Desde o início do ano foram comercializados 983 mil veículos, uma queda de 25% se comparado com o ano passado.

As vendas de veículos novos sejam eles caminhões, ônibus ou carros tiveram o pior primeiro semestre nos últimos 10 anos, de acordo com dados da federação dos concessionários, a Fenabrave, divulgados na última sexta-feira dia 1º.

Ao todo foram comercializadas 983.599 unidades entre os meses de janeiro e junho, já no mesmo período de 2015 foram 1.318.984 veículos, o que representa 25% de queda.

Foi o pior resultado desde o ano de 2006, onde aconteceu o emplacamento de 861.000 veículos no primeiro semestre. Já em 2007, no mesmo período, a marca ultrapassou 1 milhão, batendo 1.082.257 de unidades.

A Fenabrave tem notado uma pequena melhora em seus índices, porém, não realizou alterações em suas projeções para o ano de 2016, que prevê uma queda de 15% em suas vendas de veículos em geral.

Ao contrário da Anfavea, a associação das montadoras tinha revisto suas projeções de vendas e de produção para o ano de 2016 para baixo, antes mesmo do semestre ter fechado. De acordo com as novas previsões, no ano as vendas devem cair em 19%, para cerca de 2 milhões. Enquanto nos primeiros anos da década, quando era considerado o 4º maior mercado mundial, o Brasil chegou a vender algo próximo do dobro disso.

A fabricação de caminhões, ônibus e carros deverá diminuir em 5,5%, chegando a 2,29 milhões de veículos.

Na próxima quarta-feira, dia 6 de julho, serão divulgados os dados sobre a produção do 1º semestre.

Foram vendidos no mês de junho 171,7 mil unidades, o que é 19% abaixo se comparado a 1 ano atrás, porém, 2,5% a mais que o mês de maio, que contou com um dia útil a menos.

No primeiro semestre as vendas de carros tiveram um recuo de 25%, totalizando 951,2 mil unidades, porém, os veículos pesados tiveram uma queda maior. A queda dos caminhões emplacados foi de 32% entre janeiro e junho, quando comparado com o mesmo período do ano passado (25,4 mil). Já os ônibus recuaram 40,7%, com 6,9 mil unidades.

Já o segmento de motos, que é contabilizado à parte, teve uma redução 14,7% no semestre, batendo as 547 mil unidades comercializadas, comparando entre os meses de janeiro e junho do ano passado.

FILIPE R SILVA


Queda nas vendas chega a 70%. Principal fator apontado é a alta do dólar.

Nos últimos tempos tem se comentado bastante o fato de que os problemas enfrentados pelo mercado de automóveis, principalmente o de modelos novos, fez com os níveis retornassem a praticamente o mesmo patamar que tinham em 2007. Por outro lado, passando ainda distante da tão falada crise, está o setor das marcas de luxo, que tem conseguido se manter preservado. Entretanto, quem imagina que as marcas de luxo estão todas se dando bem no mercado está profundamente enganado.

Nessa linha milionária algumas das mais conhecidas marcas já vem enfrentando diversos problemas há algum tempo. Entre elas estão a Aston Martin, Maserati, Bentley, Rolls-Royce, Lamborghini e a Ferrari. Essas marcas colocam no mercado modelos que ultrapassam facilmente a faixa de R$1 milhão. Nos dados registrados nos últimos quatro anos, o segmento chegou a encolher 68,3%. E em 2016 ainda não se viu sinal de melhora para o elas.

A consultoria Jato Dynamics divulgou alguns dados sobre a questão. De acordo com ela, foi levado em consideração tanto as vendas realizadas por representantes oficiais quanto aquelas feitas por importadores independentes. Os dados apontam que em 2015 os representantes dessas marcas de alto luxo só conseguiram emplacar 71 unidades.

Esse número vem tendo uma queda acentuada desde 2011. Na época foram vendidas 227 unidades. Em 2012 a queda foi para 169 unidades, em 2013 com uma queda menor chegou a 150 e a 133 emplacamentos em 2014.

Os números que foram registrados no ano passado apenas deixam mais claro o que já se sabia: A queda tem se agravado cada vez mais e sem sinal de variação para o lado positivo.

Para se ter ideia do tamanho do problema, vejamos a situação da marca mais atingida, a Aston Martin. Durante todo o ano de 2015 a marca só conseguiu emplacar no Brasil as inacreditáveis três unidades. Um ano antes, em 2014, foram emplacadas 11 unidades e lá em 2011, 36 carros foram vendidos.

Especialistas tem apontado a alta do dólar como o principal fator influenciador desse nicho.

Em 2015 o dólar chegou a subir 48%. Em 13 anos esse foi o maior avanço.

O cenário sem melhoras já tem feito essas marcas milionárias pensarem em como encarar os problemas por um período bem prolongado e sem perspectivas , ao menos por enquanto, no país.

Por Denisson Soares


Em 2015 alguns modelos de carros sairão de linha no mercado. Esta renovação é comum de acontecer em cada ano que finaliza. No ano de 2013, por exemplo, o modelo vetusta Kombi e também as versões populares Mille, Ka e Gol G4 também sairam de linha.

No final de 2014, diversas versões deixarão de existir, como por exemplo, os modelos: Chevrolet Agile, Chevrolet Sonic, Ford Fiesta Rocam, Hyundai Sonata e Peugeot 508.

O veículo Chevrolet Agile alcançou vendas satisfatórias, mesmo não tendo um design atraente. Com o intuito de reformular o modelo, foi inserido o câmbio automatizado, mas, em pouco tempo, a versão Onix o superou no mercado.

Foto: divulgação

O Chevrolet Sonic teve como intuito no mercado ser um intermediário entre os modelos de carros populares e o médio Cruze. Mesmo tendo um potente motor 1.6 16V de 120 cv, não conseguiu conquistar o mercado devido à falta de um design elegante.

O Ford Fiesta Rocam agradou vários clientes no Brasil, o que possibilitou um destaque no mercado na Campanha Upgrade, onde ficou em quarto lugar dos carros mais vendidos. Sai de linha para dar espaço ao modelo Novo Ka.

Foto: divulgação

O veículo Hyundai Sonata proveniente da marca sul-coreana, alcançou um sucesso de vendas e conquistou a admiração de vários clientes. Devido o preço de mercado ter se equiparado ao modelo Azera, acabou perdendo espaço e deixando de ser uma versão importada.

O Peugeot 508 teve um atraente design em seu modelo e foi planejado com uma tecnologia avançada. Dotado de um excelente motor 1.6 THP e de câmbio automático de seis marchas, acabou não conquistando o sucesso no mercado, por causa do seu alto preço que chegou a ser de R$ 112.000.

Outro modelo que deixa o mercado é o Chery Cielo que deixou a desejar em sua qualidade e também na parte mecânica. O seu motor possuiu apenas a opção 1.6 de 119 cv e o câmbio manual.

Por Felipe Couto de Oliveira


A Ford, famosa montadora norte-americana, atualmente, vem inovando em seus lançamentos. Os seus mais novos veículos são: o Ford Ka Hatch e o Ford Ka Sedã, esse último é uma inovação total, haja vista o modelo anterior do veículo não contar sequer com um carro de quatro portas.

Para completar a linha da família Ka, a Ford está fechando as lacunas dos veículos no mercado nacional. As linhas, agora, contam com a versão Hatch 1.5 e a versão 1.0 do sedã.

Foto: divulgação

É bom lembrar que, após o lançamento do Ka, foi constatado grande sucesso do veículo. Com apenas dois meses, o Ka conseguiu a marca de 17.000 unidades vendidas, ficando entre os carros mais vendidos do mercado nacional.

Para a versão sedã, a Ford conta com a questão do preço para conquistar o mercado brasileiro. O Ka na versão SE (sedã) sai de uma concessionária com o preço a partir de R$ 37.890,00.

A versão 1.0 do SE não é a mais atraente, se levada em consideração a questão de potência. Porém, o carro possui um desempenho razoável com lotação de duas pessoas e pouca bagagem. Outra atração diz respeito ao consumo médio do veículo. O Ka SE faz 8,9 Km/l com etanol e 13 Km/l com gasolina.

Já a versão Hatch, com motor 1.5, é bem mais ágil e leve. O carro ganhou em agilidade e dirigibilidade. Esse tipo de propulsor rende ao carro uma potência entre 100 e 105 cv, enquanto o motor 1.0 oferece uma potência entre 80 e 85 Cv.

Foto: divulgação

É bom, também, destacar o interior dos veículos. A Ford fez algumas reformulações em seus veículos, fato que vem atraindo muitos consumidores brasileiros. O interior dos carros Ford ganharam algumas reformulações e trazem modernidade, leveza, e alguns componentes eletrônicos.

O hatch com motor 1.5 possui valor a partir de R$ 40.390,00.

De um modo geral, analisando o custo/benefício, o veículo é uma “boa pedida”.

Por Daniel Alves


O ano de 2014 esteve em alta no sucesso de vendas de variados modelos de carros no mercado. Os veículos tiveram lançamentos repletos de novidades que atraíram os seus clientes e, com isto, aumentou o número de vendas dos modelos. A divulgação deste sucesso em vendas foi feita pela Federação dos Distribuidores de Veículos.

Foram diversos carros que tiveram êxito nas vendas, como, por exemplo, o modelo Up!, da marca Volkswagen. Esse carro teve um número de 53.193 vendas concretizadas, sendo considerado o período entre janeiro e novembro do ano de 2014.

Foto: Volkswagen

Outro modelo que se destacou em sucesso de vendas foi o Nissan New March. Esse modelo teve a sua fabricação na cidade de Resende, pertencente ao estado do Rio de Janeiro. No período de 11 meses, as vendas foram de 21.644 carros deste modelo.

No mês de julho a marca Renault teve um surpreendente sucesso com o seu modelo Sandero em um lançamento que já obteve 82.462 vendas concretizadas.

A marca da Ford também não deixou de surpreender em seu lançamento do modelo Ford Ka. No período de três meses pode ser visto um sucesso na negociação dos clientes que alcançou um número de 31.116 de vendas concretizadas.

Foto: divulgação

O modelo Uno, da marca Fiat, também se destacou no mercado com um resultado de 11.974 vendas concretizadas. Foi um sucesso, levando-se em conta que o lançamento do modelo ocorreu no mês de setembro.

A Toyota também liderou o ranking de vendas, com o lançamento do modelo Corolla. No período de 11 meses, o veículo alcançou um número de 55.703 vendas concretizadas no mercado.

A marca Volkswagen também tem planejamentos de inovação no mercado, com um preço mais acessível em seu modelo Golf Comfortline. Está previsto para o carro ser fabricado no ano de 2015 no estado Paraná, na cidade de São José dos Pinhais. 

Por Felipe Couto de Oliveira


Foi muito discutido esse ano uma queda significativa na venda de automóveis no país. Nos anos anteriores, houve grandes promoções para aquecer o mercado automobilístico, como por exemplo a redução de IPI, entre outros benefícios.

Nesse ano, a restauração da situação normal, no que diz respeito a cobranças de impostos e taxações, provocou uma queda aguda na venda de veículos no Brasil. Em setembro, por exemplo houve queda de 3,9%, porém, ainda assim o Brasil está em quinto lugar no que diz respeito ao tamanho do mercado automobilístico.

A China é a líder de mercado, ultrapassando a marca de 15 milhões de veículos vendidos entre os meses de janeiro e setembro de 2014. Esses números representaram um aumento de 9,2% no seu mercado, se comparado com a mesma época do ano anterior.

Os EUA estão em segundo lugar, apresentando alta de 9,2% no mês usado como referência. Em terceiro lugar, e com mercado ainda bem significativo, encontra-se o Japão, mesmo com a queda mensal de 1,2% e ainda mantendo um aumento acumulado nos nove primeiros meses de 5,8%.

Em quarto lugar está a Grã-Bretanha, que apresentou no mês de setembro crescimento de 6,5%. A Tailândia, em décimo quinto lugar, acumula uma queda gigantesca no mercado de quase 37% ao longo desses 9 meses. Lembrando, é claro, que os números chineses incluem apenas veículos de passeio e os números dos outros países também incluem comerciais leves.

No ranking por marcas, a Toyota detém a liderança com aumento de 3,3% em relação ao período em 2013. A Volkswagen está em segundo lugar, com queda de 0,9%, e em terceiro lugar está a Ford, com uma sutil queda de 0,1%.

A Chevrolet acumulou a maior queda no mesmo período de 9 meses entre as 10 primeiras marcas mais vendidas do período com valor de 6,2%. Em verdade, além da queda da Chevrolet, apenas a Renault não teve aumento significativo (0%), com o restante tendo operado em alta no mercado.

Por Nosf

Foto: IGEPRI


O Chevrolet Onix está tão bem em suas vendas que acabou competindo com dois modelos da linha de produtos da marca norte-americana: o Agile e o Sonic. Os dois veículos perderam espaço para o Onix e foram vítimas de seu sucesso, deixando de constar no site oficial da Chevrolet no Brasil, tendo suas importações interrompidas.

Os números mostram uma expressiva diferença entre as vendas do Onix, Agile e Sonic, justificando a decisão da Chevrolet em paralisar a importação destes dois últimos carros.

Foto: divulgação

Segundo informações da Fenabrave, desde o começo do ano até o mês de agosto, o Onix foi responsável por emplacar 91.236 unidades, sendo o terceiro carro mais vendido no mercado nacional. O Agile e o Sonic hatchback, por sua vez, registraram a venda de 9.547 e 4.246 unidades, sendo o 37ª e 49ª veículos mais comercializados do início do ano até agosto, respectivamente.

Além da versão hatch, o Sonic em sua carroceria sedan, que emplacou 2.706 unidades no mesmo período dos outros modelos citados, também sai do portfólio da Chevrolet no Brasil. Nessa modalidade de mercado, o Sonic sedan tinha uma competição interna com o Cobalt, que emplacou 28.589 carros, sendo o 19º modelo do ranking no acumulado deste ano, bem como com o Prisma, que é o décimo veículo mais vendido do Brasil com 54.474 unidades.

Foto: divulgação

Outro ponto em relação ao Prisma está no fato deste ser derivado da mesma plataforma do Sonic, ser fabricado no Brasil e, portanto, ter um preço mais em conta, garantindo uma vantagem sobre o modelo importado.

Deste modo, com a retirada do Sonic, a Chevrolet deixa de possuir um carro que representa a marca na categoria dos compactos premium. Contudo, o modelo pode ter sua importação retomada no futuro, diferentemente do Agile, que não está mais nos planos da GM devido ao sucesso do Onix.

Derivada do Agile, mas não tendo nenhuma concorrência interna, a picape compacta Montana continua presente no site oficial da Chevrolet.

Por fim, com a suspensão da importação do Agile e do Sonic, que vinham da Argentina e do México, respectivamente, a Chevrolet terá espaço na cota de importação para aumentar a quantidade de importação do utilitário Tracker, que vem obtendo bons índices de vendas e que é importado do México.

Por Caio Polo

Foto: divulgação


Ultimamente, com o crescente aumento nos preços dos veículos zero quilômetro, o mercado de seminovos tem ganhando espaço no segmento. Em média, no mercado brasileiro, com cerca de R$ 30 mil consegue-se um veículo popular zero km, como um Uno, Pálio, Gol, Corsa Sedan, Renault, etc. Porém, com motores 1.0 ou, no máximo, motores 1.3, com poucos itens de série.

No final de tudo, acaba tendo que complementar a compra, financiando o restante do montante e, consequentemente, elevando seus gastos nos anos seguintes. 

É sabido que, para se adquirir um veículo zero km completo, esse valor final passa da casa dos R$ 40 mil. A vantagem da aquisição é a pouca manutenção que se tem e a confiança que apenas você está utilizando aquele veículo, mas, ainda assim, vale lembrá-lo que o carro novo tem uma queda de preço com o passar dos anos.  

Foto: acritica.com

Por outro lado, se com esses mesmos R$ 30 mil o interessado fizer pesquisas no mercado de usados, verá que existem inúmeras opções de carros com muito mais opcionais, como: motor potente, banco de couro, freio ABS entre outros.

De acordo com informações da Agência Autoinforme, mostra-se que o mercado hoje possui mais de 460 opções de carros seminovos e usados, de todos os anos, marcas e modelos para todos os tipos de públicos.

Na faixa dos R$ 30 mil até os R$ 33 mil pode-se achar modelos como o Fusion, Golf, Passat, Audi A3 e até mesmo uma Zafira ou uma Grand Senic, todos completos e altamente potentes.

Finalizando, fica a dica: antes de bater o martelo na hora de comprar um carro, pesquise e faça o comparativo de mercado, se é vantajoso mesmo investir num carro zero km ou adquirir um seminovo ou usado com muito mais opcionais e livre de financiamentos.

Por Valter de Oliveira

Foto: divulgação


A fabricante de carros alemã Volkswagen informou o número de vendas de carros de passeio em janeiro de 2014. Segundo a empresa, foram vendidos mais de 515,7 mil veículos de passeio no mês em todo o mundo, o que representa um aumento de 4,8% se comparado com o mesmo mês do ano de 2013. A montadora tem muito que comemorar, tendo em vista que esta é a primeira vez que a empresa vende mais de 500 mil unidades em janeiro.

Os números são bem expressivos no Brasil, mas em outros mercados, a montadora teve queda nas vendas, como nos Estados Unidos, onde houve queda de 19%, vendendo aproximadamente 23,5 mil unidades. Na Rússia os números foram ainda menos esperançosos, houve queda de 26,6 % nas entregas de carros, representando o número de 8,6 mil veículos. No Brasil foram vendidos 35,9 mil unidades, o que representa uma redução de 22,1% na comparação anual. Em toda a América do Sul houve recuo de 21,3%. Na Índia, a queda foi de 26,6%, o que representa 4,6 mil carros.

Na Europa houve crescimento de 7,9% nas vendas, o que representa 126,2 mil unidades. No país de origem da empresa, a Alemanha, a expansão foi de 8,8%, o que representa cerca de 41,4 mil automóveis comercializados. Na China foram vendidos 267,8 mil veículos no primeiro mês deste ano. Já em Hong Kong, o aumento foi de 13,9%. 

A Volks recentemente investiu pesado em diferentes unidades em todo mundo. No Brasil, foram investidos mais de R$ 12 bilhões. Só a fábrica de Taubaté, em São Paulo, recebeu mais de R$ 1,2 bilhão em investimentos. Tudo para produzir os novos modelos da marca, com destaque para o Up!, que chegou às concessionárias no início de fevereiro. Ainda foram feitos investimentos na fábrica de São José dos Pinhais (PR), que ficará a cargo de produzir o novo Golf, na nova plataforma.

Por Robson Quirino de Moraes


Já está sendo vendida no Brasil a Subaru Forester 2014. A SUV teve sua primeira aparição no Salão de Los Angeles no ano passado. Esta já é a quarta geração da Forester, que está com um novo visual e um pouco maior que a atual. O carro agora mede 4,59 m de comprimento, 1,79 m de altura, 1,69 m de largura e entre os eixos 2,64 m. Com essa alteração o carro ganhou mais espaço interno para os passageiros. Ganhou também mais espaço no porta malas que tem capacidade para 489 litros.

A Forester 2014 está sendo vendida em duas versões: a S e a XT Turbo. A versão S vem com motor 2.0 Boxer com 148 cavalos de potência (6000 rpm) e 20 kgfm (4200 rpm). Na versão XT turbo traz o mesmo motor com a diferença de vir com injeção direta, proporcionando uma potência de 240 cavalos (5600 rpm), e torque de 35,7 kgfm. Ambas com tração integral AWD.

A versão S traz sistema de câmbio CVT Lineartronic com seis marchas virtuais e a XT turbo o câmbio também é CVT Lineartronic, porém quando o sistema S# está ativo ele simula 8 velocidades.

O Subaru Forester 2014, em termos de equipamentos de série é completo, contando com vários itens de alta tecnologia. A começar pela segurança, vem com freios ABS e EDB( agora lei no Brasil para todos os veículos), seis airbags, faróis de xênon, bancos em couro e teto solar com sistema de regulagem por acionamento elétrico.

Vem também com GPS (sistema de Posicionamento Global) embutido na parte central do painel, e um sistema multimídia com alta fidelidade de som Haran-ardon, além de entradas auxiliares, câmera de ré (para auxiliar na hora de estacionar). A versão S de entrada está à venda por R$ 115 mil e a top de linha XT Turbo por R$ 140 mil.

Por Mariana Rodrigues

Subaru Forester 2014

Foto: Divulgação


O mês de Novembro fechou com ótimos números para algumas montadoras de carros e motos. A Volkwagem manteve a liderança e o Fiat Strada ficou em último lugar com menos de sete mil unidades emplacadas. Entre as motocicletas mais vendidas tivemos vários modelos da Honda.

Segue abaixo um resumo dessa  lista completa das duas categorias segundo informações da Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores.  

Em primeiro lugar como já citado ficou om o Gol da Volkswagem com mais de vinte mil unidades vendidas, provando mais uma vez o gosto dos consumidores pelo popular lançado em 1995. Depois vem o Fiat Uno. Com a inovação de design desse modelo, o "Uninho" ganhou mais popualridade nos últimos quatro anos já que também apresenta maior qualidade e desempenho de motor, retirando o rótulo de "fracasso" de anos atrás.

Foram quase dezesseis mil unidades vendidas. O Palio também é um dos modelos populares mais bem aceitos na atualidade. Foram quase quatorze mil unidades emplacadas e as vendas progrediram por conta do bom funcionamento do motor e também pela repaginada que deixou o popular mais esponjado e robusto.

O Ford Fiesta ultrapassou as doze mil unidades e ocupa o quarto lugar do ranking. O Siena, considerado um dos preferidos da "família brasileira" manteve o número esperado pela montadora com quase onze mil e  seiscentas unidades.

Em sexto lugar vem o Onix, sétimo Hyndai HB20, oitavo Renault Sandero que rebaixou o Crossfox para a nona posição e finalmente, o Fiat Strada citado no início desta matéria como o último da fila. O Strada quase atingiu a marca de sete mil unidades decepcionando a Fiat que esperava por números maiores em virtude de seu lançamento.

Para as motos a Honda é a preferida e ocupa as primeiras cinco colocações com os modelos: CG 150, Biz, CG 125, NXR 150 e Pop 100. Em sexto lugar vem a Yamaha YBR 125. A Honda aparece novamente em sétimo lugar com a CB 300R, em oitavo com o modelo XRE 300, em nono com o NXR 125 e por fim, a Yamaha retorna para a lista com a Fazer 250. 

Por Luciana Ávila


O  irmão mais novo do Cayenne está previsto para chegar no Brasil apenas em Maio do ano que vem. Mas muitas expectativas já giram em torno do novo modelo da Porsche, é a grande aposta da marca para 2014 com meta para vender 200 mil exemplares no ano.

Apresentado no último dia 19 , a produção do carro deve começar em dezembro e as vendas já no inicio do ano que vem. Um prato cheio para os amantes de modelos esportivos e para os fãs da marca.

O Porsche Macan terá 3 versões:  S, S Diesel e Turbo. A versão S custará  49 mil dólares (cerca de 115 mil reais) nos Estados Unidos mas no Brasil você não vai achar a versão de entrada por menos de 290 mil reais. A versão Macan Turbo sairá um pouco mais cara (cerca de 350 mil reais), o diferencial dela é o motor V6 3.6 que leva o carro de 0 a 100 km/h em menos de 5 segundos! Quanto ao câmbio, será manual ou sequencial de dupla embreagem com sete marchas.A única versão que não chegará por aqui será a  S Diesel.

O design do Porsche Macan não é tão diferente dos outros carros da Porsche, ele compartilha da mesma plataforma do Q5 e tem alguns componentes iguais, existem algumas diferenças, por exemplo, as lanternas traseiras que são bem pontiagudas.

Para os amantes dos carros esportivos o novo Porsche Macan é um prato cheio,  quem já é fã do Cayenne, agora tem mais um motivo para sorrir, o carro carrega consigo uma série de novidades e uma delas é que o carro poderá ser equipado com 2.0 L4, o primeiro carro da marca a ter essa opção em 18 anos. Esperamos ansiosos até Maio para podermos ver de perto tudo isso!

Por Tom Vitor de Freitas

Porsche Macan

Foto: Divulgação


Para quem está afim de adquirir um veículo semi-novo, essa é a hora certa. Segundo dados do índice Autoinforme/Molicar nos oito primeiros meses do ano o preço do carro usado já caiu cerca de 6,2%. Somente no bimestre de Julho e Agosto a queda de preço foi de 3,1%.

Nenhuma das 16 marcas fabricadas no Brasil registrou aumento de preço nesse período, sendo que 6 delas tiveram índices de desvalorização abaixo da média, incluindo as gigantes Volkswagen e Fiat. Ainda segundo o índice, os preços da Chevrolet caíram 3,23% e os da Ford também tiveram uma queda ainda mais acentuada de 4,81%.

Os veículos da Audi foram os que mais tiveram queda no valor, em especial o A3, de fabricação nacional. Curiosamente, os veículos que menos tiveram queda em seus valores de mercado são de empresas que fabricam apenas utilitários, como a Agrale e a Iveco, que tiveram queda de apenas 0,43% e 0,94%, respectivamente.

A situação melhora ainda mais para quem procura comprar um carro importado aqui no Brasil. A Maserati Quatroporte 4.2 foi o veículo que teve a queda de preço mais expressiva entre julho e agosto: – 20% . Fusion Hybrid teve queda no preço de 18% e Volkswagen CC também com uma acentuada queda de 18%.

Por Ebenézer Carvalho


A concorrência acelerada no mercado automotivo brasileiro, que tem 49 empresas na disputa pelo bolso do consumidor, tem deixado os valores com mais estabilidade durante o ano de 2013.

Sabe-se que o Preço de Verdade referente ao Carro Zero, ou seja, o valor real comercializado no mercado manteve a sua estabilidade no mês de agosto, após 4 meses de queda. Já o total acumulado em 2013 aponta para um crescimento de somente 0,5%, índice bastante abaixo em relação à inflação do período (2 pontos percentuais de acordo com informe do IPC da FIPE).

A pesquisa chamada Preço de Verdade, realizada pela Agência Autoinforme e Molicar, faz uma análise de preço referente a todos os novos modelos comercializados em mercado interno (carros importados e com fabricação nacional).

Mesmo com a pressão originada pelo aumento de carros importados, que vêm sofrendo com a alta cotação do dólar norte-americano, o segmento nacional mantém sua estabilidade, com somente 3 altas durante o ano (que ocorreu no primeiro trimestre), baixas em abril, maio, junho e julho, e estabilidade no mês de agosto.

Por Marcelo Araújo


O mercado de veículos automotores já conta com mais um novo modelo à disposição dos consumidores, trata-se do Novo RCZ, da Peugeot, que chega nas concessionárias com preços a partir de R$ 132.990,00; apesar de ainda ser recente no mercado, 50 mil unidades do veículo citado já foram comercializadas em todo mundo.

Uma das novidades do Novo Peugeot CRZ é o seu para-choque, que tem linhas mais agressivas; sobre os faróis, estes vêm com máscara negra; o veículo ainda têm LEDs diurnos; internamente o Novo CRZ melhorou ainda mais os moldes de seu antecessor, principalmente no quesito conforto e esportividade.

São notáveis os detalhes cromados, além de acabamento em couro, ESP, TCS, 4 airbags, multimídia, navegador GPS, tela de 7 polegadas retrátil, Bluetooth, sistema de aúdio JBL, seis auto-falantes, rodas de liga leev 18, sensor de estacionamento dianteiro/traseiro, entre outras inúmeras novidades.

Em relação ao motor, o Novo Peugeot CRZ possui o potente 1.6 THP com 165 cv e 24,5 Kgfm, acoplado em caixa automática de seis velocidades com mudanças em sequência; as cores disponíveis, até o momento, são as seguintes: Branco Nacré, Perla Nera e Vermelho Erythrée; a garantia é de três anos, independente da quilometragem rodada.

Por Vinicius Cunha

Pegeout RCZ


A Lifan está de olho no mercado de automóveis do Brasil, com fins de aumentar a sua participação e expandir as vendas, a companhia esta procurando aumentar o número de opções de produtos para os consumidores.

Nos próximos meses a Lifan aumentará o portfólio para os consumidores, entretanto, a principal novidade estará disponível unicamente nos primeiros meses de 2014.

O compacto 530 com motor 1.5 de 103 cavalos de potência será a única versão do modelo. Com cambio de cinco marchas, ele será equipado com ar condicionado, freios e discos nas quatro rodas do automóvel, sistema ABS e duplo airbag.

Entre as outras opções que a montadora pretende oferecer, está um utilitário capaz de carregar até 800 kg, o Foison.

Como principais características da pequena picape citam-se o motor 1.3 com 93 cavalos de potência além de câmbio mecânico de cinco marchas. O utilitário virá para o mercado com as seguintes dimensões: 2,8 metros de comprimento, 3,35 metros de profundidade e largura de 1,52 metros. Com essas dimensões e características, este será a única versão do modelo ofertado no mercado nacional.

Por Melina Menezes


Informações ainda desencontradas cercam a montadora chinesa Chery quanto a possibilidade de trazer para ao país o novo sedã Arrizo 7.

Depois de lançar em território brasileiro o Chery Tiggo, a empresa poderia colocar no mercado canarinho o novo sedã médio. No entanto, a assessoria da montadora disse que ainda a diretoria não deliberou se deve ou não incorporar o modelo no mercado brasileiro e caso fosse interessante trazer o Arrizo 7, quando isso ocorreria.

Contudo, o site China Car Times alegou que o modelo além de ser colocado a venda no Brasil, poderia ser fabricado aqui, na nova fábrica instalada em Jacareí (esta iniciará as atividades no quarto mês de 2014).

O site chinês foi mais além e afirmou que o sedã sofreria alterações com o intuito de causar boa aceitação no comercio brasileiro de automóveis e que além de ser vendido no país, ele seria distribuído para os outros países da América do Sul. A alteração feita para contentar os consumidores seria o motor 2.0 flex.

A futura planta de Jacareí fabricará inicialmente 50 mil unidades por ano. A meta da Chery é aumentar sua participação de mercado do mero 0,4%  para 3% até 2016.

Por Melina Menezes


De acordo com o ritmo acelerado de comercializações no mercado de autos brasileiro visto nos últimos meses, julho irá registrar novamente um recorde em comercializações dentro de um período de 30 dias. Até o dia 26 de julho, última sexta, 275,2 mil veículos tinham sido comercializados, o que eleva o índice para uma média de mais de 14.000 unidades comercializadas por dia.

Assim, o mercado chegou à melhor média diária deste ano. Porém, o mês de julho foi longo e apresentou vinte e três dias úteis, visto que o feriado de Nove de Julho é municipal e parou apenas São Paulo, cidade com 1/3 das comercializações do país. Sendo assim, o total do volume de vendas deve superar as 316.613 comercializações do mês anterior, que foi o recorde de 2013.

Com larga liderança, a marca Fiat tem as suas duas principais adversárias brigando pela 2ª posição: GM e Volkswagen. Em julho, a General Motors apresentou melhor índice de vendas. Com três dias para o final do mês vigente, a GM apresenta um ponto a mais em relação à Volkswagen (18,78% contra 17,78%). Já a Fiat apresenta 21,2%, liderando com folga.

Por Marcelo Araújo


O Honda Accord 2014 foi exibido em agosto do ano passado no Salão de Automóveis de São Paulo.  Mas os carros só começarão a ser vendidos a partir desse mês no Brasil

O Accord 2014 traz de série lanternas traseiras com leds, viva-voz HFT (Hands Free Telephone) Bluetooth, câmera de ré multivisão (traseira, angular e de cima para baixo), assistente de subida em ladeiras HSA (Hill Start Assist), sensores de estacionamento traseiros, para-brisas acústicos, acendimento automático de faróis e sistema ECON, que ativa a função de assistência à condução econômica.

No que toca a segurança, o sedã conta de série com freio a disco nas quatro rodas com ABS e EBD e Vehicle Stability Assist (VSA) com controle de tração. Há seis airbags, sendo frontais de duplo estágio, laterais dianteiros e de cortina laterais. O Novo Honda Accord 2014 custa R$ 119.900, sendo a versão V6 por  R$ 147.900.

Os primeiros carros estarão disponíveis nas seguintes cores, sem acréscimo de valor pelo cor: Prata Global Metálico, Preto Cristal Perolizado e Branco pérola. Seu motor, por exemplo, pode desativar cilindros, economizando assim combustível. O Novo Honda Accord 2014 é um dos automóveis mais esperados para o segundo semesre de 2013.

O V6, por sua vez, tem maçanetas cromadas, ponteira de escape dupla, teto solar elétrico, monitor de pontos cegos, sensor de chuva e partida sem chave etc.

Por Madson Lima de Oliveira


Segundo a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), a comercialização de veículos em geral (ônibus, comerciais leves, caminhões e automóveis) apresentou queda de 5,25% no mês de maio em relação ao mês de abril, período em que foi registrado um recorde mensal de emplacamentos no setor. Apesar da queda, quando comparado ao mesmo período do ano de 2012, foi observado um aumento de 10% nas vendas.

No final do mês de maio de 2012, foi observada no setor a grande quantidade de veículos nas lojas e nos pátios das empresas, o que fez com que o Governo desse desconto no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Tal medida, que acarretou em mudanças gradativas e bastante significativas para as vendas, ainda se encontra em vigência e deve continuar nos planos do país até o último mês do ano, período em que poderá ser prorrogada ou não.

Neste mês, foram comercializados 316.225 veículos, 17.505 unidades a menos do que no mês anterior e 28.778 unidades a mais do que as verificadas em maio do ano passado.

Referente ao acumulado anual, o segmento registra um aumento de 8,57%, apresentando 1.480.366 veículos vendidos contra 1.363.53 no mesmo período do ano passado.

Por Marcelo Araújo


A Honda informou que sua linha 2014 do Honda Civic chegará já na segunda quinzena de janeiro e contará com duas versões, uma delas trazendo o inédito motor 2.0 flex.

As versões novas LXR e EXR substituirão as versões LXL e EXS e contarão apenas com câmbio automático com cinco marchas. O motor 2.0 I-VTEC é capaz de gerar 155 cv com etanol e 150 cv com gasolina, seu torque máximo é de 19,5 kgfm a 4.800 rpm no etanol.

Um dos diferencias deste modelo é que ele não conta com o tanquinho de gasolina para partidas a frio, eliminando assim o bocal que ficava no para-lama dianteiro. Quando as portas são destravadas, um conjunto de aquecedores começam a trabalhar diretamente na linha do combustível, deixando a temperatura certa para que tenha combustão. 

A versão EXR 2.0 chega ao mercado custando 84 mil reais e terá airbags laterais, maçanetas cromadas, GPS, freios com sistema EBA, teto solar, sistema VSA, dois tweeters e sistema MA-EPS, que deixa a direção mais dura se o motorista fizer algum movimento no volante de maneira instável.

Já a versão LXS que custará 66 mil reais mantém o motor 1.9 Flex 16V com 140 cv, mas agora traz seis marchas no modelo com câmbio manual. Além disso, o modelo conta com conexão bluetooth para celulares e chave tipo canivete.

Por Felipe Santos Bonfim


Em outubro, a marca automotiva Hyundai começou a vender o novo HB20, um carro altamente promissor, arrojado e atraente. O modelo tem aparecido constantemente em propagandas na televisão, revistas e internet, mas o mais surpreende é que o lançamento já é presença marcante nas ruas.

O carro tem como diferenciais a diversificada variedade de cores na lataria (ao todo oito opções), além de ser bem espaçoso e confortável. O carro tem 2,50 metros entre-eixos e acomoda, com folga, 4 adultos.

Em termos de configurações mecânicas, o novo Hyundai HB20 vem equipado com motores 1.0 ou 1.6 litros, a diesel ou a gasolina. O propulsor desenvolve a potência de 128 cavalos e tem o torque de 16 kgfm. Para completar o conjunto, o carro vem com transmissão manual de quatro marchas.

O HB20 possui ainda elementos interessantes, a exemplo de ar condicionado, vidros elétricos, airbag duplo, vários porta-objetos, freios ABS, computador de bordo com variadas funcionalidades, comandos no volante, sistema de controle de força, diversos sensores de estacionamento e faróis de neblina.

Segundo a montadora Hyundai, o carro é voltado a motoristas jovens (entre 20 e 30 anos).

Por Larissa Mendes de Oliveira


A Chevrolet está estudando a viabilidade de trazer para o Brasil um dos seus modelos de grande sucesso na Europa. Trata-se do Aveo, também conhecido como Sonic, nos Estados Unidos, que pode chegar ao país em 2012 para entrar na briga do concorrido segmento de compactos, que já conta com o VW Polo, Fiat Punto, Honda Fit e o New Fiesta Hatch, cujas vendas estão próximas de se iniciarem.

Na Europa, o Aveo acaba de ganhar uma nova versão ecológica, equipada com motor turbodiesel de 1.3 litro, com opções de 75 cv e 93 cv de potência, que combinadas ao sistema start-stop, apresentam um bom índice de consumo de combustível, que em média fica em torno de 27,7 km/l, além de emissão de CO2 de 95 g/km. A gama é completada pelas versões oferecidas com os propulsores 1.2, 1.4 e 1.6 litro, movidos a gasolina.

Um dos problemas que pode atrapalhar a possível vinda do Aveo para o país é a alta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os carros importados, decretada pelo Governo Federal recentemente.

Como o modelo é fabricado na Coreia do Sul e nos Estados Unidos, a sua importação para o mercado nacional pode fazer com que os preços praticados fiquem acima do esperado, que é na faixa de R$ 45.000 a R$ 55.000.

Por André Gonçalves


No ranking de vendas das montadoras de automóveis, a Fiat manteve-se na liderança durante o mês de julho, com a comercialização de 67.366 unidades de seus veículos; contra 58.842 unidades vendidas pela Volkswagen.

Os números, que podem ser conferidos no site da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), levam em conta o emplacamento de automóveis e comerciais leves; revelando uma fatia de mercado de 23,40% para a marca italiana e 20,44% para a fabricante alemã.

Na sequência da lista de julho, aparecem a GM (51.598); Ford (26.269); Renault (16.237); Hyundai (9.254); Peugeot (7.367); Toyota (7.214); Citroën (7.025); e Honda (6.728).

No acumulado do ano, a situação também é parecida, com a liderança da Fiat, que vendeu 433.851 modelos (comerciais leves e automóveis); enquanto a Volkswagen emplacou 396.822 unidades. A GM, com a venda de 354.865 veículos; a Ford, com 182.292; e a Renault, que comercializou 96.714 unidades, completam a lista das 5 melhores colocadas.

Somando as vendas de todas as marcas, o total atingido entre janeiro e julho de 2011 é de 1.920.020 unidades, um acréscimo de 8,15% em relação ao mesmo período, no ano passado.

Por André Gonçalves


A venda de automóveis e comerciais leves no mercado brasileiro, durante o mês de julho, atingiu 287.941 unidades, o que significa uma leve alta de 0,35%, em relação a junho (quando foram emplacadas 286.934 unidades), e de 0,95%, quando comparada com o sétimo mês de 2010. Os dados foram revelados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

As primeiras posições da lista dos modelos mais vendidos permanecem inalteradas. Em 1º lugar está o VW Gol, com 25.884 unidades vendidas; seguido pelo Fiat Uno, com 24.929 emplacamentos; GM Celta, com 12.073 veículos comercializados; e o GM Corsa Sedan, que vendeu 10.768 modelos. Completando o ranking dos 10 primeiros colocados, aparecem o VW Fox/CrossFox (8.890); Fiat Palio (8.845); Renault Sandero (8.690); VW Voyage (8.549); Fiat Siena (7.815); e Ford Fiesta (7.639).

No segmento de comerciais leves, a Fiat Strada lidera, com 11.298 unidades emplacadas em julho; seguida pelo VW Saveiro (5.841); GM Montana (4.138); e GM S10 (3.468).

No acumulado do ano, a disputa também se polariza entre VW e Fiat. Nos automóveis, o Gol lidera, com 171.136 unidades vendidas; enquanto o Uno alcançou 158.321. Nos comerciais leves, a Strada tem 69.979 modelos emplacados, contra 41.185 unidades do Saveiro.

Fonte: Fenabrave

Por André Gonçalves


O mercado automobilístico brasileiro foi o 4º colocado no ranking mundial mensal de vendas de carros, levando em conta os números referentes ao mês de abril de 2011.

De acordo com os dados informados pela JATO Dynamics, foram comercializadas por aqui 272.898 unidades (automóveis e comerciais leves), o que fez com que o país subisse 3 posições em relação a março, quando estava na 7ª colocação.

No topo da lista também houve mudança, com os Estados Unidos ultrapassando a China. Os norte-americanos emplacaram 1.157.760 unidades, contra 1.113.499 unidades do país asiático (os dados para a China incluem apenas os carros de passeio). Na terceira posição está a Alemanha, que comercializou 283.833 veículos.

Completando o ranking dos 10 maiores mercados automobilísticos do mundo aparecem: Rússia, Índia, França, Japão, Itália e Canadá.

Já no acumulado do ano, o Brasil é o 5º colocado, com a venda de 1.050.317 veículos (entre janeiro e abril de 2011). Já a China aparece na liderança, com o emplacamento de 4.839.144 unidades, seguida pelos Estados Unidos (4.217.712), Japão (1.317.270) e Alemanha (1.098.748).

Por André Gonçalves


Compacto de visual moderno e linhas arrojadas o Audi A1 teve seu lançamento oficial no mercado brasileiro no último dia 09 de Maio, apesar de estar em pré-venda desde o final do ano passado. Com a missão de ganhar espaço no segmento dos compactos e brigar com outro compacto importado que já está no mercado nacional, o Mini Cooper.

E para isso o modelo alemão chega com requisitos interessantes. De série o modelo da Audi vem com computador de bordo, faróis de xenônio, ar condicionado, freios ABS, controle de estabilidade EFS, sistema de som e airbags, entre outros itens. Ainda possui uma gama de opcionais interessantes como sistema Start&Stop, sensor de estacionamento e de chuva e sistema Keyless.

Visualmente bonito, de presença marcante, bem equipado, com um valor inicial de R$ 89.900 e, segundo a marca alemã, com o status de ser o primeiro importado abaixo de R$ 100 mil no mercado brasileiro, o Audi A1 conta com motorização feita por um propulsor TFSI de 1.4 l acoplado com uma transmissão S-Tronic de sete velocidades e este conjunto mecânico pode produzir 122 CV de potência.

Conforme informações da Audi o modelo compacto atinge a velocidade máxima de 203 Km/h com aceleração de 0 a 100 Km/h em menos de nove segundos. Seu consumo médio também é elogiável, ficando no perímetro urbano na casa dos 15,4 Km/h e na estrada na casa dos 21,7 Km/h. De acordo com a montadora, as primeiras 600 unidades importadas serão entregues aos compradores que adquiriram o carro através da pré-venda.

Por Manoel Câmara


A montadora de veículos francesa Renault lançará em maio, a versão 2012 do Sandero para o mercado brasileiro, com alterações visuais e no interior. A reforma visual toma como exemplo a versão Stepway.

A frente do novo Sandero terá grade com apenas um vão acima da placa, tomadas de ar inferiores e novos faróis refletores, diferentes do Stepway que apresenta faróis elipsoidais.

Já na versão Sandero Stepway o tom de preto fosco continua sendo usado nos para-choques, para-lamas e grade dianteira. Haverá poucas mudanças visuais, mais atentas nas lanternas e no logotipo da empresa.  No interior, os comandos dos vidros elétricos passam para as portas (mesmo modelo adotado no Logan). A empresa ainda não confirmou, mas o novo Sandero 2012 pode ter a potência do motor de 1.6 l e 8V aumentada.

Por Henrique Pereira


Já podem ser encontradas nas 30 concessionárias brasileiras da Land Rover, a versão especial do Discovery 4, conhecida como Discovery 4 Black and White, lançada recentemente pela montadora britânica. Serão apenas 100 unidades à venda no Brasil, com preço sugerido de R$ 239.900. Como o próprio nome já diz, o modelo é comercializado em duas cores, Preto Santorini ou Branco Fuji, e vem com novos itens exclusivos, além de um acabamento diferenciado.

Volante, painel e bancos têm costuras que combinam com a tonalidade dos revestimentos em couro da série especial, oferecidos nas cores Ebony (preto) ou Ivory (marfim). Externamente, podemos destacar as rodas aro 20 com design renovado, o acabamento em prata e preto, entradas de ar nas laterais, grade frontal, teto solar elétrico, puxadores das portas e espelhos retrovisores, todos na cor preta.

Para aproveitar todas as características off-road do veículo, sem deixar o desempenho no asfalto em baixa, a Land Rover escalou o motor TDV6, turbinado, de 3.0 litros, movido a diesel, com injeção direta. Através do sistema Terrain Response, o motorista pode escolher, dentre cinco diferentes configurações de motor, suspensão e tração, a melhor combinação para o tipo de piso em que estiver trafegando no momento.

Por André Gonçalves


Mesmo com os números recordes alcançados pelo mercado de automóveis do Brasil em 2010, o país caiu uma posição no ranking mundial de vendas, computadas no primeiro mês de 2011, indo parar no 5º lugar.

Foram 229.843 veículos emplacados em janeiro, números que representam 14,1% a mais do que o mesmo período em 2010. Já a Índia alcançou 258.445 unidades vendidas, o que significa um crescimento de 23,8%. Os números são da consultoria Jato Dynamics.

No topo da lista, e disparada em relação à concorrência, aparece a China, com mais de 1,4 milhão de veículos emplacados no mês de janeiro (sem contar os veículos comerciais leves), cerca de 16% a mais que em janeiro de 2010. Os números são quase o dobro que os apontados nos Estados Unidos, segundo colocado no ranking, com 819.138 unidades vendidas. Em terceiro lugar aparece o Japão, com 304.038 veículos vendidos.

A lista dos 10 primeiros é completada pela Alemanha (226.600), França (219.082), Itália (179.437), Grã Bretanha (145.965) e pela Rússia, que teve o maior índice de aumento, 72,1%, com 127.564 carros vendidos em janeiro de 2011.

Por André Gonçalves


A Renault deve lançar no Brasil, ainda em 2011, o Duster, um utilitário esportivo construído sob a mesma plataforma que o Sandero e o Logan. A expectativa da montadora francesa é de que ele brigue diretamente com o Ford Ecosport, líder de vendas no segmento.

O Duster deverá ter, na versão de entrada, o motor 1.6 litro, de 16V, que desenvolve 107 cv de potência, basicamente o mesmo utilizado no Sandero, ou o 1.8 16V, que alcança até 125 cv de potência, que está sob o capô do Livina. Já a versão top de linha possivelmente estará equipada com um propulsor flex 16V, de 2.0 litros, similar ao do Fluence. Com relação à transmissão, as opções serão a manual, de seis velocidades, ou a automática (CVT).

O detalhe para o modelo que será comercializado por aqui é que ele vai ganhar um design exclusivo para o Brasil, produzido pela Renault Design América Latina, uma vez que o visual do Dacia Duster, vendido no exterior, não teria agradado. Algumas partes modificadas serão a grade dianteira, com três filetes e a logo da Renault ao meio, além dos faróis alongados, chegando ao paralamas. O que deve mudar pouco é o acabamento interno.

Por André Gonçalves





CONTINUE NAVEGANDO: