resposta for sim, não precisa ser incluído no valor de compra do automóvel.

É imposto de renda dá um pouco de trabalho na hora de declarar, mas sempre dá aquela emoção para quem declara, pois este pode dizer: “eu declaro o imposto de renda”. 

Por Antônia Mendes

IR 2014


O "sonho" do veículo próprio não se encontra mais tão inalcançável, graças às atuais facilidades de crédito. Comprar um carro é algo que promete trazer conforto, acessibilidade e agilidade para a vida do homem moderno. Mas, é necessário ater-se às novas despesas e não se deixar levar pelo impulso. Por isso, estar por dentro de algumas das dicas da ABLA (Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis) é o básico para se fazer um bom negócio.

De acordo com a Associação, a primeira dica é ficar de olho na alíquota do IPI. Sabe-se que o mesmo aumentou desde o início do mês. E, ainda veio acompanhado pela obrigatoriedade de freios ABS e airbag. Contudo, isso não significa que não seja possível comprar carro mais barato. Pelo menos, não segundo o Jornal de Hoje e a Fenabrave. 

Como há estocados muitos carros fabricados em 2013, torna-se possível arrematá-los dentro do índice do IPI antigo, com algumas concessionárias oferecendo até promoções. Para Fernando Pontes, Presidente da Fenabrave, janeiro é o mês que se adquire menos carros pelo fato das fábricas estarem em recesso, férias coletivas e os estoques baixos.  Entretanto, de acordo com ele, 2014 promete vendas rentáveis devido às eleições e o dinheiro disponibilizado para obras e reformas. 

A ABLA trata ainda, de como um automóvel novo traz cálculos delicados, que precisam estar dentro de um orçamento e planejamento criteriosos. 

Outra dica importante da Associação toca no impulso que leva as pessoas a esquecerem de que o valor da parcela do carro está condicionada a outras despesas, tais quais: seguro, combustível, manutenção, limpeza, etc. A mesma ideia é compartilhada por Sônia Amaro, supervisora da Proteste, a qual comenta que parcelar um automóvel requer cautela, pois, numa emergência, não seja preciso recorrer a empréstimos ou tornar-se inadimplente. Leia mais aqui.

Então, a saída seria comprar à vista?

Poucos são os que possuem tal possibilidade. E, mesmo esses, devem negociar com as concessionárias vantagens e descontos, já que mais despesas virão. E, com elas, gastos.

O consórcio e o leasing também devem ser bem analisados. 

Uma boa jogada na hora de comprar um carro, é apostar nos seminovos. Em alta, modelos antigos ou usados podem sair por um bom desconto, até metade do preço, de um zero.

Por Juciane Santana

Comprar carro

Foto: Divulgação


Hoje em dia, o número de veículos circulando nas ruas tem aumentando a cada vez mais.

Antigamente para você fazer a aquisição de um veículo, existiam muito mais  burocracia e com o passar do tempo isto tem melhorado a cada vez mais, não que tenha que deixado de ser burocrático mas sim porque hoje tudo está mais rápido, o mercado está avançando a cada vez mais e tudo ficou mais fácil com as parcerias do banco, pois se você não tem todo o dinheiro para efetuar uma compra de um veículo à vista, você poderá financiar.

Bom mais espera ai um pouco, pois para financiar um veículo eu não preciso dar uma entrada?

Então meu amigo, ou minha amiga, hoje em dia você não precisa mais ter juntando um dinheirinho a mais para aquisição de um veículo, pois você poderá parcelar o valor total e em até 72x. Claro que nisso você terá os acréscimos, que não são nada baratos, mas temos sempre que investir em alguma coisa.

Com essa facilidade de crédito o número de veículos financiados tem aumentando cada vez mais, pois hoje em dia qualquer pessoa pode ter o seu veículo, claro que em primeiramente irá passar por uma análise de crédito que dará a resposta se está liberado ou não a aquisição do veículo, e para isso você não poderá ter o nome negativado em SPC ou SERASA, e mesmo com isso o banco terá um segurança pois enquanto você estiver pagando o financiamento do seu veículo ele ainda será do banco, sendo depois do termíno do financiamento ou seja, você terminando de pagar todas as parcelas de 36 ou 72x, ai sim o veículo passará do banco para você definitivamente.

Para você que está de olho em um veículo, é sempre bom fazer uma análise de mercado e se possível dar um pouco de entrada pois isso poderá diminuir as taxas de juros do financiamento também é sempre bom ficar de olhos nas grandes promoções, ainda mais que agora estamos no final de ano, pode ser que a hora seja agora, então aproveitem!

Por Fernanda de Godói

Financiar um carro

Foto: Divulgação


Fazer um bom negócio não é arte apenas de especialistas. Todo comprador deve ficar atento a algumas dicas para evitar dívidas e complicações na hora de adquirir um carro zero. Primeiramente, deve-se avaliar se o valor pedido pela sua concessionária está de acordo com os preços médios pedidos em sua cidade para aquele modelo.

Caso haja chance de fazer o pagamento à vista, negocie. A pechincha é sempre o melhor caminho. Negocie descontos, vantagens, equipamentos, condições de entrega e avalie se outras lojas não possuem opções que lhe tragam mais benefícios.

No contrato, questões como características do modelo, condições de entrega ou lista de espera, descrição de itens básicos e opcionais e descrição do veículo (cor, modelo, chassi, ano, etc.) devem estar bem explícitas e devem ser exigidas pelo consumidor durante a confirmação da compra.

Caso não possa comprar à vista, há as opções de leasing, financiamento e consórcio. A regra básica continua sendo a pesquisa pelas melhores condições de taxas e juros, para evitar surpresas e endividamentos.

No leasing, o consumidor aluga o carro por um tempo pré-definido e faz pagamentos mensais, até o pagamento final pela opção de compra do carro, com o pagamento de uma taxa pela depreciação do bem.

No financiamento, o veículo fica alienado ao banco que ofereceu crédito. Quanto maior o prazo para se pagar, maiores as taxas de juros e consequentemente maior o valor total pago pelo veículo. Todas as condições do financiamento devem estar especificadas claramente no contrato com o banco.

Já no consórcio, não há juros. As parcelas pagas pelos integrantes do grupo compõem um fundo comum destinado à compra do bem, juntamente com a taxa de administração do consórcio. Antes da contratação, deve-se consultar o Banco Central para ver se a administradora do consórcio é regular e tem autorização para efetuar a operação.

Por Jorge Souza


A maioria dos carros é dotada de um sistema de ar condicionado. O ar condicionado é um item quase que obrigatório, ainda mais em países tropicais onde a variação climática é extremamente intensa.

O ar condicionado possui dois sistemas internos: um capta o ar de fora e o envia refrigerado para dentro do veículo, enquanto o outro sistema veda o carro completamente e apenas recicla o ar presente dentro do carro. Esta segunda opção é ideal para momentos de trânsito e congestionamento, uma vez que reduz o número de poluentes que podem entrar em contato com o motorista e os passageiros.

Embora muito eficaz e imprescindível o sistema de ressecar o ar deve ser usado com cautela e seu uso não deve ultrapassar os 15 minutos consecutivos por dois motivos: primeiramente reciclar a temperatura do ar exige um esforço intenso do sistema de refrigeração e mantê-lo ligado por muito tempo diminui a vida útil do equipamento. O outro motivo diz respeito à saúde dos passageiros, todos sabem que o ar condicionado deixa o ar ambiente muito seco e reciclar várias vezes o mesmo ambiente pode deixá-lo extremamente seco ao ponto de fazer mal ao sistema respiratório dos passageiros.

Portanto, use conscientemente o seu sistema de reciclagem e em hipótese alguma ultrapasse os 15 minutos consecutivos de uso.

Por Fernando Setoue


A partir desta quarta-feira (09/06) a falta de cadeirinha para crianças no banco traseiro gerará multa de R$ 191,54 e 7 pontos na carteira. O CONTRAN recomenda que recém nascidos até um ano utilizem o chamado bebê-conforto, que deve ser instalada voltada para o vidro traseiro, com leve inclinação, conforme instruções do fabricante, de costas para o movimento, sempre no banco de trás.

Do primeiro ano da criança até o quarto ano deve-se utilizar as chamadas cadeirinhas, que devem ser posicionadas voltada para frente, na posição vertical, no banco de trás. A partir dos quatros anos até os dez anos de idade a criança deve ser transportada no assento de elevação, o “booster”, que também deve ser instalado no banco traseiro com cinto de três pontos.

Acima de 10 anos a criança poderá ser transportada normalmente no banco de trás, mas sempre utilizando o cinto de três pontos.

Fonte Folha de São Paulo

Por Fernanda Peixoto


Andar no trânsito urbano é cada vez mais um exercício de paciência e de calma, afinal erros são cometidos a todo o momento e ninguém está livre de sofrer uma fechada, uma encostada ou ainda ser vítima da lentidão alheia.

Porém de nada adianta sair do seu espírito normal e entrar em discussões e brigas de trânsito.

Diariamente somos alvo de notícias que envolvem disputas no trânsito, onde normalmente não se resolve nada e somente promove um sentimento de impunidade e de maior raiva nos motoristas.

Exercite sua paciência e mantenha sempre a calma, afinal o principal prejudicado certamente será você.

Por José Alberi Fortes Junior


Quando se pensa em comprar um carro novo, a ideia logo é imaginar o modelo, marca, ano, mas é necessário haver um planejamento e adequar sua compra ao que você pode pagar.

Primeiramente, deve-se pensar nas condições de pagamento, se já possui um carro que será a entrada para a aquisição de um carro zero km, se é financiamento, se é plano à vista e, assim respeitar sua situação financeira sem prejudicar o orçamento mensal. Tendo em vista, esse plano inicial, a segunda etapa é pesquisar em várias concessionárias os modelos que estão na sua faixa de compra e pechinchar.

Outra dica é não revelar para o vendedor a quantia que você tem disponível. Exponha a ele as opções que lhe agradam, pergunte as formas de pagamento, comente as vantagens da loja concorrente e boa sorte na sua escolha.

Por Aline Barbosa

Fonte: www.tutorzone.com.br


Todos sabem que para ter a carteira nacional de habilitação, é necessário que o futuro condutor seja aprovado no exame de habilitação, porém o que poucos sabem é que o futuro motorista pode ver a sua prova.

O motorista reprovou, mas ele quer saber o porquê dele ter reprovado, nesse caso ele pode ver a sua prova. Porém para ter acesso a prova, é necessário um requerimento para o diretor do órgão de trânsito, pedindo a autorização dele para consultar a prova, se ele autorizar o futuro condutor poderá ver a sua avaliação.

O aluno tem direito a saber o motivo pelo qual ele foi reprovado, mediante a autorização do diretor do órgão de trânsito. Fique atento.

Por MS

Fonte: Ciretran. 


O sonho de todo o jovem é completar logo os seus dezoito anos, para que ele possa tirar a sua carteira nacional de habilitação. Para que ele possa tirar a sua carta ele tem que ser aprovado em todas as etapas do processo de habilitação, no entanto existem algumas regras que é preciso saber.

Se o futuro condutor repetir no exame teórico, ele terá que pagar uma taxa para poder fazer de novo a prova, até ele passar. No entanto tem que se respeitar o prazo de validade do exame médico que é de um ano. Se no decorrer do seu processo vencer a validade do exame e ele não for aprovado, ele terá que aguardar um tempo.

O motorista antes de dar início ao seu processo de habilitação, deve informar-se ao máximo sobre todas as regras desse processo. Para estar ciente de todas as suas obrigações.

Por Mateus


Para os motoristas que não possuem o cursinho de habilitação, é necessário que eles o façam quando forem renovar a sua carteira de habilitação, mas essa não é a única opção.

Pelo menos no interior de São Paulo, o Ciretran disponibiliza uma prova, que pode ser feita gratuitamente. Caso o motorista passe, ele não precisará fazer o cursinho, para ser aprovado é necessário que o condutor acerte pelo menos setenta por cento da prova, ou seja vinte e uma questões.

A avaliação descrita acima, é uma forma de não desprezar a prática do motorista, pois a prova exige conhecimentos teóricos, que o motorista pode saber através da prática. É fundamental que o motorista seja bom na teoria e na prática.

Por Mateus Silveira


Todos nós ficamos felizes ao saber que conseguimos vender o nosso veículo, fazemos muitos planos de como iremos gastar o nosso dinheiro, mas todos esse planos podem ser frustrados, se o comprador não transferir o veículo.

A partir da data em que é vendido o veículo e colocado no recibo, o comprador é obrigado a transferir o veículo em seu nome no prazo máximo de trinta dias. Entretanto isso nem sempre acontece, pois alguns compradores dirigem sem nenhum cuidado, são multados, e a multa vem para o antigo proprietário do carro.

A melhor solução seria o bloqueio do veículo, mas o bloqueio do veículo só é possível, quando há a cópia do recibo de venda. Levando em consideração que a maioria dos motoristas não tiram xérox do recibo, é quase impossível fazer o bloqueio.

Motorista, fique atento nas normas de compra e venda de veículos, para não ter nenhuma surpresa desagradável.

Por Mateus Silveira


A história é antiga, mas ainda é válida: apressado come cru. No caso de quem deseja adquirir um automóvel poderíamos adaptar o ditado para algo como: o apressado paga mais caro.

Na hora de escolher um veículo quer seja para o trabalho quer seja para o lazer, é fundamental que o consumidor pesquise bem. Isso vale não apenas para carros, mas para qualquer bem de consumo como computadores, celulares, eletrodomésticos em geral.

Além disso, um dos maiores erros está na hora de escolher a forma de financiamento. Dependendo da situação o Leasing pode ser muito mais desvantajoso que o CDC. Nesse caso, o importante é não comprar por impulso. A ansiedade pode ser determinante na hora da escolha, levando a uma escolha errada.

Preste atenção também com o tal “JURO ZERO”, ou o 0% de Juros. Por trás disso pode estar embutindo outros tipos de cobranças e taxas adicionais.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Associação Pro-teste


Ninguém está livre de comprar um produto com defeito. No caso dos automóveis, a tendência é pensar que isso só ocorra com usados. Mas saiba que modelos zero, novinhos em folha, também podem vir de fábrica com algum defeito. É o que o Procon define como “vício”.

É preciso estar atento caso isso ocorra. Saber quais providências tomar é muito importante para evitar dores de cabeça. Em primeiro lugar, não retire o carro da concessionária. Após inspecionar o veículo, anote os problemas encontrados e peça para resolverem. Peça a Ordem de Serviço, ou tire uma cópia. Ali deve estar tudo especificado.

Daí em diante a loja tem 30 dias para sanar os problemas. Se ao fim desse prazo isso não acontecer, o consumidor tem pleno direito de devolver o produto e solicitar a devolução do dinheiro com todas as correções, ou se preferir, pode pedir o abatimento do preço no valor dos defeitos apresentados. A troca por outro produto do mesmo tipo também é garantida.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte G1

Para conservar nossos carros sempre com aquele aspecto de carro recém saído da concessionária, é preciso que tomemos alguns cuidados na hora de expor nossos carros as variações meteorológicas como sol e chuva.

Em dias de tempestades torrenciais temos que evitar ao máximo passar por possa d’água grandes ou em enxurradas, pois forçamos o motor do carro e pode entrar água na parte mecânica do carro, que fica comprometida.

Nos dias com sol intenso, também devemos tomar alguns cuidados como não utilizar excessivamente o sistema de refrigeração do automóvel, compromete o sistema elétrico e/ou mecânico do carro, pois força-se muito o sistema de refrigeração.

È claro que nem em todas as ocasiões conseguimos seguir a risca todas estas recomendações, contudo temos que fazer um esforço.

Carro com aspecto de novo, exige cuidado e dedicação, e também informações sobre a meteorologia.

Por Mateus Silveira



Muitas pessoas sonham em ter um carro importado. Mas é claro que isso pode ser um sonho para poucos. Então a saída é procurar opções mais perto da realidade. Ou seja, procurar um modelo semi-novo. Ou se preferir, usado.

No entanto, a maioria tem medo de se arriscar. É preciso levar em conta muitas questões. Sabemos que importados semi-novos são mais difíceis de se revender. Também é preciso levar em conta a quantidade de quilômetro rodado pelo veículo, e o mais importante de tudo: a garantia de fábrica. Não podemos esquecer que há modelos que saem de lá com com cinco anos de garantia.

Isso quer dizer que se você comprar um carro com dois anos de uso, ainda terá três anos de garantia. É preciso ficar atento.  E antes de se aventurar é bom saber que há modelos mais valorizados que outros. Os três primeiros da lista são: o Audi A3 Sportback, depois o BMW 120i 2.0, e por último, o Chevrolet Captiva.

Por Maximiliano da Rosa


Com a correria dos dias atuais, nós estamos cada vez mais apressados, sem tempo para nada, e querendo algo prático para nos levar até os locais onde teremos que ir. Contudo em que plano da nossa vida fica a saúde?

Não nego e concordo que o carro revolucionou o nosso mundo, porém acho que não temos que ficar “vidrados” em carro. Podemos muito bem andar de a pé até a outra esquina, ir a padaria de a pé ou até mesmo andar um pouco de bicicleta. Essas medidas de maneira alguma são “coisa de pobre”, elas são hábitos saudáveis que todos nós deveríamos ter.

Reafirmo que o automóvel, é e sempre continuará sendo um ótimo aliado em nossas vidas, porém não devemos nos esquecer da nossa saúde. Modernidade não é antônimo de sedentarismo.


Para quem pretende aproveitar os últimos dias de redução do IPI, pode ser que já esteja tarde demais. Estão faltando carros nas lojas de veículos.

A redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) deve terminar no dia 31/03, porém, os carros mais buscados pelos consumidores já estão em falta no mercado. Previsão de entrega? Em alguns casos, até de 60 dias.

O setor automotivo espera vender mais de 320 mil carros no mês de março, mas é uma pena que não se prepararam para uma demanda tão grande.

Apenas um exemplo: em concessionárias de São Paulo, o Agile (Chevrolet), fabricado na Argentina, tem fila de espera de cerca de 30 dias.


Se você anda uma semana de carro, não quer mais saber de outro meio de transporte. Isso é um dado real, o carro é tão confortável, rápido que depois que temos um não conseguimos ficar sem ele. Essa comodidade da vida moderna, também traz o problema da obesidade.

Andar de carro por mais que seja cômodo e bom, não exercita o nosso corpo, a única coisa que fazemos é mexer um pouco as mãos e os pés. Já em contrapartida andar de bicicleta, ou a pé exercita todo o nosso corpo, queima calorias trazendo muitos benefícios para a nossa saúde.

É lógico que não vamos deixar de dirigir automóveis só porque não tem nenhum benefício, o que  quero defender, é que devemos  andar de a pé ou de bicicleta um pouco. É interessante deixar o carro na garagem quando vamos em um lugar que é perto da nossa casa.

Automóvel é ótimo, mas como tudo tem que haver moderação.


Fazenda mantém benefício fiscal para motos. Foram prorrogadas até 31/03 a desoneração da Cofins para motocicletas com até 150 cilindradas. A alíquota antes do benefício era de 3% e foi zerada, com repasse integral ao consumidor.

Pelo visto o governo está investindo mesmo na indústria redução do IPI e agora desoneração da Cofins, comprova que estão fazendo de tudo para você consumidor comprar. A vantagem de comprar uma moto e que ela é econômica e não se prende muito a vai e vem dos preços de combustíveis, não faz muita diferença.

Atualmente a motocicleta tem sido uma ótima opção para solteiros que tem uma vida corrida e precisam de um meio de transporte rápido e barato. Aproveite o benefício, veja o seu orçamento e adquira um meio de transporte.


Concessionárias prevêem crescimento de vendas em março.

Ainda sob o efeito da redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) as concessionárias estão com expectativa de aumento de vendas para esse mês. Com o término previsto para 31/12/09 e depois prorrogado até 31 /03/10 a redução do IPI tem agitado os mercados de produtos de linha branca e de automóveis. Essa medida favoreceu aos comerciantes, pois as suas vendas foram triplicadas durante esse período.

O governo acertou nessa medida de reduzir o imposto, pois conseguiu combater de forma eficiente o fantasma da crise que rondou o Brasil em 2009, investindo no mercado interno para que o Brasil pudesse sobreviver a essa tormenta do cenário mundial, diferente do que aconteceu em 1929 com a “quebradeira generalizada”, desta vez as coisas estavam no controle.

Para quem quer ter um carro zero a hora é agora, aproveite o desconto do IPI e invista no seu patrimônio.


Vai comprar um carro novo? Tenha cuidado para não cair no gole do carro zero!

Em Mundo Novo, interior do Mato Grosso do Sul, um homem de pouco mais de 40 anos caiu em um golpe em que depositou cerca de R$ 1 mil, pensando receber em troca um carro 0km.

Segundo a vítima, ele teria recebido uma SMS (mensagem pelo celular), informando que havia ganhado um carro zerinho através do programa Domingo Legal, do SBT. Após isso, o estelionatário ligou para a vítima, falando para que a mesma depositasse a quantia em uma determinada conta bancária.

Foram feitas duas transações, ambas de R$ 499, sendo como favorecido o sr. Antônio Félix Ferreira. Depois de realizar o depósito é que foi se atentar que se tratava de um golpe.

Portanto, tenha cuidado. Não dê valor a mensagens estranhas via carta, e-mail ou celular. Muitas vezes tratam-se de farsantes que tentam ludibriar o povo de modo a obter recursos financeiros.


Se você comprar um bom carro, último modelo, zero km, então você deve ter pneus bons para acompanhar, esse lindo veículo que você adquiriu.

Comprar bons pneus faz parte da sua segurança e de toda a familia, na hora de dirigir, principalmente em grandes cidades.

Na Pneus Online, você encontra toda marca de pneus para carros, caminhões e vans, e tudo isso, com forma de pagamento em até 10 vezes sem juros.

É ou não é uma boa sugestão? Pneus de qualidade com parcelamento que você pode pagar, é realmente uma dica que vale a pena conferir e, para fazer isso é só acessar o site www.pneusonline.com.br.

Você nem precisa sair de sua casa, para comprar bons pneus com segurança, no site da pneus online, você encontra tudo que precisa para poder se dar bem na hora da compra: economia, conforto e segurança.

Por Salete Dias





CONTINUE NAVEGANDO: