O Estado do Rio de Janeiro é o primeiro e adotar o uso das placas no padrão Mercosul no Brasil.

No ano passado os brasileiros foram surpreendidos com uma novidade que despertou muitas polêmicas. Estamos falando de uma mudança nas placas de veículos que teriam que ser substituídas a fim de promover uma padronização entre os veículos da América do Sul.

Muitas coisas aconteceram desde o anúncio dessa mudança eu contribuíram para que ela não fosse realizada na data inicialmente prevista.

Contudo, agora depois de muitas idas e vindas dessa padronização já está confirmado. No Brasil, a nova placa que está sendo adotada pelos países que fazem parte do Mercosul passa a ser utilizada nesta terça-feira, dia 11 de setembro de 2018.

Essa notícia surgiu meio que de repente nesta segunda-feira, dia 10 de setembro, por meio de um comunicado que foi emitido pelo Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro em que foi confirmada a adoção desse novo sistema de placas.

O Estado fluminense será o primeiro a usar as novas placas no país. Embora essa nova placa seja com detalhes bastante complexos, o seu valor será o mesmo que atualmente é cobrado pelos Detrans, que é o valor de R$ 219,35.

Para quem ainda não estava muito ciente sobre esse novo sistema de placas, elas inicialmente serão utilizadas em carros novos, os que saem de fábricas e concessionárias. Outros carros que também já poderão receber as novas placas são os veículos que precisarem ter a sua placa substituída, seja em razão de danificação, por mudança da categoria, transferência de dono, de município ou de estado. Estes que se encontram nestas condições terão que utilizar as novas placas. Mas aqueles proprietários que desejarem já adotar o uso das novas placas de forma voluntária, podem pagar as taxas e realizar a troca.

Em relação à placa, a mudança principal está em seu padrão visual que possui um fundo na cor branca com uma faixa azul em sua parte superior. O que definirá a categoria do veículo serão as cores dos números e das letras. Aliás, a sequência dos números também passou por alterações. Atualmente, temos as placas com três letras e com quatro números. Já a nova placa virá com quatro letras e com três números que podem estar mesclados.

Aquela plaqueta que é utilizada para a identificação do município e estado também deixará de existir. A única inscrição que conterá na placa é “Brasil”.

Itens de Segurança da placa Mercosul

Para fazer a identificação do município e do estado serão utilizados dois brasões. O nome do município virá escrito com uma letra menor localizada sob o logotipo.

O grande diferencial deste novo sistema de placas relaciona-se à segurança. Aliás, o sistema de segurança das novas placas é semelhante aos itens utilizados nas cédulas.

As novas placas serão equipadas com um código chamado de QR Code, além de um chip que juntos irão permitir que a placa seja rastreada em qualquer um dos países que fazem parte do Mercosul. Isso representa uma grande vantagem, uma vez que será um empecilho na clonagem de placas, um ato criminoso muito comum atualmente e que é de difícil fiscalização.

Nesse sentido, se você for comprar um carro zero ou precisar mudar a placa do seu carro já poderá trazer esta novidade que finalmente se tornará uma realidade no Brasil, enquanto eu em outros países como Argentina e Uruguai ela já é uma realidade.

Como já foi dito, o objetivo principal dessa padronização entre países do Mercosul é tornar a fiscalização mais eficiente e oferecer mais segurança aos proprietários de veículos.

Se você ainda possui dúvidas, informe-se mais no Detran de seu estado, lembrando que o primeiro a receber as novas placas é o estado do Rio de Janeiro.

Por Ana Paula

Placa Mercosul


O Q5 começará a ser comercializado na Europa no início de 2017.

Após várias teasers, boatos e muita expectativa, a Audi finalmente revelou a tão esperada segunda geração do Q5. A apresentação oficial do automóvel foi realizada no salão de Paris. Para quem ainda não conhece o Q5, saiba que se trata da opção intermediária do SUV da família da montadora alemã. Com isso, o Q5 está acima do Q3 e abaixo do Q7, no entanto, o que se percebeu é que o mesmo vem recheado de traços dos outros dois carros da família.

Um detalhe muito importante é que o Q5 começará a ser comercializado na Europa já no início de 2017. O mesmo também deve chegar ao mercado brasileiro, pois a Audi já confirmou a notícia, apesar de não ter especificado uma data para a chegada do automóvel.

O design do Q5 é um dos principais destaques deste lançamento, haja vista o visual elegante bastante característico dos automóveis da Audi. O Q5 vem acompanhado com uma grade hexagonal mais larga na dianteira, algo um pouco diferente do que estamos acostumados a ver em carros de passeio da montadora alemã. Tal característica está mais presente nos utilitários de Ingolstadt.

Como destacado, o Q5 trás alguns traços da versão de entrada, o Q3, bem como da versão top de linha, o Q7. Um exemplo são as lanternas na traseira, que fazem menção ao Q3. Além disso, o mesmo ainda conta com detalhes do A5, outro lançamento da Audi. Um detalhe mais arrojado é o vinco que passa por toda a lateral do carro.

Outra característica marcante nos lançamentos da Audi é, sem sombra de dúvidas, a tecnologia de ponta. Neste quesito o Q5 não deixa a desejar. O mesmo conta com a integração de materiais mais resistentes, bem como leves, sendo que o mesmo foi reduzido em até 90 kg, segundo a fabricante. A cabine interna é bastante semelhante àquelas presentes nos novos modelos da marca alemã. Com isso, temos o Virtual Cockpit, o quadro de instrumentos configuráveis com tela de 12,3 polegadas.

O Q5 também ganhou novas medidas, haja vista os 4,66 m de comprimento e o entre-eixos que agora possui 2,82 m. Para aqueles que buscam espaço, saibam que o porta mala ganhou 10 litros e agora passa a ter 550 litros de espaço total. Devido a possibilidade de mover os bancos traseiros através dos trilhos, o volume total do porta-malas chega pode chegar a 610 litros.

Este lançamento conta com duas opções de motor a diesel: 2.0 de 190 cavalos e o 3.0 V6 de 286 cavalos. Além disso, ainda existe a opção a gasolina 2.0 com 252 cavalos. O câmbio é sempre automatizado de dupla embreagem S-Tronic com sete marchas.

Por Bruno Henrique

Audi Q5 2017


Item de segurança indispensável nos dias atuais foi criado em 1885 nos Estados Unidos e só passou a ser usado em 1958.

Para quem pensa que o cinto de segurança nos carros é coisa de agora, enganou-se. Criado e registrado no ano de 1885, nos Estados Unidos da América pelo nova-iorquino Edward Claghorn. Na sua descrição, o item foi mencionado como equipamento projetado para ser aplicado na direção e defesa preventiva, contendo ganchos e outros pequenos adendos voltados para a proteção.

O item de segurança, que hoje é indispensável aos passageiros dos automóveis, só passou a ser usado no ano de 1958 no modelo Corvette da Chevrolet, mas ainda em sua configuração de tipo abdominal. O surgimento do cinto de segurança com três pontos, aquele modelo preso ao próprio carro e não mais apenas ao banco do passageiro ou do condutor, só foi criado pelo engenheiro da Suécia Nils Bohlin, que trabalhava na Volvo, na ocasião de 1959.

Mas, antes disso e mesmo ainda de que chegasse ao Brasil, alguns fatos, envolvendo o desenvolvimento do cinto de segurança, valem a pena ser lembrados. Por exemplo, no ano de 1903, o inventor da França Gustave Désiré Leveau confeccionou um tipo diferenciado de cinto de segurança para ser utilizado pelos trabalhadores, a fim de sua proteção estivesse assegurada. Já em 1911, mesmo antes de vir à tona nos aviões militares da Segunda Guerra Mundial, o americano Benjamin Foulois adaptou o primeiro cinto de segurança nas aeronaves, com intuito inicial de proteger os passageiros do voo durantes os pousos e turbulências.

Mas, só com a grande contribuição do médico Hunter Shelden, que idealizou os cintos de segurança do tipo retráteis, em favor da diminuição dos casos de lesões na cabeça, é que a indústria automotiva se sentiu mais segura a pensar no cinto de segurança como indispensável nos seus carros. Hunter Shelden contribuíra também com a menção à necessidade de que os carros contassem com carroceria mais reforçada, barras estabilizadores, fechaduras e apoios de passivo, como é o caso do airbag nos carros da época, o que representou um grande avanço.

No Brasil, esse item de segurança que não apenas evita acidentes mais graves, mas previne seu acontecimento, é de uso obrigatório desde a década de 1980. Atualmente, tem se pensado cada vez mais em seu uso em trens e ônibus, incluindo, é claro, seus passageiros em viagens mais longas e velozes.

Por Flávia Alves Figueirêdo Souza

Cinto de segurança

Foto: Divulgação


O mês de julho apresentou nova desaceleração nas vendas de veículos novos, com 227,62 mil unidades comercializadas. O setor que apresentou maior queda foi o de veículos pesados (caminhões).

A FENABRAVE – Federação Brasileira dos Distribuidores de Veículos Automotores – divulgou o balanço das vendas de veículos automotores novos no País no mês de julho e mais uma vez, os números apresentados apontam a desaceleração nas vendas e os reflexos da crise que o setor vem enfrentando neste ano.

Segundo a entidade, nestes sete meses de 2015 foram comercializados e emplacados cerca de 1,534 milhão veículos novos no país. Este número é 21% menor que os emplacamentos realizados no mesmo período de 2014, onde a quantidade comercializada chegou a 1,94 milhão de veículos novos. Na comparação mensal entre o mês de julho de 2014 e julho de  2015, a desaceleração nas vendas chega aos 22,78%. Enquanto em julho do ano passado foram comercializados 294,75 mil de veículos novos, neste último mês de julho as vendas não ultrapassaram as 227,62 mil unidades.

De todos os setores pesquisados, o que apresentou uma queda maior no número de vendas entre janeiro e julho de 2015 foi o setor de veículos pesados (caminhões). Neste período foram comercializadas e emplacadas 43,9 mil unidades, enquanto em 2014 esse número chegou as 76,9 mil unidades, ou seja, uma queda de 42,95% nas vendas neste seguimento.  Somente no mês de julho, foram emplacados 6,5 mil caminhões, enquanto em julho de 2014, a quantidade de caminhões emplacados foi de 12,3 mil unidades, uma redução nas vendas de 47,36% na comparação entre os meses de julho de 2014 e 2015.

Houve também uma redução nos emplacamentos de ônibus nestes sete meses de 2015. Foram 1,39 unidades, o que representa uma queda anual de 38,8% e em relação ao mês de julho de 2014, a queda foi de 5%.

Já os veículos comerciais leves apresentaram uma ligeira alta de 1,2% nas vendas em relação ao mês de junho. Mas, na comparação ao mesmo período de 2014, as vendas e emplacamentos apresentam uma redução que chega aos 21,2%. 

Por André F.C.

Vendas de carros

Foto: Divulgação


GM irá investir US$ 5 bilhões em nova geração de veículos, que inclui utilitários esportivos e carros compactos da Chevrolet para o mercado emergente.

A última terça-feira, 28 de julho, foi marcada por um grande anúncio da General Motors. A multinacional de origem americana anunciou o seu grande projeto para os mercados emergentes nos próximos anos. A empresa destacou que irá investir nada menos que US$ 5 bilhões, onde a principal finalidade será o desenvolvimento de uma nova geração de automóveis que visa principalmente mercados emergentes, dentre os quais: Brasil, China e México.

O grande destaque é que o projeto em questão será realizado com a parceria da Shanghai Automotive Industry Corp. Essa será a primeira vez que a GM atua diretamente com o desenvolvimento de uma linha com a estatal chinesa. Apesar disso, saiba que as empresas já possui uma parceria primária na China, um dos principais mercados do mundo automotivo.

Vale ressaltar que alguns detalhes desse novo projeto já foram divulgados e agradaram muito. A GM e a SAIC irão fabricar utilitários esportivos, bem como carros compactos da marca Chevrolet. O grande objetivo é que os mesmos já estejam à venda em 2019. O valor de US$ 5 bilhões anunciados será a parte da General Motors neste investimento e deve fornecer capital para o projeto de veículos e a adaptação das fábricas.

Em nota oficial, a GM já destacou que o projeto vem sendo executado por uma equipe multinacional de engenheiros e designers. A diversidade na equipe que está executando o projeto tem como objetivo atingir as necessidades de todos os mercados alvos dessa parceria. Dessa forma, devem ser fabricados carros para todas as demandas.

Além disso, a GM já destacou que os principais mercados, ou seja, aqueles que terão uma atenção especial neste projeto serão: Brasil, China, Índia e México. Outros emergentes de grande importância na economia mundial também devem ser incluídos.

O projeto é bastante amplo e tem como objetivo atingir um grande número de venda nos principais mercados emergentes do mundo. Dessa forma, é esperado que linhas com design arrojado, bem como acompanhadas de muita tecnologia sejam as principais atrações da GM juntamente com a sua parceira chinesa.

Por Bruno Henrique

 

GM criará nova família de veículos

Foto: Divulgação


No mês de maio foram emplacados 33.806 veículos. Fatores que influenciaram nesta queda foram o aumento da inflação e das taxas de juros e o fato das famílias estarem evitando contrair novos financiamentos.

Foi divulgado nesta segunda-feira, dia 1º de junho, pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores – Fenabrave, os números oficiais que apontam mais uma queda nas vendas de veículos no País.

De acordo com o balanço apresentado pela instituição, nos 20 dias úteis do mês de maio houve uma queda de 2,70% nas vendas de veículo zero quilômetro em relação ao mês de abril. Ao todo durante o quinto mês de 2015 foram comercializados e emplacados 333.806 veículos, sendo que dentro deste número não estão inclusos apenas os automóveis novos, mas também veículos comerciais leves (picapes), motos, caminhões, ônibus, máquinas agrícolas, implementos rodoviários como carretinhas de transporte (reboques), entre outros. No mês de abril, o número de emplacamentos de veículos zero quilômetro no Brasil chegou a 343.068 e se comparado ao mês de maio do último ano (2014), a queda nas vendas foi bem mais acentuada, pois neste mesmo período foram vendidos e emplacados 440.109 veículos novos, causando um impacto negativo de 24,15% nas vendas do setor em 2015.

Analisando o período de janeiro a maio de 2014 com este mesmo período deste ano, observa-se que a queda nas vendas representa um percentual de 18,20%, já que nos cinco primeiros meses de 2014 foram emplacados 2.106.920, enquanto neste ano os números não ultrapassaram as 1.723.382 unidades.

Para Alarico Assumpção Jr., presidente da Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, este fraco desempenho e esta queda nas vendas que atinge o setor automotivo estão diretamente ligados ao momento de incertezas e dificuldades econômicas que o país vem sofrendo. Ele explica ainda que o aumento da inflação e das taxas de juros influenciam diretamente os financiamentos de veículos, os deixando mais caros e os tornando menos acessíveis. E um segundo fator determinante que esclarece esta queda das vendas no setor é o fato de as famílias estarem evitando contrair novos financiamentos, pois uma grande parte da população já possui um alto grau de endividamento e vem apresentando dificuldades para manter suas contas em dia.

Por André F.C.

Vendas de veículos

Foto: Divulgação


Financiamento de automóveis de passeio, comerciais leves, motocicletas, caminhões e ônibus caiu 12% em abril em comparação a março de 2015.

Recentemente, a Unidade de Financiamentos da Cetip, que opera o Sistema Nacional de Gravames, divulgou os resultados em relação aos financiamentos de automóveis no Brasil. Os resultados não foram positivos e isso é uma consequência direta do atual momento econômico do nosso país. Segundo os dados divulgados, o financiamento de automóveis de passeio, comerciais leves, motocicletas, caminhões e ônibus caiu 12% no mês de abril quando comparado a março e 15% quando a comparação é feita com o mesmo período em 2014.

É importante destacar que este resultado acaba garantindo um acúmulo de 10,2% nos quatro primeiros meses de 2015. O mês de abril de 2015 conseguiu registrar o financiamento de 437.855 veículos em todo Brasil. Além disso, é importante ressaltar que a maior parte dos financiamentos foi em relação aos usados, 238.591 financiamentos ao todo. Ainda sim, em relação a esta categoria foi registrada uma queda de 11,4% em relação a março e 4,9% quando a comparação é feita com o mesmo período em 2014.

Os veículos novos, por sua vez, conseguiram registrar um total de financiamentos de 199.264 unidades em abril. Tal resultado representa uma queda de nada menos que 12,7% na variação mensal e 24,6% quando a comparação é feita com o mesmo período em 2014.

Já quando a comparação é feita por segmentos, o maior destaque negativo ficou com o segmento dos pesados. Levando em consideração os financiamentos de novos e usados, caminhões e ônibus conseguiram registrar o financiamento de 16.646 unidades no mês de abril, ou seja, queda de 10% em relação a março e recuo de 36,3% quando a comparação é feita com abril de 2014.

Seguindo a mesma linha de recuo, o financiamento de autos e leves registrou um recuo total de 10,7% na comparação com março. O resultado é ainda pior quando comparado a abril de 2014: recuo de 14,8%. O acumulado do ano já mostra que esta categoria registra um recuo de 9,2%.

O resultado das motocicletas também não é agradável, haja vista o recuo de 17,5% em relação a março que é resultado do financiamento de 79.365 unidades.

Por Bruno Henrique

Financiamento veículos

Foto: Divulgação


Setor de veículos teve queda nas vendas no mês de abril de 2015. Previsão para este ano é que ocorra queda de 18% nas vendas.

O setor de veículos apresentou uma significativa queda nas vendas no mês de abril com 6,53% contra março e 25,19% em relação ao mês de abril do ano anterior, o que significa a venda de 219.350 unidades.

O recuo de vendas já era previsto por especialistas, mas a recente queda de vendas do mês de abril fez as expectativas para este ano para o setor serem ainda piores. No início do ano se previa queda de 10% na venda de veículos em relação ao ano de 2015 e agora já se fala em até 18%, o que pode chegar a 2,73 milhões de unidades.

A crise econômica que afeta o país atingiu em cheio a indústria de carros, motos, ônibus e caminhões, só este ano já foram demitidos mais de 12 mil funcionários e 250 concessionárias já fecharam as portas devido às baixas vendas.

A Fiat ficou em primeiro lugar na difícil corrida para vendas de automóveis no mês passado, com 37.792 unidades vendidas no mês, a montadora ficou com quase 35% do total de vendas de abril. A General Motors e a Volkswagen aparecem, respectivamente, em segundo e terceiro lugar no ranking de vendas do mês passado. Para quem não lembra, a montadora alemã paralisou por 10 dias sua produção na fábrica Anchieta ao conceder férias coletivas a 8 mil funcionários de uma só vez, parte de uma tática que as montadores vêm usando para diminuir a produção e evitar demissões em massa.

As exportações e o acúmulo de carros no estoque também apresentaram resultados negativos, ainda que os números não ultrapassem tanto as expectativas dos especialistas.

Venda de usados:

As vendas de carros seminovos, por outro lado, subiram em 2,2% de janeiro a abril, segundo a Anfavea, um reflexo também da crise econômica, mostra que os cidadãos não deixaram de comprar carros, apenas tiveram que optar por comprar usados por conta do recente recuo da economia.

Por Tom Vitor de Freitas

Venda de veículos

Foto: Divulgação


Confira as características e novidades do modelo

Durante o Salão do Automóvel 2015 de Seul, na Coreia do Sul, a montadora sul-coreana SsangYong apresentou um carro conceito bem irreverente, bem diferente de praticamente tudo o que já foi visto até agora. Trata-se do XAV (eXciting Authentic) concept.

O modelo é um utilitário esportivo, mas que lembra bem em suas linhas do também sul-coreano Kia Soul. Mas, apesar de aparentar ser um esportivo de luxo, ele engana bem e passa facilmente por um estilo mais off road, já que possui um teto feito em lona.

Apesar de ser pouco conhecida no Brasil, a montadora sul-coreana apresenta esse novo modelo com uma boa tecnologia, contando com ajuste automático da configuração do veículo conforme o tipo de terreno ao qual trafega. Além disso, o XAV concept vem com pneus run-flat, aqueles que permitem ao carro continuar andando por alguns quilômetros, mesmo depois de furados. E para fechar a gama de tecnologia, o veículo oriental ainda possui um moderno sistema de suspensão a ar eletrônico.

Na parte mecânica, poucos detalhes foram revelados, mas o que se sabe é que o XAV concept, em termos de motorização, apresenta uma versão de motor com 1.6 litro a combustão, trabalhando ao lado de outro motor, porém elétrico, alimentado por uma bateria de íon-lítio. Outros detalhes relativos à motorização, como torque e potência, não foram revelados pela SsangYong.

Por enquanto, o modelo apresentado é apenas um conceito, portanto, a marca não revelou se ele será de fato produzido para o mercado em geral. Como não há essa informação, também não foi revelado o possível valor que o veículo teria, nem em quais mercados ele seria lançado.

Mas, seja qual for a decisão da montadora sul-coreana, o XAV concept é um modelo a ser pensado para comercialização, já que traz uma ideia bem diferente do que o mercado está acostumado a ver.

Por Felipe Villares

SsangYong XAV concept

SsangYong XAV concept

SsangYong XAV concept

Fotos: Divulgação


Novo modelo começará a ser fabricado em 2016

Os admiradores de crossovers já podem comemorar um novo lançamento no mercado. Dessa vez a promessa é da Fiat, grande montadora italiana de carros com bastante visibilidade comercial no Brasil, que lançará o 500XL, nome dado a uma nova versão de crossover que iniciará uma nova geração do modelo.

De acordo com informações divulgadas recentemente, a Fiat estaria pensando em começar a montagem do novo modelo em 2016. As informações ainda relatam que o CEO da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), Sergio Marchionne, está buscando aumentar ainda mais a participação da Fiat no processo de fabricação de modelos do segmento de crossovers e outros da mesma linha. Recentemente, o Salão de Paris lançou o 500X pela marca em 2014, o qual seria uma prévia da nova aposta da Fiat, que viria pensar depois sobre um novo lançamento paralelo a este, originando mais tarde no modelo 500XL. Uma curiosidade é que o Fiat 500X foi fabricado na mesma plataforma de montagem do Jeep Renegade, o qual também ganhará uma versão menor de lançamento, pois a montadora de ambos é a mesma.

Até agora não há muita novidade a respeito do SUV a ser lançado pela Fiat, mas sabe-se que o modelo não será muito diferente do 500X, pois será pautado em sua estrutura. Mesmo com especulações do modelo ser bem parecido com um Jeep, a montadora não se posiciona a respeito disso e diz que essa versão deverá ser uma nova aposta no mercado de crossovers e SUV's da categoria.

Ao contrário do que todos possam imaginar, o modelo não virá às lojas em 2016 quando será iniciada sua fabricação. Ele provavelmente ficará pronto para ser vendido por volta do início de 2017.

Inicialmente, o principal alvo de vendas será os Estados Unidos e alguns países da Europa, junto com países que concorrem com a Nissan (sem data de previsão para o Brasil). O design dos modelos a serem fabricados pode diferir de acordo com cada país.

Por Daniela Almeida da Silva

Fiat 500XL 2016

Fiat 500XL 2016

Fiat 500XL 2016

Fotos: Divulgação


Nova versão do modelo está prevista para ser lançada em 2018 e trará novidades

Segundo informações oriundas dos bastidores da fabricante de veículos MINI, a empresa estaria preparando-se a todo vapor no planejamento para que no ano de 2018 seja feita a estreia da versão de produção do veículo MINI Superleggera, o qual foi um conceito de roadster que teve a sua apresentação oficial no ano passado.

Pelo o que dizem essas primeiras informações essa versão de produção será totalmente fiel ao conceito, com exceção feita aos detalhes que farão com que este veículo esteja pronto para rodar nas ruas. Os desenhos de patentes que foram revelados pela empresa no ano de 2014, provavelmente, deverão ser mantidos.

De modo diverso do conceito, o MINI Superleggera tem grande possibilidade de ter a mesma configuração de motor utilizada nos atuais esportivos, sendo que o motor que será utilizado na versão que será comercializado, de modo diferente do conceito, será movido a energia elétrica, podendo, possivelmente, serem utilizados os motores do atual MINI Cooper, os quais têm a configuração 2.0 turbo e a capacidade de produzir uma potência de 230cv.  O grande destaque desse veículo ficou no fato de ele ter a possibilidade de tracionar integralmente, tal como na versão John Cooper Works.

Pelo que foi observado na galeria de fotos desse veículo, foi constatado que os desenhos desse carro acabaram revelando uma grade dianteira totalmente renovada, retrovisores com modificações e a inserção de um spoiler novo em sua parte traseira, contudo as maçanetas ainda ficaram as comuns.

Então, para quem é amante de carros e gostou da novidade o que tem de concreto até o presente momento é que, como o sinal verde da poderosa montadora BMW já foi dado, o MINI Superleggera Concept irá para a linha de montagem da fabricante e, possivelmente, deverá chegar ao mercado automobilístico mundial para vendas somente em algum momento do ano de 2018.

Por Adriano Oliveira

Mini Superleggera

Mini Superleggera

Mini Superleggera

Fotos: Divulgação


A Fenabrave, Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores, informou nesta terça-feira, 3 de março, que o mês de fevereiro de 2015 foi o pior desde 2008 para as vendas no setor automobilístico. Segundo dados oficiais da entidade, as vendas de automóveis e comerciais leves, picapes e furgões, tiveram o seu pior resultado para este mês desde 2008, como já foi citado. Confira mais detalhes na continuação desta matéria.

Vale ressaltar que neste mês de fevereiro foram emplacadas nada menos que 178.822 unidades. No entanto, o resultado em si é bastante negativo se compararmos com fevereiro de 2014, por exemplo. O mesmo período em 2014 conseguiu registrar 245.904 emplacamentos. Dessa forma, em relação a fevereiro de 2014, foi registrada uma queda de 27,3%. Já em relação a janeiro, onde foram vendidos 243.894 carros, o recuo percentual foi 26,6%.

Os dados da Fenabrave mostram que o mercado brasileiro no setor de vendas de veículos novos está muito ruim neste início de 2015. Vale destacar que os dois primeiros meses de 2015 já registraram um recuo acumulado de 22,53% em comparação com o mesmo período em 2014. Ao todo, o primeiro bimestre de 2014 registrou 545.641 emplacamentos contra 422.717 no primeiro bimestre de 2015. Sendo assim, este é o pior resultado do período desde o ano de 2011.

A notícia ainda mais preocupante é que a projeção de queda ficou maior para os próximos meses. Segundo o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Jr, esse é um resultado direto do atual estado da economia brasileira. "Não tem crescimento no país, não tem PIB, a roda não gira", destacou Alarico. Dessa forma, a Fenabrave divulgou os dados onde a mesma aumenta a projeção de queda nas vendas de veículos. A previsão em janeiro era de 0,53%, no entanto, essa previsão subiu para 10%.

Dentre os principais fatores que influenciaram essa queda no número de veículos vendidos, bem como o aumento da projeção anual estão as vendas de caminhões, ônibus e motos. Os veículos aqui citados apresentaram queda nas vendas se comparadas ao ano de 2014.

Por Bruno Henrique

Venda de carros

Foto: Divulgação


Foi exibida no Salão de Chicago nos Estados Unidos uma variante híbrida e aventureira do veículo Kia Soul, essa nova versão foi batizada com o nome de Trail’ster e-AWD Concept.

O desenvolvimento e a criação desse veículo ocorreram após um desafio lançado pela Kia na América do Norte à sua equipe para que fizessem um veículo com características mais rústicas. E o desafio deu resultado, o modelo foi projetado com tração nas quatro rodas e o seu visual obteve um design bastante robusto, os faróis e lanternas de neblina foram colocados em tamanho bastante avantajado, nos para-choques e nos para-lamas foram inseridas molduras escurecidas, um dos grandes atrativos que chamam muita a atenção de quem vê o veículo pela primeira vez são os faróis e lanternas internas que ganharam desenhos futuristas, bem como os retrovisores internos que ganharam contornos mais ousados.

Outro adereço que combinou bastante com a proposta desse veículo foram as rodas aro 19’’, as quais possuem raios na cor vermelha e o centro na cor preta.

Apesar de todas essas inovações na parte externa, quando se observa o interior do veículo não houve muitas modificações no carro quando comparado ao Soul, contudo as únicas características que dão singularidade a esse novo modelo na parte interna são os revestimentos na cor marrom, o teto panorâmico e a alavanca de câmbio que teve um breve esticamento, a fim de proporcionar maior conforto aos condutores.

O Trail’ster foi projetado com um motor 1.6 tubocharger de quatro cilindros o qual é capaz de produzir 185cv e 25,6 kgfm, a movimentação das rodas traseiras é feita através do auxílio dado por uma bateria que contém polímero de íon-lítio a qual tem a finalidade primordial de fornecer força extra às rodas traseiras e auxiliá-las nas manobras realizadas em baixas velocidades e no uso fora de estradas.

A aposta da montadora Kia é que todo este conjunto ainda proporcione aos consumidores de gasolina entre 5% e 10% na estrada e de 25% a 30% nas áreas urbanas. 

Por Adriano Oliveira

Kia Trail?ster e-AWD Concept

Kia Trail?ster e-AWD Concept

Kia Trail?ster e-AWD Concept

Fotos: Divulgação


A Apple parece estar dirigindo parte de seus esforços para o setor automotivo. Prestes a lançar um novo produto, o relógio inteligente Apple Watch, a empresa americana pode estar envolvida em um projeto que concorrerá diretamente com os carros autônomos da Tesla Motors.

Segundo um funcionário da Maçã em uma mensagem ao site Business Insider, a empresa está "trabalhando em algo que vai dar um baile na Tesla". Para o mercado de automóveis, a Apple já oferece o CarPlay, um sistema que serve para conectar o iPhone ou iPad ao painel dos carros. Ele não conseguiu emplacar nas diversas marcas de automóveis prometidas quando foi anunciado no ano passado. Ou seja, o sistema está atrasado para os consumidores. Com isso em mente, é possível que o produto a que se refere o anônimo funcionário da Apple seja apenas uma versão melhorada do CarPlay. Assim, ele seria um concorrente para o painel inteligente dos modelos mais recentes da montadora Tesla. Desde 2014, esse painel permite que o motorista dê partida no carro por controle remoto, sem usar uma chave.

Há outras evidências de que a Apple estaria ampliando seus investimentos na indústria automotiva. Steve Jobs, fundador da empresa, queria desenvolver um carro high tech. Ele pensava que os carros poderiam evoluir significativamente no que diz respeito ao design e à tecnologia. Em uma pesquisa recente feita pelo Business Insider no LinkedIn, foi possível descobrir que a Apple já contratou pelo menos 50 ex-funcionários da Tesla, sendo que a maioria deles é especialista em mecânica, manufatura e robótica. Esse número é considerável, mas não tão alto se comparado aos mais de 150 ex-funcionários da Apple que a Tesla contratou, de acordo com as contas do site Bloomberg.

A questão certa é que não há dúvidas sobre o aumento de investimento da Apple no setor automotivo.  

Cabe a nós, curiosos, esperarmos o surgimento de novos rumores ou até mesmo o lançamento de algum produto ou serviço da Apple para este seguimento.

Por William Nascimento

Apple em carros

Foto: Divukgação


Com o preço dos combustíveis em alta, ter um carro econômico tem sido cada vez mais um bom negócio, assim, é sempre bom ficar informado sobre os carros que apresentam maior consumo, para ficarmos bem longe deles.

Os veículos que gastam mais combustível acabam gerando um prejuízo de mais de mil reais por ano se comparados com os modelos mais econômicos e para quem anda mais ou precisa estar sempre viajando, o prejuízo pode ser ainda maior!

O Inmetro, através do PBEV – Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular – lançou uma lista com a relação dos veículos que consomem mais combustível, assim, se você está procurando um carro econômico, é bom saber quais são os que mais gastam para riscá-los de vez da lista.

Esta é a 7ª edição da lista do Inmetro e foram testados 587 veículos de 36 montadoras, sendo que nenhuma é obrigada a participar, mas é sempre interessante para a montadora, ter o seu veículo participando destes testes para conquistar o consumidor e ser um item a mais para convencê-lo de que adquirir determinado veículo é um bom negócio, porém, muitos veículos ficam mal colocados no ranking e são justamente os que gastam mais combustível.

O Fiat 500 é um dos que ficou na classificação como "E", ou seja, gasta muito combustível, pois na cidade, abastecido com gasolina faz 10 km/l e na estrada 12,1 km/l. Quando abastecido com álcool, o consumo do Fiat 500 é de 8,3 km/l na cidade e 7,4 km/l na estrada. Aliás, a Fiat teve vários modelos classificados como "E" e para os futuros lançamentos será bom estudar uma forma de seus veículos gastarem menos.

O Chery Celer, versão flex HB 1.5 16 válvula e a versão flex SD 1.5 16 válvulas também não ficaram bem colocados no ranking, confira: Consumo quando abastecido com gasolina na cidade é de 9,1 km/l e na estrada é 12,1 km/l; Consumo quando abastecido com álcool na cidade é de 6,3 km/l e na estrada é de 8,3 km/l. Este é um modelo com tecnologia de ponta, design moderno, bom acabamento interno, mas no quesito "economia de combustível" é nota 0, ou melhor, letra "E", que indica ser um veículo que consome muito combustível.

Outros modelos que ficaram classificados com a letra “E” no ranking do Inmetro foram: Chery Tiggo, Citroën DS4 So Chic 1.6-16V, Audi A3 Sportback, Mercedes-Benz A45 AMG, Hyundai i30 1.8, modelo 2015, Audi Q3, Volvo S60 T6 R-Design 3.0, Hyundai ix35 2.0, Mitsubish Pajero, Range Rover V8, JAC J6, entre outros, por isto, é sempre bom ficar atento ao consumo do veículo, assim poderá garantir maior economia e também, ajudar o meio ambiente, poluindo menos.

Por Russel

Combust?vel


Mesmo com a queda nas vendas de automóveis desde o início do ano no Brasil, as montadoras continuam apostando em novos modelos para o mercado em 2015. Muitos acreditam que o aumento do IPI teve uma grande parcela de culpa na queda, por outro lado, o aumento do preço da gasolina pode estimular a venda de carros mais econômicos. A seguir estão 20 carros que poderão integrar o cardápio das concessionárias em 2015.

1) Fiat Bravo – o carro voltará às lojas provavelmente em fevereiro, nos modelos Essence, Sporting, T-jet e Blackmotion.

2) Picape Fiat – ainda sem nome definido, o carro baseado no conceito FCC4 da marca deverá chegar ao mercado na segunda metade do ano.

3) Audi TT e Audi TT Roadster – esses dois veículos, sendo o primeiro cupê e o segundo conversível, deverão compor a lista de carros luxuosos do país neste ano, com o modelo cupê podendo chegar ainda na primeira metade do ano.

4) Audi A3 Sportback E-Tron – também da Audi, esse  é o primeiro veículo da marca que roda tanto por combustão quanto por um motor elétrico.

5) BMW Série 2 Active Tourer – o potente modelo deverá chegar às concessionárias ainda no primeiro semestre de 2015.

6) Mini Cooper 5 Portas – essa variante com mais portas do compacto  deverá chegar ao Brasil até março.

7) Query QQ – compacto que já é vendido no país, porém com fabricação em território nacional a partir da segunda metade do ano.

8) Celer – o carro da Chery deverá chegar ao mercado com produção nacional ainda no primeiro trimestre.

9) Chery Tiggo 5 – o SUV deverá chegar ao país na segunda metade do ano, porém diferentemente dos outros modelos da marca que serão lançados, esse será importado.

10) Ford Focus – a nova versão do já comercializado Focus deverá chegar na segunda metade do ano.

11) Ford Ranger – a picape já tem seu novo modelo anunciado, porém não existe ainda data definida para sua comercialização.

12) Ford Edge – o SUV de luxo da Ford deverá ganhar uma nova versão no Brasil em 2015, com muitos recursos tecnológicos, porém ainda sem data para a chegada.

13) Geely EC7 – carro produzido na China também teve seu modelo confirmado para 2015 pela montadora.

14) Geely EX7 – SUV da mesma montadora chinesa deverá chegar no país na segunda metade do ano.

15) Honda HR-V – já apresentado no Salão de Automóveis de São Paulo, o carro deverá chegar ainda no primeiro trimestre do ano.

16) Honda CR-V – o SUV que já é vendido no Brasil deverá ter uma nova versão no mercado em 2015.

17) Hyundai Veloster Turbo – sem data confirmada, o novo modelo do esportivo deverá chegar pelo menos até o final do ano.

18) Hyundai Genesis – o sedan de luxo da marca terá uma nova versão, mais aprimorada, ainda neste ano no Brasil.

19) JAC T5 – esse SUV da JAC Motors deverá desembarcar no Brasil ainda neste ano.

20) Jeep Renegade – o primeiro Jeep produzido no Brasil deverá chegar ao marcado no mês de abril. Diversas concessionárias da marca serão inauguradas até seu lançamento em todo o país.

Por Rannier Ferreira Mendes

Fiat Bravo

BMW S?rie 2 Active Tourer

Ford Ranger

Fotos: Divulgação

 


Conforme dados divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), caíram as vendas de carros em 31,4% no mês de janeiro de 2015. Levando em consideração o mês de dezembro de 2014, 370 mil carros realizaram o licenciamento, enquanto em janeiro este número caiu para 253,8 mil veículos. Esta queda teve como principal motivo a desaceleração econômica e também a alteração que seria feita em janeiro no Imposto sobre Produto Industrializado (IPI). Devido a isto, os consumidores preferiram realizar a compra de automóveis em dezembro, período em que este imposto estava menor.

Outro fator que influenciou nesta queda foi a crise da Petrobras, a qual ficou desacreditada no país e com isso abaixou o número de investidores nesta área. Outro problema que surgiu foi a queda nas exportações, onde uma das principais perdas consistiu nas negociações com a Argentina, com uma diminuição de 27,9%. Segundo a Anfavea, já estão sendo estabelecidas novas negociações com o México e a Colômbia na busca de amenizar o problema desta queda no país.

O setor que não sofreu muito com esta queda foi a classe de motor 1.0, devido à procura no mercado pelos consumidores por este tipo de veículo ser maior. Mas, em contrapartida, está previsto que as vendas destes automóveis irão se tornar mais difíceis. Mas, a boa notícia é de que os modelos com motor 1.6 se tornarão mais acessíveis de serem negociados o seu preço.

Existe uma perspectiva de que este quadro de queda seja revertido e consiga melhoras no segundo semestre de 2015. Segundo Luiz Moan, que é presidente da Anfavea, as novas estratégias de ajustes fiscais irão possibilitar uma maior confiança para os investidores e também os consumidores.

O índice de emprego também diminuiu em 8,9%, sendo comparado com o mês de janeiro de 2014. Neste sentido as montadoras estão aplicando algumas medidas no intuito de evitar que seja necessário demitir diversos funcionários. Estas medidas consistem em: férias coletivas, redução da jornada nas fábricas, banco de horas e licenças remuneradas.

Por Felipe Couto de Oliveira

Vendas de carros

Foto: Divulgação


Bancos de couro deixam o carro mais bonito e valorizado, mas temos que avaliar se realmente precisamos dele. A maioria das pessoas deseja banco de couro no veículo. Com certeza ele chama a atenção e, muitos vão perguntar: Nossa, os bancos do seu carro são de couro? Orgulhosamente você vai responder que sim. Vai entrar no carro e sair dirigindo sorridentemente. Mas temos que pensar bem antes dessa escolha.

Se usamos o carro muitas horas por dia, podemos nos arrepender. Principalmente se você vive em uma cidade com sol e calor o ano todo. Eles esquentam muito, trazendo uma sensação térmica muito mais elevada do que realmente está, fazendo o motorista transpirar mais e chegar a literalmente a suar a camisa, principalmente nas costas. Situação desagradável para quem trabalha diretamente com o público várias vezes por dia.

Esse tipo de banco exige muito mais manutenção que bancos convencionais. O sol, novamente ele, faz o tecido ressecar muito rápido e se não tiver uma manutenção adequada, com a aplicação dos produtos corretos, o ressecamento é irreversível, passando a apresentar aspecto de velho, sujo e mal cuidado.

Sempre se indica banco de couro para veículos esportivos, cujo tempo de permanência dentro dele seja o mínimo possível. E que o dono seja de preferência aquele que zela pelo veículo e que não tenha dó de investir em lava jato e produtos para o carro.

Para quem gosta de dar aquele “trato” no carro em casa mesmo, achamos no mercado diversos tipos de produtos como AutoShine limpa couros da 3M, HP Hidra Couro e Style Couro, todos de fácil aplicação. Mas lembre-se, antes de aplicar qualquer tipo de produto no couro, o mesmo deve estar limpo e seco, para que não ocorram manchas ou que a sujeira grude ainda mais no tecido.

Couro é bom, chama a atenção e é muito bonito, basta analisar se você quer mesmo esse tipo de tecido (e trabalho) para o seu carro.

Por Luciana Viturino

Bancos de couro

Bancos de couro

Fotos: Divulgação


Quem nunca pensou em realizar o sonho do primeiro automóvel? Em parar de andar de ônibus, de gastar dinheiro com táxis, metrô, ter um pouco mais de comodidade e praticidade?!

Isso é possível! Não importa quanto você ganhe e sim, quanto você poupa.

Um dos sonhos de muito dos brasileiros, que vivem em situação financeira de economia constante, em um país onde tudo é extremamente inflacionado e que tem que viver da forma que se pode, é adquirir um meio de locomoção com conforto, seja para transportar a família, ir ao trabalho, viajar, passear com os amigos ou até mesmo por necessidade, quando o trabalho exigir. Então, é possível comprar um veículo ganhando razoavelmente?

Eu te repondo:

– É claro que sim!

Primeiro colocaremos duas situações, e acredito que você poderá se encaixar em uma delas.

A primeira situação é: você fez um planejamento financeiro durante um tempo, tem uma quantia em dinheiro, tem ganhos mensais razoáveis e consegue arcar com uma prestação de um veículo novo!

A) Vantagens:

– Não precisará se preocupar pelos próximos 3 anos com a garantia do carro (tempo que geralmente as concessionárias oferecem como garantia a veículos novos);

– Descontos para pessoas portadoras de necessidades, idosos, entre outros;

– Brindes adicionais para seu veículo na hora da negociação, entre outras vantagens.

B) Desvantagens:

– Desvalorização. Quando se compra um veículo novo, só o fato de você retirá-lo da concessionária você já perde dinheiro;

– Gastos com seguro, dificilmente você compra um carro zero e deixa de assegurá-lo;

– Caso não seja segurado e ocorra alguma colisão, o gasto é bem maior para o conserto.

A segunda situação é: você não tem nenhum dinheiro, mas precisa muito comprar seu meio de locomoção! Pode optar pelo seminovo, que também é uma excelente opção.

A) Vantagens:

– Você compra um carro mais completo, com mais adicionais por um preço mais acessível do que um novo e básico na concessionária;

– Menor depreciação na hora da revenda;

– Custos mais acessíveis quanto à reposição de peças, entre outros.

B) Desvantagens:

– Risco de ter que gastar com peças de reposição, afinal seminovo não é novo;

– Não ter garantia alguma sobre o veículo (algumas garagens oferecem garantia de 6 meses);

– Incerteza quanto a real procedência do veículo, entre outras.

Como poupar dinheiro?

Estabeleça uma quantia “x” dos seus ganhos para retirada, como se fosse uma dívida que tenha com algo ou alguém. Guarde esse dinheiro em uma conta poupança, caso fique com receio de fazer retirada, peça para alguém de confiança guardar para você.

Especialistas dizem que a quantidade correta de guardar por mês, é equivalente a 10% de seus ganhos, por isso, economize, evite fazer contas mensais que ultrapassem seu limite de entrada, faça orçamentos para que você fique sempre dentro de seu orçamento.

Bom, como tudo tem suas vantagens e desvantagens, ficam essas dicas e esperamos ter ajudado vocês que precisam adquirir seu primeiro veículo.

Por Luciana Viturino

Comprar 1? carro

Foto: Divulgação


Os supercarros possuem um visual mais chamativo, cheios de modificações, e têm objetivo aumentar seu desempenho. Seguindo esta ideia, o carro é montado com um visual que intenciona privilegiar sua aerodinâmica. Esta última tem o poder de influenciar até mesmo o desempenho do automóvel.

Quando falamos de supercarros, o interesse das pessoas é enorme, por ser tratar de um veículo com um desempenho extraordinário que dá às pessoas um estímulo à adrenalina.  Com o desempenho em tal nível, a Hyundai lança o Genesis Coupe, um supercarro com alta potência e desempenho.

As versões do Genesis Coupe podem vir com 2 opções de motores, o 2.0 turbo com 274 cavalos, e o 3.8 V6 com 348 cavalos de potência. Mas nenhum desses pode ser comparado ao modelo Blood Type Racing (BTR), lançado em Chicago (Estados Unidos), que fornece aos pilotos uma sensação de estar dirigindo um carro de corrida. A oficina de personalização alega que consegue modificar o veículo dando a este mais detalhes aerodinâmicos e um motor capaz de fornecer 1.000 cavalos de potência.

A empresa Blood Type Racing (BRT) divulgou um modelo que recebeu algumas alterações que deixaram o carro mais veloz e extraordinário. O motor 2.0 turbo foi trocado pelo motor 2.2 turbo com quatro cilindros e novos pistões. Os cilindros são da Darton, e o carro conta com bielas forjadas embutidas e válvulas feitas de aço inoxidável. A mudança mais impressionante que conseguiu fornecer 1.000 cavalos de potência ao automóvel foi a instalação do turbo compressor ou Precision Turbo, deixando o modelo Hyundai Genesis Coupe verdadeiramente espetacular.

Outras modificações que deixaram o automóvel diferente dos modelos da montadora sul-coreana incluem um controle eletrônico de impulso e um sistema de escape duplo. A data prevista para apresentação do veículo modificado é no dia 4 de novembro, em Chicago, nos Estados Unidos.  Junto com o lançamento do veículo será também apresentada a lista de modificações realizadas neste.

Por Igor Teixeira

Hyundai Genesis Coupe

Hyundai Genesis Coupe

Fotos: Divulgação


Estamos na primavera, em breve começará a época de chuvas. Mesmo em um ano atípico de secas devemos estar preparados para quando as águas caírem. Caso, você motorista passe por situações como alagamentos, que são comuns em alguns grandes centros, devido à falta de escoamento pluvial, saiba o que fazer. O primeiro passo é fazer uma grande limpeza depois de ter o carro invadido pela água.

De acordo com o empresário Marcos Canedo, proprietário da Carwash Service, algumas dicas que podem ajudar no momento de fazer uma limpeza geral são bem simples, mas precisam ser realizadas imediatamente após o acontecimento inesperado para garantir que a reforma seja eficiente e possível.

Pode parecer exagero, mas quando o carro passa por um alagamento é necessário desmontar toda a parte interna do veículo, até mesmo os bancos, para evitar que partes estofadas apodreçam e deixem um péssimo cheiro no interior do veículo. Não se esqueça dos carpetes e use sempre um antibactericida, contra mofo e germes.

Já o feltro é necessário ser trocado. Isso mesmo, essa parte está perdida, depois de molhada somente um novo resolve o problema, já que o anterior mesmo após seco perde sua característica e capacidade de absorção.

Após a lavagem, é preciso secar todo o assoalho, coloque um novo feltro, que é encontrado me lojas especializadas, e depois basta remontar o interior do veículo. A fixação correta é de suma importância.

Como podemos perceber, após passar por um alagamento será necessário tempo e dinheiro para manter o carro igualmente limpo e cheiroso. Por isso fique atento, em várias cidades onde o risco de inundação é frequente costumam ter placas de alertas. Observe se há escoamento de água por perto, ou marcas nas paredes próximas, isso pode ser um sinal para trocar de vaga.

Cuidar do seu veículo de forma adequada garante aumento da vida útil, além do conforto e segurança do motorista e dos passageiros.

Por Vivian Schetini

Limpar carro ap?s alagamento

Foto: André Lessa/AE


Os pneus possuem várias marcações nas laterais, uma espécie de identificação de tamanho, largura, diâmetro. Você consegue identificar todos os dizeres? É importante conhecer todos os itens do seu veículo, e os pneus são como os pés. Nos sustentam, e por isso precisam de atenção e cuidado, pois são eles que carregam todo o resto, por mais moderno que seja o corpo, os pneus são fundamentais para segurança e conforto.

Essas especificações, como os números  175, 185 ou 195 são as medidas das larguras. É importante saber exatamente quais são as medidas, pois elas variam de acordo com a marca do carro, modelo, em alguns casos até nas versões. Usar os pneus certos garante a aderência correta, e todo o veículo foi pensando para aquele pneu, logo a segurança também pode ser interferida caso essa marcação seja ignorada.

Geralmente, quanto mais largo mais duro o pneu, e assim maior estabilidade. As medidas são diretamente ligadas às características do modelo. As montadoras escolhem as melhores opções de acordo com o peso do carro, com o conforto e com a dirigibilidade, além do tipo de veículo. Sem esquecer da performance e da estabilidade, que somente são possíveis de acordo com os pneus escolhidos. Outra função da largura do pneu é não perder a tração junto ao solo, dessa forma carros maiores com tração nas quatro rodas, por exemplo, garantem a mesma potência. Mas quanto maior os pneus mais caros também.

A troca é necessária quando os sulcos estiverem gastos, ou por determinação de prazo do fabricante, o que pode ser conferido junto ao manual do proprietário do veículo. Sempre os quatro pneus devem ser bem observados, a marca que devemos ficar atentos ao desgaste é o TWI, um indicador. Quando os sulcos de uma das partes, qualquer parte, fica próxima ao TWI é sinal de alerta, hora do pneu ser substituído.

Por Vivian Schetini

Pneus de carros

Foto: Divulgação


Como o planejado pela Volkswagen, novos pacotes do Golf foram anunciados, que agora oferecem novos itens de segurança como opcionais. Com a ação, o modelo oferece mais pacotes de opcionais, contudo boa parte deles não poderá fazer parte da versão Comfortline. Atualmente, nos pacotes oferecidos oficialmente pela Volkswagen estão inclusos uma gama de itens de série. Uns mais atraentes outros nem tanto, mas eles acabaram se mostrando um diferencial na disputa pelo mercado.

Os pacotes contam agora com dois novos itens de segurança, com destaque para o assistente de luz dinâmica. Moderno e muito funcional, o item permite ao motorista controlar a luz do automóvel de maneira prática. O novo sistema é capaz de monitorar o tráfego de veículos ao redor diminuindo ou aumentando o nível do farol conforme a posição com os demais veículos, diminuindo as chances de cegar o outro motorista. Dessa forma diminui as chances de acidentes.

A outra novidade é o controle adaptativo de distância e velocidade, composto por um sensor instalado na parte da frente do Golf e serve para manter o veículo em uma distância segura do veículo da frente e dos demais carros na pista, com o objetivo de reduzir o número de colisões. Os dois itens podem ser inclusos na versão Highline e na versão esportiva GTI, entretanto a versão Comfortline não receberá os itens.

A versão Premium do Golf Highline conta os novos itens e o assistente adaptativo de distância e velocidade. Vale ressaltar que o pacote Exclusive custa R$ 15 mil a mais no valor total e o pacote Premium adiciona R$ 25 mil.

O top de linha, o Golf GTI poderá ter os dois pacotes, mas para isso o comprador terá que desembolsar mais R$ 16 mil para o pacote Exclusive ou R$ 31 mil na versão Premium.

Com as atualizações a linha Golf se torna uma das mais completas do seu segmento aqui no Brasil. 

Por Robson Quirino de Moraes

Volkswagen Golf

Foto: Divulgação


Todos os veículos como carros de passeios, comerciais leves, caminhões e ônibus representaram 7,2 % de queda nas vendas em relação ao ano anterior. O setor automobilístico pensa em novos incentivos para atrair os clientes, mas a aceleração do PIB acaba tornando um agravante. As pessoas que desejam comprar carros novos ou seminovos devem ficar atentas às oportunidades, que devido à queda de vendas podem surgir propostas interessantes para o consumidor.

O Brasil está diminuindo a venda de carro em geral no país, e parece ter uma queda em torno de 3% durante o ano, dados revelados pela Fenabrave (representante das concessionárias). E a mesma procura uma solução junto ao governo federal para adiar a alíquota sobre o Imposto sobre os Produtos Industrializados (IPI), mas a tentativa parece que não teve sucesso.

O país não apresenta projeção positiva, mas as propostas para tentar melhorar o mercado só serão evidenciadas após a realização do evento da Copa do Mundo.

E em todas as categorias de veículos, somente os comerciais leves e ônibus que tiveram maior procura neste ano, porém no aspecto geral a queda foi 10,7% para máquinas agrícolas e tratores, como também e 2,7% para motos. E o número de licenciamentos em maio teve o registro de 293.383 veículos, quantidade muito baixa dentro do esperado.

As pessoas que desejam comprar carros novos ou seminovos devem ficar atentos às ofertas de preços, e pesquisar com paciência e cautela antes de fechar o negócio, e agindo assim permite a realização da compra de um carro bom em ótimas condições de pagamento e preço. Por isso o consumidor deve ficar sempre atento agora e depois do evento da Copa para aproveitar as oportunidades promocionais que podem surgir por aí.

Portanto, o mercado automobilístico está buscando soluções para facilitar as condições de preço dos veículos em geral, e mesmo ainda sem muitas perspectivas de novidades atrativas aos clientes, mas em breve vão ser lançadas incríveis ofertas para conquistar todos os interessados.

Por Jaqueline Mendes

Venda de carros em  2014

Foto: Divulgação


Uma das maiores preocupações para quem compra um veículo, com certeza, é a segurança, para quem mora em uma grande cidade, é um risco real ter o carro roubado, atualmente quando vai a uma concessionária o motoristas já deve pensar em medidas que o carro tem contra furto e também no seguro do veículo.

Um exemplo é o estado do Rio de Janeiro que segundo os números do Instituto de Segurança Pública (ISP), em outubro de 2013 (são os últimos dados disponíveis pelo Instituto), foram roubados cerca de 2.645 veículos no estado, perante 1.762 no mesmo período em 2012.

Houve um aumento  de quase 50% nos números de roubos, elevando os valores das apólices de seguro cerca de 10% a 15%, segundo especialistas. Mas uma boa maneira de diminuir o prejuízo é  ter cuidado na rua, ao deixar o veículo em lugares escuros, ou andar como vidro aberto em cruzamentos ou parado no farol.

O Centro de Experimentação e Segurança Viária (CESVI) divulgou com dados de 2013, quais foram os carros mais procurados pelos bandidos no ano passado, o primeiro lugar fica com o VW Gol, o carro mais vendido do país, fácil de ser encontrado circulando, mas muito bom de se esconder, já que existem vários do mesmo modelo na rua, o bandido pode se camuflar facilmente, por isso é recomendável que os donos do GOL, sempre prefiram deixá-lo em um estacionamento do que na rua.

Já o segundo lugar da lista fica com o Uno, quase tão popular quanto o GOL, também é fácil de encontrar pelos bandidos, além de ter fama de ser um carro que aguenta fortes batidas e trancos, também é procurado pelos bandidos por ser usado por várias frotas de grandes empresas.

O mesmo CESVI divulgou uma lista no começo do ano dos carros com tecnologia que pode deter ou pelo menos atrapalhar os ladrões. Os dados foram levantados em casos de furtos, ou seja, carros que são levados na ausência do motorista. O mais seguro é o Chevrolet  Cruze, ele tem alarme de série, chave e imobilizador criptografados, vidros laterais laminados de série e um acesso à bateria difícil, assim dificultando o acesso ao carro sem a chave.

O segundo lugar em segurança é o Honda Civic, que possui alarme de série, trava no volante, chave com segredo interno e imobilizador criptografado. Lembrando que o estudo foi pedido pelas seguradoras já que podem analisar os resultados e reduzir ou aumentar o valor das apólices, mas qualquer pessoa tem acesso aos dados e se quiser pode modificar o seu carro para ter tais acessórios e possuir um veículo mais seguro.

Por Rafael da Silva

Chevrolet  Cruze

Foto: Divulgação


Entre os carros com versões mais sofisticadas e que se pretende o maior número de vendas está o Novo Fit. No mundo estima-se que temos, atualmente, cerca de 5,16 milhões de Fit. A Honda, empresa que fabrica o veículo, irá trazer para o Brasil a terceira geração do monovolume.

Com isso, ele virá mais moderno, com um visual inovador e certamente despertará o interesse do público jovem, uma vez que possui maior espaço interno e o consumo de combustível é ainda menor. O engenheiro da Honda, Alfredo Guedes, afirma que a marca quer ganhar uma clientela que nunca teve Fit.

Os valores do carro serão a partir de R$ 49.900 em quatro versões: DX, LX, EX e EXL. No entanto, a última é considerada a top de linha pelo fato de possuir bancos de couro e custar R$ 65.900. Ressalte-se que, as duas primeiras versões podem ser equipadas com câmbio manual de cinco marchas ou a transmissão CVT. Já a LX manual sai por valores a partir de R$ 54.200 e, por fim, a versão EX CVT custa R$ 62.900.

Espera-se que o LX seja o carro mais vendido, com câmbio CVT e valores iniciais de R$ 58.800. O DX será responsável por aproximadamente 3% das vendas gerais dos carros Fit vendidos no próximo ano. O EX e EXL corresponderão a 38% e 10% das vendas, respectivamente. O vice-diretor da Honda afirma que as vendas passarão de 4 mil unidades por mês para 6 mil unidades.

Com a inovação, o novo Fit ficou 9 cm mais comprido e cresceu entre os eixos 3 cm. O restante das medidas permaneceu intacto. Entretanto, o volume interno para os passageiros ficou 139 litros maior e o porta-malas 21 litros menor, ou seja, saiu de 384 para 363 litros. A versão LX manual vem com direção hidráulica, rádio, rodas de liga leve aro 15”, bancos em tecido, ar condicionado e três anos de garantia sem limite de quilometragem.

Por Luciana Viturino

Novo Honda Fit

Foto: Divulgação


Neste ano de 2014 a Dodge comemora seu centenário. Para celebrar em grande estilo a data mais do que especial a marca resolveu fazer algo até interessante: atualizar o Challenger, modelo que se tornou um dos mais icônicos da marca.

A linha 2015 do muscle car foi revelada recentemente no Salão de Nova York e basicamente segue os mesmos detalhes do modelo original. Isso quer dizer que não houve grandes alterações apenas pequenos a discretos retoques. O fato deixa o carro com um certo ar de modernidade sem que para isso perca sua “cara de mal” uma das características mais legais do modelo.

Mesmo sendo nova, a dianteira é claramente inspirada no modelo lançado em 1971. Além dos faróis em LEDs o carro também ganhou uma grade com frisos cromados. A traseira do modelo também recebeu algumas alterações ganhando novas lanternas, porém, agora separadas e contornadas por um acabamento em preto brilhante.

De qualquer maneira as principais mudanças e novidades não estão na parte externa e sim no interior. Mais precisamente embaixo do capô. O tão famoso “V-oitão” 6.4 Hemi ganhou uma potência extra passando dos 470 cv para os 485 cv. Com isso o modelo poderá gerar 65,7 kgmg de torque. Além disso, o modelo conta também com uma caixa automática de oito marchas TorqueFlite. Ressaltando que a  transmissão manual também está sendo disponibilizada.

Juntando tudo a linha 2015 do Challenger conta com oito versões: 392 HEMI Scat Shaker, 6.4 Scat Pack, R/T Plus Shaker, R/T Shaker, R/T Plus, R/T, SXT Plus e SXT.

No caso do primeiro modelo Dodge Challenger pode ir de 0 a 96 km/h em 4,5 segundos de acordo com a fabricante. A velocidade máxima que pode ser obtida com carro é de 293 km/h. Já para as versões de entrada: a SXT e a SXT Plus a informação da montadora é de que são equipados com um motor de 3.6 cilindros Pentastar de 305 cv. O desempenho neste caso é um pouco mais discreto.

Por Denisson Soares

Dodge Challenger 2015

Foto: Divulgação


É possível encontrarmos no Brasil uma grande quantidade de empresas da área automobilística. São várias empresas já instaladas no país há bastante tempo. É importante destacar que essa variedade é muito interessante para o brasileiro, pois assim a concorrência é maior e os preços caem, além disso, também temos que destacar a variedade de automóveis à disposição.

Para aqueles que gostam de carros luxuosos uma boa escolha poderia ser um Audi, automóvel conhecido em todo o mundo e fabricado pela montadora alemã de mesmo nome. Para aqueles que desejam adquirir um Audi, a boa notícia é que o novo Audi A1 2014 sofreu uma queda em seu preço oficial, ou seja, foi lançada uma versão mais barata visando o mercado brasileiro. Mais detalhes a respeito você encontra na continuação desta matéria.

A versão mais barata do A1 2014 foi nomeada de Kult, vale destacar que a mesma é baseada no Attraction. A queda no preço também significou a retirada de alguns componentes da versão original. Um ótimo exemplo foi o sistema de navegação que acabou sendo substituído por um rádio com leitor de CD e entrada auxiliar. No entanto, por meio da versão mais barata você ainda encontra airbags frontais, laterais e de cortina; controle de estabilidade; assistente de partida em rampas; faróis bixenônio com ajuste automático de altura e luzes de condução diurna em LEDs dentre outros itens.

Para aqueles que estão interessados é importante deixar claro que apenas 100 unidades serão colocadas à venda. O preço sugerido do mesmo será de R$ 79.900. Além disso, o cliente ainda tem à sua disposição dois pacotes opcionais: Conforto ou Conforto e Tecnologia. O pacote Conforto oferece apoio de braço dianteiro, piloto automático, sensor de estacionamento traseiro e faróis de neblina. Quanto ao pacote Conforto e Tecnologia, o mesmo acrescenta ar condicionado automático, sistema de multimídia Audi Music Surface, Bluetooth, sensores crepuscular e de chuva, volante multifuncional com alertas para mudança de marcha e retrovisor eletrocrômico.

É importante destacar que a motorização do Audi A1 2014 Kult permanece a mesma, ou seja, 1.4 TFSI de 122 cv de potência associado ao câmbio S tronic de sete marchas e dupla embreagem.

Por Bruno Henrique

Audi A1 Kult 2014

Foto: Divulgação


Depois de verificado se o pneu está ou não careca e feitas as devidas alterações, um item de manutenção que gera muita dúvida aos motoristas é a calibragem.

Você sabe qual a calibragem ideal para o seu veículo? Cada um deles possui uma calibragem ideal. Quando o pneu é calibrado errado, a pressão prejudica na hora de dirigir e o desgaste irregular acontece. Tenha cuidado também com a sobrecarga que pode ser gerada nos pneus. Ela faz com que a vida útil deles chegue a cair em 40%. Além disso, o volume do combustível gasto aumenta e aumentam os riscos de prejuízos ao restante do veículo. Por isso, sempre observe os limites de cargas do pneu.

Não se esqueça de cuidar do alinhamento e balanceamento do veículo. O carro bem alinhado tem um desgaste homogêneo de pneus e melhora a eficiência de rolamento. O alinhamento correto evita que o veículo desvie ou puxe para os lados. Realize o alinhamento cada vez que você rodar 10 mil km com ele. O balanceamento também é muito importante. Sempre que você perceber que o volante está vibrando ou que o carro está fazendo barulho diferente quando atinge certa velocidade, é hora de checar o balanceamento. Deve ser realizado pelo menos a cada 10 mil km rodados.

Anotou todas as dicas? Por fim, um detalhe que poucas pessoas sabem é que assim como os demais produtos do seu uso diário, os pneus também têm vida útil e prazo de validade. Confira se os pneus do seu caso estão dentro do prazo de validade. Não se esqueça de conferir o estepe também. Normalmente, eles são válidos por 5 anos. Para achar essa data, veja na lateral do pneu. E não se esqueça de que a cada 10 mil km rodados é necessário realizar o rodízio de pneus. Caso seja preciso, isso pode ser feito com menos tempo.

Como você pode notar os cuidados com os pneus não são difíceis de serem realizados, mas são essenciais para a segurança do veículo. Fique atento!

Gostou das dicas? Visite-nos sempre para ficar por dentro de todas as novidades do blog.

Por Milena Godoy

Manuten??o pneus

Foto: Divulgação


A Ford confirmou, durante o Salão de Pequim, que irá oferecer o SUV Everest no Brasil. Segundo a marca estadunidense, o utilitário grandalhão derivado da pick-up Ranger, que provavelmente deverá ser fabricado na Argentina, pode chegar ao mercado brasileiro a partir de 2015. Na China, o mercado de utilitários esportivos cresceu significativamente em 2013, fazendo com que a marca norte-americana almeje conquistar 4,5 % desse segmento.

Apresentado pela primeira vez ao público como um carro-conceito na Austrália, no fim do ano passado, o SUV grandalhão foi desenvolvido pela equipe Ásia Pacífico da Ford. Utilizando o mesmo chassi da nova Ranger, embora o Everest dispõe da mesma característica de design atual da marca, o utilitário traz faróis alongados e diferenciados, nova grade frontal com formato trapezoidal característico da fabricante e lanternas traseiras posicionadas horizontalmente e interligadas por uma barra metálica.  Há rumores de que os faróis dianteiros alongados e a nova grade poderão ser utilizados na primeira reestilização da Ranger, que está prevista para 2016.

O Everest “oferece um design bonito, requinte premium e capacidades robustas, em igual medida”, afirmou John Lawler, CEO e Chefe Executivo da Ford Motor China em entrevista ao site inglês “Autocar”. “Um veículo como o conceito Ford Everest seria um ótimo complemento para a nossa estabilidade crescente de SUVs", acrescentou Lawler.

Além do chassi, o Ford Everest irá compartilhar muitos componentes da mecânica da Ranger, como os motor 2.5 Flex de 173 cv com câmbio manual de cinco velocidades e o bloco 3.2 Turbodiesel de 200 cv com  transmissão manual ou automática, ambas de seis velocidades, além da tração integral 4×4 com reduzida.  As diferenças em relação a pick-up ficarão por conta da cabine alongada com capacidade para sete ocupantes e da suspensão traseira com molas helicoidais mais confortável.

No mercado brasileiro o novo Ford Everest terá concorrentes como o Chevrolet Trailblazer, Toyota SW4, Kia Sorento e o novo Hyundai Santa Fé. 

Por Caio Polo

Ford Everest

Foto: Divulgação


Após estrear na Coreia do Sul há algumas semanas, a nova geração do sedan Sonata finalmente aparece oficialmente ao público ocidental. Principal atração no estande da Hyundai no Salão de Nova York, a nova geração do Sonata chega totalmente renovado e com muitos atributos para enfrentar seus rivais, em um dos segmentos mais disputados no mercado norte-americano.

Além do visual repaginado, alinhado com os mais novos modelos da marca, o novo Hyundai Sonata adota as novas características estéticas da fabricante.

A Hyundai também modificou as dimensões do sedan, fazendo com o que o novo Sonata seja mais comprido e mais largo que a geração passada. Portanto, o novo sedan possui 4,85 metros de comprimento, 1,47 metros de altura e 1,86 metros de largura. Com isso, o novo modelo passa a oferecer um espaço interno maior, tanto para os ocupantes dos bancos dianteiros quanto para os ocupantes da parte traseira, e também houve uma ampliação da capacidade do porta-malas, passando de 463 litros para 510 litros.

A fabricante sul-coreana também modificou a rigidez da estrutura do veículo, já que, de acordo com a Hyundai, o sedan passa a contar com 51% de aços de alta resistência, deixando o veículo significativamente mais sólido e firme ao rodar.

No interior, o Sonata também sofreu alterações. O sedan agora passa a contar com tecnologias inéditas, incluindo a adoção de novos equipamentos que estrearam no novo Genesis há pouco tempo. Outra novidade para a nova geração do Sonata fica por conta da oferta do sistema Apple CarPlay, que estreia o item nos modelos da Hyundai. O sistema oferecido pela Apple CarPlay, que dispõe de uma central de multimídia com tela de 8 polegadas touchscreen, promete integração completa com o iPhone e outros dispositivos da Apple. Além do Apple CarPlay, que será oferecido opcionalmente, o carro ainda terá sistema de som via satélite com SiriusXM Travel Link®, navegador via satélite (GPS), suporte ao Pandora® e aplicações SoundHound.

Completa as alterações da cabine a reformulação total do painel de instrumentos e do console central, incluindo novo volante multifuncional, novos comandos do sistema de climatização, ajuste do carro e do sistema de entretenimento.

Mecanicamente o Hyundai Sonata 2015 será disponibilizado no mercado estadunidense com duas opções de motorização. A primeira opção é um motor 2.4 E-CVVT aspirado, capaz de entregar 187 cv e torque de 24,61 kgfm. Segundo a Hyundai, esse propulsor passou por melhorias, enquanto que o sistema eletrônico de comando variável de válvulas (E-CVVT) passará a oferecer mais torque em baixas rotações, ficando também mais econômico e menos poluente.

A segunda opção, por sua vez, é o bloco 2.0 Theta II GDI E-CVVT Turbo com injeção direta de combustível, que gera 248 cv e 36 kgfm de torque. Trabalhando em conjunto com ambos os motores está uma transmissão automática de seis velocidades.

Embora os preços serão divulgados apenas no lançamento do sedan, a Hyundai iniciará as vendas do novo Hyundai Sonata 2015 até o fim deste ano.

Por Caio Polo

Hyundai Sonata 2015

Foto: Divulgação


A Fiat lançou nesta semana o novo Linea para este ano. O carro, que ganhou um design mais sofisticado e renovado, tem como destaque o seu preço inicial na categoria Essence que sai a partir de R$ 55.850.

O sedan médio que teve sua primeira versão feita para concorrer com os sedans Corolla e Civic, agora revelou seus conceitos e tem a esperança de conseguir mais vendas após essas  mudanças. O carro tem três categorias, a Essence, a Essence Dualogic (que sai a partir de R$ 59.240) e a Absolute (que custa R$ 66.450).

A Absolute é a versão mais completa do carro, sendo top de linha, tem câmbio automático, ar condicionado digital automático, rodas de aro 17, saída de ventilação para o banco traseiro e cortina para-sol para as janelas traseiras.

O veículo também vem com sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico, e para divulgar esse item, tem até um pensamento e comentário preconceituoso (o qual diz  que "até as mulheres conseguem estacionar”).

O novo Fiat Linea continua contando com o motor bicombustível 1.8 16V. Chega a 130 cavalos de potência rodando com gasolina, e 132 cavalos de potência, com etanol. O torque é de 18,4 kgfm (gasolina) e 18,9 kgfm (etanol).

O carro estará disponível nas cores  Branco Banchisa, Branco Kalahari, Preto Vulcano (sólidas), Prata Bari, Cinza Scandium e Preto Vesúvio (metálicas).

O veículo ainda vem com planos de garantia (de três anos, sem limite de quilometragem), e assistência 24 horas Confiat, que realiza serviços como reboque e socorro mecânico. 

O carro aparenta ser um bom veículo e ter uma relação de custo-benefício equivalente (mesmo tendo uma divulgação preconceituosa de um dos acessórios tecnológicos – o que deveria ser cortado, ao meu ver), a Fiat acertou em rever os conceitos do modelo e adequá-lo à categoria em que o mesmo realmente se encaixa. 

Por Mariana Caetano

Fiat Linea 2015

Foto: Divulgação


O que vem em sua mente quando falamos em Mercedes?

Conforto, bom desempenho, satisfação. Pois é, tudo isso e muito mais pode ser visto na versão 2014 do Mercedes S 63 L AMG que já chegou ao Brasil.

Só para aguçar sua curiosidade sobre o novo modelo, o mesmo vem com motor AMG V8 biturbo 5.5 que parece já ser a marca registrada da Mercedes para seus carros de grande desempenho. E desempenho é o que falamos quando citamos o Mercedes S 63 L AMG que consegue atingir 585 cv de potência; beleza também não foi poupada no desenvolvimento do carro que pode ser visto em sua deslumbrante carroceria.

A marcha funciona em três modos: manual, esportiva em um modo de controle de eficiência que propicia a diminuição do consumo de combustível, ainda devemos citar que o modelo conta com tração integral AMG 4MATIC desenvolvida para melhorar o desempenho do carro. O carro também perdeu 100 quilos de peso comparado a sua versão anterior que era de 1.970 kg para isso a Mercedes contou com o uso de matérias mais leves na fabricação.

O quesito segurança não foi desconsiderado também. O S 63 L AMG conta com direção inteligente que consegue monitorar por meio de percepção sensível quando o condutor do veículo está cansado em virtude de sono, logo que percebido o fato o automóvel emite um alerta sonoro, o que é altamente útil para evitar possíveis acidentes.

A Mercedes sem dúvida fabrica os carros dos sonhos da grande maioria dos motoristas, e este modelo já está disponível nas concessionárias do Brasil pelo preço de R$ 727.900, que valoriza o interior do carro que foi trabalhado em couro, é espaçoso e confortável. O veículo também tem sido considerado “leve” em sua condução por quem já teve o prazer de realizar um test drive.

Por Igor Lima 

Mercedes-Benz S 63 L AMG

Foto: Divulgação


Surgem boatos no mercado automobilístico de que a Volvo projeta um modelo novo para substituir o V40. De acordo com especialistas na área, a marca deve trabalhar em conjunto com a empresa Geely, natural da Suécia.

Há pouco tempo, representantes da Volvo vieram a público no sentido de anunciar que o V40 vai ser substituído no mercado. Até os dias de hoje há expectativa para saber qual modelo entra na linha produtiva e quais as novidades presentes no novo projeto.

Para se adaptar da melhor forma às demandas que surgem do mercado contemporâneo da atualidade a empresa decidiu investir nos carros pequenos do tipo Premium. Por razões tecnológicas e econômicas, a marca trabalha em conjunto com a companhia Geely.

A aprovação da empresa sueca no projeto aconteceu por decisão do proprietário chinês que votou em favor de se unir com a Volvo. Entre janeiro e setembro do ano de 2013 aconteceu aumento de trinta e cinco por cento das vendas de veículos crossover no mundo, com grande parte da porcentagem comprada em lojas da China.

Além do crossover, a Volvo indica que também deseja trabalhar com outros dois modelos: sedan e hatchback. Não se pode ignorar o fato de que conforme contrato assinado pelas duas empresas existirá produção de unidades similares para serem vendidas no território chinês.

Mäts Fagerhag, chefe de joint venture da Volvo, demonstrou que os suecos possuem presença indispensável no novo projeto ao levar em conta o estilo modular que conseguem implantar na arquitetura dos automotivos.

Ele diz que esse fato ajuda no sentido de aumentar a chance de suecos conquistarem novas parcerias no futuro.  Em Gotemburgo, na Suécia, existe o China Euro Veículo e Tecnologia (CEVT), um centro de engenharia automobilística.

Embora Fagerhag não indique quando o novo modelo vai estar no mercado, especialistas apostam que o lançamento não deve acontecer antes de 2017.

Por Renato Duarte Plantier

Volvo V40

Volvo V40 será substituído

Foto: Divulgação


A Volvo lançou nesta quarta-feira, dia 19 de março, o V40 Cross Country, hatchback do segmento premium com espírito aventureiro. Com tração integral, suspensão elevada e vasta lista de equipamento de segurança, o novo modelo já está disponível nas revendas da marca sueca com preços que partem dos R$ 141.500.

Com altura de rodagem 40 milímetros mais alta, o V40 Cross Country apresenta poucas alterações em relação à configuração tradicional, trazendo para-choque dianteiro mais robusto, grade frontal maior e com formato de colmeia, luzes diurnas de posição levemente elevada nas extremidades do para-choque, para-choque traseiro com dupla saída de escape embutida, além dos retrovisores, molduras das portas e spoiler traseiro com acabamento em Black Piano. Para finalizar o visual, o modelo vem com soleiras nas laterais, rodas de liga leve de 18 polegadas Mefits e um belo rack de teto.

Entre os equipamentos de conforto, a Volvo disponibilizou ao V40 Cross Country o sistema de ar condicionado digital, direção elétrica com três níveis de regulagem, faróis xênon adaptativos, painel de instrumentos digital personalizável, com padrões Eco, Elegance e Performance, bancos e volante multifuncional com revestimento em couro, teto panorâmico, além do sistema de entretenimento com tela de 7 polegadas que abrange o sistema de áudio de alto padrão com oito alto-falantes, conexão Bluetooth, auxiliar e compatibilidade com iPod. Completam os itens de conforto o sistema Keyless Start, que dispensa o uso da chave convencional para dar ligar o veículo, o banco do motorista com regulagem elétrica e a memória e piloto automático.

No quesito segurança, a Volvo não economizou no V40 Cross Country e oferece sete airbags, freios ABS, controle dinâmico de estabilidade e tração (DSTC), controle avançado de estabilidade (ASC), sistema de proteção contra impactos laterais (SIPS), sensores de estacionamento traseiro, de chuva e crepuscular, sistemas Park Assist, City Safety e Road Sign Information, além do aviso de mudança de faixa e sistema de controle de frenagem em descida e Start&Stop. A Volvo equipou o hatchback premium até com o exclusivo airbag de pedestre e o sistema de sensores situados no para-choque dianteiro que identificam a presença de pedestres.

Mecanicamente, o V40 Cross Country vem equipado com motor 2.0 Turbo, capaz de entregar 210 cv e torque de 30,6 kgfm. Dotado de traço integral (AWD), trabalhando em conjunto com o bloco turbo está uma transmissão automática de seis velocidades, com opções de trocas manuais na manopla do câmbio.

Por fim, a Volvo ainda oferece ao cliente, opcionalmente, o novo sistema Sensus Connected Touch, além dos pacotes High Tech e Safety, acrescendo ao preço final R$ 10 mil e R$ 15 mil, respectivamente. Caso venha com tudo que é oferecido pela marca, o V40 Cross Country sai por R$ 166.500

Por Caio Polo

Volvo V40 Cross Country


No ano passado, com os incentivos fiscais do Governo, o mercado automobilístico brasileiro bateu recordes de venda. Porém, este aumento nas comercializações não refletiu na produção de veículos no País em 2012. Isso ocorreu devido às dificuldades encontradas no setor de ônibus, caminhões e de exportações. Assim, o ano foi fechado com a produção de 3.342.617 unidades. Em comparação com o volume de 2011, verifica-se queda de 1,9%.

As informações foram divulgadas pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes dos Veículos Automotores) no último dia 7, segunda. Os dados refletem a previsão que a associação divulgou no final de 2011, ano em que a Anfavea começou a considerar as unidades desmontadas (Complete Knocked Down – CKD) à parte. Antes de 2012, a queda mais marcante havia ocorrido no ano de 2002, de acordo com a associação.

Porém, quando analisados cada segmento separadamente, notam-se algumas diferenças em relação ao total contabilizado. Por exemplo, no caso dos automóveis comerciais, nota-se um aumento de 1,2% quando comparado com o mesmo período de 2011, pulando de 3.407.861 unidades para 3.172.953. Porém, no segmento de caminhões o número caiu de 223.388 para 132.820 veículos produzidos.

Por Marcelo Araújo


A AEFA (Associação Européia de Fabricantes de Automóveis) divulgou nesta última semana uma queda de 10,3% no registro de carros novos no mês de novembro.

Este é o pior indicador desde o ano de 1993 com variações entre os países integrantes da comunidade européia, pois enquanto na Alemanha houve uma queda de 3,5%, a Espanha diminuiu o número de carros novos em 20,3% e o Reino Unido teve um aumento neste indicador em 11,3%.

No acumulado do ano de 2012 a queda registrada foi de 7,6% com relação ao ano anterior com apenas 11.260 veículos novos com registro nos 26 países da União Européia.

Além disso, é esperado resultado semelhante em 2013 com uma redução no registro de veículos novos de 8% ou mais.

Fonte: AFP

Por Ana Camila Neves Morais


A montara de carros Fiat obteve em outubro, novamente, a liderança no mercado de  veículos leves no Brasil. Ela vendeu cerca de 80.797 carros e automóveis comerciais considerados leves  no mês. Isso representa uma participação de 24,71% do total do mercado de carros leves no Brasil em outubro.

As informações foram dadas nesta terça-feira, 6 de novembro, pela Fenabrave, Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores. Segundo os dados o veículo mais popular da Fiat ainda é o famoso modelo Uno, com 65.631 unidades vendidas no mês.

A concorrente Volkswagen também aumentou sua venda de carros em outubro. O Gol, carro mais popular da montadora, vendeu cerca de 27.737 unidades. Com isso a montadora ficou em segundo lugar na venda de carros leves no mês, com um total de 70.562 unidades vendidas, o que corresponde a cerca de 21,58% do mercado.

A montadora General Motors ficou em terceiro lugar, com 54.056 unidades vendidas, e a Ford comercializou cerca de 29.936 carros no mês de outubro. Elas ficaram, respectivamente, com 16,54% e 9,16% do mercado de carros leves no mês.

Sobre o seguimento de motos, a Honda mantém sua liderança absoluta no mercado brasileiro. A Honda comercializou cerca de 108.180 motos no mês, o que corresponde a cerca de 80,29% do mercado de motos no país.

Por Matheus Camargo

Fonte: Exame


O contínuo crescimento do ramo de veículos automotores ainda reflete o cenário observado em praticamente todo o ano passado. Dados divulgados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) assoalham crescimento de 5,64% nos emplacamentos de toda a cadeia nos primeiros quatro meses de 2011 em comparação ao quadrimestre inicial de 2010.

No entanto, no confronto mensal de abril sobre março todos os setores envolvidos delinearam recuo nos índices. Para Sergio Reze, presidente da Fenabrave, essa queda ocorreu por dois motivos: o menor número de dias úteis em abril e as medidas adotadas pelo governo no intuito de frear o acesso ao crédito para o devido controle da inflação.

Os emplacamentos de automóveis e comerciais leves avançaram 3,78% no primeiro quadrimestre do ano, porém e em conformidade ao que mensurado acima, entre março e abril ocorreu arrefecimento de 5,48%. No mês, quase 273 mil unidades foram comercializadas.

A venda de motos entre janeiro e abril cresceu 6,57% em relação ao período igual de 2010, mas entre o terceiro e quarto meses de 2011 o índice de emplacamentos diminuiu 8,86%.

Por Luiz Felipe T. Erdei





CONTINUE NAVEGANDO: