Serão 136 veículos dos anos/modelos 2018 e 2019.

Donos de automóveis Gol e Voyage, da montadora alemã Volkswagen, estão sendo convocados a levar seus veículos para um reparo gratuito que será iniciado em 17 de dezembro. O motivo do recall é um potencial defeito no cinto de segurança traseiro.

Foram convocadas 136 unidades para o reparo e os chassis envolvidos são:

  • Do JT156496 até KT010470

As datas de fabricação dos veículos vão de 16 de maio até 14 de junho de 2018. Portanto, fique atento ao número do seu chassi e á data de fabricação do seu veículo.

De acordo com informações da Volkswagen, o reparo não será cobrado e começará na próxima segunda-feira, dia 17 de dezembro, tendo duração de 50 minutos. O tempo de reparo será curto porque o problema consiste numa porca de fixação do fecho duplo do cinto traseiro. A solução será a realização de um reparo na porca. O cliente poderá se deslocar para qualquer loja dentro da rede de concessionárias Volkswagen.

Quais seriam as consequências para os ocupantes em caso de acidente

Para este tipo de defeito há o perigo no caso de colisão do veículo. Nesses casos pode haver o desprendimento da fixação do fecho duplo, fazendo com que os cintos de segurança traseiros da esquerda e central não garantam a devida proteção, podendo ocasionar em lesões aos ocupantes do veículo.

Ainda está em dúvida?

Se você ainda tem dúvidas sobre se o seu carro também foi convocado para o recall ou de qual procedimento tomar, entre em contato com a empresa pelo telefone 0800-019-8866. Você também pode verificar a informações pela internet clicando aqui . Selecione o seu veículo e veja informações sobre o recall.

O que é um Recall

Um recall de produto é uma solicitação de um fabricante para devolver um produto após a descoberta de problemas de segurança ou defeitos no produto que possam colocar em risco o consumidor ou colocar o fabricante em risco de ação legal.

Pode ser difícil (se não impossível) determinar quão caro pode ser essa liberação para o consumidor de um produto que possa colocar em risco a sua vida. Recalls são caros para as empresas, mas tornam-se mais baratos do que os possíveis custos de ações judiciais que a empresa poderia enfrentar caso não fizesse os recalls.

Os custos incluem ter que lidar com o produto retirado, substituí-lo e possivelmente ser responsabilizado financeiramente pelas consequências do produto recuperado.

A nível mundial, os Recalls estão aumentando

Em todo o mundo o número de recalls vem aumentando – com exceção da crise econômica de 2008, quando houve uma baixa.

Por ano, as garantias automotivas ao redor do mundo são estimadas em US$ 40 bilhões (quase R$ 157 bilhões), com perdas de 3% a 5% nas vendas.

A produção em larga escala e a baixo custo pode levar a uma menor qualidade, e a terceirização pode levar a uma mudança de conhecimentos referentes a técnicas e processos. Dessa forma, as falhas técnicas são mais prováveis de acontecer devido a problemas de comunicação entre as diferentes partes envolvidas na cadeia de produção dos veículos.

Apesar do crescente número de recalls, um estudo da Mojo Motors Inc. descobriu que apenas 0,005% dos clientes perguntam sobre recalls ao entrar em contato com as concessionárias.

Nos últimos 52 anos (desde 1966), 390 milhões de veículos motorizados foram chamados para recalls nos Estados Unidos.

A situação no Brasil é parecida! De acordo com informações divulgadas pela Secretaria Nacional do Consumidor, o ano de 2016 sozinho foi responsável por mais de 9 milhões e 600 mil recalls no país, maior número registrado nos últimos 15 anos.

Desse número de produtos convocados, 76% são carros e pouco mais de 7% são motocicletas.

Por Bruno Rafael da Silva


Problema nos insufladores das bolsas dos airbags atinge 81 mil carros.

Por conta de um defeito nos insufladores das bolsas dos airbags, a Fiat faz um recall, convocando os proprietários dos carros Uno, Grand Siena e Palio, fabricados em 2012 e 2013 no Brasil e na Argentina para agendarem e comparecerem a uma das concessionárias FIAT, onde serão feitos os devidos reparos. É importante lembrar que o defeito apresenta um risco de vida para os usuários.

Os agendamentos já começaram desde o dia 10 de dezembro de 2018, sendo que deve ser feito através do site oficial da Fiat. Os proprietários devem comparecer o mais cedo possível, já que o mesmo defeito já foi responsável pela morte 16 pessoas no mundo. Segundo a Fiat, o conserto do airbag deve demorar em torno de duas horas. Em caso de dúvida o proprietário pode entrar em contato com a Central de Serviços ao Cliente FIAT através do telefone 0800 707 1000.

Os carros que devem receber os reparos são os seguintes:

  • UNO, fabricado em 2012 e 2013 no Brasil , com o número de CHASSIS de 397602 até 043575.

  • NOVO PALIO, fabricado em 2012 e 2013 no Brasil, com o número de CHASSIS de 090792 até 121717.

  • NOVO PALIO, fabricado em 2012 e 2013 na Argentina, com o número de CHASSIS de 007964 a 603797

  • GRAND SIENA, fabricado em 2012 e 2013 no Brasil, fabricado em 2012 e 2013 no Brasil 034481 a 062830

O problema nos airbags da Takata

O problema que motivou o recall da Fiat, já é bem conhecido, se trata de um defeito nos airbags da marca Takata, que é usado em vários carros de diferentes montadoras. Esse mesmo defeito já foi o responsável pelo motivo da convocação de outros recalls anteriormente.

A Fiat informou que em caso de colisão que resulte no acionamento do airbag, poderá ocorrer o rompimento de seu deflagrador devido a uma excessiva pressão interna, isso acontece devido à eventual exposição do veículo a variações de umidade absoluta e de elevada temperatura durante longos períodos. Em um acidente em que o airbag seja acionado pode ocorrer a dispersão de fragmentos metálicos com potenciais danos fatais ou físicos graves aos ocupantes do veículo.

O defeito foi descoberto em 2013. Estimasse que os airbags da Takata, apelidados de “airbag fatais”, falharam 29 vezes em acidentes no Brasil, alguns resultaram em ferimentos graves, mas felizmente não foi registrado nenhum acidente fatal no Brasil, mas ao redor do mundo já foram pelo menos 16.

Seus direitos em um recall

O recall é um pedido de devolução de um lote de produtos pelo próprio fabricante, normalmente para fazer reparos após a descoberta de problemas relativos à segurança do produto. O recall deve ser gratuito e não pode gerar qualquer tipo de prejuízo ao proprietário do produto, se ele perder um dia de trabalho ou tiver de se deslocar por distâncias maiores por causa da convocação, por exemplo, o proprietário pode entrar na Justiça, requerendo uma compensação.

É importante lembrar que o recall, uma vez anunciado, não existe data limite para o reparo ser feito. A montadora pode determinar uma data de início para começar os serviços, mas não pode determinar uma para o fim. Se o proprietário tiver qualquer problema como a lentidão no reparo, mau atendimento ou demora no agendamento, ele pode acionar o Procon local.

Mesmo fazendo um recall, a montadora é responsável pelo defeito, sendo que poderá ser responsabilizada legalmente por ter disponibilizado no mercado um produto com defeito. Se acontecer um acidente por causa da falha ela poderá ser processada, mesmo tendo convocado o recall. Já se a empresa não realizar os devidos reparos poderá receber uma multa do Governo que pode chegar em até R$ 7 milhões.

Gabriel Bem


Problema atinge modelos entre 2016 e 2019.

Foi anunciado pela montadora Kia Motors, na última quarta-feira, dia 4 de julho, que o seu modelo Carnival irá passar por um recall, devido a um possível defeito em sua porta deslizante. Estão envolvidos no reparo 462 unidades dos modelos 2016 a 2019.

Por esse motivo, estão convocados para agendamento do reparo todos os proprietários que possuírem o automóvel com os finais 113707 até 437433. Esses devem ter sido produzidos entre a data de 17 de junho de 2015 a 5 de fevereiro de 2018.

Vale lembrar que o recall é totalmente gratuito e deve ser realizado em uma das concessionárias da marca.

Entendendo o recall da Kia

Conforme dados divulgados pela Kia, foi detectado um problema na unidade eletrônica referente ao comando das portas automáticas deslizantes, mais especificamente no software. Com isso, há a possibilidade de que algumas unidades da Carnival não obedeçam a esse sistema de reversão automática, em caso de uma eventual barreira em sua rota no trilho da porta.

Sendo assim, em alguns casos, mesmo sendo constatada a existência de um obstáculo no caminho, o fechamento da porta automática teria dado continuidade. Feito isso, os membros e ocupantes do carro poderiam ter lesões físicas nas mãos e pés que estejam na rota de tal trilho.

No Brasil, não há nenhum registro sobre esse tipo de acidente, de acordo com a Kia. Porém, mesmo assim, a fabricante optou pelo recall de suas unidades, como forma de evitar possíveis danos materiais e físicos.

Sobre o tempo para o conserto e atualização do software, a empresa deu a previsão de que o reparo demoraria cerca de uma hora. Para quem tiver alguma dúvida sobre o recall, foi disponibilizado um telefone para contato, o 0800 77 011011. Além desse, ainda há a opção de informações diretamente no portal da montadora, no endereço eletrônico www.kia.com.br.

Outros recalls do modelo Carnival

Essa não é a primeira vez que a montadora chama os proprietários do modelo Carnival para um recall. Em 2013, foi feita uma campanha para chamamento de veículos de ano-modelo 2007, que foram produzidos entre as datas de 21 de novembro de 2006 e 27 de junho de 2007. Os chassis envolvidos foram de 144789 até 161062.

Na ocasião, foi constatado que as luzes do freio podiam não acender quando pressionado o pedal. Isso poderia ocasionar a incapacidade de desativação do piloto automático em veículos equipados com o componente em questão, bem como dificuldade de movimentação referente à alavanca da transmissão. Com isso, havia o risco de um acidente de trânsito grave.

Outra campanha teve o mesmo objetivo e defeito apresentado. Foram chamados modelos de 2007 a 2011, tendo sido produzidos entre 21 de novembro de 2006 e 10 de dezembro de 2010. Os finais de chassi foram: 144786 a 376690.

Sobre a Kia Carnival

Considerada uma minivan de porte médio a grande, a Kia Carnival foi lançada oficialmente no ano de 1998. Atualmente, o veículo está em sua terceira geração, aliando muita tecnologia, materiais de qualidade alta e diversos recursos de segurança passiva e ativa.

A Kia Grand Carnival possui dimensões largas e que evidenciam a sua aparência moderna. Destaque especial para a dianteira, que projeta toda a sua força e confiança, integrado a uma grade e faróis em luzes de LED. Esse último é uma forte tendência da marca no design de seus carros.

Além disso, foram integrados ao Carnival itens de série, como o Assistente de Controle em Partidas com Aclive, Controle Eletrônico para Estabilidade, Antilock Braking System e Detector de Ponto Cego. Em termos de motor, está disponível o 3.3 L V6, de 24V e 270 cavalos de potência. A transmissão é automática de seis velocidades.

Kellen Kunz


Veja aqui mais informações sobre o Recall do Toyota Corolla.

Ao saber que haverá uma convocação para recall, a primeira pergunta que se vem é exatamente o que é este recall. As empresas possuem grande importância com a segurança de seus compradores, pois isso manterá seu status de empresa preocupada e a conseqüência disso é a maior procura por seu produto por ter um título de segurança, sendo assim, após análises, quando uma empresa detecta que em algum de seus modelos feitos está contido algum problema, os carros que estão “infectados” são convocados para a correção desse problema pela montadora, no caso do Corolla, a responsável é a Toyota.

Encontrado o problema que atinge 65.963 carros que é denominado por problema de transmissão. E também o problema nos AirBags que afetam 53.635 unidades.

Os proprietários da atual geração do Corolla foram convocados nesta terça feira, dia 3 de abril de 2018, para o recall.

De maneira organizada, primeiramente a convocação será para proprietários do Corolla 1.8 que contém câmbio automático, esses terão que fazer uma reprogramação na unidade de transmissão eletrônica da CVT. As 65.963 unidades citadas por problemas na tranmissão foram fabricadas todas entre 7 de outubro de 2013 e 11 de agosto de 2017. Abaixo seguirá os intervalos alfanuméricos nãoo sequênciais dos chassis:

Os carros Corolla convocados para a revisão são:

Do Corolla GLi Automático 1.8

O Alfanumérico: 9BRBL3HE*; Os chassis serão de J0104446 até J0125110

Alfanumérico: 9BRBLWHE*; Já os Chassis vão de F0001003 até H0104445

Já para os que contém problemas na transmissão:

Toyota Corolla:

O número Alfanumérico 9BRBD48E* ; O número de Chassis: D26020000 a E2642203

O número Alfanumérico 9BRBL42E*; E os Chassis: D4759577 a E4789205

Mas pensando profundamente no que interessa um recall para os condutores de veículos ou para as montadoras. Para as empresas é de grande importância ter uma boa segurança de seus passageiros e condutores de veículos comprados porque dessa forma a sensação de segurança por parte do passageiro é a garantia de que terá um retorno econômico para sua própria empresa pois essa segurança traz para os compradores uma sensação maior de que se comprarem o produto não terão problemas para enfrentar futuramente E caso tiverem, tem confiança na empresa, que consertará os defeitos contidos.

Diferentemente da indústria, o pensamento da pessoa física é normalmente com a própria preocupação do seu bem-estar e em caso de acidente não machucar a si mesmo e em Casos de Família não pôr em risco a vida de seus entes queridos. Até porque quem arca com as consequências materiais, ou seja econômicas, de um acidente, caso comprovado que for por erro de fabricação, é a própria montadora do veículos, independente da marca, pois ela prometeu uma segurança que as vezes não ofereceu.

Segundo informações da empresa, pode haver alguma possibilidade de ocorrer um mau funcionamento da válvula solenoide da transmissão CVT, isso faz com que a unidade de controle eletrônico acenda uma luz de advertência no painel de instrumentos, isso poderá dar um limite a velocidade do carro em até 60 km/h. Diferente de alguns outros recalls onde pode ser oferecido os riscos materiais e físicos ao condutor e todos que estiverem dentro do veículo Toyota deixa claro aos seus passageiros que não vai haver a possibilidade desses danos ocorrerem por esse problema válvula solenoide. Então é um alívio para quem conduz por saber que sua vida não está em risco e que poderá confiar na marca para continuar usando seus veículos.

Gustavo Martins dos Santos


Chamado atinge veículos produzidos nos últimos três anos.

Para você entender do que se trata essa convocação da Hyundai, é necessário entender que o recall é um método usado pelas grandes montadoras de veículos, que ao saber de algum problema em seu carro produzido, convoca os portadores dos modelos “afetados” para um reparo no defeito encontrado, pois caso não aja esse concerto, a responsável por acidentes e danos no carro por defeitos é exatamente a empresa montadora.

Os chamados para este recall são os modelos que estão no título, HB20 e HB20S, sendo eles os de motor 1.0 Turbo com transmissão manual de seis marchas, a data de produção desses veículos foi de 28 de janeiro de 2016 até 5 de fevereiro de 2018, que foi o tempo que provavelmente demorou a empresa para descobrir este defeito contido no veículo do modelo citado.

O problema que se encontra nesses modelos está na sua válvula de controle de vácuo de servo do freio, sendo assim, a empresa apresenta duas soluções para o problema, e isso dependerá de qual a condição da peça, se ela não estiver danificada, a solução é mais simples, apenas será aplicado o isolador térmico no local onde pode estar o problema caso não corrigido. Diferentemente será a correção do problema se a válvula já apresentar alguma danificação, e essa medida é, a retirada e substituição da peça.

Por estar localizada em um local significativamente perto do conversor catalítico, a empresa diz que a peça poderá ser afetada de maneira que ela ressecará, mas não é um ressecamento simples, o seu problema para o motorista é que ao conduzir o veículo com defeito, poderá ser notado um barulho semelhante a um assovio no motor do carro, mas esse não é o único problema, da mesma maneira, caso estiver com defeito, o carro apresentará oscilações na marcha lenta, que também será perceptível ao condutor.

Além desses problemas citados, a empresa diz que isto afetará de outras maneiras, pois o ressecamento desta válvula pode causar um endurecimento no momento de frenagem do veículo, isso tem a ver com a exigência maior de força que deverá ser aplicada por quem conduz o carro, a falta de costume com essa exigência será ruim para o condutor, que ao não ter controle total sobre ela, poderá causar algum acidente de maior proporção afetando tanto ele quanto alguma outra pessoa que se envolva neste acidente, a empresa então teria que arcar com os gastos materiais e ficaria ruim para os dois lados, que também seria péssimo para o motorista que sofrerá um dano físico.

É de extrema importância, tanto para a empresa quanto para o funcionário, fazer esta revisão no seu veículo, para a empresa importa muito, pois para manter um nome bom no comércio é necessário que seus compradores tenham certeza de que o que estão comprando é realmente seguro para ele, pois caso não for e um acidente for causado por falha de fabricação do produto, quem deverá pagar a indenização será a empresa por não oferecer a segurança ao seu comprador.

Já ao comprador e condutor do veículo, a importância com sua própria vida o levará a fazer esta revisão, pois a intenção de comprar de uma marca de carro é por confiar em seu produto, sendo assim, o chamado para recall também mostrará para motoristas o quão a fábrica se importa com quem está conduzindo seus veículos, ao saber disso novos compradores se asseguram a comprar mais ainda, visando a importância empresarial no assunto segurança.

Gustavo Martins dos Santos


Chamado atinge os modelos Fiat Palio, Uno, Idea, Punto, Siena e Strada.

Se você é proprietário de um veículo da marca Fiat, recém-comprado em uma concessionária, fique atento às informações deste artigo, pois a Fiat acaba de anunciar um novo Recall e dessa vez são 10 modelos que foram convocados.

Quem compra um carro novo não espera tão cedo passar por quaisquer tipos de problemas com o novo possante. Afinal, está tudo tão novo que só depois de muitos quilômetros rodados que um reparo é realmente necessário. Além disso, na maioria dos casos que se compra um carro zero as próprias concessionárias oferecem manutenções rotineiras, geralmente para depois que o carro atinja uma determinada quilometragem, somente para garantir se está tudo bem, pois isso faz parte da garantia do veículo.

Porém, quando a montadora descobre que algum de seus modelos saiu de fábrica já com um defeito, é necessário que um recall seja realizado. É isso mesmo, assim que é confirmada a existência de um defeito em um modelo, a marca tem que imediatamente convocar os proprietários a apresentarem esses veículos para passarem por um reparo.

Não é a primeira vez que a Fiat anuncia um recall, mas dessa vez são 10 modelos que estão convocados para a vistoria. A soma total de unidades passa de 15 mil veículos.

Mas, segundo a marca, está tudo sobre controle. O recall foi anunciado no dia 09 deste mês de março, última sexta-feira, e a partir da próxima segunda, dia 12, os agendamentos e reparos já começam a ser realizados.

Os dez modelos envolvidos no recall possuem como ano de fabricação 2016/2017 e possuem chassis não sequenciais. Confira abaixo os modelos e os últimos seis dígitos de seus respectivos chassis:

  • Idea 1.4 – 286655 a 287019;
  • Palio Fire 1.0 – 585667 a 605940;
  • Uno 1.0 e 1.4 – 75664 a 771071;
  • Punto – 342058 a 348260;
  • Novo Palio – 16344 a 297737;
  • Siena 1.4 – 063979 a 065020;
  • Fiorino 1.4 – 058971 a 080249;
  • Palio Weekend 1.4 – 089496 a 098502;
  • Strada 1.4 – 083657 a 123494;
  • Grand Siena 1.4 – 300812 a 337173;

Se você verificou que seu carro faz parte dessa lista, a recomendação é que você ligue para uma das concessionárias Fiat e agende um horário para que o reparo possa ser feito.

Os proprietários não têm que pagar nada pelo reparo e nem existe um tempo determinado, com uma data limite para apresentar seu veículo. Mas, por questões de segurança, é recomendável que isso seja feito o mais rápido possível.

A marca informou que não existe até o momento nenhum registro de colisão ou acidente em decorrência desse defeito. Por isso, para que a segurança seja mantida, o reparo realmente tem que ser realizado.

O defeito que esses modelos possuem está em seu alternador, que possui uma falha que pode fazer com que o motor funcione de forma irregular e em casos mais graves pode até ocasionar o seu desligamento repentino, comprometendo assim a dirigibilidade do veículo e colocando em risco a integridade física e a vida de seus ocupantes e terceiros, o que é muito pior que os danos materiais.

Desse modo, os proprietários de veículos que foram convocados para vistoria devem estar atentos ao mínimo sinal de algo diferente. Os especialistas da Fiat informam que essa falha pode ser observada por meio da luz espia da bateria no quadro de instrumentos. Pois bem, se ela acender é sinal que o alternador está falhando e a recomendação principal é que a concessionária seja imediatamente informada. Neste caso nem é recomendável que esse carro seja dirigido. Comunique o problema e assim a loja mandará removê-lo para a devida reparação.

A FIAT informa que o reparo realizado não custará nada para seus proprietários, mas pede que todos não deixem de apresentar seus veículos, pois envolve questões de segurança.

Para maiores informações ligue para o número 0800 707 100 ou acesse o site da Fiat.

Sirlene Montes


Recall foi convocado por veículos apresentarem uma falha na parte elétrica da bobina de ignição, podendo ocasionar um problema que pode comprometer o bom funcionamento do motor.

Comprar um automóvel zero quilômetro com certeza é sinônimo de tranquilidade, afinal um carro novo não precisa estar sempre visitando a oficina mecânica para eventuais reparos e manutenções, como acontece com a maioria dos carros mais rodados que requerem um pouco mais de atenção em decorrência do tempo de rodagem que possuem.

Geralmente, os carros novos passam por apenas manutenções esporádicas que as próprias concessionárias oferecem no contrato de venda.

Contudo, nem sempre as coisas saem como o esperado e pode acontecer que automóveis novos, retirados da concessionária recentemente apresentem defeitos, geralmente já vindo de fábrica por uma alguma falha e que por oferecer certo risco aos seus ocupantes devem ser reparados, passando pelos conhecidos recalls.

E por falar em recall, a Fiat acaba de anunciar um recall em veículos no Brasil. De acordo com informações da montadora terão que passar pelo reparo o total de 5.802 veículos, que pertencem a oito modelos.

O recall deve ser feito, pois esses veículos apresentam uma falha na parte elétrica da bobina de ignição. Assim, essa falha pode ocasionar um problema que pode comprometer o bom funcionamento do motor.

Os automóveis que devem passar pelo reparo são de modelos fabricados nos anos de 2016/2017. Entre eles está o Fiat Mobi que é um dos modelos mais afetados pela falha, uma vez que se somam mais de 4 mil unidades.

Não é primeira vez que a Fiat convoca veículos de entrada para recall.

Seguindo o Fiat Mobi, o modelo que possui também muitas unidades a serem reparadas é o Fiat Uno, em que se somam 1.313 unidades da sua versão 1.0.

O reparo é simples. Trata-se apenas da substituição da bobina de ignição.

De acordo com informações da marca italiana, essa falha que ocorre no funcionamento da bobina pode ser o resultado de um desligamento que de dá de forma repentina no motor, independente se o carro estiver movimentando-se, o que pode colocar em risco a vida de seus ocupantes, pelo fato de existir o risco de colisão.

A bobina de ignição funciona transformando 12 volts que a bateria oferece em uma tensão que passa de 30.000 V. Assim, essa alta tensão é transferida para as velas, gerando uma faísca que é responsável pela mistura de ar-combustível, que entra em combustão no interior do motor.

Os proprietários destes veículos que devem passar pelo reparo, devem telefonar para o número 0800 707 1000, a partir da data de 13 do mês de novembro, próxima segunda-feira, e agendar um horário para a realização do reparo.

Segundo os mecânicos e engenheiros da Fiat o tempo estimado para a realização da troca da bobina é de aproximadamente uma hora, não passando deste tempo. Além disso, os proprietários não terão que pagar nada pelo serviço.

O importante é que todos os veículos que se encontrem nesse grupo façam a troca da bobina, para que assim possam trafegar com tranquilidade sem que haja nenhum risco de acidente.

Quem estiver com dúvidas e necessitar de outras informações pode acessar o site da montadora em www.fiat.com.br/ja-tenho-um-fiat/fiat-recall/recall.html.

Os oitos modelos são:

– Grand Siena 1.6: 1 unidade;

– Novo Palio 1.0: 26 unidades;

– Punto 1.6 e 1.8: 46 unidades;

– Strada 1.6 e 1.8: 83 unidades;

– Dobló 1.8: 98 unidades;

– Palio Weekend 1.6 e 1.8: 104 unidades;

– Uno 1.0: 1.313;

– Mobi: 4.131 unidades.

Não existe um período previsto para a realização do recall. Aliás, enquanto todas as unidades não passarem pelo reparo o recall não pode ser encerrado pela fabricante.

O recall por defeito é uma garantia que está prevista no Código de Defesa do Consumidor.

Nesse sentido, se os proprietários desses veículos encontrarem algum problema no agendamento ou atendimento, o fato deve ser denunciado no Procon.

Por Sirlene Montes

Fiat


Modelos sofrem com falha de software.

Todo mundo sabe que ter um carro usado pode gerar alguns contratempos, como muitas idas à oficinas mecânicas, troca de peças, manutenções mais frequentes. Enfim, um carro mais rodado requer mais cuidados para continuar rodando sem dar nenhum tipo de problema.

Em contrapartida, quando se compra um veículo zero quilômetro a expectativa dos consumidores é de que as idas à oficinas mecânicas sejam apenas para as manutenções programadas que as concessionárias oferecem, nos primeiros anos de uso. Nenhum comprador de um carro zero espera que ele possua um problema, principalmente que este problema possa colocar em risco a sua segurança e daqueles que transporta.

Mas isso pode acontecer e acontece bem mais que se espera. Tanto que sempre ouvimos falar dos recalls, que nada mais são que reparos realizados em automóveis recém-comprados, ou seja, carros novos, recentemente lançados pelas montadoras.

E por falar em recall, a Fiat Chrysler, a FCA, no último dia 12 do mês de outubro, realizou um pronunciamento anunciando que cerca de 1,2 milhão de picapes do modelo Ram, distribuídas em todo o mundo, terão que passar por reparos, em decorrência de uma falha existente em seu software.

Ainda está sendo averiguado, mas esta falha presente neste modelo de picape pode ser relacionada a um acidente que ocasionou a morte de um de seus ocupantes e o ferimento de mais dois.

De acordo com a fabricante, este problema está presente nos modelos de picapes Ram 1500 e 2500, que foram fabricadas entre os anos de 2013 e 2016, além da Ram 3500, que foi produzida entre os anos de 2014 e 2016.

Uma boa notícia para os brasileiros é que no Brasil não foram vendidas nenhuma dessas unidades que foram afetadas por este problema.

Na realidade, de acordo com a fabricante, a maioria das picapes que possuem o defeito a ser reparado está concentrada nos Estados Unidos. Onde chegam ao número de 1 milhão de veículos a passarem pelo recall.

A segunda maior concentração de picapes está localizada no Canadá, onde somam-se 216 mil. Por último temos o México, com 21 mil unidades da picape. Mas além destes lugares, ainda existem mais de 20 mil automóveis desses rodando em vários países de todo o mundo.

Pois bem, o desafio da Fiat Chrysler é reparar todos esses veículos para que seus usuários possam trafegar com tranquilidade, sem correrem o risco de se ferirem ou até mesmo perderem a vida em decorrência de uma falha de fabricação.

Em relação aos riscos, a fabricante esclarece que a falha no software está relacionada aos airbags. Mais especificamente aos airbags das laterais e também aos pré-tensionadores do cinto de segurança. O risco está no fato de estes acessórios nãos serem acionados em caso de colisão ou acidente em que haja impacto no assoalho, no momento em que a picape passar por cima de algo na pista ou estrada, levando à perda do controle da direção, por exemplo.

Isso pode acontecer em casos assim, pelo fato de o sistema compreender que há uma falha nos sensores que estão localizados embaixo do automóvel. Assim, quando ocorre a falha de um sensor ,o software impede que os airbags e pré-tensionadores sejam acionados.

Nesse sentido, para que os usuários fiquem em alerta, quando este tipo de erro ocorrer, uma luz irá acender no painel. Para resolver o problema, basta desligar e ligar o carro, mas para por um fim definitivo nessa falha a FCA vai realizar um recall, que está previsto para ter início em junho de 2018, começando pelos Estados Unidos, onde está a maioria das picapes.

De fato, tudo o que envolve a segurança de ocupantes de um veículo deve ser prontamente analisado para que assim possíveis acidentes sejam evitados.

Sirlene Montes


Modelos afetados podem ter problemas no freio.

A montadora Peugeot Citroën convocou nesta semana os proprietários dos modelos Peugeot 308, Peugeot 408 e Citroën C4 Lounge 2016 para um recall no freio. De acordo com a montadora, os freios dos carros podem ter problemas e causar acidentes por mal funcionamento. O recall é gratuito e deve ser realizado nas concessionárias das marcas.

Segundo o comunicado emitido pela Peugeot Citroën na última quinta-feira (1), foi constatada uma falha na montagem do diafragma do servofreio, que pode resultar em perda de vácuo do sistema de assistência de frenagem e prejudicar o bom funcionamento do freio. O problema endurece o pedal e diminui a eficiência das frenagens, obrigando o usuário a pisar no freio com uma distância maior do que a comumente necessária para evitar acidentes.

O reparo nos freios dos modelos afetados é gratuito e deve ser feito o quanto antes, a fim de evitar possíveis acidentes envolvendo o mal funcionamento do sistema de frenagens. De acordo com a Peugeot Citroën, mais de 860 veículos foram chamados para este recall.

Para fazer o recall, os proprietários devem verificar se seu veículo está na lista de unidades convocadas pela montadora e, em caso positivo, devem agendar o serviço nas concessionárias das marcas. O reparo deve ser realizado em 3 horas e não será cobrada qualquer taxa ou mão-de-obra.

Não há limite de data para fazer o recall, mas aconselha-se realizar o reparo o quanto antes, uma vez que todas as convocações de recall de montadoras de veículos são efetivadas devido a riscos eminentes de acidente e risco de morte. Além disso, todos os chamados de recall ficam registrados no chassi do veículo e podem constar como “não realizado” no momento do proprietário vender o carro, por exemplo, em uma possível vistoria cautelar.

Foram convocados 862 veículos para o recall, sendo 420 unidades do Citroën C4 Lounge, 328 unidades do Peugeot 308 e 114 unidades do Peugeot 408. Os veículos foram produzidos entre o final de 2015 e maio de 2016. Confira os chassis envolvidos no recall:

Chassis convocados (não sequencial):

  • Peugeot 308: De GG018848 a GG023552
  • Peugeot 408: De GG019305 a GG021756
  • CitroënC4 Lounge: De GG520898 a HG502941

Por Luana Neves


Problema atinge mais de 16 mil veículos fabricados entre 2012 e 2016.

Na última quinta-feira, dia 16, a Fiat Chrysler (FCA) resolveu lançar um alerta para os donos de 16.193 unidades do modelo retrô 500. Os carros foram produzidos entre os anos de 2012 e 2016. O alerta dado pela montadora diz respeito a uma possível falha na embreagem, em especial nos modelos que foram equipados com o câmbio manual.

Os chassis envolvidos no problema vão do 3C3FFBR1CT100677 ao 3C3AFFAR1GT173711.

De acordo com as informações constantes no comunicado, a falha que envolve o pedal de embreagem poderá impossibilitar que a troca de marchas possa ser feita. Como resultado o condutor poderá ter perda de tração do veículo.

A situação que mais pesa contra a fabricante é o fato de que ela ainda não possui uma solução nem em sentido paliativo e muito menos definitivo para o problema. Mas de qualquer forma ela garantiu que convocará a segunda fase da campanha de recall com a possibilidade de agendamento para o reparo assim que o mesmo estiver disponível.

A Fiat também não acrescentou no comunicado qualquer tipo de medida preventiva que os usuários do modelo poderão tomar até que seja solucionado o problema. Ainda assim, em caso de dúvidas a fabricante disponibilizou o seguinte telefone para contato: 0800-7071000.

Atenção para o Recall

Em termos gerais não existe recall feito por um defeito que não venha a ser sério. Conforme consta no Código de Defesa do Consumidor, as convocações devem ser realizadas quando surgir algum tipo de defeito de fabricação que possa colocar em risco a vida dos ocupantes do veículo.

Sendo assim, uma vez anunciado não há prazo limite de data para que o recall seja feito. A única coisa nesse sentido que poderá acontecer é a montadora estabelecer uma data para o início do recall, mas não uma para o fim do mesmo.

E tem mais, aqueles clientes que encontrarem qualquer tipo de problema seja ele no agendamento, lentidão para que o reparo seja feito ou até mau atendimento, o mesmo poderá se dirigir ao Procon para denunciar a situação.

E fica outro aviso. No caso de recall os consertos e reparos que vierem a ser feitos devem ser completamente gratuitos.

Por Denisson Soares


A marca Fiat começou no dia 23 de dezembro de 2014 a realizar um recall em oito modelos que foram produzidos no ano vigente. Esta convocação continuará até que todos os modelos sejam inspecionados.

No total, são 10.035 veículos que foram convocados para realizar uma vistoria no câmbio automático Dualogic. Os automóveis que estão envolvidos nesta vistoria são os que foram fabricados no período de 2 de julho até 28 de novembro de 2014.

Os modelos que foram convocados pelo fabricante para esta análise foram: Punto e Bravo; a nova versão hatch Palio; sedãs, Grand Siena e Linea; perua, Palio Weekend; monovolume Idea; e a picape Strada.

Conforme o comunicado da Fiat, é necessário vistoriar se existe algum defeito e, caso seja necessário, será realizado um reparo no câmbio automático. No caso de existir alguma falha, ela consistirá no mal funcionamento da embreagem, a qual deve ser acionada de modo automatizado sem que o motorista intervenha.

Com o defeito, existe o sério risco de acontecer acidentes que comprometam a vida do motorista e dos passageiros, além dos danos materiais.

Conforme a declaração da Fiat, a falha está no acoplamento e desacoplamento do disco de embreagem. Ou seja, ocorre um problema em arrancadas, chegando ao ponto de ser impossível realizar o engate de marchas, além de dificultar a troca de marchas, o que poderia resultar em um grave acidente.

Para uma maior agilidade na realização do recall, a Fiat recomenda que seja feito com antecedência o agendamento do serviço. A vistoria do veículo poderá ser feita em qualquer concessionária com uma média de uma hora de duração.

Caso seja necessário fazer o reparo com a troca do atuador da embreagem, a duração poderá ser de seis horas de atendimento ao cliente.

Para maiores informações sobre o recall, o consumidor poderá entrar em contato pelos seguintes telefones: (0800) 707-1000 e (0800) 282-1001.

Por Felipe Couto de Oliveira

Foto: divulgação


Nos últimos anos, os Recalls de veículos estão se tornando cada vez mais frequentes, com diversas fabricantes consagradas no meio automobilístico. Na terça-feira, dia 17 de junho, foi a vez da Toyota anunciar a convocação de mais de 28 mil unidades do Corolla para o reparo. O chamado é para modelos fabricados entre maio de 2002 e agosto de 2003, com numeração de chassi entre 8500004 e 8530349.

No total, foram chamados 28.148 unidades do Toyota Corolla, apenas nas versões XEi e SEG, fabricado entre maio de 2002 e agosto de 2003.

De acordo com a fabricante japonesa, o motivo para a convocação de reparo para os modelos citados está relacionado com a possibilidade desses veículos possuírem a bolsa do airbag dianteiro do lado do passageiro defeituosa. Devido este problema, pode haver má deflagração da bolsa inflável em caso de colisão, reduzindo a capacidade de proteção do sistema de segurança, acarretando em lesões ao passageiro e até risco de incêndio.

Como forma de prevenir qualquer infortúnio, a fabricante nipônica dará início, a partir do dia 17 de junho (terça-feira), a efetuar a desativação temporária do airbag, colocando um adesivo no painel com a notificação. Em uma segunda etapa do Recall, que será iniciada pela Toyota a partir do dia 3 de novembro deste ano, a fabricante realizará a troca do componente malformado por uma nova bolsa de airbag, sem qualquer custo ao cliente.

Além disso, buscando minimizar o risco aos ocupantes do veículo, a Toyota aconselha aos proprietários dos carros envolvidos na convocação a não usarem o banco dianteiro até o término da primeira etapa do Recall. A fabricante informa que, os proprietários dos veículos que efetivaram a substituição da bolsa do airbag dianteiro do passageiro, na campanha anterior, não precisam comparecer novamente às concessionárias da marca.

Para informações adicionais, a Toyota disponibilizou o telefone 0800 703 0206, bem como o site oficial www.toyota.com.br, no link “Campanha de Chamamento” na parte inferior do site.  

Por Caio Polo

Recall Toyota Corolla

Foto: Divulgação


A Land Rover anunciou no fim de abril quanto à necessidade de Recall de dois modelos de sua fabricação, o Range Rover Vogue Evoque. Só do Range Rover Vogue são 92 unidades, e do Range Rover Evoque são 2 unidades.  A marca estima que o tempo de reparo dos automóveis seja entre 30 e 60 minutos.

O Vogue inclui os automóveis fabricados no período entre maio e outubro de 2013, conforme  informações da montados os carros podem apresentar problemas no software do módulo eletrônico de controle das lanternas dianteiras de indicação de direção o que impede o acionamento adequado  das setas. Os chassis que apresentam o problema vão de SALGA2EF4EA124982 a SALGA2EE0EA142564.

Já para o Evoque, a convocação é para os modelos fabricados no período de novembro de 2013 a janeiro de 2014 e nestes carros será necessário a substituição dos parafusos de fixação do braço de ligação e suspensão traseira do lado direito, para isso os proprietários deverão comparecer a uma concessionária autorizada da Rand Rover para agendar a substituição gratuita a falha identificada pode resultar na deformação na fixação por excesso de torque durante o processo de montagem automatizado o que pode comprometer a direção do automóvel.

Os chassis para revisão vão de SALVA28G4EH856654 a SALVA2AE7EH880754.

Aqueles que se incluírem na lista de proprietários dos automóveis que precisam passar pelo Recall podem entrar em contato através do telefone 0800 012 2733 ou acessar  endereço eletrônico www.landrover.com.br. Informações e esclarecimentos também podem ser obtidos comparecendo em uma concessionária Rand Rover mais próxima.

A Rand Rover vem buscando e conquistando cada vez mais seu mercado no conceito de carros de luxo no Brasil e tem conquistando também pela aprovação no desempenho de seus carros desenvolvidos. O Evoque foi um dos carros mais vendidos da marca em 2013 o Vogue também conquistou seu espaço de destaque nos relatórios de vendas da montadora.

Por Jaime Pargan

Range Rover Evoque

Foto: Divulgação


Lançado na metade do mês de outubro, o Fiat Strada cabine dupla com três portas já se tornou alvo do mais novo recall promovido pela Fiat. A montadora italiana convocou no último dia 20 os proprietários de todas as versões do modelo (Working, Trekking e Adventure).

De acordo com o comunicado oficial distribuído pela Fiat, o chamado acontece para que possa ser realizada a substituição dos parafusos de fixação da haste de ancoragem do cinto de segurança do passageiro do banco direito.A empresa alerta que o modelo recebeu um parafuso de menor comprimento em relação ao que foi definido no projeto. Por causa disso, poderia ‘haver redução no comprimento útil de resistência, entre a porca e o parafuso, predispondo em caso de colisão a perda de ancoragem inferior do cinto, podendo afetar a segurança do usuário’, segundo a nota oficial enviada pela Fiat.

O recall envolve diretamente os veículos fabricados entre 5 de julho e 19 de novembro de 2013. O serviço é gratuito, no entanto a Fiat alerta que o agendamento deve ser feito com o máximo possível de antecedência.Estão à disposição dos proprietários desses veículos (ou de outros modelos, mas que tenham dúvidas) os telefones 0800-7071000 e também o site oficial da montadora (www.fiat.com.br). 

A versão com três portas para o Strada foi lançada de maneira oficial na metade do mês de outubro, na Ilha de Comandatuba, na Bahia e contou com a presença de mais de 100 jornalistas especializados, além de membros da alta cúpula da Fiat no Brasil.

A ideia de uma terceira porta nas versões de cabine dupla era, além de facilitar o acesso aos usuários do veículo, ajudar a Strada a manter a liderança do mercado das picapes, no qual o modelo da Fiat mantém a hegemonia há anos. A porta é chamada de ‘suicida’, por não contar com a maçaneta do lado de fora, só podendo ser aberta se a porta do lado direito também estiver aberta.

Por Chris Lino


A General Motors do Brasil está convocando os donos dos modelos Chevrolet Onix e Prisma, com fabricação entre os dias 20 e 23 de maio desse ano devido a um problema no mecanismo de reclino do encosto nos bancos frontais.

Segundo a montadora, o defeito pode causar uma movimentação involuntária do encosto com possibilidade de acidentes. As ações de inspeção acontecem desde o dia 8 desse mês e verificam se o veículo possui ou não o problema. Em casos positivos, a concessionária leva cerca de 1 hora e 50 minutos para realizar os reparos.

De acordo com a montadora, 2.863 veículos foram atingidos pelo problema, sendo 1824 do modelo Onix e o restante são do Prisma. A sequência de chassis que necessitam entrar em contato com a Chevrolet vão de DG260034 a DG322859.

Uma das maiores preocupações da indústria automotiva mundial é a enorme quantidade de recalls que tem se tornado cada vez mais frequentes. Isso reflete na qualidade dos veículos vendidos, algo que passa a impressão para o consumidor de que ele compra algo, na verdade, inacabado, que será terminado após a venda ao cliente.

A General Motors do Brasil não revelou mais detalhes do problema e nem divulgou se tem conhecimento de algum acidente envolvendo os problemas relatados.

Por Ebenézer Carvalho


Mais um recall foi anunciado pela montadora americana Chrysler. O problema que atingia os air bags de uma série de veículos da empresa também foram identificados em veículos comercializados em terras nacionais. Com isso, os donos dos modelos Town & Country modelo 2013 terão que levar o veículo até uma concessionária da rede para que o módulo do air bag possa ser reprogramado. A convocação atinge 51 unidades do modelo que vão do intervalo de chassis de 2C4PC1BG0DR782916 até 2C4PC1GGXDR715815.

Segundo o comunicado do recall, o tempo total de reparo deve ser de meia hora e a reprogramação do módulo é necessária para garantir proteção adicional aos usuários em caso de certos tipos de batidas. Com o problema, em alguns casos o dispositivo de segurança pode ser acionado apenas no lado oposto ao impacto, Nessas circunstâncias o passageiro ou o motorista poderiam ficar sem a proteção do dispositivo, o que poderia ser potencialmente perigoso.

A convocação acontece poucos meses após a empresa anunciar que quase meio milhão de veículos deveriam ser vistoriados devido a problemas nos microcontroladores do suporte de cabeça. Em caso de batidas fortes na traseira, o suporte deve se mover para frente, impedindo que a cabeça e o pescoço da vítima sejam jogados para trás e evitando lesões nessas áreas. A empresa afirmou que desconhece qualquer acidente relacionado ao problema.

Por Ebenézer Carvalho


Os donos dos modelos 330i SMG, 325Ci/A, 320i/A, 325i/A, M3 Coupé, 330i SMG e 330i/A do Serie 3 fabricados entre os anos de 2001 e 2003 no Brasil foram novamente convocados para um recall. Segundo a empresa, o problema se encontra no airbag dianteiro do passageiro que pode acionar de maneira incorreta em casos de colisão, o que poderia provocar danos sérios à integridade dos passageiros.

Na etapa anterior, realizada em Junho desse ano, foram convocados cerca de 502 unidades para fazer uma inspeção e desativar o módulo causador do problema. Agora, os veículos que apresentaram a falha devem retornar para que seja feita a substituição dos airbags defeituosos.

Os proprietários que desejarem mais informações sobre o recall podem entrar em contato com a empresa diretamente pelo telefone 0800-707-3578 ou acessarem o site da empresa: www.bmw.com.br.

Por tratar-se de um item essencial à segurança, a empresa recomenda que todos os veículos inspecionados na primeira etapa e que tiveram seus airbags desativados retornem para que o acessório possa ser substituído.

Vale lembrar que essa não é a primeira vez que a empresa convoca seus clientes para realizarem revisões de emergência. Em fevereiro desse ano o Procon de SP realizou duas notificações à BMW do Brasil por anunciar recalls incompletos e que deixavam em dúvida sobre quais seriam os riscos que os problemas realmente poderiam causar aos clientes.

Na ocasião, uma falha nos contatos da bateria e problemas no freio de diversos veículos da companhia fizeram com que alguns clientes tivessem que se deslocar até as concessionárias para garantir a resolução das falhas.

Por Ebenézer Carvalho


A Honda Automóveis do Brasil convocou nesta quarta-feira, 26 de junho os proprietários do modelo Honda Fit ano/modelo 2004 a 2008 para, a partir do dia 22 de julho, comparecerem nas concessionárias da marca para um reparo nos vidros. Segundo a montadora são 186.553 as unidades que devem responder ao recall. Os chassis dos automóveis estão entre o 4Z100001 e 8Z601735.

A Honda, que já havia convocado um recall para as mesmas unidades em 2010, anunciou que “Este comunicado aplica-se a todos os veículos reparados ou não na campanha iniciada em 2010 para inspeção do mesmo componente”.

O reparo se deve a possibilidade de infiltração nos interruptores dos vidros, o que pode levar a um curto-circuito e, consequentemente, a um incêndio. A montadora declarou que o recall é para um reparo “temporário”, isso porque está sendo fabricado um novo dispositivo, mas que ainda não está disponível no Brasil, dessa maneira, os proprietários desses veículos serão novamente convocados para a instalação do componente definitivo.

O agendamento para o reparo deverá ser feito pelo site www.honda.com.br/recall/autos ou pelo telefone 0800 701 3432, em horário comercial.

Por Joana Junqueira borges


A Peugeot do Brasil está realizando recall dos modelos 308 e 408 por problemas tidos no sistema de freio. Os proprietários desses modelos já estão agendando a checagem dos veículos desde o último dia 20. De acordo com o informado o problema atinge ao todo 811 unidades do Peugeot 308 com motor THP (Feline) e 408 também como motor THP versão Griffe. Os modelos foram fabricados em 2011 e 2012.

O problema nos freios identificado pela empresa é em relação ao posicionamento dos tubos de vácuo do sistema de freio. Dependendo do caso os mesmos deverão ser reposicionados ou ainda trocados. A Peugeot informa que o procedimento é de grande importância já envolve questões de segurança uma vez que a montagem errada dos tubos pode ocasionar em raros casos o desgaste já que vão entrar em contato com as peças em volta.

Conseqüentemente isso poderá fazer com a assistência de frenagem seja reduzida ou ainda provocar o endurecimento do pedal ocasionando riscos de acidentes.

Caso possua um dos modelos confira abaixo os números dos chassis divulgados pela montadora:

Chassi do n° DG018232 ao DG018529 para o Peugeot 308 Feine THP

Chassi do n° CG001821 ao DG034635 para o Peugeot Griffe THP.

Para maiores informações acesse www.peugeot.com.br

Por Denisson Soares


Mais de 23.352 veículos da fabricante japonesa Honda passarão pelo recall que também faz parte do recall mundial de 3,5 milhões de veículos por problemas no airbag.

Os veículos a serem verificados são de 23.339 unidades do modelo sedã Civic e 13 unidades do modelo SUV CR-V. Os modelos a passar pelo recall são: o Civic fabricado entre 2001 a 2003 e o CR-V 2002. Os proprietários destes modelos de carros devem comparecer em alguma concessionária Honda a partir do dia 22 de abril.

Em alguns carros podem ocorrer que em meio a uma colisão seja de intensidade fraca ou forte haja uma ruptura do airbag facilitando que fragmentos sejam arremessados na parte interna, ocasionando danos físicos e materiais aos ocupantes e esse recall é para substituir o insuflador do airbag do lado do passageiro.

É recomendável que o proprietário do veiculo faça um agendamento para o recall através do site www.honda.com.br/recall/autos ou ligue na central de atendimento que é 0800-701-3432 de segunda a sexta das 8 às 20 horas no horário de Brasília.

A Honda já informou que deverá ocorrer o recall no total mundial de 1.135 milhão de veículos.

Por Mariana Rodrigues


A Chevrolet anunciou nesta semana mais um recall em seus veículos. Desta vez foram identificados problemas nos modelos Agile e Montana em um total de 13.373 carros afetados.

De acordo com a empresa, existe uma falha na fabricação dos tubos de alimentação e combustível desses carros que ocasionam danos em sua superfície interna.

Com isso, existem riscos de vazamentos de combustível podendo ocorrer, até, incêndios nos veículos com o problema.

Os veículos que integram este recall são para o modelo Montana os fabricados entre 19 de setembro de 23 de novembro de 2012 com chassis entre DB152440 e DB205070.

Já para o Chevrolet Agile as unidades adulteradas são as fabricadas entre 04 de outubro e 23 de novembro de 2012 com numeração do chassi entre DR141160 e DR175496.

Para realizar o serviço pode ser feito o agendamento pelo telefone 0800-702-4200, sendo que o serviço demora em média 15 minutos para ser realizado.

Por Ana Camila Neves Morais


A montadora de veículos Nissan está convocando os proprietários de picapes Nissan Frontier Limited Edition produzidas na Espanha entre os anos de 2005 e 2008, para comparecerem a uma das concessionárias da empresa para a verificação e realização do recall do veículo.

De acordo com a empresa, o chamado se deve ao fato de que as rodas de liga leve que equipam os veículos, correm o risco de trincamento quando usadas com carga máxima, gerando um grave risco de acidentes. Os veículos que passarem pelo recall, terão as cinco rodas trocadas.

O chamado inclui as 208 unidades do modelo vendidas no Brasil, com número de chassis entre: VSKCVND4060069190 e VSKCVND4070144648. A empresa informou que tentará entrar em contato direto com os proprietários dos veículos. Quem quiser mais informações poderá entrar em contato através do telefone: 0800 011 1090, ou através do site: www.nissan.com.br.

Por Henrique Pereira


O carro mais popular da Citroën no país é o C3. O modelo é um dos principais responsáveis pelas boas vendas da fabricante, tanto que até ganhou, recentemente, uma versão especial em conjunto com o portal Terra (Sonora). Outro exemplar de destaque é o Aircross, que chegou ao mercado nacional para competir com outros da classe monovolume.

A Citroën do Brasil Automóveis Ltda. anunciou na segunda-feira (18) recall do Aircross 2010 dos chassis BB504240 ao BB566301 em função de problemas envolvendo parafusos da fechadura do capô. Nem todos os modelos fabricados no intervalo apresentam o problema, restando ao consumidor entrar em contato com SACC da montadora para saber mais informações (0800 011-8088).

O veículo que apresentar esse defeito precisa ser reparado, caso contrário há possibilidades de ruídos e mais além abertura espontânea do capô, podendo ocasionar acidentes. O prazo do chamado é indeterminado.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Citroën (Assessoria de Imprensa)


Nesta semana foi anunciado mais uma operação para recall de veículos em nosso país. Dessa vez a montadora de veículos Chrysler, através da Chrysler Group do Brasil anunciou o recall envolvendo 483 unidades da minivan Town & Country.

Os veículos convocados para o recall foram fabricados entre 2008 e 2009 e devem ser levados a uma das concessionárias da empresa para que seja feita a inspeção dos chicotes elétricos das duas portas deslizantes (o serviço será gratuito).

De acordo com a empresa, existe a possibilidade de os chicotes elétricos localizados nas dobradiças das portas se desgastarem, gerando um superaquecimento. A fabricante menciona que nesses casos existe a possibilidade de ocorrer incêndio dentro das portas. Se houver necessidade, os chicotes do veículo serão trocados na concessionária da empresa.

O cliente que deseja saber se o seu veículo está convocado para a realização do recall, deverá entrar no site: www.chrysler.com.br, ou entrar em contato através do telefone: 0800 703 1730.

Por Henrique Pereira


A convergência de sistemas facilita a vida do cidadão. Para exemplificar a ideia e chegar a outra mais adiante, é possível realizar uma série de solicitações em "Poupatempos" espalhados por toda a cidade de São Paulo por meio de cruzamento de dados. A geração do Imposto de Renda Pessoa Física (e Jurídica) também é outro exemplo.

A partir da próxima quinta-feira (17), o número do Registro Nacional de Veículos Automotores, ou simplesmente Renavam, trará ao condutor informações sobre recalls. Quando o motorista acessar a página virtual do Denatran e informar os dados do veículo, poderá saber se existe algum chamado pendente.

Por enquanto, apenas informações a partir de 17 de março serão elucidadas. Convocações não acatadas num prazo de 365 dias também constarão no Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo.

O projeto visa elucidar ao Denatran sobre o curso de todos os recalls realizados pelo país. Ao motorista, o intento é interessante por permitir, no ato da compra de um carro seminovo ou usado, que ele tenha acesso a chamados não realizados, caso assim seja, pelo antigo dono.

Leia mais: Veículos – Não realização de Recalls serão inclusos no Renavam

Por Luiz Felipe T. Erdei

 


A Volvo está divulgando mais um recall, dessa vez, para cerca de seis mil unidades dos modelos S60, S80, XC60 e XC70, todos fabricados em 2011. O motivo da chamada é para consertar falhas no módulo que gerencia o motor. De acordo com a montadora sueca, essas falhas poderiam fazer com que o combustível, em alguns casos, desligasse o parâmetro do software do automóvel e, consequentemente, parar o motor.

A inspeção, que será gratuita, já começa no início de dezembro. Serão feitos reparos que incluem a atualização do software do módulo de controle dos veículos.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 0800-707-7590 ou pelo site www.volvocars.com.br.

Por André Gonçalves

Fonte: Quatro Rodas


A montadora Peugeot Citroën Brasil informou nesta segunda-feira (27) que fará um recall de mais de 2 mil veículos 207 HB, modelo 2009 e 2010 no país.

De acordo com a empresa, foi constatado um erro na aplucação do torque de aperto dos parafusos dos carros, o que poderia resultar em ruídos no capô e soltura da fechadura da peça, provocando acidentes.

Os números de chassis dos veículos envolvidos vão de AGO 16976 a BG000002. São 2.238 veículos envolvidos no recall da Peugeot Citroën.

Os proprietários dos veículos envolvidos devem procurar uma concessionária da marca para agendar a verificação.

Informações:0800-703-2424 ou no site www.peugeot.com.br.

Por Luana Neves


A temporada de recalls de automóveis continua em plena alta e já envolveu mais de 11 milhões de unidades este ano somente no país. Desta vez serão dois modelos da montadora Kia Motors que passarão em breve por recall aqui no Brasil. Nos Estados Unidos, onde o problema foi detectado, os modelos Soul e Sorento necessitarão trocar peças em função da má fixação do sistema de iluminação das portas, que pode eventualmente provocar incêndio. Até o momento não existem registros de nenhum acidente provocado por este problema.

No Brasil, onde o recall será anunciado em breve pela Kia Motors do Brasil, envolverá os modelos Sorento 2011 e o Mohave 2010 em um total de 1.807 veículos, também pelo mesmo problema verificado nos Estados Unidos. No Brasil o modelo Soul não necessitará participar deste recall porque, segundo a fabricante, a versão brasileira deste modelo possui uma configuração diferente da versão comercializada nos Estados Unidos.

Os proprietários dos modelos Kia Mohave, série de chassis de KNAKN811DA5048913 a KNAKN813DB5059848, e Kia Sorento, série de chassis de KNAKU811DB5079218 a KNAKU813DB5107938 deverão entrar em contato com a rede de concessionárias da Kia Motors do Brasil para que a troca gratuita do chicote da iluminação superior do revestimento da porta seja realizada. As trocas deverão ser iniciadas ainda neste mês de Setembro conforme informações da montadora.

Por Mauro Câmara

Fonte: G1


A Toyota anunciou na última quinta-feira mais um recall de seus veículos no mercado dos Estados Unidos. De acordo com a nota divulgada pela montadora, o recall envolve cerca de 1,1 milhão de unidades dos modelos Corolla e Corolla Matriz produzidos entre os anos de 2005 e 2008.

A verificação se dará no motor dos modelos, que podem apresentar defeitos de fabricação nos módulos de controle do motor. Segundo a Toyota, o motor 1ZZ-FE pode apresentar rachaduras em pontos de solda ou em outras partes da peça, o que pode causar uma parada repentina do motor com o automóvel ainda em movimento.

A Toyota esclarece que as unidades convocadas para recall foram vendidas somente nos mercados da América do Norte. Desta forma, não há unidades dos modelos convocados presentes no mercado brasileiro.

Por Luana Neves


A Toyota do Brasil está realizando um recall de veículos da divisão Lexus no Brasil. Os veículos LS460L e LS600hL, fabricados entre os anos de 2005 e 2008, segundo a montadora, podem apresentar um defeito de fabricação.

O problema foi constatado nas molas das válvulas do sistema de admissão e escape do motor dos modelos. As molas podem quebrar ou funcionar de forma irregular. Em nota, a Toyota afirmou que o erro pode interromper o funcionamento do motor com o veículo ainda em movimento.

Os proprietários dos modelos devem se informar sobre o recall através do site: www.lexusbrasil.com.br ou www.toyota.com.br e comparecer a uma das assistências autorizadas da Lexus em todo o país para realizar a verificação e possível troca da peça.

Outras informações também podem ser obtidas pelo telefone 0800 703 0206.

Por Luana Neves


A montadora Honda anunciou no início desta semana o recall de unidades do modelo sedã Accord 2003 comercializados no Brasil. De acordo com a Honda, pode haver falhas na retirada da chave do Accord, o que pode resultar em acidentes caso a alavanca do câmbio não esteja na posição de estacionamento.

Segundo a montadora, o recall envolve os chassis das sequências 3HGCM56603G500126 e 3HGCM56603G500245. Os proprietários do Accord 2003 entre os respectivos chassis devem comparecer a uma das concessionárias da Honda para realizar a verificação e possível troca do kit que apresenta defeito.

A verificação de peças do Accord 2003 no Brasil foi informado após a divulgação de um recall envolvendo mais de 300 mil unidades da Honda nos Estados Unidos.

Outras informações sobre o recall da Honda podem ser obtidas através do site: www.honda.com.br ou pelo telefone: 0800-017-1213.

Por Luana Neves


A montadora Jaguar e Land Rover anunciou nesta semana o recall de mais de 30 veículos vendidos no Brasil, fabricados em 2005 e 2006.

De acordo com a montadora, são 32 veículos dos modelos Range Rover Sport e 89 Discovery 3 inseridos no recall. A verificação deverá ocorrer no sistema de freios dos modelos, que podem apresentar problemas e causar acidentes.

Os proprietários dos carros com chassis: SALLAAA145A311257 a SALLAAA146A367095 e SALLSAA146A915128 a SALLSAA146A924239 devem se dirigir a uma das concessionárias da marca e realizar a troca da válvula e da mangueira de vácuo.

Informações através do telefone de atendimento da montadora: 0800 012 2733.

Por Luana Neves


O numero de recalls até o final de maio já ultrapassou a marca de todo o ano passado. O último chamamento foi do Novo Ford Ka, mas ainda tiveram do Ford Fusion, Fiat Stilo, GM Hummer, Toyota Corolla, C4 hatch e pallas da Citroën, o Novo Gol e o Voyage da Volkswagen.

Por que aumentaram tanto o números de recalls das montadoras de veículos no Brasil? Isso traz uma certa tensão a medida que concluímos ou questionamos queda de qualidade, diante da crescente oferta e procura do mercado.

É solicitado um recall quando algum item do produto fabricado pode interferir na saúde ou segurança do consumidor. Em alguns casos o recall é acionado por conta de reclamações, por isso é muito importante que o consumidor esteja atento naquilo que achar prejudicial no funcionamento ou consumo de produtos e acionar o SAC da empresa em questão.

Por Rogerfarias


Toyota admite problemas em 270 mil veículos da linha Lexus e Crown

O problema, admitido pela Toyota, está nos motores dos seguintes modelos: Crown e Lexus GS350, GS450h, GS460, IS350, LS460, LS600h e LS600hL.

O porta-voz da montadora japonesa, Hideto Yukawa disse que o motor destes veículos podem parar subitamente devido a uma falha no funcionamento de uma válvula.

O ano de 2010 não vem sendo nada bom para a Toyota. No último dia 27 a montadora realizou recall de 17 mil unidades do modelo Lexus HS 250h, nos EUA, devido a problemas de vazamento de gasolina. Já no início deste ano, anunciou um recall envolvendo 8,5 milhões de automóveis pelo mundo, por causa de problemas com aceleração súbita.

Por VSZ


A montadora alemão convocou os proprietários da Sprinter fabricados entre os meses de setembro/2009 e abril/2010.

O problema está no cinto de segurança. A fixação dos parafusos do cinto dianteiro está fora dos padrões.

Os modelos afetados são os seguintes: 311, 313 e 413. Chassis: (não sequenciais) 8AC903672AE023662 a 8AC903662AE029771

No último dia 15 de junho a Mercedes fez um recall do mesmo veiculo. Na época, o problema estava no freio de estacionamento. Havia a possibilidade das extremidades do cabo se quebrarem.  

Os proprietários que queiram mais informações devem ligar na Central de Atendimento ao Cliente (0800 970 90 90) ou acessar o site.


Os modelos C30, S40, S80, V50 e V70 estão com defeito na alavanca do câmbio. O recall atinge apenas modelos na Grã-Bretanha, Alemanha e Suécia.

Os proprietários brasileiros não precisam se preocupar. No Brasil nenhum carro da Volvo foi afetado, pois aqui não se vendem veículos com câmbio manual e de seis velocidades que são os modelos que apresentaram problemas.

A montadora sueca informou, em nota oficial, que ocorreu um problema na hora da montagem do câmbio.

Este erro pode ocasionar em falhas no engate e desengate das marchas resultando em danos no sistema, com possível desprendimento de peças e também em um acidente automobilístico.

Por Vinicius Zucheratto


Pouco mais de 166 mil veículos do modelo Ka, da Ford, devem comparecer às concessionárias para verificar o chicote elétrico e possível troca.

Segundo a Ford, todos os veículos passarão por verificação e ajuste do modo como foram afixados os chicotes elétricos.

Problemas como pane elétrica e diversas anomalias com faróis, setas e qualquer componente elétrico podem ser frutos do desgaste irregular, além de incêndios que podem ser provocados por curtos-circuitos mais graves.

As unidades convocadas são os modelos fabricados entre 2008 e 2010, com chassi até o AB203702.

Basta comparecer às concessionárias ou entrar em contato com o 0800-703 3673 para maiores esclarecimentos ou acessar ao site: www.ford.com.br

Por José Alberi Fortes Junior


Foi anunciada pela General Motors nesta quarta-feira, 05 de maio de 2010, nos Estados Unidos, a realização de um recall de mais cento e sessenta mil unidades do veículo Hummer H3, com fabricação entre os anos de 2006 e 2010.

O motivo do recall é devido à verificação de um problema no capô do modelo, que poderia ficar parcialmente solto, e até mesmo levar à quebra do carro. Nick Richards, porta-voz da empresa, afirmou que houve duas denúncias sobre o defeito nos Estados Unidos e três no Japão. O problema deverá ser corrigido através da utilização de adesivo na peça que mantém o capô fechado.

Fonte: Folha, O Globo e Estadão

Por Elizabeth Preático


A montadora Toyota, em período de crise com diversos recalls, divulgou que as unidades atingidas podem ser unidades que foram produzidas a partir do mês de abril do ano de 2008.

Segundo a Fenabrave, nesse período foram produzidas e comercializadas cerca de 102.890 unidades de veículos.

O recall que aconteceu devido a problemas na fixação no tapete, o qual a fabricante ainda não assumiu, teve repercussão nacional e a marca divulgou uma nota prestando esclarecimentos aos proprietários dos veículos (sedã Corolla).

Embora não reconheça o problema na fixação dos tapetes, a Toyota lamenta os incidentes causados e em acordo com o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor(DPDC) irá tomar providencias.

Por José Alberi Fortes Junior





CONTINUE NAVEGANDO: