Modelo voltará reestilizado e custará entre R$ 60 mil e R$ 75 mil.

O Chevrolet Sonic tinha desaparecido do mercado brasileiro desde setembro 2014, por causa do baixo volume de emplacamentos. Porém, sua volta por cima já tem data de estreia. De acordo com informações do site da revista "Carro", o modelo de fabricação mexicana virá com uma roupagem nova e chega ao Brasil no segundo semestre pronto para comercialização.

Segundo a "Carro", uma fonte que trabalha muito próxima dos fornecedores da General Motors repassou as informações de que algumas unidades da Sonic hatch e Sedã já estariam passando por testes no Brasil. A apresentação dos novos modelos está prevista para novembro no Salão do Automóvel de São Paulo.

Os modelos reestilizados terão seu lançamento primeiramente nos Estados Unidos no mês de junho.

A Sonic fez questão de deixar seu modelo com aparência menos ousada e caprichou nos faróis divididos por dois elementos. O novo Sonic já sai de fábrica equipado com a segunda geração da central multimídia MyLink, além de partida do motor acionada com botão.

Somente no mercado norte-americano o Sonic é encontrado com dupla motorizações: Ecotec a Gasolina de 1.8 litros e 1.4 turbo. As duas têm 139 cv de potência. A diferença só fica visível na disponibilidade do torque máximo. Se a primeira entregava 12,7 kgfm a 3.800 rpm, a nova turboalimentada produz 15,1kgfm a 1.850 rpm, com transmissões disponíveis de seis velocidades e podendo ser no automático ou manual. As vendas do conjunto ainda não tiveram confirmação no Brasil, mas o outro modelo de 2014 que a GM comercializava no Brasil vinha equipado com um bloco de 1.6 litros flex, produzindo até 120 cv se fosse abastecido com etanol.

O Sonic hatch e sedã chegarão com preços médios entre R$ 60 e 75 mil. Vale lembrar que os modelos ocuparão posições entre os compactos Onix e Prisma, ao lado dos médios Cruze hatch e o Sedã.

Novos lançamentos

Antes do novo Sonic chegar ao mercado nacional a GM pretende lançar primeiro, no mês de junho, a linha do Cruze Sedã e os repaginados Onix e Prisma. Logo a seguir será a vez do novo Cruze hatch.

Por Ruth Galvão


Mais de R$ 6,5 bilhões serão usados para investir na produção de uma nova família de automóveis.

Um grande anúncio foi feito pela General Motors e deve aquecer o mercado automotivo do Brasil. A multinacional de origem norte-americana destacou que irá dobrar os seus investimentos em nosso país até o ano de 2019. Dessa forma, serão aplicados mais R$ 6,5 bilhões que terão como finalidade a produção de uma nova família de automóveis. Dan Ammann, presidente mundial da GM, já destacou que esse projeto é de grande importância, pois os novos modelos da empresa visarão os mercados emergentes, dentre eles o Brasil.

O presidente mundial da GM enfatizou esse investimento como sendo parte de uma estratégia da empresa que ver nos mercados emergentes a maior parte do crescimento quando o assunto são vendas mundiais de automóveis. Por isso, além do Brasil a GM também fará projetos similares em países como China, Índia e México. Segundo o executivo, modelos especiais serão feitos diretamente para estes mercados, levando em consideração as preferências dos consumidores de tais regiões.

Portanto, saiba que o que não irá faltar no Brasil é um investimento pesado e novos carros da GM em suas concessionárias. É esperado que a empresa desenvolva e fabrique nada menos que seis modelos, sendo que os primeiros devem estar disponíveis já em 2019.

Esse projeto inicial não deve incluir o tão esperado carro de entrada com preço popular e que chega até R$ 30 mil. Jaime Ardila, presidente da GM na América do Sul, informou que o modelo já está pronto, mas não deve ser lançado no momento.

O grande motivo para o não lançamento do carro popular por agora é por questões sindicais. O projeto inicial previa a fabricação do mesmo em São José dos Campos, onde a GM dispõe de uma fábrica. Porém, Jaime Ardila destaca que a GM e o sindicato não conseguiram chegar a um acordo em relação à flexibilidade, bem como melhorias quando o assunto é competitividade da unidade.

Tal anúncio chega num momento bastante delicado do mercado automotivo brasileiro. É um dos piores cenários dos últimos anos. Até o mês de junho de 2015 já se tem um recuo de 20,7% nas vendas de veículos quando a comparação é feita com o mesmo período em 2014, segundo a Anfavea.

Por Bruno Henrique

Investimentos da GM no Brasil

Foto: Divulgação


Na primeira metade deste mês de agosto alguns dirigentes da General Motors participaram de uma reunião com presidente Dilma Rousseff. O objetivo do encontro era o anúncio oficial por parte da montadora de um investimento na casa dos bilhões para o mercado nacional. De acordo com as informações divulgadas pela GM no período situado entre 2014 e 2018 a fabricante norte-americana deverá investir no Brasil R$ 6,5 bilhões. As informações indicam que esse aporte financeiro será direcionado para o desenvolvimento de novas tecnologias e produtos, na formação de funcionários e na ampliação do índice de componentes.

Para o presidente da General Motors na América do Sul, Jaime Ardila, um investimento desse valor irá possibilitar que a marca continue em frente com a renovação de sua linha tendo em foco o uso de novas tecnologias e uma maior qualidade.

Outro ponto fundamental desse aporte é conseguir aumentar significativamente o percentual de nacionalização dos mais variados componentes dos modelos fabricados no Brasil, fato este que acabará por envolver também fornecedores que se encontram instalados por aqui.

Com esse valor anunciado pela GM para investimento será possível que a marca totalize mais de R$1 bilhão ao ano, por dez anos em média.

Mesmo com novidades envolvendo investimentos e novos planos a General Motors não informou quaisquer dados sobre quais modelos a Chevrolet deverá trazer para o mercado nacional (que deverá ser fruto do novo investimento). Entretanto, mesmo sem informações bem fundamentadas por parte da companhia a expectativa é de que empresa deva fazer por aqui os lançamentos de novos modelos compactos que possivelmente deverão tomar o lugar do Classic e Celta. Um novo hatch também deverá aparecer para substituir o Agile. A picape Pajero poderá surgir em uma nova versão no país com o objetivo de ser a sucessora da Montana.

Além disso, vale ressalta que na terra de nossos vizinhos, a Argentina, a marca já está planejando produzir o novo Cruze a partir do ano que vem. O modelo deverá ter um motor 1.4 turbo e também transmissão automática com embreagem dupla.

Por Denisson Soares

GM

Foto: Divulgação


A General Motors do Brasil está convocando os donos dos modelos Chevrolet Onix e Prisma, com fabricação entre os dias 20 e 23 de maio desse ano devido a um problema no mecanismo de reclino do encosto nos bancos frontais.

Segundo a montadora, o defeito pode causar uma movimentação involuntária do encosto com possibilidade de acidentes. As ações de inspeção acontecem desde o dia 8 desse mês e verificam se o veículo possui ou não o problema. Em casos positivos, a concessionária leva cerca de 1 hora e 50 minutos para realizar os reparos.

De acordo com a montadora, 2.863 veículos foram atingidos pelo problema, sendo 1824 do modelo Onix e o restante são do Prisma. A sequência de chassis que necessitam entrar em contato com a Chevrolet vão de DG260034 a DG322859.

Uma das maiores preocupações da indústria automotiva mundial é a enorme quantidade de recalls que tem se tornado cada vez mais frequentes. Isso reflete na qualidade dos veículos vendidos, algo que passa a impressão para o consumidor de que ele compra algo, na verdade, inacabado, que será terminado após a venda ao cliente.

A General Motors do Brasil não revelou mais detalhes do problema e nem divulgou se tem conhecimento de algum acidente envolvendo os problemas relatados.

Por Ebenézer Carvalho


A produção do Classic na montadora da General Motors em São José dos Campos foi prorrogada até dia 31 de dezembro, desta forma, a manutenção do pessoal também ficará protegida até esta data.

Numa reunião ocorrida na última sexta- feira, 23 de agosto, entre a direção da GM e os metalúrgicos da empresa, o Diretor de Assuntos Institucionais da montadora, Luis Moan, afirmou que o Classic continuará sendo produzido na Montagem de Veiculos e Motores.

Com esta resolução, a empresa decidiu estender o prazo para o plano de demissão voluntária até dia 08 de setembro. Ao todo serão 890 funcionários que terão a opção de participar do plano, entre os trabalhadores da linha de produção e os supridores e abastecedores de insumos e acessórios.

Este plano beneficia o empregado com uma série de vantagens como a manutenção do seguro saúde até abril de 2014, recebimento de até cinco salários para funcionários ativos, assim como dois salários para aposentados. No período que o funcionário tem para a adoção do plano, ele receberá licença remunerada até dia 08 de setembro.

Segundo o diretor Moan, a empresa espera que 850 pessoas aproximadamente participem do plano e informa também que a produção do veiculo continuará, entretanto numa velocidade de produção bem menor e com número reduzido de funcionários trabalhando na planta até dezembro.

Por Melina Menezes


A General Motors (GM) traz de volta o nome do sedã produzido na Europa e que também foi usado para fazer referência ao modelo que fez sucesso no Brasil nas décadas de 1980 e 1990, vendido pela Chevrolet. O Monza estreará como carro-conceito no próximo Salão de Frankfurt – de 12 a 22 de setembro – um dos maiores eventos do segmento que é realizado a cada dois anos em terras alemãs.

O protótipo leva o logotipo da Opel, que é a filial européia da GM, e antecipa o que pode ser tendência da marca para os próximos anos.

De acordo com informações da empresa, com uma aposta na eficiência e na conectividade, o Opel Monza Concept ilustra o que se pode esperar da indústria automotiva no futuro.  O modelo foi projetado a partir da nova filosofia da marca, que prevê arte escultural e precisão alemã. E, apesar de não divulgar detalhes técnicos sobre o veículo, a GM garante que o há inspiração no modelo antigo.

Confira em vídeo divulgado no canal oficial da Opel, no youtube, uma apresentação da novidade pelo presidente da GM, Dr. Karl-Thomas Neumann. 

Por Crislayne Andrade


Seu carro está na garagem. Ele espera você e suas chaves.Sim,seu automóvel,independente da marca, é comum, não parece ter vida própria, afinal é uma máquina. Mas saiba que os cientistas já estão trabalhando nos chamados carros inteligentes, veículos que vão revolucionar o mundo dos carros e afins.

Especilaistas em automação testam e criam softwares e programas que farão seu carro reconhecer sua voz. Não será precisomais muitos botões, pois seu timbre fará com que seu carro, por exemplo, baixe os vidros sozinho.

A General Motors, a GM, anunciou que implantará diversos aplicativos com muitas funções em seus novos automóveis. Os carros poderão interagir com muitos sistemas de áudio, GPS, redes sociais, vídeos etc. Naturalmente, ospreços dessas belezuras não será nada barato, de modo que ainda ficaremos muito tempo com nossos carrinhos mais tradicionais que, francamente, também sempre são renovados.

Esse ano, o público viu um acidente sofrido pela apresentadora Ana Maria Braga que, ao vivo,foi atropelada por um carro inteligente. Ficou provado que o erro foi humano. Enfim, voltando ao que interessa, o tempo dos veículos inteligentes está chegando a todo vapor. Vamos aguardar os próximos capítulos.

Por Madson Lima de Oliveira


A história não é nova e pelo que parece ainda está longe de ter um fim: A Chevrolet prorrogou mais uma vez o processo de decisão sobre a comercialização do SUV Trax por aqui. O modelo já foi lançado na Argentina, mas para ser vendido no Brasil tem muita coisa que precisa ser levada em consideração. Na última quarta feira dia 19, o próprio presidente da montadora para a América do Sul e Brasil, Jaime Ardila, comentou durante o Salão de Buenos Aires sobre a vontade de trazer o modelo para o Brasil.

Um dos principais motivos que tem impedido a comercialização do Trax no Brasil diz respeito ao limite de carros que a montadora tem direito de importar do México. Vale lembrar que é de lá que os modelos Sonic e Captiva são importados.

O México irá produzir o Trax juntamente com outros países como a Coréia do Sul. No caso do México há certo ponto a favor da importação devido ao fato de que os carros que chegam ao Brasil vindos de lá são isentos de impostos uma vez que existe entre os dois países das Américas um acordo comercial. No entanto, em março de 2012, o governo brasileiro fez um pedido tentando limitar o número de carros importados de lá. Como teve sucesso no pedido desde então a importação está limitada a cotas.

Ardila também disse que no momento é inviável produzir o modelo no Brasil ao menos por enquanto. Um dos motivos para isso seria o fato de que as fábricas da GM no país já estarem operando em capacidade máxima.

Por Denisson Soares


O Salão Internacional do Automóvel da China apresentou o primeiro veículo elétrico da GM: o Sail Springo EV.

Este veículo é o primeiro modelo feito por uma joint venture constituída pela Shangai GM e pela PATAC (Pan Ásia Technical Automotive Center).

O sail Springo EV conta com baterias com refrigeração líquida que podem ser recarregadas em casa nas tomadas de 220 volts conseguindo chegar a 130 km/h e com uma autonomia de até 200 quilômetros a velocidades médias de 60 km/h.

A GM colocou neste automóvel tecnologias de última geração como freios regenerativos que aproveitam a energia das freadas para a recarga.

Além disso, a recarga de suas baterias demora em média 7 horas e pode ser monitorada pelo celular do proprietário pelo sistema On Star da GM.

Todas estas novidades do Sail Springo EV vão estar disponíveis na China já no ano de 2013 por aproximadamente 41.400 dólares.

Fonte: Car and Driver

Por Ana Camila Neves Morais


Robusto e de estrutura sólida, o Captiva pode ser visto em várias ruas da cidade de São Paulo e de todo o país. Sua nova linha 2011 promete chamar bastante a atenção daqueles que já o tem ou então daqueles que pretendem adquiri-lo – além, é claro, dos amantes de carros.

A General Motors (GM) decidiu manter as três versões anteriores, que são a Sport V6 FWD, a Sport V6 AWD e a Sport Ecotec, na nova “leva”. As novidades começam num dos itens triviais na escolha por uma unidade específica: cor. A montadora incluiu duas novas tonalidades, a Cinza Mocha, exclusiva da versão V6, e a Preta Carbon Flash.

No intuito de conferir maior economia aos bolsos dos consumidores, melhor desempenho do automóvel e diminuição de gases nocivos à atmosfera, a fabricante adotou em toda a nova linha do Captiva o sistema Spark Ignition Direct Injection, ou simplesmente SIDI.

A motorização do Captive Ecotec é 2.4 16V, capaz de gerar 185 cavalos de potência, 15 cavalos a mais em relação à versão precedente. Além deste motor, a Chevrolet insere a transmissão automática/sequencial de seis marchas, o exato sistema aplicado no Malibu, também da montadora.

Ambas as versões Sport V6 do Captiva passam a contar com motor mais robusto em detrimento à linha anterior. A motorização deste é 3.0 litros, que movimenta o veículo através de 268 cavalos de potência.

Assim como na concorrência, a linha 2011 do Captiva conta com acionamento elétrico do freio de estacionamento e interior revestido em couro preto. Nas versões V6 há aquecimento de série e computador de bordo, bem como nova iluminação, a Ice Blue. As novidades, porém, não se limitam a essas, pois o modelo também possui sensor de chuva e sistema de Som Premium, com 10 alto-falantes.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: General Motors


Uma nova opção para o segmento de minivans acaba de ser lançada pela GM. Trata-se do Chevrolet Orlando, que inicialmente, será vendido somente no mercado britânico, a um preço equivalente a R$ 43.700. O veículo estará disponível em três versões: LS, LT e LTZ.

Com relação aos equipamentos, ele sai de fábrica com ar condicionado automático, controle de cruzeiro, controle de estabilidade (ESP), seis airbags e rodas aro 16 ou 17, dentre outros itens. Além disso, ele é bastante espaçoso, podendo carregar até sete pessoas.

As opções de motor são o 1.8 16V, à gasolina, que pode alcançar 141 cv e duas versões 2.0 diesel, que podem atingir 130 cv (nesta, o consumo médio pode chegar a 20km/litro)e 163 cv. A transmissão de seis velocidades pode ser manual ou automática. Não há previsão de quando o Orlando vai chegar ao Brasil, mas quando vier, possivelmente irá substituir a Meriva e a Zafira.

Confira o vídeo de apresentação do veículo:

Por André Gonçalves


O Chevrolet Volt é uma das grandes apostas da GM no segmento de veículos elétricos. Por isso a montadora deve investir na instalação de postos de recarga em ocais estratégicos. Ao todo 5.300 postos devem ser instalados no estado de Michigan, aonde o Volt começará a ser vendido.

Além disso a GM anunciou que também instalará postos de recarga alimentados por energia solar dentro das fábricas da empresa, para serem usados pelo funcionários e servir de exemplo e incentivo para que as pessoas adotem postura sustentáveis.

Segundo a GM a quantidade de postos de recarga não é o mais importe. O local aonde eles serão instalados, sim. Por isso a montadora também deve instalar os postos em 1500 concessionárias da marca, para que possam ser utilizados pelos clientes.

Outra opção para os consumidores é a instalação de estações de recarga em casa. Nesse caso há um custo adicional de 1965 dólares.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Auto Esporte


Com investimento estimado em cerca de US$ 145 milhões (R$ 271 milhões) e já com seu primeiro teaser revelado a General Motors informou que a partir de 2012 começará a produzir através de sua subsidiária, a Buick, um novo modelo Hatch, que de acordo com executivos da empresa deverá inaugurar a nova geração de modelos compactos que deverão ser voltados para o desempenho e eficiência, otimizando design e mecânica para oferecer o melhor rendimento em termos de performance.

O novo modelo será chamado de Buick Verano e será produzido na mesma fábrica nos Estados Unidos em que também será fabricado o Chevrolet Aveo e que acabou de receber um investimento da ordem de US$ 600 milhões (R$ 1,01 bilhão) para uma grande reforma e modernização para estar apta a produzir os novos modelos da marca.

Pelo primeiro teaser divulgado será um modelo, que embora compacto otimizando espaço e de dimensões menores do que outros modelos da Buick terá linhas elegantes, de estilo clássico, mas ao mesmo tempo moderno, equilibrando estes dois estilos.

Por Mauro Câmara

Fonte: Carro Online


A General Motors confirmou que vai apresentar no badalado Salão do Automóvel de Paris, em Outubro, a versão esportiva do Astra. O Astra GTC virá para competir com modelos do porte de um Ford Focus RS no mercado europeu. E esta versão esportiva virá incrementada com desenho arrojado, linhas precisas e modernamente elegantes e perfil alongado que lhe garante um visual agradável e dinâmico.

O conjunto de propulsão será potente com motor 2.0 turbo e câmbio automático de seis velocidades. O modelo conceitual que estará no Salão de Paris apresentará rodas de 21” e ainda faróis e lanternas em LEDs.

Para manter a atração em alta desta versão esportiva o Astra GTC ainda contará com itens de tecnologia como sistema Star/stop, que está se tornando item obrigatório em modelos europeus, que desliga o motor quando o carro fica totalmente parado, o que aumenta a economia de combustível e reduz a emissão de gases poluentes.

Não há confirmação ainda, mas o Astra GTC deverá estar à venda no mercado europeu ainda no ano que vem e com certeza irá acirrar a luta neste segmento de mercado.

Foto: Opel Astra GTC

Por Mauro Câmara

Fonte: G1


Num passado remoto, a GM foi uma marca forte no mercado brasileiro de caminhões com a marca Chevrolet. Porém, hoje em dia essa não é mais a realidade da montadora americana, que sofreu com a crise mundial ano passado, e se esforça para recuperar o fôlego.

E claro que essa recuperação passa pelo Brasil, um dos países menos afetados pela crise. Só no Brasil espera-se uma demanda na ordem de 650 mil veículos para este ano, indicando que a saúde da economia brasileira vai muito bem.

Por isso, a montadora planeja voltar a vender caminhões no país, assim como faz em outros países da América Latina. A empresa só não sabe se trabalhará com a importação de caminhões ou se abrirá uma fábrica no país.

Por Maximiliano da Rosa


Foi anunciada pela General Motors nesta quarta-feira, 05 de maio de 2010, nos Estados Unidos, a realização de um recall de mais cento e sessenta mil unidades do veículo Hummer H3, com fabricação entre os anos de 2006 e 2010.

O motivo do recall é devido à verificação de um problema no capô do modelo, que poderia ficar parcialmente solto, e até mesmo levar à quebra do carro. Nick Richards, porta-voz da empresa, afirmou que houve duas denúncias sobre o defeito nos Estados Unidos e três no Japão. O problema deverá ser corrigido através da utilização de adesivo na peça que mantém o capô fechado.

Fonte: Folha, O Globo e Estadão

Por Elizabeth Preático





CONTINUE NAVEGANDO: